Crossfire de RX 470 e 480: combinamos dois chips Polaris diferentes e testamos o resultado!

As placas AMD trazem características bem interessante para quem deseja combinar placas de vídeo: além de dispensarem o uso de um acessório adicional, elas também possibilitam a combinação de placas com chips gráficos diferentes, duas opções não disponíveis para consumidores da Nvidia. Fizemos a combinação de duas GPUs Polaris diferentes: a RX 480 modelo referência e a RX 470 RS, modelo da XFX, para descobrir qual o nível de performance que alcançamos combinando essas duas placas de vídeo.

Apesar de se tratarem de modelos diferentes, tanto a RX 480 quanto 470 são baseadas no mesmo chip, o Polaris 10. Enquanto a placa mais potente conta com todas as 36 unidades computacionais ativadas (CUs), a RX 470 é uma versão com parte do chip desabilitado, contado dessa forma com 32 CUs e, por consequência, com menos unidades de processamento stream e também menos desempenho.

Também comparamos com a situação ideal: colocamos duas RX 480 em ação, para ver como a alternância de duas placas mais equilibradas impacta nos resultados. Nesse caso, usamos a RX 480 referência e uma ASUS Strix RX 480.

Comparativo

XFX Radeon RX 470 RSAMD Radeon RX 480ASUS Radeon RX 480 Strix OC

Preços

Preço no lançamentoU$ 179,00 U$ 229,00 U$ 259,00
Preço atualizadoU$ 179,00 U$ 229,00 R$ 1.200,00

Especificações da GPU

Processo de fabricação14nm FinFET 14nm FinFET 14nm FinFET
ChipPolaris 10 Pro Polaris 10 XT Polaris 10 XT
Clock do GPU926 MHz1120 MHz1266 MHz
Clock do GPU (Turbo)1256 MHz1266 MHz1310 MHz

Especificações das Memórias

Tecnologia da RAMGDDR5 GDDR5 GDDR5
Interface de largura de BUS256 bit 256 bit 256 bit
Quantidade de RAM|4GB| |4GB||8GB| |8GB|
Clock das memóriass1750 MHz2000 MHz2000 MHz
Clock efetivo7000 MHz8000 MHz8000 MHz
Largura de banda211 GB/s256 GB/s256 GB/s

Características Gerais

Shading Units2048 2304 2304
TMUs128 144 144
ROPs32 32 32
Pixel Rate40.2 GPixel/s40.5 GPixel/s41.9 GPixel/s
Texture Rate160.8 GTexel/s182.3 GTexel/s188.6 GTexel/s
Performance de pontos flutuantes5145 TFLOPS5.834 TFLOPS6036 TFLOPS

Design

Pinos de alimentação1x 6 pinos 1x 6 pinos 1x 8 pinos
Suporte à combinação de placasAté quatro placas Até duas placas Até quatro placas
Tipo de SlotDual-slot Dual-slot Dual-slot
Comprimento da placa240 mm241 mm298 mm
TDP120 W150 W150 W
Fonte recomendada400 W450 W450 W
Conexões de vídeo1xDVI, 1xHDMI 2.0b, 3xDisplayPort 1xHDMI, 3xDisplayPort 2xHDMI 2.0b, 2xDisplayPort, 1xDVI

Recursos

DirectX12.0 12.0 12.0
OpenCL2.2 2.2 2.2
OpenGL4.5 4.5 4.5
Shader5.0 5.0 5.0

Extras

ExtrasSistema de cooler com 2 FANs Sistema de cooler com 3 FANs


Sistema utilizado


Como de costume, utilizamos uma máquina topo de linha baseada em uma mainboard ASUS Rampage V Extreme, com processador Intel Core i7 5960X para os testes.

Mais abaixo, detalhes da máquina, sistema operacional, drivers, configurações de drivers e softwares/games utilizados nos testes.

Máquina utilizada nos testes:
- Processador Intel Core i7 5960X 3.0GHz - Análise
- Placa-mãe Asus Rampage V Extreme - Análise
- Kit de memórias Kingston HyperX Predator DDR4 16GB 2133Hz (2x8GB) - Análise
- SSD Kingston HyperX Savage 240GB - Análise
- SSHD Seagate 2TB SATA3 - Análise
- Sistema de refrigeração liquida Cooler Master Nepton 120M - Site oficial
- Fonte de energia Cooler Master V1200 Platinum - Site oficial
- Gabinete Cooler Master HAF EVO XB - Site oficial
- Monitor Samsung U28E590D 4K 60Hz - Site oficial

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 Pro 64 Bits
- NVIDIA GeForce 368.95
- AMD Crimson 16.8.2

Aplicativos/Games:
- 3DMark (DX11)
- Far Cry Primal (D11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)
- Rise of Tomb Raider (DX11 e DX12)
- The Division (DX11)
- The Witcher 3 (DX11)

Desde o último update, Hitman vem apresentando travamentos na tela de carregamento do benchmark, impossibilitando o teste. Assim que voltar ao normal, voltará a rotina de benchmarks

- Continua após a publicidade -

Testes

Temperatura
Iniciamos nossa bateria de testes com um critério muito importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

É importante destacar que algumas placas possuem um sistema que desliga os fans quando a GPU não está sendo exigida, como ao executar tarefas simples do Windows ou mesmo games mais simples. Por isso, exitem temperaturas consideravelmente acima de alguns modelos nessa situação, mas que na prática não comprometem a placa. De acordo com as fabricantes, esse recurso aumenta o tempo de vida útil além de consumir menos energia. Sendo assim, podem existir diferenças grandes na temperatura do modo ocioso, o que não caracteriza uma placa ruim caso a temperatura seja alta.

Primeiro vamos ao teste das placas com o sistema em modo ocioso:

Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo.

Consumo de Energia
Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Todos os testes foram feitos em cima da máquina utilizada na análise, o que dá a noção exata do que cada VGA consome. Vale destacar que o valor é o consumo total da máquina e não apenas da placa de vídeo. Dessa forma, comparações com testes de outros sites podem dar resultados bem diferentes.

- Continua após a publicidade -

Para o teste de carga, rodamos o 3DMark - aplicativo que exige um pouco mais do sistema e da placa de vídeo do que grande maioria dos games.

OBS #1.: No teste rodando o aplicativo 3DMark, consideramos 10w como margem de erro, devido a variação que acontece testando uma mesma placa.

Testes sintéticos
Começamos pelos testes sintéticos, utilizando aplicativos específicos para medir o desempenho das placas.

3DMark
Rodamos a versão mais recente do aplicativo da Futuremark com três testes, o Fire Strike em modo normal e também em modo 4K além do novo Time Spy baseado em API DirectX 12. Abaixo, os resultados:

Agora o resultado em modo 4K: 

Abaixo o novo teste Time Spy que roda sobre a API DirectX 12:

Testes em games


Agora vamos ao que realmente importa: os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado.

Para ajudar a entender os gráficos a seguir: acima de 60FPS é o ideal para monitores que operam nessa frequência. Quanto mais próximo dos 30FPS, pior vai ficando a fluidez e, abaixo dos 30, o jogo começa a ficar "injogável"


Far Cry Primal
O quinto game da série "Far Cry" leva o jogador a outra época, sendo um dos títulos atuais com destaque na boa qualidade gráfica e cenários muito bonitos.


Grand Theft Auto V
O game "GTA V" para PC está entre os maiores sucessos dos últimos anos, trazendo entre seus destaques ótima qualidade gráfica. Confiram abaixo o comportamento das placas rodando o game:


Rise of Tomb Raider
O mais recente game da franquia de Lara Croft, "Rise of Tomb Raider" trouxe um grande salto na qualidade sobre a versão anterior, prometendo exigir muito das placas de vídeo, mesmo os modelos de alta performance. O game também tem suporte a DirectX 12.


 

Tom Clancy's: The Division
O game da Ubisoft é uma proposta bastante ambiciosa de criar uma Nova Iorque "viva" em partidas com multiplayer totalmente online. The Division usa um motor gráfico próprio desenvolvido pela Ubisoft Massive, e precisa lidar com cenários complexos e grandes quantidades de partículas na tela, com destaque para a neve que ocasionalmente cai em alguns momentos.


The Witcher 3: Wild Hunt
"The Witcher 3" chegou como nova referência em qualidade gráfica para PC, sendo um dos games mais interessantes da atualidade para medir desempenho de placas de vídeo.


Conclusão


A AMD conta com uma vantagem sobre a Nvidia quando o assunto é combinação de placas devido a sua política mais permissiva de arranjos, o que possibilita combinar dois chips ligeiramente diferentes como a RX 470 e 480. Esse conjunto trouxe alguns resultados bem interessantes mas, em outros momentos, nem tanto.

Nas melhores situações, a combinação de RX 480+470 quase entregou o mesmo resultado que nosso CrossFire de duas RX 480, como em GTA V. Em momentos mais trágicos, como Rise of the Tomb Raider e The Division, combinar a RX 470 faz a RX 480 funcionar pior do que se operando sozinha. Esses resultados já são um "clássico" quando falamos de arranjos de placas de vídeo. A tecnologia de combinação de GPUs não consegue operar com o mesmo grau de eficiência que apenas um chip mais potente é capaz de entregar, e o ponto crítico nessa tecnologia é a alta dependência da otimização dos drivers e do próprio jogo para extrair bons resultados. Como se trata de um nicho entre os consumidores, há um esforço muito menor das desenvolvedoras em garantir otimizações para esses perfis de hardware.

Combinação de placas não entrega resultados consistentes. Em alguns jogos temos excelente desempenho, em outros temos tragédias

Trazendo novamente uma das principais provocações da AMD durante o Polaris Tech Day, a combinação de placas RX 480 versus GTX 1080 mostrou uma realidade diferente daquela exibida no evento em Macau. Apesar da vantagem em alguns games que fazem um bom uso do CrossFire, em geral a GeForce GTX 1080 fica em vantagem ao longo dos testes, sendo que usamos a versão Founders Edition nesse teste, havendo mais margem para modelos de parceiras da GTX 1080. Apesar de perder em alguns casos, o chip gráfico da Nvidia fica em vantagem comparado ao CrossFire principalmente devido a sua maior estabilidade ao longo dos testes.

Fazendo as contas, duas Radeon RX 480 estão na casa de 2,8 mil reais, enquanto uma GTX 1080 está na casa dos R$ 3,5 mil, colocando a AMD em vantagem quando avaliamos o custo. Mas há outro fator importante nessa equação: a fluidez dos quadros. Combinação de placas, seja com placa AMD ou Nvidia, potencializa e muito problemas de inconstância na produção dos quadros. Vocês podem conferir nesse vídeo esse problema na prática.

Vídeo: Crossfire de RX 470 e 480, SLI de GTX 1080: testamos as combinações de placas Pascal e Polaris em games

Nesse conflito de RX 480+470 versus GTX 1080, a melhor alternativa acaba sendo... comprar uma GTX 1070! Se a performance de uma Radeon RX 480 não atende suas demandas, comprar uma GeForce GTX 1070 traz um salto considerável de desempenho, e ficará dentro do custo de comprar uma combinação de RX 480+480 ou 480+470, sem os problemas causados pela ineficiência da combinação de placas em alguns jogos, e sem o preço impeditivo de uma GeForce GTX 1080.

  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube