Um celular para jogar Pokemon Go - o equipamento certo para cada perfil de treinador

Pokemon Go ainda nem chegou ao país, mas não se fala em outra coisa. Apesar de ser ainda indefinido quando veremos o app por aqui (pelo menos de forma oficial), já começam a pipocar perguntas sobre qual seria um bom smartphone para jogar o game, vindo da galera que está prestes a trocar de aparelho e não quer ficar de fora da febre assim que ela desembarcar por aqui.

Mas então, o que preciso? Vamos a lista do necessário em aparelhos Android:

Especificação indicada

- Android 4.4 ou mais recente: essa primeira não é das mais difíceis. Novos aparelhos costumam chegar com a versão mais recente ou no máximo uma ou duas versões anteriores. Aqui só vai dançar a galera com smartphone de entrada e muito antigo
- Tela com resolução HD: a recomendação é da própria desenvolvedora, mas não é obrigatório. Apesar de ter uma tela com resolução inferior, o intrépido Carlos Estrella conseguiu capturar um Charmander aqui na redação com um Moto E de 2ª geração.
- Boa conexão com 3G ou WiFi: essa recomendação torna o jogo incompatível com o Brasil. Não foi implementada aqui a tecnologia "boa conexão". Mas vamos jogar igual. Quanto a aparelhos, é bem difícil alguém com um smartphone que não seja compatível ao menos com 3G.
- GPS e serviços de geolocalização: outro recurso implementado em praticamente qualquer smartphone, até os mais básicos. No máximo algum tablet pode não um GPS, mas ele também pode não ter conectividade 3G e o jogo não foi otimizaodo para tablets. Então deixa pra lá.
- 2GB de RAM: essa não é uma especificação da Niantic, mas baseado no feedback dos usuários, jogar com um 1GB é um "pé-no-saco". 1GB é meio ruim pra qualquer coisa, no Android.
- 8GB de memória interna: a Niantic nunca disse nada sobre isso, e o app em si tem apenas 58MB. Estamos recomendando isso porque smartphone Android com menos que isso é ruim como celular, imagina como aparelho pra se jogar qualquer coisa.
- Giroscópio: não que seja indispensável, esse recurso é importante para a realidade aumentada. Sem esse recurso dá pra jogar, mas não rola aquela emoção de ver o Pokemon no lugar onde você está

Para os lados da Apple, as recomendações são:

- iPhone 5 ou mais recente
- iOS 8 ou mais recente
- Não ter feito jailbreak

Conhecendo as restrições e recomendações, hora de nossas sugestões:

Treinador Pokemon sem grana

Não ter grana é a coisa mais ingrata na hora de pegar um celular, e precisar atender as especificações para Pokemon Go não ajuda. Dá pra começar a cogitar caras como o Galaxy J3, que está na casa dos 600 reais e tem tela HD com tecnologia Super AMOLED (Pokemons mais coloridos) e 1,5GB de RAM, que não dá pra ter certeza se é tão eficiente quanto 2GB ou ruim como 1GB, mas vamos dar a ele o benefício da dúvida.

- Continua após a publicidade -

Nesse segmento também temos o Xiaomi Redmi 2, um aparelho que tem tela HD e 8GB de memória por R$ 549, mas se prepare para ser bem paciente: seus 1GB de RAM devem tornar a coisa meio engasgada.

Treinador Pokemon custo x benefício

Naquele bom e velho equilíbrio entre quanto você gasta e o que você leva, temos uma galera que garante os 2GB, tela HD e Android recente o bastante, como o Lenovo K5, Motorola Moto G e o Redmi 2 Pro. Um modelo que parecia ter nascido para esse game, o Quantum Go, ficou nos devendo um giroscópio para aparecer por aqui.

Análise: Quantum Go
Artigo: Porque você deve investir em 2GB de RAM no Android 

Treinador Pokemon das longas jornadas

- Continua após a publicidade -

Pokemon Go usa seu GPS para saber onde você está, sua conexão de internet para se comunicar com o servidor, sua câmera para utilizar a realidade aumentada, seu processador para processar essa tal de realidade aumentada e a tela para, bom, você ver alguma coisa do que está acontecendo. No tempo livre ele até lê seus e-mails. Como é de se esperar de tudo isso, ele é cruel com a bateria! Para os treinadores intrépidos que querem ir longe e não vão aceitar falta de bateria como desculpa, um Moto X Play, Moto X Force Samsung Galaxy Note 5 e o Xperia Z5 podem ser boas opções.

Análise: Motorola Moto X Play
Análise: Sony Xperia Z5
Análise Samsung Galaxy Note 5
Análise: Motorola Moto X Force

Outro nome interessante seria o Asus Zenfone 3 Max e sua bateria de 4100 mAh! Tá certo que ele nem foi lançado (ainda) no Brasil. Mas você está pesquisando smartphone para um game que também não está disponível por aqui, não é? Enquanto ele não chega, tem outro modelo da ASUS bem interessante: Zenfone 2 Laser tem 3000 mAh de bateria e um econômico SoC Snapdragon (nada de Intel nesse).

Treinador Pokemon da ostentação

Dinheiro nunca foi preocupação para você, então escolhemos o dispositivo mais caro que o dinheiro pode comprar: o iPhone 6s Plus de 128GB. Ele não vai trazer nada muito além do que outros aparelhos dessa lista já oferecem, exceto a emoção e pura adrenalina de ficar indo a lugares (alguns arriscados) com algo que custa R$ 4.899 na mão.

Análise: Apple iPhone 6s Plus

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Bingo pré-lançamento Radeon RX 6000. A Big Navi vai ser:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.