PC Baratinho veste o terno e prepara assassinatos em Hitman

Uma franquia clássica ganhou mais um episódio, e chegou operando na nova API, o DirectX 12. Como não poderia deixar de ser, vamos dar "aquele confere" em como Hitman está rodando nos PCs, e entra em ação o agente PC Baratinho!

 O games não está pegando leve, e encaramos ele inicialmente com as seguintes specs:

AMD FX-6300 - R$ 487
- Asus M5A78L-M LX/BR - R$ 323
- Nvidia GeForce GTX 750Ti 2GB - R$ 599 - Análise da placa
- HD de 1TB Seagate Barracuda 1TB - R$ 385
- 4GB de memória RAM - 2x R$ 152
- Fonte 350W -  R$ 171
- Tela, mouse e teclado reaproveitados de PCs velhos - R$ 0 

Custo total estimado: R$ 2.233

   

Como podem perceber, dessa vez nem rolou a tentativa dos 4GB. O motivo é simples: o jogo já fica impraticável no menu. Ao mandar abrir, o carregando (que já não é dos mais rápidos em condições ideais) leva uma enternidade, e quando o jogo finalmente abre, nos damos de cara com um gameplay catastrófico abaixo dos 10FPS.

Melhor nem tentar jogar em 4GB de RAM. É pavoroso

Outra descoberta tem a ver com o tão esperado DirectX 12. Quando usamos hardware Nvidia, há poucos motivos para comemorar: a performance é nitidamente inferior ao que observamos quando rodamos em DX11. Para piorar a situação, o benchmark se recusa a rodar até o final. GeForce GTX 750 Ti, GTX 960 e GTX 970 utilizada em nossos testes travam, cada uma em uma determinada parte do teste. Rodando em DX 11, não verificamos esse mesmo problema.

O problema não se replica com AMD. Além das placas "do lado vermelho da força" já ficarem em vantagem em DX 11, elas não apresentam nenhum problema em executar o benchmark em DX 12. Nesse game com apoio da AMD, é evidente a vantagem da empresa sobre a Nvidia nesse jogo. 

Em nossos testes, ficou evidente a vantagem da AMD sobre a Nvidia em Hitman, especialmente em DX 12

- Continua após a publicidade -

Então, não seria hora de mudar para uma placa AMD? Novamente caímos em uma questão parecida com a que levantamos em FarCry Primal. A AMD traz mais performance, porém a R9 370 se posiciona acima da GTX 750 Ti em termos de preço. É também preciso colocar na conta a fonte: diferente da GTX 750 Ti que opera em fontes de 300W, algumas fabricantes recomendam uma fonte de 500W para a R7 370. 

O mesmo problema acontece com a R7 360. Abaixo da GTX 750 Ti em termos de performance, ela se aproximou do modelo da Nvidia graças a boa performance das placas AMD no jogo. Porém, novamente, ela também pede uma fonte mais potente, e assim quase se perde toda a economia feita com o valor da própria placa.  

Porém, não é mais tão raro ver a R7 370 colar ou ficar até abaixo do valor da GTX 750 Ti de 2GB. Nesses casos, a relação entre custo e benefício com a placa da AMD é superior, mesmo considerando uns 100 reais necessários a mais para investir na fonte mais potente. Definitivamente vai ser importante ver como fica essa disputa Nvidia vs AMD no PC Baratinho com a geração de placas Polaris, pois essa nova arquitetura prometem muito mais eficiência. 

O consumo maior tem evitado a troca para a AMD no PC Baratinho. Mas a geração Polaris tem potencial de mudar isso

 

Mas com os problemas em DX 12, dá pra ficar com a GeForce GTX 750 Ti? Sim, mas é preciso jogar em DX 11. Usando a API anterior, temos um gameplay bastante firme, não caindo dos 30FPS em qualidade média. Boa parte da jogabilidade fica na casa dos 40 a 45FPS, porém determinados locais do cenário derrubam os frames (algo que afeta tanto Nvidia quanto AMD).

Galera, já começaram nossos testes com Need For Speed. Fique de olho no site que na próxima semana deve ir ao ar! 

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube