Far Cry Primal Benchmarks: AMD vs Nvidia

UPDATE 02/03/2016: Adicionamos os resultados de uma GTX 980 referência nos comparativos, além de adicionar os testes com a FURY e os novos drivers Crimson 16.2.1 hotfix liberados hoje. Vale destacar que esses drivers não trazem melhorias anunciadas para placas trabalhando sozinhas, apenas quando estão combinadas via Crossfire, ou seja, como será possível ver, não houve mudança fora da margem de erro, mesmo score em FullHD e apenas 1 FPS de diferença em 4K, que não da para dizer que foi devido os drivers, já que ao refazer o teste isso poderia acontecer com qualquer placa e qualquer driver, mas para não deixar solto o mimimi de sempre nos comentários, adicionamos esse teste a fim de demonstrar que não tem diferença entre as versões 16.2 e 16.2.1 quando usando uma única placa como nos comparativos que fizemos.


Far Cry Primal chegou hoje aos PCs, e aproveitamos a presença de uma ferramenta interna de benchmark para lançar uma bateria de testes com o game! Usamos a qualidade gráfica em modo "ULTRA" nas resoluções FullHD e 4K para todas as placas, sempre com o VSync desativado.

FarCry Primal utiliza a DUNIA Engine 2 e está disponível para XBox One, PS4 e PC

Estamos usando um computador de alta performance para nossos testes, com componentes de ponta que não irão limitar a performance das placas de vídeo. Falando nelas, com o chip gráfico a coisa muda de figura: vamos testar desde modelos topo de linha até segmentos mais de entrada, tanto da Nvidia quanto AMD, utilizando os últimos drivers disponibilizados pelas duas empresas: AMD Crimson 16.2 e Nvidia GeForce 362.00.

Linha do Tempo: relembre a franquia Far Cry

Placas de vídeo utilizadas nos testes
Abaixo a lista das placas de vídeo utilizadas nos testes:

Modelos com GPUs da AMD
- Sapphire R9 FURY Tri-X (4GB)
- PowerColor R9 390X Devil (8GB)
- XFX R9 390X Double Dissipation (8GB)
- PowerColor R9 380 Devil (4GB)
- PowerColor R7 370 Devil (2GB)
- PowerColor R7 360 Devil (2GB)

- XFX R9 290X Double Dissipation (4GB)

Modelos com GPUs da NVIDIA
- Gigabyte GTX 980 Ti G1 Gaming (6GB)
- Gigabyte GTX 980 G1 Gaming (4GB)
- Nvidia GeForce GTX 980 (4GB)
- Gigabyte GTX 970 G1 Gaming (4GB)
- Gigabyte GTX 960 G1 Gaming (4GB)
- Gigabyte GTX 960 G1 Gaming (2GB)
- Gigabyte GTX 950 Xtreme Gaming (2GB)

- PNY GTX 750 Ti OC (2GB)

- Continua após a publicidade -

Máquina utilizada nos testes:
- Processador Intel Core i7 5960X 3.0GHz @ 4.0GHz - Análise
- Placa-mãe Asus Rampage V Extreme - Análise
- Kit de memórias Kingston HyperX Predator DDR4 16GB 3000MHz (4x4GB) - Análise
- SSD Kingston HyperX 3k 240GB
- SSHD Seagate 4TB SATA3 - Análise (modelo de 2TB)
- Sistema de refrigeração liquida Cooler Master Nepton 120M
- Fonte de energia Cooler Master V1200 Platinum
- Gabinete Cooler Master HAF EVO XB
- Monitor ASUS PB287Q 4K

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 Pro 64 Bits
- NVIDIA GeForce 362.00
- AMD Crimson 16.2.1

O FarCry Primal roda sobre a API DirectX 11, não existe nenhuma informação de que ele receberá atualização para o DirectX 12

 

Resultados em FullHD

Resultados em 4K

Conclusão
Como foi possível notar nos gráficos, as placas da AMD levam ligeira vantagem quando comparamos suas concorrentes diretas por parte da Nvidia, sem contar que utilizamos os drivers otimizados por parte da Nvidia liberados hoje e a versão ainda sem otimizações por parte da AMD, que pode ainda trazer mais algum ganho as placas da série Radeon.

Para se jogar em FullHD com tudo no ultra, uma Radeon R7 370 vai ser o limite por parte da AMD quando falamos da série Radeon 300. Já quando o assunto é Nvidia o limite será uma GeForce GTX 950. Aparentemente a GeForce GTX 750 Ti do PC Baratinho consegue rodar o game sem problemas desde que as configurações de qualidade gráfica fiquem em HIGH e não no modo ULTRA. Em breve vai ao ar nosso episódio com ele, e vamos ver se a experiência com o benchmark vai se repetir em um gameplay!

  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube