PC Baratinho dá Hadouken? Vamos ao encontro do mais forte em Street Fighter V!

Street Fighter V chegou no PC descendo a porrada (e aparentemente os servidores são os primeiros a sentir a pancada). A conexão já não ajuda, então vamos ver o se hardware e otimizações no computador também não vão virar outro problema nesse novo episódio do PC Baratinho!

O computador passou um pouco de dificuldades com o Rise of the Tomb Rider, e só conseguiu entregar qualidade alta/900p com fluidez na casa dos 40FPS, e em games de luta a coisa é ainda menos permissiva quando o assunto é quadros por segundo: uma boa luta pede impecáveis 60FPS!

O Bom, o Otimizado e o Baratinho: comparamos PC e Xbox rodando Rise of the Tomb Raider

A parte boa é que esse é outro episódio que foi "ligar e jogar". Mesmo partindo de configurações modestas, o PC Baratinho que "encarou a Lara" é o mesmo que "dá conta da Laura". As configurações ficaram:

- AMD FX-6300 - R$ 519
- Asus M5A78L-M LX/BR - R$ 289
- PNY GeForce GTX 750Ti OC 2GB - R$ 680 - Análise da placa
- HD de 1TB Seagate Barracuda 1TB - R$ 299
- 4GB de memória RAM (2x2GB) - R$ 130
- Fonte 350W -  R$ 167
- Tela, mouse e teclado reaproveitados de PCs velhos - R$ 0

Custo total estimado: R$ 2.084

O game funcionou bem quando configurado em FullHD e qualidade média. A fluidez cravou 60FPS com eventuais quedas nas animações de entrada, ou seja, momentos que não fazem diferença. Durante a pancadaria, o gameplay foi liso em 60 quadros por segundo, algo que não aconteceu para o Digital Foundry com um hardware relativamente semelhante. Nosso principal palpite é o timming: enquanto por lá o driver utilizado deve ser um mais antigo, nosso teste já tirou benefícios do GeForce 361.91, um update que tem como foco Street Fighter V, Hitman Beta e Monster Hunter Online.

- Continua após a publicidade -

O PC Baratinho ficou em par com a experiência do Playstation 4 em termos de fluidez e qualidade gráfica. Até os servidores para ambas as plataformas estão pessimamente iguais

Tentar subir mais que isso é uma tragédia. Ao ativar qualidade alta, o game fica em "câmera lenta". O motivo é que o V-Sync cai para 30FPS, porém em um game como Street Fighter, "pular quadros" é algo inaceitável. Isso é sério: temos quadros onde o "hit" é registrado, outros em que "a janela está aberta" para contra-ataques e até períodos onde o movimento do golpe começou, mas não aconteceu. Não dá para ficar ignorando esses quadros e pulando para apenas 30FPS.

Em Street Fighter, pular quadros é pedir pra tomar porrada

O resultado é que a partir do momento que o hardware cai abaixo dos 60FPS, a tragédia começa. Se você estiver jogando no modo offline (caso do vídeo com nossas experiências), o gameplay simplesmente ficará em "slow motion" , rodando o game na metade da velocidade para acompanhar a velocidade lenta em que os quadros estão sendo gerados.

No online é diferente: o game vai "ignorar" o fato que você não está renderizando todos os quadros, e vai manter a velocidade padrão. O problema passa a ser a disputa: você fica com sérias desvantagens no combate, nessa situação, não vendo mais janelas onde seu inimigo é vulnerável.

Felizmente o PC Baratinho sobrevive mais um dia para contar a história, graças a seu bom desempenho em Street Fighter V, e que só ficaria melhor se os servidores ajudassem. Unravel também se saiu muito bem (demos uma palinha com ele no vídeo) e vamos otimista rumo ao próximo game que nosso hardware de baixo custo vai precisar encarar. Será que 2016, o ano do miraculoso DirectX12, vai passar suave para nossa dupla FX-6300 e GTX 750Ti? Nós vamos ao encontro do mais forte.

- Continua após a publicidade -

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube