Entenda as siglas 4K HDR, SUHD, Ultra HD; O que cada uma significa?

O mercado de TVs e monitores está cada vez mais desenvolvido, veja o que significa cada resolução
Por Mateus Mognon 11/02/2016 09:48 | atualizado 25/11/2019 11:57 Comentários Reportar erro

Escolher uma TV nova para comprar está cada vez mais complicado. Com a chegada da resolução UHD no mercado, fabricantes como Samsung, LG e Sony estão investindo em tecnologias para melhorar a qualidade de imagem neste formato, o que está gerando novos nomes e siglas, como SUHD e Super Ultra HD.

Neste artigo vamos explicar o que é o UHD, quais são as tecnologias utilizadas para melhorar as imagens das TVs UHD e o que significam essas nomenclaturas dadas pelas empresas que andam confundindo a cabeça de todo mundo, além de mostrar o que realmente muda na imagem em relação ao 4K convencional.

O que é UHD?
Antes de mais nada, é necessário entender o que é o UHD. O Ultra High Definition é o formato de imagem com, no mínimo, 3840 x 2160 pixels, quatro vezes maior que o Full HD, também abrangendo resoluções maiores. O 4K é a medida mínima do UHD e, até agora, o 8K é o representante de mais alta resolução da tecnologia com 7680 x 4320 pixels.


UHD: formato de imagem que abrange as resoluções 4K e 8K

É interessante notar que o 8K é considerado a maior resolução possível para um televisor doméstico, já que em geral as pessoas passam a ter dificuldades de perceber as diferenças de imagens em resoluções mais altas. No início deste ano, a LG e a Samsung anunciaram suas TVs de 8K na CES, mas elas ainda não têm previsão de chegarem às lojas, então, até o momento, todas as TVs UHD disponíveis no mercado possuem resolução 4K. Em relação ao Full HD, formato mais popular atualmente, as TVs UHD entregam uma imagem mais definida, graças à quantidade superior de pixels por polegada (ppi).

A resolução 4K está começando a ganhar espaço no Brasil, com diversos modelos de TVs UHD sendo lançados. Ter uma TV dessas também já começa a fazer sentido, com diversos conteúdos em 4K disponibilizados no Youtube, Netflix e até pelo Globosat, serviço de streaming da rede Globo. O uso de TVs 4K também é justificado pelos games, já que montar um PC que rode jogos em Ultra HD se tornou possível (apesar de estar longe de ser barato).

Montamos um HTPC para jogar em 4K!

HDR: O próximo passo para as TVs 4K

Agora que as TVs 4K já estão se consolidando no mercado e o 8K ainda não chegou, as fabricantes estão apostando no HDR, tecnologia que melhora os pixels da imagem exibida na TV.  O " High Dynamic Range" aumenta o nível de detalhes na iluminação das imagens, dando mais cores e adicionando mais vida a cenas claras e escuras, o que torna as imagens mais impactantes e realísticas. Basicamente, a diferença entre as imagens em 4K comum e o HDR é parecida com a encontrada em fotos tiradas com a tecnologia, que está presente em diversas câmeras, inclusive de smartphones: um espectro maior de cores é transmitido, com maior intensidade de tons.

O 4K HDR é o próximo passo na evolução das TVs domésticas

- Continua após a publicidade -

Diretores de Hollywood e especialistas na área acreditam que o 4K HDR é o próximo passo de evolução das TVs domésticas após o UHD. Um dos pontos que faz acreditar que o High Dynamic Range vai deslanchar e tomar o mercado é o fato de que as resoluções acima de 8K são dificilmente percebidas pelos consumidores. O HDR não está ligado à quantidade de pixels na tela, mas sim com a qualidade e características de cada unidade, o que permite fazer "avanços" nesta área. Com isso em mente, possivelmente veremos o 4K HDR Pro e coisas do tipo no futuro.

Nanocristais: as micropartículas que permitem tudo isso

Para atingir esses novos e elevados níveis de cores e qualidade em TVs LCD, as principais empresas do ramo estão utilizando a tecnologia de nanocristais, também chamados de pontos de quantum. Os nanocristais são partículas que, quando atingidas pela luz dos LEDs, entregam uma cor mais precisa e viva, já que possuem um tamanho tão pequeno que conseguem emitir as ondas de luz em um comprimento muito específico.

Junto com os pontos minúsculos, as TVs de nanocristais utilizam LEDs azuis que, quando atingem os pontos de quantum, entregam o verde, vermelho e azul mais vivos do que uma luz branca, usada nos modelos convencionais. No vídeo abaixo, você confere uma explicação detalhada de como os pontos de quantum funcionam (em inglês, mas com desenhos).

Uma das primeiras companhias a apresentar usos para os nanocristais foi a Sony, mas a Samsung acabou ganhando mais atenção ultimamente por colocar as nanopartículas em TVs 4K. Cada companhia utiliza os nanocristais de uma forma única, acrescentando modificações exclusivas, o que acaba gerando resultados diferentes. Abaixo, você pode conhecer um pouco sobre a solução de cada empresa para melhorar as TVs 4K.

SUHD: a chegada do 4K HDR ao mercado

- Continua após a publicidade -

A empresa que ganhou mais popularidade por utilizar os nanocristais para melhorar a qualidade de imagem em TVs 4K foi a Samsung, com o SUHD. Os primeiros modelos com a tecnologia foram apresentados na CES 2015, com as primeiras TVs SUHD chegado ao mercado ainda no ano passado, o que colocou a Samsung na frente da corrida do 4K HDR.

Basicamente, o SUHD é um formato utilizado em TVs 4K LCD com nanocristais e diversas tecnologias que deixam a imagem ainda mais definida, com um balanço de cores mais avançado, uma experiência mais realista, tons mais intensos e 64 vezes mais cores que as TVs de LED convencionais, segundo a Samsung.

Entre as tecnologias que estão dentro de uma TV SUHD, temos o Peak Illuminator Ultimate, que reforça os a retro-iluminação dos LEDs, o que equilibra o brilho e deixa as áreas escuras mais detalhadas e cenas claras mais expressivas; o Precision Black Pro, que otimiza o contraste e deixa as imagens mais vívidas; e o Upscalin HD, que converte resoluções menores, como o Ful HD, para imagens mais próximas do 4K, aprimorando a exibição. Graças a isso, as UHD TVs com o "S" na frente estão entre os melhores aparelhos disponíveis no mercado atualmente capazes de reproduzir imagens em 4K HDR.

Basicamente, TVs SUHD são TVs 4K com imagens mais coloridas e bem definidas

 


TV 4K sem HDR e TV SUHD: mais cores e contraste entre claro e escuro

A Samsung já disponibiliza modelos de Smart TVs SUHD no Brasil, mas, assim como os modelos com resolução 4K, o preço dos aparelhos ainda pode ser considerado proibitivo. Uma das linhas de televisores SUHD disponível por aqui é a JS, que conta com modelos de 55' até 88', com preços que variam entre  R$ 6,5 mil e R$ 85 mil. Além de contarem com a tecnologia SUHD, os modelos disponíveis no Brasil têm design curvado, o que gera maior imersão, mas acaba influenciando no preço.

Veja o site oficial das TV´s SUHD da Samsung

 

Super UHD - a solução da LG

Apesar de se chamar Super UHD, a tecnologia da LG não tem nenhuma ligação com o SUHD da Samsung. O formato foi apresentado na CES 2016 e vem nas TVs LED LCD da companhia. Utilizando  nanocristais e uma série de "ferramentas exclusivas", o Super UHD é capaz de reproduzir algo que a LG chama de HDR Plus, que seria uma imagem com mais brilho e mais contraste do que o HDR presente no mercado.

Além disso, as TVs apresentadas na CES deste ano também possuem um diferencial bastante significativo: a taxa de atualização de 240Hz. Atualmente, as TVs 4K possuem quase como padrão 120Hz. A maior taxa de frequência de frames diminui o "motion blur", borrões que aparece em imagens de movimento intenso. As TVs 4K com tecnologia Super UHD devem começar a aparecer no mercado em 2016.

Vale lembrar que, durante a CES deste ano, a LG não se limitou a apresentar modelos LCD 4K que reproduzem HDR. A companhia também mostrou a série Signature, com uma TV OLED que também possui suporte para HDR e já está chegando a algumas lojas nos Estados Unidos, com preço na casa dos US$ 8 mil.


LG Signature G6: TV OLED com 4K HDR vendida por US$ 8 mil

Já existem TVs no mercado brasileiro com a etiqueta Super Ultra HD, mas que ainda não entregam uma qualidade de imagem tão grande quanto os modelos apresentados na CES 2016. Em sua maioria, os modelos que podem ser comprados no Brasil vem com a tecnologia ColorPrime, que melhoram as cores e o contraste na imagem.

Veja todos os modelos disponíveis no Brasil no site da LG 

Sony - O pioneiro Triluminous e a tecnologia X-Reality

 

A tecnologia Triluminous da Sony é comentada desde 2009, sendo a empresa uma das primeiras a apostar nos nanocristais para melhorar imagens. Assim como as concorrentes, a companhia japonesa usa as partículas e LEDs azuis para alcançar um espectro de cores maior. Na imagem abaixo, é possível ver a diferença no alcance de tons de uma TV convencional em comparação ao Triluminous.

Atualmente, a Sony utiliza outras tecnologias aliadas ao Triluminous para conseguir melhor qualidade nas TVs de alta qualidade, incluindo o X-Reality, que aumenta os detalhes na exibição da imagem (exemplo acima). O processador utilizados nas TVs 4K Sony, chamado de X1, também auxilia na melhora das imagens na hora de adaptar resoluções inferiores ao Ultra HD.

Veja mais informações sobre as TVs 4K da Sony neste link 

 

 

Junto com a grande quantidade de pixels e a tamanha qualidade, o preço das TVs 4Ks com novas tecnologias também aumenta. Com o crescimento do UHD no mercado, o preço dos dispositivos deve cair futuramente. Ainda estamos vivendo a ascensão do 4K no Brasil, então, possivelmente teremos um número maior de TVs 4K HDR no nosso mercado a partir da metade do ano.

O UHD Premium

Com cada fabricante utilizando seus padrões e tecnologias, uma referência pode ajudar a se localizar nessa "salada de letrinhas" que são os padrões Super UHD, HDR e Ultra HD. A UHD Alliance, uma cooperação entre 35 empresas, que inclui nomes de peso como LG, Samsung, Panasonic e o Netflix criou um selo, o "ULTRAHD PREMIUM", logo que servirá como indicativo que o televisor cumpre uma série de requisitos em termos de qualidade e tecnologias agregadas.

Para receber esse símbolo, a TV precisa cumprir pré-requisitos como o suporte ao HDR, possuir resolução de no mínimo 4K e até mesmo níveis de luminescência de acordo com a tecnologia do painel. Em telas OLED, é preciso atingir no máximo 0.0005 nits em pontos mais escuros, e 540 nits nos mais claros, enquanto as especificações do LED vão de 0.05 nits a 1000 nits. Apesar das variações possíveis dentro dessas características, o consumidor pode ter a segurança de um nível alto de qualidade em um produto com o selo "ULTRAHD PREMIUM", sabendo que ele segue diretrizes exigentes.

{via}Samsung|http://www.samsung.com/br/suhdtv/ |Cnet|http://www.cnet.com/news/what-is-samsung-suhd/ |Stuff.tv|http://www.stuff.tv/features/why-its-time-get-pumped-about-hdr-television{/via} 

Tags
  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.