O que é Android Auto? Entenda como o sistema irá funcionar nos automóveis

O sistema operacional da Google permite usar os recursos de um smartphone no seu carro
Por Carlos Felipe Estrella 15/10/2015 20:11 | atualizado 25/11/2019 11:16 Comentários Reportar erro

No dia 25 de junho de 2014, a Google se propôs a criar uma maneira de disponibilizar nos carros a experiência de uso dos smartphones com o sistema operacional Android. O resultado disso foi o Android Auto, um padrão que, assim como o Apple CarPlay, permite utilizar os principais recursos dos smartphones no sistema de infotainment dos veículos. O mais interessante é que os aplicativos rodam no próprio smartphone, o que evita a necessidade de ter um processador muito potente instalado no carro. Outra vantagem desta escolha é que não é necessário trocar de carro para rodar aplicativos mais exigentes no futuro, bastando apenas trocar de celular.

Artigo: O que é e os principais recursos do Apple CarPlay, tecnologia que vai ligar seu iPhone ao carro

Artigo: O que é MirrorLink, o mais popular sistema que liga smartphones a automóveis

Afinal, é incrivelmente comum ver as pessoas utilizando seus celulares enquanto dirigem, atitude que é responsável por 25% dos acidentes de trânsito nos Estados Unidos, por exemplo. Portanto, uma iniciativa que permita receber notificações de maneira segura faz-se mais do que necessária. E é exatamente por isso que o Android Auto utiliza o conceito de ter ícones e informações bem visíveis e simplificados, com grande foco no assistente de voz virtual Google Now

Conversando com o seu carro
A Google já confirmou que não será possível ativar os comandos de voz do Android Auto ao usar uma frase do tipo "OK, Google Now", como dá para fazer nos dispositivos da Motorola, por exemplo. Ao invés disso, existem duas maneiras de conversar com seu carro: utilizando a touchscreen do sistema de infotainment ou através de um botão específico no volante do carro, como esse da imagem abaixo. 

É importante notar que, assim como acontece com o Apple CarPlay, é necessário conectar o smartphone com o carro através de um cabo USB. Isso acontece porque uma grande quantidade de informações é transmitida entre celular e veículo.

- Continua após a publicidade -

Ao fazer isso, é possível pedir coisas como "Envie uma mensagem para tal pessoa" ou "ligue para fulano". Quem utiliza o aplicativo Google Play Música pode ainda pedir para tocar uma música ou uma playlist específica através dos comandos de voz. Também dá para pedir para "navegar para casa" ou "dirigir até tal rua". E... é isso.

Por enquanto, a quantidade de aplicativos com suporte a comandos de voz – ou o total de apps em geral mesmo – ainda é relativamente pequena no Android Auto. Você tem o essencial e apenas isso. Mas é claro que a Google está trabalhando junto com os desenvolvedores para que eles façam com que seus aplicativos sejam compatíveis com o sistema. A companhia também postou vários tutoriais para ajudar os programadores nessa tarefa. Um exemplo é o vídeo abaixo, que os ensina a adicionar comandos de voz específicos do Android Auto.

Os aplicativos
Como já falamos, no momento o Android Auto apresenta uma quantidade limitada de aplicativos, como um dos motivos maior controle dos app suportados. Os principais, é claro, são os próprios da Google. O sistema mostra os cards do Google Now que ele considera que serão úteis para o usuário, por exemplo. Além disso, Google Maps, Google Play Música marcam presença, assim como a possibilidade do assistente de voz ler as mensagens que você receber no Hangouts.

Para um aplicativo instalado no smartphone ser compatível e rodar na tela do carro, ele precisa ser homologado pelo sistema, sendo que existe uma série de restrições visando a segurança dos passageiros

Para quem está atrás de streaming de músicas, não faltam opções no Android Auto. Spotify, Amazon Music, Pandora e Slacker Radio dão uma bela variedade de escolha para os usuários. Os fãs de podcasts também não ficam na mão, com opções que incluem Pocket Casts, Stitcher, BeyondPod, JoyRide e Player FM. Também há algumas opções de rádio online, como TuneIn, iHeartRadio e Open Radio. Aplicativos de mensagem e conversa por voz compõe o resto da lista, com opções como Skype, Kik, Threema, Talkray, Contatos+, Text Me!, textPlus e ICQ.

Carros que trazem o Android Auto
Por enquanto, não há nenhum veículo brasileiro com o suporte ao sistema, simplesmente porque o Android Auto ainda não é suportado oficialmente no Brasil. Mas isso vai mudar em breve, e já tem gente se preparando para quando o sistema chegar por aqui. Uma dessas montadoras é a Volkswagen, que hoje possui 3 veículos preparados para a chegada do Android Auto: Fox, Spacefox e Golf Variant. Os sistemas automaticamente funcionarão após acontecer a homologação por aqui.

De resto, é preciso ficar de olho nos modelos importados de montadoras como Audi, BMW e Hyundai ou no aguardo das novas gerações de carros como o novo Honda Civic (prevista para chegar em 2016 no Brasil) ou a próxima geração do Chevrolet Cruze (também prevista para chegar em 2016 no Brasil). Mesmo assim, 2016 e 2017 certamente serão anos de grandes anúncios nessas áreas, afinal todas as montadoras da lista abaixo (junto com a Citroën e Peugeot, que entraram posteriormente) confirmaram que estão trabalhando com a Google para trazer o sistema para os seus carros.

- Continua após a publicidade -

 

Soluções de terceiros
Caso o seu carro não tenha vindo de fábrica com o Android Auto, não se preocupe. Algumas empresas já oferecem soluções alternativas que podem ser instaladas em qualquer veículo. Um exemplo é a Pioneer, que lançou recentemente duas centrais multimídia que incluem Android Auto. Elas se chamam AVIC F970TV e AVIC F70TV, também incluem as opções Apple CarPlay e MirrorLink. Mas é necessário ficar ligado em alguns detalhes. Como o Android Auto ainda não foi homologado no Brasil, a Pioneer ainda não está anunciando a compatibilidade de seus produtos com o sistema. Apesar disso, o Android Auto está embarcado nos produtos, e será disponibilizado assim que a homologação ocorrer.

Além disso, caso a moldura do painel do seu veículo não seja no formato 2 din, é necessário trocá-la por uma compatível. Se o carro ainda tiver comandos no volante, é necessário trocar uma peça chamada chicote, ou você corre o risco de perder algumas funções. Com exceção desse detalhe, essas soluções funcionam exatamente como um sistema de fábrica deveria.

Conclusão
Por muitos anos, carros e smartphones nunca se deram muito bem: a junção dos dois costuma ser desajeitada, nada prática e nem um pouco segura. Com foco nos comandos de voz e uma interface construída com botões bem grandes para facilitar o uso, o Android Auto nos mostra que finalmente estamos chegando numa solução segura para nos mantermos conectados enquanto dirigimos.

Claro, há algumas coisas que devem ser revistadas antes de chegarmos lá. Afinal, a lista de aplicativos suportados ainda é pequena, e o mesmo pode-se dizer da quantidade de carros que trazem o sistema. Isso sem contar que ele ainda nem está oficialmente disponível no Brasil. Portanto, há ainda um longo caminho até que sistemas do tipo de popularizem entre os veículos mais caros, e precisaremos de ainda mais tempo para vê-los nos veículos mais baratos – que só agora estão começando a receber os sistemas multimídia de menor qualidade. Mas o futuro definitivamente é promissor nesta área.

Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.