Qual é melhor: Asus Radeon R9 390X Strix ou Powercolor Radeon R9 390X Devil?

Recebemos em nossas redação dois dos principais modelos do mercado com GPU AMD Radeon R9 390X, a Asus R9 390X Strix e a PowerColor r9 390X Devil, ambos modelos com características diferenciadas e foco em alta eficiência na dissipação de calor.

A placa da Asus se destacada por ser uma das primeiras da empresa a utilizar o sistema de cooler da série DirectCU III, composto por três FANs, já a placa da PowerColor por vir com um sistema de cooler líquido, semelhante ao utilizado nos modelos Fury X.

Em cenário nacional placas com GPU Radeon R9 390X custam a partir de R$2.200 atualmente, mas os modelos desse artigo pelos seus projetos diferenciados custam mais, com a placa da Asus partindo de R$2.600 e o modelo da PowerColor a partir de R$2.900. Como referência, em cenário internacional a Strix está custando U$410 e a Devil U$ 460.

Abaixo vamos falar um pouco sobre as principais características de ambas as placas.

AMD Radeon R9 390X
Abaixo colocamos lado a lado especificações do modelo referência, além das duas placas comparadas. Como podemos ver o overclock nos modelos da Asus e da Powercolor são modestos quando analisamos números, no caso da placa da Asus, com GPU apenas 20MHz acima da referência, e no caso da Powercolor, 50MHz acima. Pelos projetos, esperávamos clocks superiores, mas a limitação vem do GPU, que não aguenta ir muito além, mostraremos isso em overclock mais adiante.

Comparativo

AMD Radeon R9
390X
Asus Radeon R9
390X Strix
Powercolor R9
390X Devil

Especificações da GPU

Processo de fabricação28nm 28nm 28nm
ChipGrenada Grenada Grenada
Clock do GPU1050 MHz1070 MHz1100 MHz

Especificações das Memórias

Tecnologia da RAMGDDR5 GDDR5 GDDR5
Interface de largura de BUS512 bit 512 bit 512 bit
Quantidade de RAM|8GB| |8GB| |8GB|
Clock das memóriass1500 MHz1500 MHz1525 MHz
Clock efetivo6000 MHz6000 MHz6100 MHz
Largura de banda384 GB/s384 GB/s390 GB/s

Características Gerais

Shading Units2816 2816 2816
TMUs176 176 176
ROPs64 64 64
Pixel Rate67.2 GPixel/s68.5 GPixel/s70.4 GPixel/s
Texture Rate185 GTexel/s188 GTexel/s194 GTexel/s
Performance de pontos flutuantes5,914 TFLOPS6,026 TFLOPS6,195 TFLOPS

Design

Pinos de alimentação1x 6 pinos + 1x 8 pinos 1x 6 pinos + 1x 8 pinos 1x 6 pinos + 1x 8 pinos
Suporte à combinação de placasAté quatro placas Até quatro placas Até quatro placas
Tipo de SlotDual-slot Dual-slot Triple-slot
Comprimento da placa275 mm300 mm285 mm
TDP275 W275 W275 W
Fonte recomendada600 W700 W700 W
Conexões de vídeo2xDVI, 1xHDMI, 1xDisplayPort 1xDVI, 1xHDMI, 3xDisplayPort 2xDVI, 1xHDMI, 1xDisplayPort

Recursos

DirectX12.0 12.0 12.0
OpenCL2.0 2.0 2.0
OpenGL4.4 4.4 4.4
Shader5.0 5.0 5.0

Extras

ExtrasSistema de cooler com 3 FANs Sistema de cooler hibrido: ar e liquido

Asus Radeon R9 390X Strix
A Asus Strix R9 390X traz uma série de tecnologias exclusivas da fabricante, como o DirectCU III com três fans com a tecnologia 0db ou o Super Alloy power II, entre uma série de outros recursos. Confira abaixo as tecnologias de destaque da GPU:


DirectCU III Triple-Wing Blade com tecnologia Fan 0dB
A tecnologia DirectCU III inclui dois heat pipes exclusivos de 10 mm, que transportam 40% mais calor para longe da GPU. O novo design dos fans da Asus fazem eles gerarem 105% mais pressão do ar sobre os dissipadores de calor. Mesmo assim, eles são 3 vezes mais silenciosos que os modelos de referência. Além disso, se a temperatura da placa de vídeo estiver abaixo de um valor pré-determinado, os coolers param completamente, ficando totalmente silenciosos.

- Continua após a publicidade -

DIGI+ VRM com Super Alloy Power II
Design elétrico de 8 fases que promete melhorar a durabilidade dos componentes da placa de vídeo, além de reforçar a confiabilidade. Segundo a Asus, os componentes Super Alloy Power II aumentam a eficiência energética e diminuem em duas vezes os ruídos em carga máxima de funcionamento.

Processo de fabricação automatizado Auto-Extreme
Hoje, todas as placas de vídeo da Asus são produzidas com a tecnologia Auto-Extreme. Trata-se do primeiro processo de produção 100% automatizado da indústria, removendo assim possíveis falhas humanas. Isso resulta em placas de vídeo consistentes, com melhor desempenho e maior longevidade. O processo também é ecologicamente correto, pois elimina o uso produtos químicos mais agressivos e reduz o consumo energético em 50%.

GPU Tweak II
Ferramenta de streaming que permite que o usuário compartilhe o que está passando por sua tela em tempo real. Ideal para transmissões de games ao vivo. Vale destacar que é possível, ainda, adicionar uma janela de texto, fotos e até vídeos ao vivo da webcam ao streaming. O aplicativo também possibilita ajustes na operação da placa, sendo que a segunda versão do programa trouxe interface redesenhada que torna o processo de overclock mais simples, mas ainda assim mantém as opções avançadas para overclockers experientes.

Fotos
A R9 390X Strix é uma placa de vídeo bastante imponente, em especial graças ao seu sistema de cooler com tecnologia DirectCU III da Asus, utilizando 3 FANs, uma das primeiras da empresa com esse novo sistema. O design é semelhante a outros produtos da empresa da linha RoG, sempre nas cores preto e vermelho.

- Continua após a publicidade -

Além do sistema de cooler, outro destaque da placa frente a modelos concorrentes é que ela vem com backplate traseiro, ajudando na dissipação de calor devido o material utilizado, além é claro de deixar a placa mais resistente e robusta, criando um visual ainda mais bonito.

 

Powercolor R9 390X Devil
A R9 390 X Devil, da Powercolor, traz como principal característica um sistema de refrigeração híbrido, que utilizar um cooler a ar para a região do VRM e refrigeração líquida para a área que contém a GPU Grenada. Além disso, há recursos de design, Dual-BIOS, Multi-Phases e de eficiência energética.

Platinum Power Kit
O Platinum Power Kit da R9 390X Devil foi implementado com o objetivo de melhorar a habilidade de overclock e de oferecer um aumento de 20% na estabilidade. Isso inclui um sistema Dual-BIOS, que inclui um switch que permite selecionar entre os modos Silent e Super. Já o recurso Multi-Phases traz melhor controle de temperatura e promete ser o responsável pela melhor estabilidade durante o overclock.


PowIRstage e Digital PWM
A tecnologia PowIRStage promete uma melhora de até 93,7% na eficiência energética, além de diminuir a perda de condução e a temperatura de operação. Já o Digital PWM resulta em controle mais preciso da tensão elétrica e resposta dinâmica de alta velocidade.


Sistema híbrido de refrigeração
Segundo a Powercolor, essa é a única Radeon R9 390X com sistema de refrigeração híbrido do mercado. A cooler a ar possui um sensor IC específico sobre o MOSFET, que detecta a temperatura de maneira automática. Com isso, a placa de vídeo pode determinar a velocidade de rotação do fan. A promessa é de redução de 22% no nível dos ruídos e de 25% na temperatura.


1.Iluminação LED // 2.Solid Pin Design // 3.Design da proteção superior único // 4.Smart Air Cooling System // 5.Hybrid Cooling System

Soluções de design

Entre as soluções de design que a empresa tomou está uma proteção do cooler a ar com inclinação de 15º, que melhora a passagem do ar pela placa. Foram utilizados parafusos de mola nos rebites do backplate e do PCB, que então são fixados no módulo térmico. A ideia é fazer com que o backplate e a base de cobre do módulo térmico mantenham o equilíbrio da pressão feita sobre toda a placa, o que evita danos na GPU.

Fotos
A R9 390X Devil da PowerColor chama bastante a atenção devido seu sistema de cooler, um sistema hibrido com FAN na placa além de um sistema de cooler líquido. O sistema líquido foca todo seu trabalho sobre o GPU, já o FAN fica sobre os controladores de fases e demais componentes da placa visando resfriar os componentes cruciais para overclock, inclusive ele tem uma leve angulação com o PCB da placa para conduzir melhor o ar internamente.

Nos testes de desempenho vamos mostrar como se saiu esse sistema da PowerColor, se é ou não uma solução superior a um outro conceituado sistema de cooler a ar. 

Sistema Utilizado
Como de costume, utilizamos uma máquina top de linha baseada em uma mainboard ASUS Rampage V Extreme, com processador Intel Core i7 5960X overclockado para 4GHz para os testes. A ideia é evitar que o sistema seja um limitador para o desempenho das placas de vídeo testadas. Abaixo algumas fotos das placas instaladas em nosso gabinete tradicional de reviews.

Mais abaixo, detalhes da máquina, sistema operacional, drivers, configurações de drivers e softwares/games utilizados nos testes.

Máquina utilizada nos testes:
- Processador Intel Core i7 5960X 3.0GHz @ 4.0GHz - Análise
- Placa-mãe Asus Rampage V Extreme - Análise
- Kit de memórias Kingston HyperX Predator DDR4 16GB 3000MHz (4x4GB) - Análise
- SSD Kingston HyperX 3k 240GB
- SSHD Seagate 4TB SATA3 - Análise (modelo de 2TB)
- Sistema de refrigeração liquida Cooler Master Nepton 280L
- Fonte de energia Cooler Master V1200 Platinum
- Gabinete Cooler Master HAF EVO XB
- Monitor ASUS PB287Q 4K

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 Pro 64 Bits
- Intel INF 10.0.27
- AMD Catalyst 15.7.1+ 

Aplicativos/Games:
- 3DMark (DX11)
- Unigine HEAVEN Benchmark 4.0 (DX11)
- Battlefield 4 (DX11)
- BioShock Infinite (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)
- Metro: Last Light (DX11)
- Middle Earth Shadow of Mordor (DX11)
- The Witcher 3 (DX11)

GPU-Z
Abaixo, a tela principal do aplicativo GPU-Z mostrando as principais características técnicas das duas placas, com leve mudanças nos clocks:


Overclock
Os dois modelos tem projetos muito bons, com componentes que prometem elevar ao máximo o potencial de overclock do gpu R9 390X, mas infelizmente ambos estão limitados justamente ao gpu, que não consegue avançar muito, os clocks padrões das placas já deixam claro isso, sendo que a Asus overclockou apenas 20MHz em seu modelo e, apesar da PowerColor ter ido além, 50MHz também não pode ser considerado muito para uma placa com um sistema de cooler eficiente como o adotado.

Para tentar melhorar overclockamos ambas as placas, no caso do modelo da Asus subimos de 1070MHz para 1130MHz, ou seja, 80MHz acima do modelo referência. Já a placa da PowerColor subimos de 1100MHz para 1160MYHz, aumento de 110MHz sobre o referência. Também overclockamos as memórias, de 6GHz para 6.4GHz na placa da Asus e 6.6GHz na placa da PowerColor, clocks superiores a esses só através de mudanças nas tensões, que costumamos não fazer em nossas análises.

É importante lembrar que cada placa, mesmo quando se tratando de modelos idênticos, podem se comportar de forma diferente no processo de overclock, mas nunca saindo de uma média que é limitada ao GPU da placa.

Nos overclocks dos dois modelos subimos o power target em 10% sem modificação de tensão.

PS.: Testes com a placa overclockada: Temperatura, Consumo, 3DMark, GTA 5 e The Witcher 3.

Temperatura
Iniciamos nossa bateria de testes com um bastante importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

É importante destacar que algumas placas possuem sistema que desliga os fans quando a GPU não está sendo exigida, como ao executar tarefas simples do Windows ou mesmo games mais simples, por isso a temperatura consideravelmente acima de alguns modelos nessa situação, mas que, na prática, não comprometem a placa, e de acordo com as fabricantes, aumenta o tempo de vida útil, além de consumir menos energia.

Primeiro vamos ao teste das placas com o sistema em modo ocioso, onde fica evidente que o sistema de cooler liquido da placa da PowerColor faz seu trabalho muito bem, mas temos que considerar que a placa da Asus desliga seus FANs quando ela está ociosa, ou seja, nesse teste específico a placa da Asus está com os FANs desligados para reduzir o consumo de energia e ruído, já a placa da PowerColor mantem seu sistema de cooler trabalhando normalmente.

Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo, novamente vemos que a placa da PowerColor se mostrou incrível nessa característica, com sistema extremamente eficiente, com a temperatura quase que pela metade da apresentada na placa da Asus. Adicionamos aos testes os resultados de uma Fury X, que também é baseada em sistema de cooler líquido e comprova a eficiência superior frente a soluções com FANs.

Consumo de Energia
Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Todos os testes foram feitos em cima da máquina utilizada na análise, o que dá a noção exata do que cada VGA consome. Vale destacar que o valor é o consumo total da máquina e não apenas da placa de vídeo. Dessa forma, comparações com testes de outros sites podem dar resultados bem diferentes.

Para o teste de carga, rodamos o 3DMark - aplicativo que exige um pouco mais do sistema e da placa de vídeo do que grande maioria dos games. A placa da PowerColor consume consideravelmente menos do que o modelo da Asus, provavelmente relacionado a quantidade  e modelo dos FANs, sendo que a placa da PowerColor possui um a menos. Outro motivo pode estar relacionado aos componentes utilizados.

OBS #1.: No teste rodando o aplicativo 3DMark, consideramos 10w como margem de erro, devido a variação que acontece testando uma mesma placa.

Testes sintéticos
Começamos pelos testes sintéticos, utilizando aplicativos específicos para medir o desempenho das placas.

3DMark
Rodamos a versão mais recente do aplicativo de testes da Futuremark com dois testes, ou melhor, um teste em duas situações, o Fire Strike em modo normal e também em modo 4K. Abaixo, os resultados em modo normal:

Agora o resultado em modo 4K: 

Unigine HEAVEN Benchmark 4.0
Agora em sua nova versão, o HEAVEN 4.0 é um dos testes sintéticos mais “descolados” do momento, pois tem como objetivo medir a capacidade das placas 3D em suportar os principais recursos da API gráfica DirectX 11, como é o caso do Tessellation.

O teste foi dividido em duas partes: uma sem e outra com o uso do Tessellation em modo "extreme", ambas a 1920x1080 com o filtro de antialiasing em 8x e anisotropic em 16X.

O primeiro teste, com o Tessellation desativado:

E o segundo com o Tessellation ativado em modo EXTREME:

Testes em games - FullHD (1920x1080)
Agora vamos ao que realmente importa, os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado.

Para ajudar a entender os gráficos a seguir: acima de 60FPS é o ideal. Quanto mais próximo dos 30FPS, pior vai ficando a fluidez e, abaixo dos 30, o jogo começa a ficar injogável

Battlefield 4
"Battlefield 4" é um referencial da plataforma PC quando se trata de gráficos de alta qualidade. O game foi todo desenvolvido sobre a Frostbite 3, nova engine da produtora DICE.

BioShock Infinite
O game "BioShock Infinite" é outro grande sucesso de crítica desenvolvido pela 2K Games. Abaixo está seu o desempenho das placas comparadas rodando ele:

Grand Theft Auto V
O game GTA V para PC está entre os mais exigentes da atualidade, trazendo ótima qualidade gráfica. Confiram abaixo o comportamento das placas rodando o game:

Metro Last Light
Outro excelente teste que exige o máximo das placas de vídeo é o game "Metro: Last Light" que também é referência de qualidade gráfica em games para PC.

Middle Earth Shadow of Mordor
O novo game inspirado no universo da franquia "O Senhos dos Anéis" chegou sem gerar muita expectativa e se tornou um dos grandes lançamentos do ano, com destaque para seus gráficos muito refinados. Nosso teste utiliza a melhor qualidade possível do game.

The Witcher 3 Wild Hunt
The Witcher 3 chegou como nova referência em qualidade gráfica para PC, sendo um dos games mais interessantes da atualidade para medir desempenho de placas de vídeo.

Testes em games - 4K (3840x2160)

Agora vamos aos testes de desempenho na resolução 4K, com os mesmos títulos dos testes em FullHD.

Battlefield 4

BioShock Infinite

Grand Theft Auto V

Metro Last Light

 

Middle Earth Shadow of Mordor

The Witcher 3 Wild Hunt

Conclusão
Duas excelentes placa de vídeo com GPU Radeon R9 390X, ambas com projetos que tiram o máximo desse chip gráfico, sendo a R9 390X Devil da PowerColor o modelo mais eficiente do mercado quando o assunto é dissipação de calor, mantendo o GPU em temperaturas bem abaixo de outras placas com ótimos sistemas de cooler, como é o caso da R9 390X Strix, que utiliza o novo DirectXU III, composto por 3 FANs.

Ambos os modelos vem levemente overclockados, o modelo da PowerColor um pouco acima e perto do limite que o GPU aceita sem modificações de tensão, ou seja, se você realmente quer tirar mais de uma placa com esse chip considere fazer esse tipo de modificação durante o processo de overclock. Um ponto positivo é que no caso da Devil a temperatura deve subir pouco graças ao sistema de liquid cooling, que tem resultados próximos aos da Fury X, outra placa com GPU AMD que se mostrou muito eficiente nessa característica.

Durante os testes fica claro que essas placas conseguem rodar sem problema qualquer game do mercado em alta qualidade gráfica e com filtros ativado até a resolução Full HD ou pouco superior, mas em resolução 4K pode ser que algum game apresente baixo desempenho durante o gameplay, especialmente porque fica sem sentido utilizar a resolução 4K e baixa qualidade gráfica, dessa forma alguns games mais recentes ou mesmo futuros lançamentos podem ter desempenho comprometido quando rodando nessa resolução em sua qualidade máxima. 

Em se tratando de preços, infelizmente para ambos os modelos, por se tratarem de lançamentos, chegam com preços altos já que o dolar tem batido R$4 nas últimas semanas, isso dificulta muito as vendas no Brasil já que modelos concorrentes da Nvidia foram lançados antes e ainda aproveitam o estoque de antes da subida do dólar. Atualmente é possível encontrar placas com GPU Radeon R9 390X a partir de R$2.200, tendo como uma de suas principais concorrentes a GTX 980, que custa em média cerca de R$100 a mais e tem desempenho semelhante.

Duas excelentes placas com gpu R9 390X, porém a PowerColor R9 390X Devil com seu sistema de cooler líquido tornam ela a melhor placa do mercado com esse gpu

Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation 1. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia. Formado jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.