Comparativo de versões de drivers AMD: Até onde é possível ganhar desempenho?

UPDATE: Atualizamos o artigo com testes em Crossfire de duas Radeons R9 290X, sendo que entre os principais destaque da versão 15.7 temos atualizações de perfis Crossfire em uma série de games. Foram adicionados testes em resolução 4K, comparando testes entre as versões 14.12, 15.4, 15.6 e 15.7.


A AMD liberou o pacote de drivers Catalyst 15.7, sendo essa agora a versão oficial da empresa com suporte as suas últimas gerações de placas de vídeo, até então tendo a versão Catalyst 14.12 Omega como a mais atual, sem contar as versões beta.

Entre os principais destaques da versão, está o suporte as placas da geração R300 e Fury, além do suporte ao sistema operacional Windows 10 e consequentemente ao DirectX 12. O novo sistema operacional da Microsoft será lançado no dia 29 de julho.

Outro destaque da versão 15.7 é que ela traz ganho de desempenho sobre a versão 14.12 Omega, de acordo com o "release notes", apenas sobre os games Tomb Raider e Far Cry 4. Muitos de nossos leitores imaginam que essa nova versão, lançada cerca de 7 meses depois da versão 14.12, venha trazer ganho de desempenho em uma série de games, além dos informados pela AMD.

Nesse artigo vamos mostrar o desempenho através da mudança de três versões de drives, a 14.12, a mais recente 15.6 que estamos utilizando em nosso VGA Chart, e a recém lançada 15.7, a mais nova versão oficial da AMD.

DOWNLOAD e características do AMD Catalyst 15.7

OBS.: Para o uso de cada nova versão, a imagem do sistema é recuperada, garantindo assim nenhuma interferência de versão previamente instalada. Optamos por utilizar uma placa Radeon R9 290X por ser semelhante a uma placa da série 390, além de suportar versões mais antigas de drives como a 14.12.

Máquina utilizada nos testes:
- Processador Intel Core i7 5960X 3.0GHz @ 4.0GHz - Análise
- Placa-mãe Asus Rampage V Extreme - Análise
- Placa de vídeo PowerColor Radeon R9 290X PCS+ - Análise
- Kit de memórias Kingston HyperX Predator DDR4 16GB 3000MHz (4x4GB) - Análise
- SSD Kingston HyperX 3k 240GB
- SSHD Seagate 4TB SATA3 - Análise (modelo de 2TB)
- Sistema de refrigeração liquida Cooler Master Nepton 280L
- Fonte de energia Cooler Master V1200 Platinum
- Gabinete Cooler Master HAF EVO XB
- Monitor ASUS PB287Q 4K

- Continua após a publicidade -

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 8.1 Pro 64 Bits
- Intel INF 10.0.27
- AMD Catalyst 15.15 ou mais recente
- NVIDIA GeForce 353.06 ou mais recente

Aplicativos/Games:
- 3DMark (DX11)
- Unigine HEAVEN Benchmark 4.0 (DX11)
- Battlefield 4 (DX11)
- BioShock Infinite (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)
- Metro: Last Light (DX11)
- Middle Earth Shadow of Mordor (DX11)
- The Witcher 3 (DX11)

GPU-Z
Abaixo, a tela principal do aplicativo GPU-Z mostrando as principais características técnicas da placa analisada.

Testes sintéticos
Começamos pelos testes sintéticos, utilizando aplicativos específicos para medir o desempenho das placas.

3DMark
Rodamos a versão mais recente do aplicativo de testes da Futuremark com dois testes, ou melhor, um teste em duas situações, o Fire Strike em modo normal e também em modo 4K. Abaixo, os resultados em modo normal:

Agora o resultado em modo 4K: 

Unigine HEAVEN Benchmark 4.0
Agora em sua nova versão, o HEAVEN 4.0 é um dos testes sintéticos mais “descolados” do momento, pois tem como objetivo medir a capacidade das placas 3D em suportar os principais recursos da API gráfica DirectX 11, como é o caso do Tessellation.

O teste foi dividido em duas partes: uma sem e outra com o uso do Tessellation em modo "extreme", ambas a 1920x1080 com o filtro de antialiasing em 8x e anisotropic em 16X.

- Continua após a publicidade -

O primeiro teste, com o Tessellation desativado:

E o segundo com o Tessellation ativado em modo EXTREME:

Testes em games - FullHD (1920x1080)
Agora vamos ao que realmente importa, os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado.

Para ajudar a entender os gráficos a seguir: acima de 60FPS é o ideal. Quanto mais próximo dos 30FPS, pior vai ficando a fluidez e, abaixo dos 30, o jogo começa a ficar injogável

Battlefield 4
"Battlefield 4" é um referencial da plataforma PC quando se trata de gráficos de alta qualidade. O game foi todo desenvolvido sobre a Frostbite 3, nova engine da produtora DICE.

BioShock Infinite
O game "BioShock Infinite" é outro grande sucesso de crítica desenvolvido pela 2K Games. Abaixo está seu o desempenho das placas comparadas rodando ele:

Grand Theft Auto V
A versão de GTA V para o PC está entre os games mais exigentes da atualidade, trazendo ótima qualidade gráfica. Confiram abaixo o comportamento das placas rodando o game:

Metro Last Light
Outro excelente teste que exige o máximo das placas de vídeo é o game "Metro: Last Light" que também é referência de qualidade gráfica em games para PC.

Middle Earth Shadow of Mordor
O novo game inspirado no universo da franquia "O Senhos dos Anéis" chegou sem gerar muita expectativa e se tornou um dos grandes lançamentos do ano, com destaque para seus gráficos muito refinados. Nosso teste utiliza a melhor qualidade possível do game.

The Witcher 3 Wild Hunt
The Witcher 3 chegou como nova referência em qualidade gráfica para PC, sendo um dos games mais interessantes da atualidade para medir desempenho de placas de vídeo.

Testes em games - 4K (3840x2160)
Agora vamos aos testes de desempenho na resolução 4K, com os mesmos títulos dos testes em FullHD.

Battlefield 4

BioShock Infinite

Grand Theft Auto V

Metro Last Light

 

Middle Earth Shadow of Mordor

The Witcher 3 Wild Hunt

Conclusão
Muitos acreditam que uma nova versão de drivers faça milagres de desempenho, mas a lógica não funciona bem assim. Temos alguns pontos que, a principio, são lógicos para que games sofram otimização de desempenho via drivers.

O primeiro é que o driver apresenta algum problema com um determinado game e consequentemente não tem o desempenho esperado da placa. Vale destacar que o próprio game pode ser o problema, e não o driver.

E segundo é que se o game é lançamento e o driver tiver sido lançado antes do game, o mesmo pode não ter otimizações específicas. A Nvidia tem costume de lançar versões "Game Ready" de seus drivers assim que um nome game, especialmente os "medalhões", são lançados. A AMD, devido uma mudança na equipe de drivers, diminuiu bastante suas atualizações no que diz respeito a versões com otimização de desempenho, focando bem mais em correções de bugs.

Outro grande detalhe é que tanto AMD quanto Nvidia tendem a dar mais atenção para suas placas mais recentes, apesar de continuarem dando suporte a gerações passadas. Muito da atenção sempre será direcionada aos produtos mais novos. 

No caso da versão Catalyst 15.7, que de acordo com o AMD traz ganho de desempenho mais acentuado apenas para os games Tomb Raider e Far Cry 4(pois a empresa não tem dado o devido foco em otimizações de desempenho), um exemplo é que os games que tiveram maior ganho foram lançados em 2013 (Tomb Raider) e final de 2014 (Far Cry 4), ou seja, longe de se tratar de lançamentos. Além desses games, outro destaque está na atualização dos perfis Crossfire de uma série de games, incluindo jogos recém lançados.

Em nossos testes, foi possível constatar que a mudança praticamente não existe em nenhum dos testes que utilizamos em nossas análises quando rodando com apenas uma placa, mesmo tendo games bastante recentes como o GTA 5 e o The Witcher 3, para citar dois exemplos que não sofreram nenhum ganho que mereça ser destacado, com oscilações normais dentro da margem de erro. Já nos testes em combinação Crossfire tivemos um bom ganho em alguns games, como GTA5 e Shadow of Mordor. The Witcher 3 também teve ganho, mas fica evidente que ainda existe algum problema com esse perfil, que não consegue atingir um resultado a altura da combinação utilizada.

Se a empresa que lançar os drivers não anunciar ganho de desempenho, não espere ganho de desempenho

Ainda é importante destacar duas coisas. A mudança de desempenho quando, se trata de PC, não pode ser considerada uma regra sempre, isso quer dizer que se em um sistema o resultado foi um, em outro sistema pode ser um pouco diferente, afinal existe uma série de situações que podem mudar entre um sistema e outro, diferente de um console que usa o mesmo hardware. E talvez a mais importante é que drivers tem como sua função principal fazer o hardware trabalhar bem no sistema, nem sempre isso quer dizer apenas velocidade, mas principalmente estabilidade, então apesar dos ganhos de desempenho que sempre esperamos a cada nova versão, na maioria dos casos eles trarão pequenas otimizações e correções de bugs  Seus efeitos são menos notáveis em resultados de benchmarks, mas não por isso menos importantes. 

É importante deixar bem claro que sempre é recomendado utilizar as versões mais recentes dos drivers de hardware, especialmente se a empresa fizer a recomendação. Versões com certificado WHQL são as mais recomendadas por passarem por certificados da Microsoft no caso do Windows.

Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

É melhor ter o xCloud capado no iOS ou ficar sem o serviço nos iPhones?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.