Qual é melhor: GeForce GTX 970 ou Radeon R9 290X?

[+Update]: Adicionamos testes em 4K, um novo benchmark de custo/benefício na resolução 4K, e também atualizamos a conclusão para refletir os novos dados.

Dependendo de quanto dinheiro você tiver disponível para a compra de sua nova placa de vídeo, decidir o modelo ideal pode ser um trabalhão. Afinal, em determinados segmentos, a disputa entre Nvidia e AMD está bastante acirrada. Mas é por isso que nós, aqui do Adrenaline, resolvemos aproveitar a quantidade absurda de GPUs que temos por aqui para fazer alguns artigos comparando modelos que tenham preço e desempenho parecidos. Isso é algo que já fizemos antes, quando botamos a AMD Radeon R9 290X para bater de frente com a Nvidia GeForce GTX 780Ti, na época em que ambas eram as topo-de-linha.

Qual a melhor? GeForce GTX 770 vs Radeon R9 280X 

As placas de vídeos escolhidas para o primeiro desafio desta nova série são a AMD Radeon R9 290X e a Nvidia GeForce GTX 970. O interessante é que estes são modelos que, a princípio, não concorreriam entre si. Porém, como a 970 chegou encarando a R9 290X de igual para igual em desempenho, a AMD foi rápida para baixar os preços da GPU lá fora. Esse corte demorou mais de cinco meses para chegar no Brasil, mas agora as duas placas finalmente estão com preços parecidos por aqui.

Para este comparativo específico, utilizamos dois modelos que já analisamos por aqui. A placa da Nvidia é a MSI GTX 970 Gaming 4GB, que traz um design de resfriamento diferenciado, e estava custando R$ 1,5 mil em pesquisa feita no dia 20/03. Enquanto isso, para a GPU da AMD, a escolhida foi a PowerColor PCS+ R9 290X, que também caprichou no resfriamento, com a presença de 3 fans, e saía por R$ 1,8 mil na pesquisa feita no dia 20/03. 

Fotos
Confira abaixo imagens das placas de vídeo utilizadas. 

- Continua após a publicidade -

Reparem que utilizamos modelos onde ambas possuem sistemas de coolers com três fans. A diferença é que a placa com gpu Radeon utiliza um sistema que ocupa três slots PCI-Express. Isso pode ser um problema para Crossfire, dependendo a quantidade de placas combinadas.

Ambas as placas possuem tamanhos semelhantes com dois conectores de energia, um de 6 pinos e outro de 8 pinos. Mas as semelhanças param por aí, pois a placa da AMD não precisa de mais "conectores" para trabalhar em Crossfire. Enquanto isso, a placa da Nvidia continua com os conectores SLI. As conexões de vídeo também são bem diferentes, contando ainda que a Gigabyte tem conectores diferentes da maioria em se tratando das placas GTX 970 e 980.

Sistema Utilizado
Como de costume, utilizamos uma máquina top de linha baseada em uma mainboard ASUS Rampage V Extreme, processador Intel Core i7 5960X overclockado para 4GHz para os testes. A ideia é evitar que o sistema seja um limitador para o desempenho das placas de vídeo testadas.

Preços em R$ ( pesquisa feita no dia 20/03/2015 no site Kabum.com.br)
Gigabyte GTX 970 G1 Gaming 4GB - R$ 1500
PowerColor Radeon R9 290X PCS+ 4GB - R$ 1800

OBS.: Caso o modelo analisado não disponível em estoque, pegamos o preço de um modelo com característica semelhante optando pelo mais barato se disponível. 

Mais abaixo, detalhes da máquina, sistema operacional, drivers e softwares/games utilizados nos testes.

Máquina utilizada nos testes:

- Processador Intel Core i7 5960X 3.0GHz @ 4.0GHz - Análise
- Placa-mãe Asus Rampage V Extreme - Análise
- Kit de memórias Kingston HyperX Predator DDR4 16GB 3000MHz (4x4GB) - Análise
- SSD Kingston HyperX 3k 240GB
- SSHD Seagate 4TB SATA3 - Análise (modelo de 2TB)
- Sistema de refrigeração liquida Cooler Master Nepton 280L
- Fonte de energia Cooler Master V1200 Platinum
- Gabinete Cooler Master HAF EVO XB
- Monitor ASUS PB287Q 4K

- Continua após a publicidade -

- Windows 8.1 64-bit
- Nvidia GeForce 347.52
- AMD Catalyst 14.12

Aplicativos/Games:
- 3DMark (DX11) 
- Unigine HEAVEN Benchmark 4.0 (DX11)
- Battlefield 4 (DX11)
- BioShock Infinite (DX11)
- Crysis 3 (DX11)
- GRID 2 (DX11)
- Metro: Last Light (DX11)
- Middle Earth Shadow of Mordor (DX11)
- Tomb Raider (DX11)

GPU-Z
Abaixo, a tela principal do aplicativo GPU-Z mostrando algumas das principais características técnicas das duas placas comparadas.

Temperatura
Iniciamos nossa bateria de testes com um bastante importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

É importante destacar que alguns modelos ficam com os FANs desligados quando o sistema está em modo ocioso, rodando aplicações que não utilizem a placa de vídeo ao ponto de necessitar maior dissipação do calor gerado, dessa forma a temperatura dessas placas tende a ser mais alta com o sistema em modo ocioso.

Confiram abaixo a temperatura das placas com o sistema em modo ocioso: 

Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo.

Consumo de Energia
Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Todos os testes foram feitos em cima da máquina utilizada na análise, o que dá a noção exata do que cada VGA consome. Vale destacar que o valor é o consumo total da máquina e não apenas da placa de vídeo. Dessa forma, comparações com testes de outros sites podem dar resultados bem diferentes.

Para o teste de carga, rodamos o 3DMark - aplicativo que exige um pouco mais do sistema e da placa de vídeo do que grande maioria dos games.

OBS #1.: No teste em modo rodando o aplicativo 3DMark, consideramos 10w como margem de erro, devido à grande variação que acontece testando uma mesma placa.

Este teste mostra uma das principais diferenças entre as GPUs. Afinal, o grande objetivo da Nvidia com a arquitetura Maxwell foi reduzir o consumo das suas placas. Na prática, isso resultou numa grande diferença, onde vemos a GTX 970 consumindo 20% menos energia que a R9 290X.  

Testes sintéticos
Começamos pelos testes sintéticos, utilizando aplicativos específicos para medir o desempenho das placas.

3DMark (2013)
Rodamos a versão mais recente do aplicativo de testes da Futuremark com dois testes, ou melhor, um teste em duas situações, o Fire Strike em modo normal e também em modo 4K. Abaixo os resultados:

Agora o resultado em modo 4K: 

Unigine HEAVEN Benchmark 4.0
Agora em sua nova versão, o HEAVEN 4.0 é um dos testes sintéticos mais “descolados” do momento, pois tem como objetivo mensurar a capacidade das placas 3D em suportar os principais recursos da API gráfica DirectX 11, como é o caso do Tessellation.

O teste foi dividido em duas partes: uma sem e outra com o uso do Tessellation em modo "extreme", ambas a 1920x1080 com o filtro de antialiasing em 8x e anisotropic em 16X.

O primeiro teste, com o Tessellation desativado:

E o segundo com o Tessellation ativado em modo EXTREME:

Testes em games - FullHD
Agora vamos ao que realmente importa, os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado.

Battlefield 4
"Battlefield 4" é um referencial da plataforma PC quando se trata de gráficos de alta qualidade. O game foi todo desenvolvido sobre a Frostbite 3, nova engine da produtora DICE.

Já no primeiro teste, temos a maior diferença de desempenho entre as duas placas que veremos em todo o artigo. Rodando Battlefield 4, a placa de vídeo da Nvidia atingiu desempenho 13% melhor que o da R9 290X. É uma diferença considerável, mas bem acima da diferença média que observamos nos outros testes, que podem ser conferidos abaixo.

BioShock Infinite
O game "BioShock Infinite" é outro grande sucesso de crítica desenvolvido pela 2K Games. Abaixo está seu o desempenho das placas comparadas rodando ele:

Crysis 3
Sendo o game "Crysis 3" um dos mais incríveis já desenvolvidos quando o assunto é gráfico, não poderíamos deixar ele de fora de nossos testes em análises de placas de vídeo.

GRID 2
O game "GRID 2" já não é o mais recente da série, mas utiliza a mesma engine de "GRID Autosport", sendo uma boa referência de desempenho em games de corrida.

Metro Last Light
Outro excelente teste que exige o máximo das placas de vídeo é o game "Metro: Last Light" que também é referência de qualidade gráfica em games para PC.

Middle Earth Shadow of Mordor
O novo game inspirado no universo da franquia "O Senhos dos Anéis" chegou sem gerar muita expectativa e se tornou um dos grandes lançamentos do ano, com destaque para seus gráficos muito refinados. Nosso teste utiliza a melhor qualidade possível do game, onde placas com pouca memória tem seu desempenho comprometido devido as texturas em alta qualidade.

Este é o benchmark onde a situação se inverte, e a placa de vídeo da AMD se sai melhor que a GTX 970. Isso acontece porque Shadow of Mordor é um game que demanda bastante da Vram das GPUs, ainda mais quando está rodando com as texturas em Ultra. O que dá vantagem para a R9 290X, nessa situação, é a sua maior largura de banda, de 384 GB/s, contra os 224 GB/s da GTX 970.

Tomb Raider
O game marca o reboot da histórica franquia de Lara Croft, desenvolvido pela Crystal Dynamics com sua engine própria, a Crystal Dynamics Engine.

Testes em games - 4K

Agora vamos ao que realmente importa, os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado.

Battlefield 4
"Battlefield 4" é um referencial da plataforma PC quando se trata de gráficos de alta qualidade. O game foi todo desenvolvido sobre a Frostbite 3, nova engine da produtora DICE.

BioShock Infinite

O game "BioShock Infinite" é outro grande sucesso de crítica desenvolvido pela 2K Games. Abaixo está seu o desempenho das placas comparadas rodando ele:

Crysis 3
Sendo o game "Crysis 3" um dos mais incríveis já desenvolvidos quando o assunto é gráfico, não poderíamos deixar ele de fora de nossos testes em análises de placas de vídeo.

GRID 2
O game "GRID 2" já não é o mais recente da série, mas utiliza a mesma engine de "GRID Autosport", sendo uma boa referência de desempenho em games de corrida.

Metro Last Light
Outro excelente teste que exige o máximo das placas de vídeo é o game "Metro: Last Light" que também é referência de qualidade gráfica em games para PC.

Middle Earth Shadow of Mordor
O novo game inspirado no universo da franquia "O Senhos dos Anéis" chegou sem gerar muita expectativa e se tornou um dos grandes lançamentos do ano, com destaque para seus gráficos muito refinados. Nosso teste utiliza a melhor qualidade possível do game, onde placas com pouca memória tem seu desempenho comprometido devido as texturas em alta qualidade.

Tomb Raider

O game marca o reboot da histórica franquia de Lara Croft, desenvolvido pela Crystal Dynamics com sua engine própria, a Crystal Dynamics Engine.

 

Conclusão

Apesar de toda a confusão envolvendo a GTX 970 no ano passado, não tem como negar que ela apresenta uma ótima relação de custo/performance. A GPU apresentou melhor desempenho que a R9 290X – atual topo-de-linha single chip da AMD – em quase todos os testes. A exceção foi em Shadow of Mordor, game que exige bastante da Vram, especialmente com as texturas no Ultra. Nesse caso, a maior largura de banda da R9 290X fez a diferença.

Entenda a divisão de memórias da GeForce GTX 970 e o motivo que levou a Nvidia a fazer isso 

Fora isso, a GTX 970 ainda tem consumo de energia 20% menor, uma das principais características da arquitetura Maxwell. Por ser de uma geração lançada há menos tempo, a placa da Nvidia ainda traz HDMI 2.0 (que permite rodar games em 4K e 60 Hz). Para atingir isso na R9 290X, é necessário usar a entrada DisplayPort.

Mesmo assim, vale lembrar que as duas placas rodaram todos os games testados na configuração máxima em Full HD e acima de 60 frames por segundo, o desejo da maioria dos jogadores de PC hoje em dia. 

Preço vs Desempenho

Com o desempenho tão próximo (com leve vantagem para a GTX 970), a definição acaba ficando no preço. Em nossa pesquisa no dia 20/03, a placa da Nvidia estava na vantagem neste quesito, estando em média R$ 300 mais barata que a GPU da AMD. Mesmo assim, é importante lembrar que os preços da R9 290X estão flutuando bastante recentemente. 

Ou seja, é possível que você acabe encontrando algum modelo da placa pelo mesmo preço (ou até mais barata) que a GTX 970 nos próximos dias. Se isso acontecer, ambas ficam com uma relação custo/desempenho bem parecida (47 para placa da Nvida contra 45 da AMD). Nesse caso, a escolha de qual placa levar fica dentro da preferência de cada usuário. Porém, com os preços praticados hoje, não há dúvidas de que a placa da Nvidia sai como vencedora do comparativo, tanto por ter um desempenho melhor como por custar R$ 300 a menos.

Nos testes em 4K, a situação melhora para a placa da AMD. Ela vira a situação e passa a ter melhor desempenho que a GPU da Nvidia em 2 jogos: Crysis 3 e GRID 2, além de empatar em desempenho em Battlefield 4. Além disso, a diferença vista em Shadow of Mordor em Ultra HD virou a maior vantagem do benchmark, com a R9 290X apresentando desempenho 20% superior ao da GTX 970. Novamente, nós atribuímos essa diferença à maior largura de banda da placa da AMD.

Mas isso muda o resultado dos nossos testes? No que diz respeito ao custo/desempenho, não. A GTX 970 segue 14% superior nesse quesito. Mesmo assim, a Radeon teve, na média, uma performance levemente melhor nessa resolução. Porém, por custar R$ 300 a mais que a rival, a GPU da AMD segue atrás no nosso comparativo.

Outra coisa que notamos é que, rodando todos os testes no Ultra e com todos os filtros ligados, as duas placas conseguiram segurar muito bem os games em 4K, mantendo a média sempre acima dos 30 FPS, e atingindo 50 FPS em alguns games. Basta desligar alguns filtros (ou trocar do ultra pro high) e você conseguirá 60 frames por segundo constantes nessa resolução. Ou seja: o sonho do 4K com uma única GPU não está tão longe de nós.

A placa da Nvidia sai como vencedora do comparativo, tanto por ter um desempenho melhor como por custar R$ 300 menos

 

Abaixo o gráfico de custo vs desempenho das placas comparadas nessa análise.

FULLHD

4K

Fórmula do cálculo:  FPS somados dos games: BF4, BioShock, Crysis3, GRID 2, MLL, Shadow of Mordor e Tomb Raider * 100 e dividido pelo valor da placa em dólares.

Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Qual você acha melhor?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.