Quanto custa a portabilidade de um notebook gamer?

É uma certeza: depois de uma análise de notebook gamer ser postada aqui no Adrenaline, um timer começa a contar o tempo para o primeiro comentário "dá para comprar um computador com X reais a menos e melhor [em desempenho]". E ele não está errado: há uma diferença bastante evidente entre a relação "custo vs performance" no mundo dos PCs de mesa e os laptops. Mas, afinal, quanto a mais custa a mobilidade?

A principal diferença entre os dois tipos de sistema é o espaço disponível. Enquanto os computadores convencionais, mesmo alguns mais compactos, possuem uma boa área para a troca de peça e sua ventilação, todos os componentes dos notebooks precisam caber em um espaço que raramente possui mais que 5 centímetros de altura. Como resultado, o aquecimento torna-se uma questão muito mais complicada para lidar. A possibilidade de upgrades vai para o espaço, já que muitos dos componentes estão soldados diretamente na placa-mãe justamente para economizar espaço.

Artigo: Jogar em notebook ou computador de mesa? As diferenças dos dois formatos

A diferença entre um chip para notebook e para desktops vem caindo, mas ainda é bastante visível. Uma GTX 970M é capaz de entregar um pouco mais de desempenho que uma GTX 760, e passa perto de alcançar seu modelo "equivalente" da geração passada, a GTX 770.

 

Artigo: O quanto a geração Maxwell da Nvidia encurtou a diferença entre Desktops e Notebooks?

O que vamos fazer aqui é o seguinte: para tentar medir o custo a mais que representa optar por um notebook gamer, vamos equilibrar o desempenho de um computador de mesa convencional com um notebook gamer, e comparar quanto sai "a dolorosa" para adquirir cada um. No lado dos notebooks, o representante é o Avell G1513 Max SE, um dos modelos com boa relação entre a performance seu custo - afinal, usar o Asus G750JX de R$ 14 mil seria surreal.

Para enfrentá-lo, um HTPC Gamer que, apesar de menor que a maioria dos computadores, ainda conta com as peças convencionais dos PCs e traz um custo de montagem e performance semelhante a de um computador em tamanho "full tower". 

- Continua após a publicidade -

Especificações dos sistemas


Computador convencional
Avell Titanium
G1513 MAX SE
Processador
Intel Core i5 4460 Intel Core i7 4710MQ
Chip Gráfico
Asus GeForce GTX 760 DirectCU II Nvidia GTX 970M
Memória RAM
8GB 16GB
VRAM
2GB GDDR5
3GB GDDR5
Tela
24' FullHD (1920x1080) Antirreflexiva

15.6" FullHD  (1920x1080)
Antirreflexiva 

Armazenamento

1TB HDD

256GB SSD
Bateria
###### 8 células Smart Lithium-Ion

Apesar da existência de placas com o chip GTX 760 mais em conta, o modelo da Asus em nosso testes foi uma opção para dar mais margem de overclock na placa. Como a GTX 970M se situa entre a GTX 760 e 770, em termos de performance, para equilibrar o jogo "desembolsamos" mais na placa de desktop para conseguir um modelo que, com um overclock, rivaliza com o modelo do notebook. 

Comparativo de peformance

Com já vimos em um artigo anterior, o chip GTX 970M superou a performance da placa para computadores GTX 760. Com este modelo customizado da Asus, com um novo sistema de resfriamento e um leve overclock - subimos o clock da GPU para 1180 MHz - conseguimos uma performance bem próxima entre os dois modelos, como podem conferir nos benchs abaixo:

- Continua após a publicidade -

Quanto custou a portabilidade?

Com uma performance equilibrada entre os dois modelos, podemos concluir o quanto do custo "a mais" no notebook é representado pelo design compacto. Para isto, vamos precisar fazer as contas, e avaliar o custo de montar nosso PC de mesa dos testes.

Abaixo a relação das peças e as estimativas de preços, considerando tudo que viria com o notebook (como tela, teclado e "gabinete"). É sempre bom lembrar que o mercado brasileiro oscila muito, e você pode ser que você encontre preços mais competitivos que estes, caso se dedique a ficar vasculhando na internet.

Total: R$ 3.760

O nosso representante dos notebooks, o Avell G1513 Max SE, vem com custo de  R$ 5.399 caso seja pago no boleto.

Com duas máquinas capazes de entregar performance semelhante em jogos, tiramos da equação todos os demais fatores, sobrando somente um como o diferencial do preço. Podemos dizer que os R$ 1.700 a mais representam o valor necessário para adquirir um dispositivo compacto o suficiente para colocar em uma mochila e transportar facilmente, mantendo a performance de um modelo convencional de mesa.

Um notebook e um computador convencional com performance equivalente, em nossos testes, possuem uma diferença de custo de R$ 1.7 mil

O que dá para fazer com estes 1.7 mil reais que sobraram, se decidirmos investir o mesmo valor do notebook gamer todo em um desktop? Considerando que montamos o sistema com uma boa placa, uma quantidade de RAM bastante aceitável, uma fonte de 600 watts e um Core i5, e estamos pensando em um sistema para jogos, daria para pegar todo o dinheiro para melhorar a placa de vídeo, que resultaria de um upgrade de uma GTX 760 para uma... GTX 980 (valeu pela sugestão, Investigador Bandeira). O resultado deve ser semelhante a este:

O notebook gamer deixa de ter sentido, já que traz um preço quase 50% superior, neste nosso comparativo? Tudo depende da necessidade de quem está o adquirindo. Apesar do computador convencional contar com a vantagem de um custo menor e possibilidade de upgrades, o fator crucial na escolha se torna a necessidade de deslocar este computador. A praticidade do notebook gamer, mesmo sendo pesado para os padrões de notebooks comuns, é muito maior, e irá atender aqueles que querem levar seus games aonde quer que estejam, sem precisar transformar isto em uma "mini-mudança". Mas vou discutir mais sobre isto em outro artigo.

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Qual os planos para hardware esse ano?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.