Conheça as séries de processadores da linha FX

Com 15 modelos diferentes no mercado e a proposta de alto desempenho, os processadores da linha FX da AMD foram criados para lidar com múltiplas tarefas e performance para os jogos do momento. Entretanto, é normal para quem estÁ pra escolher uma nova CPU olhar para a gama de produtos e se perguntar, "mas afinal, qual é a diferença? E vale mesmo a pena adquirir algo da nova geração?" 

O primeiro processador da linha foi o Athlon 64 FX, que surgiu em 2003 através da adaptação do Opteron, voltado para servidores. A CPU foi a primeira a incluir a microarquitetura AMD64 para computadores de mesa. O modelo contava com cache L2 de 1MiB, permitia o uso de quatro núcleos com a tecnologia QuadFX e também overclocking. O objetivo era entrar no mercado com um processador de alto desempenho para jogos e tarefas que exigiam muito processamento – uma característica que até hoje norteia esta linha de produtos da AMD.

Bulldozer: a nova microarquitetura da AMD

A mudança de tecnologia da linha FX surgiu só depois dos processadores Phenom, quando a AMD lançou as novas CPUs com arquitetura Bulldozer em outubro de 2011. Estes processadores contavam com uma nova pinagem, a AM3+.

Após a mudança para a microarquitetura Bulldozer, os lançamentos da linha FX foram divididos em três séries: a FX-4000, FX-6000 e FX-8000

1) Série FX-4000

O diferencial da primeira série com a nova microarquitetura (cujo codinome de núcleo se chama Zambezi) é, sem dúvida, a acessibilidade. O preço dos produtos da linha FX-4000 é muito menor. Sua indicação é para quem busca um computador para uso geral, porém com GPU dedicada. Para isso, os processadores contam com 3,6 a 4,2 GHz de velocidade clock de base, 8MB de cache L3 e compatibilidade com DDR3 de 1866 MHz.

2) Série FX-6000

A série do meio da AMD contou com uma inovação em relação à sua "irmã menor": oferecer seis núcleos no processador – conhecido como CPU Hexa-core. A vantagem dessa tecnologia em relação aos módulos de núcleo múltiplo disponibilizados pela concorrência é que as FX-6000 conseguem dedicar núcleos exclusivos para tarefas únicas. Tal possibilidade, somada a clocking de base entre 3,3 a 3,8 GHz, torna essa CPU mais indicada para quem usarÁ aplicativos que exploram os múltiplos núcleos disponíveis.

- Continua após a publicidade -

3) Série FX-8000

A AMD desenvolveu essa linha para quem busca computadores com desempenho elevado de processador, com uma ou mais placas de vídeo e aplicativos que exijam muito da mÁquina, além de jogos em alta resolução. Oferecendo oito núcleos de processamento, o diferencial destes modelos de CPUs em relação às anteriores é a capacidade de funcionar mais eficientemente, desligando metade dos núcleos através de um estado de energia novo, o C6. Como resultado, a outra metade consegue operar com até 1 GHz a mais de frequência. Além dos atributos similares aos das séries anteriores, os hardwares da série FX-8000 oferecem base clock de 3,1 a 3,6 GHz.

Piledriver: a segunda geração da arquitetura Bulldozer

Em meados de 2012, a AMD decide relançar no mercado sua microarquitetura com "ajustes finos" para elevar seu desempenho. O resultado estÁ no aumento de performance das CPUs e também na economia da energia, além de um controlador de memória integrada mais veloz e a versão 3.0 do Turbo Core. Esta geração também contempla o mercado de mobilidade, como notebooks ultrafinos e compactos.

Também conhecida como Vishera, a nova tecnologia inclui novos itens nas séries FX-4000, 6000 e 8000 além de acrescentar a série 9000, a divisão passa a ocorrer conforme a quantidade de threads disponíveis, passando a ser classificada por quatro, seis e oito threads.

1) Quatro núcleos – Linha FX-4300

Assim como os produtos da FX-4000, esta série corresponde é conhecida por ser as CPUs de entrada da segunda geração, direcionada para quem quer um processador compatível com as placas mais recentes e capaz de lidar com os softwares atuais, que exigem mais da mÁquina. Os produtos desta linha têm alcance de frequência base entre 3,8 até 4,2 GHz e overclock mÁximo variando entre 4,0 a 4,3 GHz, além de cache L3 de 4 MB (FX-4300 e FX-4320) e 8 MB (FX-4350).

- Continua após a publicidade -

2) Seis núcleos – Linha FX-6300

As principais diferenças entre esta série (com as FX-6300 e FX-6350) e sua versão anterior também estÁ na velocidade de clocking base, de 3,5 a 3,9 GHz e chegando a até 4,2 GHz em overclocking. Além da economia de energia e na microarquitetura, o preço oferecido no mercado também é menor, tornando uma opção acessível para quem quer mais desempenho em aplicativos pesados.

3) Oito núcleos – Linhas FX-8300 e FX-9000

Voltado para o mÁximo de desempenho e substituindo a linha FX-8000 como os processadores top de linha da AMD, as CPUs de oito núcleos das linhas FX-8300 e FX-9000 processam de 3,3 até 4,7 GHz. Seu overclocking também possui números altos: a FX-9590, por exemplo, alcança até 5,0 GHz de frequência. Além do alto desempenho, dentro dessa linha hÁ três processadores com economia de energia, os FX-8300, 8320E e 8370E, que reduzem o consumo para 95W sem perder a boa velocidade de processamento.

E você, o que acha da linha de processadores FX da AMD? Deixe sua opinião nos comentÁrios abaixo!

Assuntos
Tags
amd
  • Redator: Gabriel Daros

    Gabriel Daros

    Redator da Adrenaline que teve contato com hardwares desde quando viu seu pai montar um tal "PC gamer" aos oito anos de idade. Escreve notícias sobre internet, tecnologia e jogos, cujo primeiro contato foi com um SNES aos sete anos. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) desde 2013.

Qual vai ser o melhor game de outubro de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.