Os processadores Haswell-E e chipset X99 chegaram: o que mudou?

Os processadores Haswell-E são os novos produtos voltados ao segmento doméstico entusiasta. Eles substituem os Ivy Bridge-E, lançados em setembro do ano passado. Eles mantêm a mesma litografia em 22 nanômetros com transistor Tri-Gate 3D presentes na geração anterior, e trazem uma importante novidade: são baseados no chipset X99, que introduzirÁ a tecnologia DDR4 nas memórias de computadores domésticos.

Haswell-E x Ivy Bridge-E x Sandy Bridge-E



Haswell-E

Ivy Bridge-E

Sandy Bridge-E
Núcleos
8/6
6/4
6/4
Litografia
22 nm
22 nm
32 nm
Chipset
X99
X79
X79
Cache compartilhado
Até 20MB
Até 15MB
Até 15MB
Tecnologia PCI Express
PCIe 3.0
PCIe 3.0
PCIe 2.0
Total de linhas PCIe
40 / 28
40
40
Memórias
4 canais DDR4 2133MT/s
4 canais DDR3 1866MT/s
4 canais DDR3 1600MT/s
TDP
140W
130W
150 / 130W
Socket
LGA 2011-v3
LGA 2011
LGA 2011
Limite de portas SATA
10
6
6
Portas SATA a 6Gbps
10
2
2
Compatível com Thunderbolt nativo
Suporte ao Overclock BCLK no chipset

O Haswell-E introduz na linha Extreme Edition a arquitetura Haswell aos processadores domésticos topo de linha da Intel. Entre as principais vantagens desta arquitetura estão uma maior eficiência energética e melhor performance. Benchmarks divulgados indicam melhora de 20% em atividades como renderizar vídeos em 4K.

Algumas novidades serão muito bem-vindas pelos overclockers, um público importante para este produto entusiasta. Segundo informações divulgadas pelo site OCDrift, os processadores Haswell-E trarão o IHS, peça metÁlica que dissipa o calor do die do processador, soldado diretamente no chip. Em modelos anteriores, havia um espaço entre o IHS e o chip, que era preenchido por um composto térmico (TIM), menos eficiente que a soldagem direta. Quanto maior a eficiência na hora de dissipar o calor do chip do processador, mais possibilidade de aumento da frequência fica disponível. O suporte ao overclock da frequência base (BCLK) estarÁ presente jÁ no chipset.

O potencial de overclock jÁ deu seus primeiros indícios com este recorde: um link de validação de OC mostra um sistema baseado no topo de linha Core i7 5960X rodando em 6.23GHz.

As memórias DDR4

Os processadores Haswell-E e chipset X99 trazem uma série de evoluções em relação a geração anterior, como mais núcleos e conexões PCI Express. Mas são nas memórias que temos o maior salto tecnológico: a tecnologia DDR3 de memórias RAM, presente em computadores desde 2007, ganharÁ sua sucessora nesta plataforma.

As memórias DDR4 SDRAM apresentam uma série de melhorias sobre a geração passada. A primeira é uma nova redução na tensão de operação, que agora é de 1.2V (eram 1.5V nas DDR3). Como resultado, estes módulos de memória consomem menos energia, e também apresentam um menor aquecimento, dois aspectos interessantes nos computadores e que devem ter ainda mais importância em dispositivos portÁteis como tablets e smartphones. Menor consumo e menor aquecimento são perfeitos para melhorar a autonomia de aparelhos que operam na bateria, ao mesmo tempo que facilitam a criação do sistema de resfriamento dos chips.

Outra vantagem importante dos módulos DDR4 SDRAM é a maior densidade de dados por componente. Com o um limite de 8GB por componente, é possível colocar muito mais memória em cada módulo. Através destes novos módulos, a SK hynix jÁ anunciou a criação de uma memória com 128GB baseados na litografia de 22 nanômetros, então dÁ para ter uma ideia do salto que isto representa.

Outro fator importante, especialmente para os entusiastas que compõe o principal público desta nova plataforma, estÁ o aumento de performance. O DDR4 é mais rÁpido, e deve chegar com capacidade de 2.133 MT/s (equivalente a mais ou menos dois milhões de transferências por segundo), com potencial para chegar a 4266 MT/s. Para ter uma ideia, o DDR3 ficava na casa dos 800 MT/s a, no mÁximo, 2.133 MT/s.

- Continua após a publicidade -

O que não muda: o preço

A linha Extreme Edition é voltada para entusiastas, logo não é um produto para alguém que estÁ se preocupando no quanto irÁ gastar ou mesmo na relação custo x benefício de seu sistema. Além do alto preço do próprio processador, que deve chegar na casa dos US$ 1.000 no modelo topo de linha, as placas-mãe com o chipset X99 estarão entre os modelos mais caros disponíveis no mercado. Para completar, como foi recém lançada, a tendência é que as memórias DDR4 cheguem ao mercado com um preço bastante elevado. E esta plataforma não é compatível com as antigas memórias DDR3 por diferenças na conexão, logo não vai dar para economizar usando suas memórias atuais.

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Qual vai ser o melhor game de outubro de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.