O que o DirectX 12 vai fazer pela placa de vídeo que você comprou anos atrás

Quando a Microsoft anunciou o DirectX 12, estavam na apresentação representantes da Nvidia e da AMD, garantindo apoio total à nova API. Também passaram pelo palco executivos de Intel e da Qualcomm, assim como um representante da equipe da Turn 10, que desenvolveu Forza Motorsport 5, exclusivo para Xbox One, console que também serÁ beneficiado pelo DirectX 12. Ou seja, jÁ deu para entender que é um lançamento bem importante para indústria de games.

Mas, sempre que surge um novo release da API da Microsoft, ficam 2 grandes dúvidas em nossa cabeça. A primeira geralmente é: vou ter que trocar minha placa de vídeo? Felizmente, a resposta para essa pergunta jÁ foi bem enfatizada pelas fabricantes de GPUs. Da parte da Nvidia, quem possui uma GTX 460 Â– placa lançada mais de 3 anos atrÁs Â– ou melhor pode ficar tranquilo, que receberÁ o suporte. JÁ para quem possui AMD, quem tem uma GPUs das séries HD 7700, 7800, 7900, R7 e R9 também estÁ dentro.

 Apresentação teve até Forza 5 rodando em PC

JÁ a segunda pergunta costuma ser a seguinte: o que isso vai mudar nos meus jogos? A Microsoft não entrou muito a fundo nessa Área, mas jÁ garantiu que, com a nova API, veremos games que apresentarão cenas mais ricas, com um número maior de objetos, e com aproveitamento quase total das arquiteturas das GPUs modernas.

Só que, com a novidade de que placas de vídeo jÁ existentes serão suportadas, surge uma terceira e importante pergunta: o que o DirectX 12 pode fazer pela placa de vídeo que eu comprei anos atrÁs? E aí é que estÁ a grande novidade, que foi o foco da Microsoft na apresentação da nova API. A palavra-chave aqui é eficiência.

O que a API farÁ é permitir uma abstração de hardware a baixo nível muito maior do que era feito antes. Com isso, os jogos irão se beneficiar de uma redução no overhead de GPU, o que significa que o DirectX 12 poderÁ melhorar o desempenho de placas de vídeo que jÁ foram lançadas anos atrÁs. Mas vale lembrar que não podemos esperar milagres também, principalmente porque não foram divulgados resultados reais das GPUs ainda.

Além da aumento no desempenho das placas de vídeo, também foi prometido que a nova API irÁ tirar melhor proveito das CPUs. Segundo a Microsoft, com o DirectX 12, haverÁ melhoria de 50% no aproveitamento dos processadores. Isso é demonstrado pela empresa usando o 3DMark, em duas versões diferentes: uma usando Direct3D 11, e outra portada para o Direct3D 12.

Mesmo como Direct3D 11 usando o multi-threading de maneira extensiva, uma combinação do tempo de execução (runtime) e do overhead do driver faz com que haja um significativo tempo ocioso em cada núcleo. Com o Direct3D 12, foram feitos avanços nessa Área, com melhor distribuição da carga de trabalho entre os threads, e 50% de melhoria na utilização da CPU. Confira no grÁfico abaixo:

As imagens abaixo mostram os mesmos resultados, com a melhor distribuição entre os 4 threads e a diminuição no tempo total da CPU, de 6,6 ms para 3,2 ms, com o uso do Direct3D 12. Na esquerda, estÁ o 3DMark rodando no Direct3D11, enquanto a imagem da direita mostra o Direct3D 12.

 

Ou seja, a promessa da Microsoft é que, com o DirectX 12, os desenvolvedores poderão aproveitar muito melhor o poder de nosso hardware atual,em comparação com o que era feito antes. Este tipo de eficiência, tradicionalmente, só era visto em consoles, mas quando a nova API chegar, serÁ possível encontrÁ-lo em PCs e até em smartphones. E o melhor de tudo: sem precisar comprar peças novas. Os primeiros jogos com DirectX 12 chegarão no fim de 2015. Até lÁ, é de se esperar que tanto Microsoft quanto AMD e Nvidia divulguem novidades sobre a API.

Assuntos
Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

O que você prefere?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.