Perdi/estraguei o cabo de energia do notebook e não acho meu modelo específico, o que fazer?

Um problema que jÁ deve ter complicado a vida de donos de notebooks é a fonte de energia. Como é uma peça carregada "para lÁ e para cÁ" junto com o nosso gadget, corre riscos de ser perdida ou, como é constantemente enrolada e enfiada na mochila, do cabo se partir. Como cada fabricante tem seu formato, e cada notebook suas especificações, nem sempre é fÁcil comprar a fonte específica de seu modelo, especialmente se ele for muito antigo.

Fontes genéricas são a alternativa para notebooks com fontes difíceis de encontrar 

Se, depois de buscar pelo modelo de seu notebook em lojas online, você ainda não conseguiu encontrar a fonte certa, hÁ alternativas. Para estas situações, as fontes "genéricas" (não no sentido de "marca a definir", e sim que é feita para múltiplos modelos) podem resolver esta questão e, de quebra, podem servir de "backup" para quando você adquire um novo notebook. Dado seu histórico ruim, pode ser que você volte a perder/estragar também a fonte de seu futuro aparelho.

Para definir se a fonte é compatível com seu notebook, você precisa observar três coisas: a conexão de energia, a tensão e a intensidade da corrente elétrica. Vamos mostrar cada etapa usando como exemplo a fonte X-man, da Huntkey (pensei em alguma frase de efeito com o nome do produto, mas acho que o nome curioso jÁ tem seu efeito). Além da excentricidade do nome, esta fonte tem atributos muito interessantes: é fina (1.7cm) e inclui uma porta USB com alimentação de 2 amperes, mais que o suficiente para carregar outro aparelho, como um smartphone.

Para sabermos se a fonte irÁ servir, começamos pelo conector. Estes modelos genéricos costumam trazer múltiplas pontas, para encaixar em diversos aparelhos, e na própria embalagem estarÁ especificado com que marcas o produto é compatível. O X-man é deste aparelhos mutantes (RÁ!), e identificamos o encaixe equivalente ao nosso notebook que usamos para teste. Como hÁ uma grande variação nestes plugs, pode acontecer de que, mesmo o produto prometendo ser compatível com notebooks HP, por exemplo, você venha a ter justamente um "formato exótico" da marca e, por consequência, o adaptador serÁ incompatível. Ninguém disse que as coisas seriam fÁceis.

Agora que é possível conectar, vamos a segunda etapa. Precisamos checar a tensão da fonte, para verificar se é a mesma utilizada pelo notebook. ESTA PARTE É INDISPENSÁVEL, pois caso este valor não seja comum, as consequências serão trÁgicas, com potenciais danos para seu notebook. A tensão costuma estar descrita na parte de baixo do notebook, é medida em volts (V) e também serÁ encontrada na própria fonte do aparelho.

- Continua após a publicidade -

As informações sobre tensão e intensidade de corrente elétrica costumam ficar na parte de baixo dos notebooks

A terceira e última parte é verificar a intensidade da corrente elétrica, uma informação que costuma vir logo ao lado da tensão, e é medida em amperes (A). A intensidade de corrente precisa ser compatível com a do notebook, sendo que se a fonte entregar menos intensidade de corrente elétrica que a necessÁria, o carregamento do notebook pode ser ineficaz ou até mesmo danificar os equipamentos.

O contrÁrio tem um efeito menos danoso: mesmo com uma maior intensidade de corrente elétrica da fonte, o notebook só serÁ alimentado com o que necessita. Mas hÁ ressalvas: "No caso de uma fonte 19V e 6.15A para uma mÁquina que necessita de apenas 19V e 4.7A não ocorrerão danos nem ao equipamento ou a fonte. A necessidade do notebook estÁ sendo suprida com a uma fonte de maior potência. O que não é recomendado seria uma diferença muito grande entre correntes da fonte e notebook, por exemplo 19V e 4.7A no notebook e uma fonte com 19V e 9.15A. A curto prazo isso é tolerÁvel, porém pode diminuir o tempo de vida útil da bateria se utilizado por muito tempo",  explica Pablo Brunhera, responsÁvel pela Área técnica e de garantia da Avell. "Uma situação contrÁria como um equipamento que necessita de 19V e 6.15A, e estÁ trabalhando com uma fonte de apenas 19V e 4.7A pode levar a danos na fonte e equipamento. O equipamento não estÁ recebendo a potência necessÁria e a fonte tenta suprir a necessidade até o ponto de queimar componentes."

Para nosso modelo de notebook, esta fonte não tem as especificações ideais, mas estÁ dentro das margens seguras

A tensão também tem sua "margem de operação", mas aí as coisas se tornam mais delicadas: "A variação de voltagem da fonte tem limite de 1V como margem de segurança. Necessitando de 19V, pode-se utilizar entre 20V e 18V, mas a corrente (em amperes) deve ser igual para que tenha uma potência de valor próximo."

- Continua após a publicidade -

Com estes três pontos resolvidos, você estÁ pronto para voltar à ação com seu notebook. Agora é só ter mais cuidado, para não estragar/perder esta também. Aposto que com todo este trabalho para achar uma nova fonte, é bem provÁvel que você vÁ ser mais cuidadoso, daqui para frente.

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.