Crysis 3 Benchmarks - HIGH

"Crysis 3" é o novo episódio de uma das franquias de tiro em primeira pessoa mais populares no PC. Produzido pela Crytek e desenvolvido com as ferramentas da poderosa CryENGINE 3, o jogo tem sido considerado o mais belo graficamente de todos os tempos. Motivos para isso não faltam: renderização de efeitos visuais diversos em tempo real para cenÁrios abertos, simulação de partículas e inteligência artificial avançadas e modelagem extremamente realistas.

Depois do artigo testando as principais placas de vídeo do mercado com as configurações mÁximas que o game oferece, e por consequência comprometer o desempenho dessas placas sobre o game, onde até mesmo uma GTX 690 não rodou o game com FPS acima de 40 em 1920x1080, decidimos fazer um novo artigo agora setando o game com qualidade HIGH e filtro FXAA. Na prÁtica, a diferença durante o gameplay é praticamente imperceptível, jÁ o desempenho das placas é consideravelmente melhor, chegando a 3 vezes o resultado obtido no teste em VERY HIGH com filtro AA setado em MSAA 8X.

Sistema testado e método de testes
Como sempre, utilizamos uma mÁquina top de linha para fazer os testes, baseada em uma placa-mãe ASUS Rampage IV Extreme, processador Intel Core i7 3960X @ 4.6GHz, 32 GB Ram Patriot Viper III 1866MHz.

Abaixo, as placas utilizadas nos comparativos, um modelo de cada com os chips da última geração, Radeon 7000 e GeForce 600:

AMD: Radeon HD 7970, Radeon HD 7970 GHz Edition, Crossfire 7970, Radeon HD 7950, Crossfire 7950, HiS Radeon HD 7870 IceQ X Turbo, XFX Radeon HD 7850 Black Edition e HiS Radeon HD 7770 iCooler.

NVIDIA: NVIDIA GeForce GTX 690, GTX TITAN, GTX 680, GTX 680 SLI, GTX 670, GTX 670 SLI, MSI GeForce GTX 660Ti Power Edition, NVIDIA GeForce GTX 660, GeForce GTX 650Ti e MSI GeForce GTX 650 PE.

A ideia do artigo é mostrar o comportamento das placas da última geração da AMD e NVIDIA com configuração grÁfica de alto nível sobre o recém-lançado Crysis 3. Abaixo, as duas telas de configuração grÁfica do game em HIGH com filtro FXAA:

HIGH FXAA vs VERY HIGH FXAA vs VERY HIGH MSAA 8X
Abaixo, temos três imagens mostrando a diferença de qualidade entre alguns perfis de configuração de qualidade do Crysis 3. Como a diferença de desempenho entre HIGH vs VERY HIGH e FXAA vs MSAA 8X é bastante grande, resolvemos mostrar o que muda em detalhes usando essas configurações. Como podemos ver abaixo, mesmo mostrando uma screenshot com apenas uma cena, concluímos que a diferença é praticamente imperceptível. E se é imperceptível em uma imagem, imaginem um gameplay com cenas de ação frenéticas onde reparar detalhes fica ainda mais difícil.

- Continua após a publicidade -

Abaixo, detalhes completos do sistema utilizado:

MÁquina utilizada nos testes:
- Placa-mãe ASUS Rampage IV Extreme
- Processador Intel Core i7 3960X @ 4.6GHz
- Memórias 32 GB DDR3-1866MHz Patriot Viper III Black
- SSD Intel 330 Series 180GB
- HD 2TB Sata3 Western Digital Black
- Fonte Cooler Master Silent Pro Hybrid 1300w
- Cooler Master Hyper 212 EVO

Sistema Operacional e Drivers
- Windows 7 - 64 Bits 
- Intel INF 9.3.0.1026
- GeForce 314.07 WHQL / 314.09 BETA: Placas NVIDIA
- Catalyst 13.2 Beta 6: Placas AMD 

Configurações de Drivers:

- Default 

{break::Benchmarks}

Como o Crysis 3 não possui nenhuma ferramenta de benchmark integrada ou mesmo disponível na Internet, utilizamos o FRAPS para medir o desempenho das placas. Para quem não conhece, o FRAPS é um aplicativo que, entre suas funcionalidades, "grava" os FPS durante o gameplay de um jogo, ou seja, joga-se por um determinado tempo e durante esse processo o aplicativo grava o desempenho gerando uma média final através dos FPS apresentados.

O importante ao se fazer testes via FRAPS é tentar, ao mÁximo, criar as situações de gameplay mais parecidas possíveis, como por exemplo, seguir o mesmo trajeto no mapa a fim de criar situações mais próximas possível no que diz respeito à renderização das imagens. Nós optamos pelo mapa "Canyon", na cena após a queda de um elevador onde um helicóptero deixa alguns inimigos. Dessa forma conseguimos uma boa cena de combate mostrando alguns dos principais efeitos que o game oferece.

- Continua após a publicidade -

OBS.: Ao contrÁrio do que muitos pensam, o FRAPS praticamente não consome processamento do sistema quando estÁ "gravando" apenas desempenho de FPS. Dessa forma ele não influencia no desempenho final de uma placa de vídeo. Caso o fizesse, faria para TODAS as placas e não apenas para uma, o que não tiraria o crédito dos resultados. Aos mais desinformados, uma série de games não possui ferramentas internas de benchmarks e Crysis 3 é um deles. Para citar outro medalhão temos também o Battlefield 3. Se alguém viu testes sobre esses games, foram feitos via FRAPS - ao menos até o momento, jÁ que não possuem ferramentas de benchmarks.

No vídeo abaixo mostramos um pouco do sistema, algumas placas e cena do game utilizada para os testes: 

Resolução 1680x1050
Para começar, destacamos um antigo problema da Crytek ou drivers das fabricantes de placas de vídeo presente no Crysis 2 e que infelizmente continua presente no Crysis 3: O game não consegue gerenciar bem combinações de múltiplas placas, inclusive da GTX 690. No fórum oficial do game hÁ relatos de pessoas que conseguiram resolver removendo a versão Multiplayer Beta e os perfis multi-gpu nos drivers, além de outras otimizações. Essa alternativa não funciona para todos - com a gente não funcionou - e, como podemos ver abaixo, apenas o Crossfire da 7950 conseguiu fazer o efeito esperado. Em todos os demais casos de multi-placas, todas as demais combinações e, inclusive a GTX 690, tiveram problema de desempenho. Devido ao Crossfire da 7950 ter apresentado um desempenho bom passando de 100FPS, fica a dúvida se o problema é com o game ou com os drivers.

Nas demais placas, a TITAN, como o esperado, reina absoluta quando se trata de uma placa single chip, mas com pouca diferença sobre a GTX 680, que ficou quase 15% a frente de uma 7970 normal. 

Nas placas intermediÁrias, podemos destacar a 660Ti da MSI, modelo overclockado, que fica colada a uma 670 referência. Também tivemos a supremacia da NVIDIA sobre as placas da AMD, inclusive com a 660 referência superando a 7870 da HiS, que é um modelo overclockado.

Outro ponto interessante é ver uma 650Ti rodando muito bem o game em alta qualidade grÁfica na resolução de 1680x1050. 

Resolução 1920x1080
Na resolução de 1920x1080, FULL HD, novamente a única combinação multi-placas a conseguir superar 100FPS foi o Crossfire com a 7950. Os demais travam na limitação de performance e ficam na casa de 95 FPS.

A TITAN consegue superar a GTX 680 em cerca de 10%, menos do que conseguiu em uma série de outros games como demonstramos na anÁlise da mesma.

O destaque ficou novamente sobre a 660Ti overclockada da MSI, que além de ficar na cola de uma GTX 670 referência, superou a 7970 normal. Por outro lado, a 660 referência não conseguiu segurar a 7870 overclockada da HiS em resolução mais alta.

E por fim, novamente, o bom resultado da 650Ti conseguindo rodar o game em HIGH com filtro anti-aliasing ativado acima de 30 FPS.


FXAA vs MSAA 8x
No artigo VERY HIGH setamos o filtro anti-aliasing em MSAA 8X mas, como vimos na primeira pÁgina, a diferença visual comparado à FXAA é praticamente nula, mas a diferença é muito alta quando o assunto é desempenho comparando os dois modos. No caso da TITAN, o desempenho da placa cai em 41% rodando em MSAA 8X comparado ao desempenho de FXAA. JÁ na 7970 GHz Edition, a queda é ainda maior, 48%.

{break::Conclusão}

Como foi constatado no artigo "Crysis 3 Benchmarks - VERY HIGH", o game pode ser altamente pesado, mas o grande problema não é o modo VERY HIGH, mas sim o filtro MSAA 8X, que exige bastante das placas de vídeo. Como a diferença de qualidade de detalhes entre os filtros MSAA 8X e FSAA é bem pequena, praticamente imperceptível, decidimos fazer um novo artigo até mesmo para esclarecer dúvidas e evitar de criar uma ideia de que o game é mal programado ou as placas de vídeo não possuem bom desempenho. Na primeira pÁgina vimos que mesmo comparando o modo HIGH com VERY HIGH a diferença é praticamente nula na prÁtica e mais ainda em uma cena de combate onde o foco não é o detalhe, principalmente porque, como o demonstrado, a diferença é muito pequena.

Em relação ao desempenho, começamos primeiro pelo que chamou mais atenção nos grÁficos: A limitação de desempenho, tanto em combinações multi-placas como em placas com condições de superar 100FPS. Apenas o Crossfire da 7950 conseguiu desempenho acima de 100FPS, todas as demais combinações, inclusive a GTX 690, tiveram FPS limitado em cerca de 95 FPS, semelhante ao que acontecia com o Crysis 2. Como o Crossfire de 7950 conseguiu superar os 100 FPS e, supostamente, atingir o real resultado que a combinação alcança, provavelmente o problema estÁ associado aos drivers. Fizemos uma série de pesquisas para resolver o problema e algumas pessoas, até mesmo membros da Crytek, reportaram que no caso de combinações relacionadas a placas NVIDIA o problema poderia ser resolvido removendo o perfil "Crysis 3 Multiplayer Beta" dos drivers GeForce - novamente, com a gente não funcionou. Esperamos que, em breve, a AMD e a NVIDIA resolvam o problema - caso esteja nos drivers - e a Crytek dê um suporte melhor ao game e a seus usuÁrio, não fazendo brincadeiras como aconteceu alguns dias atrÁs quando um usuÁrio reportou um problema semelhante. Mas vale destacar que além de combinações multi-placas, placas de vídeo single chip com alto desempenho também podem sofrer dessa limitação. Constatamos isso colocando o game em baixa qualidade rodando sobre a TITAN, e mesmo assim o FPS mÁximo ficou limitado em 100 (o MaxFPS estÁ setado em 999).

Tirando esses problemas de limite de FPS em modelos TOPs, constatamos que é possível rodar o game em alta qualidade mesmo com placas de vídeo de entrada do segmento intermediÁrio, como uma GeForce GTX 650Ti, que conseguiu rodar acima de 35FPS em 1920x1080 (considerando que estamos rodando o game em qualidade HIGH, filtro FXAA e filtro anisotropic 16X). No geral, ficou claro que as placas da NVIDIA conseguem rodar o game melhor que as placas da AMD, ao ponto de uma GeForce GTX 660 referência superar uma 7970, algo muito difícil de acontecer na grande maioria dos casos. Agora, mesmo com o desempenho inferior, os usuÁrios de placas AMD também vão rodar o game de forma satisfatória, como foi possível ver nos testes.

Agora é rezar para resolverem o problema de limitação de FPS, seja ele problema da Crytek ou das empresas via drivers de vídeo. Quando o problema for resolvido iremos atualizar os testes com as combinações multi placas e também da GTX 690.

Agradecemos à Loja FULLGAMES por ceder o game Crysis 3 para os testes. Aos interessados na compra do mesmo, basta acessar o novo site de vendas online da empresa

Assuntos
Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.