Como trocar o drive de CD por um SSD em notebooks

Todos jÁ sabem que o SSD é o sucessor dos atuais HDs, por conta de sua velocidade superior, melhor resistência a quedas, e por aí vai. O que vem barrando a revolução das mídias de armazenamento é o custo: um HD de 750GB consegue ser mais barato que um SSD com 64GB, na maioria dos casos.


Tudo pronto para a cirurgia 

Uma forma de aproveitar a característica das duas tecnologias (o espaço do HD e a velocidade do SSD) é o uso híbrido, como a combinação de alguns gigabytes de SSD para atuar como cache, e o restante no HD. Outra forma, em notebooks, é mandar "aquele abraço" para uma tecnologia que jÁ vai mal das pernas, os drives ópticos, e colocar ali um SSD.

Vamos fazer aqui a seguinte combinação, em um notebook HP Pavilion DV6 6170us: mandaremos o drive de CDs "para as cucuias" e colocamos ali o HD presente no notebook. Assim fazemos espaço para a entrada de um SSD de 120GB, que pode ser pouco para armazenar todos os arquivos, mas jÁ serve para o sistema e os principais programas utilizados.

Antes de começar é preciso estar ciente que apesar da maioria dos fabricantes seguirem um certo padrão na disposição de seu hardware, alguns modelos podem não apresentar as características que temos neste tutorial. Mas pode ficar tranquilo, pois em se tratando de disposição dos discos rígidos e do drive óptico, a maioria das empresas seguem uma fórmula comum.

Outro item necessÁrio (além do SSD, é claro) é uma baia que substitua o CD por uma interface SATA de 2.5", que dÁ pra achar no exterior por valores em torno de 11 dólares, e no Brasil por mais ou menos 50 reais.

O que você precisa comprar: um SSD e o adaptador 

- Continua após a publicidade -

A epopeia começa com a abertura do espaço onde estÁ o HD, localizado na parte de baixo. É uma tampa simples de ser retirada, muitas vezes não hÁ nenhum parafuso a mantendo fechada. No caso do modelo que usamos, uma única tampa dÁ acesso ao HD, às memórias e à placa wireless, mas na maioria dos casos hÁ uma para cada um. 

Aqui fazemos a substiuição do HD pelo SSD. O HD costuma ter uma série de proteções e "acolchoados", por ser uma parte sensível do hardware. Após desencaixar tudo, basta colocar o SSD no lugar e conectar as coisas da mesma forma como estavam com o HD. 

Hora de dar um novo lar ao HD, tirando o leitor de CD. O drive ótico costuma ser preso por um único parafuso, próximo do lugar onde estava o HD. Depois de solto, basta empurrÁ-lo para fora.

Apenas um parafuso costuma fixar o drive de CD/DVD

- Continua após a publicidade -

Aí que entra o nosso adaptador. Basta tirar o encaixe da parte traseira do drive óptico e colocÁ-lo no adaptador. Depois é preciso colocar os encaixes no HD, para firmÁ-lo na baia. Este processo costuma ser feito através de alguns parafusos e uma peça plÁstica, que dão firmeza ao conjunto.

Para um acabamento melhor, a "tampa" do drive ótico pode ser removida e encaixada no seu adaptador com o HD. Só lembre de avisar aos outros que não adianta ficar apertando o botão de abrir o drive, porque um leitor de CD/DVD não vai reaparecer magicamente.

Por fim, com o SSD instalado, é hora de curtir todo o ganho de performance que o SSD trÁs. Abaixo, alguns benchmarks do "antes e depois" do notebook, com todo ganho de performance  e responsividade do sistema. 

Winscore


Winscore antes e depois da troca do drive

No primeiro teste, vemos o pulo de desempenho no teste com o disco prímÁrio, que saltou de 5,9 para 7,7 pontos. A perda de desempenho na parte grÁfica faz parte das esquisitices do Winscore, afinal o restante do hardware não foi alterado, e em ambos os testes os drives estavam atualizados.  

HD Tune



HD Tune com o antes e o depois

Com o HD Tune, fica evidente a vantagem do SSD, que apresenta uma velocidade média duas vezes melhor que a presente no HD, e um tempo de acesso com uma diferença ainda maior. 

PCMark 07

Um dos benchmarks mais influenciados pela mídia de armazenamento é o PCMark 07, uma bateria de testes de renderização, processamento e execução de diversos tipos de arquivos. O tempo de resposta do SSD é importante neste benchmark, pois influencia na maioria das etapas. Neste link você pode conferir os dados completos do notebook antes da troca, e aqui o mesmo teste executado com o SSD.

O resultado é bastante impressionante, com o notebook ultrapassando muitos modelos mais robustos que, por não possuir um SSD, vão ficando para trÁs na hora de abrir e realizar os testes. 

Boot Race

Outro ponto interessante é ver o comportamento do sistema para dar o boot, jÁ que o Windows estÁ instalado totalmente no SSD. DÁ pra notar o ganho de desempenho, com uma redução acentuada no tempo de carregamento do SO. 

Conclusão:  para quem não dÁ a mínima para o drive de CD (não lembro de ter usado mais que duas vezes no ano todo), e que quer usufruir do ganho de performance do SSD sem abrir mão de um bom espaço para guardar seus arquivos, esta solução entrega um ótimo custo x benefício. Para os que usam seus drives eventualmente, dÁ para resolver a questão com um drive de CD externo USB, com um preço de 100 a 200 reais nos "mercado livres" da vida. Aproveitando o espaço: temos um drive óptico para notebooks à venda. Sabe de alguém que queira comprar?

Assuntos
Tags
ssd
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.