Monitores quadrados ocidentalizam os chineses

Alguém pode nos ajudar a encontrar uma pessoa chamada Zhou Hongan? É um suposto pesquisador da China que fez uma descoberta revolucionÁria e alarmante: monitores retangulares ocidentalizam os naturais do país. A solução? Tão óbvia, e ninguém pensou nisso antes: fabricar computadores redondos.

A empresa por trÁs disso é a Revo Round, que não tem nenhuma trajetória, nenhum outro produto conhecido e um site que, por alguma razão, só conseguimos acessar através de um proxy. Alguns resquícios também podem ser encontrados no cache do Google, com uma tradução que o translator disponibiliza, repleta de pérolas. SerÁ o congestionamento no trÁfego, que deve ter crescido numa proporção astronômica após a divulgação da novidade em vÁrios dos renomados blogs de tecnologia internacionais?


As alegrias que só o Google Translator dÁ



O alerta é catastrófico. "Se deixarmos a evolução seguir esse rumo, ela ameaça destruir a aparência característica de uma das mais antigas civilizações do mundo". O medo foi plantado pelo tal professor Hongan, da Faculdade de Medicina da Universidade de Xangai, que pesquisou, durante 20 anos, os rostos de cerca de 150 mil bebês chineses para verificar o quanto a posição dos olhos em relação à face se alterou - algo que deve ter sido feito em segredo, jÁ que nunca ouvimos falar sobre isso antes. A conclusão é que, em três gerações, os chineses terão olhos de ocidentais.

Tudo isso deve ter um culpado que, como não poderia deixar de ser nesse mundo moderno, é a mÁquina, jÁ que "87,4% das pessoas na China tem acesso a um computador, enquanto as vendas de revistas e jornais ‘tangíveis' vive uma dolorosa estagnação". Triste. Por mais que jornais e revistas também sejam "quadrados" (e, dependendo da conotação da palavra, muito mais do que um computador), a culpa é mesmo dos computadores.

No final do ano, a solução comercial serÁ lançada. O computador redondo, com cara de estojo de maquiagem gigante, despertou até mesmo o interesse de "um grupo de investidores de uma empresa do Vale do Silício", que estÁ investindo US$69 milhões.... nisso!



Agora levante a mão quem achou tudo isso um absurdo. E mais absurdo ainda é perceber como a comunidade ligada à divulgação de informações sobre tecnologia impressiona-se com qualquer coisa sem a mínima intuição. Hoje em dia, não é difícil checar dados e nem sanar qualquer curiosidade. Vamos, então, usar os poucos recursos que temos disponíveis para fazer uma apuração um pouco mais decente: nosso bom-senso, curiosidade e, é claro, o todo-poderoso Google.

{break::Procurando por pistas}A notícia do revolucionÁrio computador redondo anti-ocidentalização pipocou em sites renomados como o Techcrunch, Electronista, Nexus404  e por aí vai... basta digitar "Revo Round" no Google para ver, concretizada, a dimensão da credulidade. O CNET, pelo menos, admitiu desconfiar um pouco... e não é pra menos. Os comentÁrios por esses sites mostram que, longe de ser uma iniciativa aplaudida, a novidade foi recebida como uma piada de muito mau gosto, com requintes de racismo.



Partimos, então, em busca do professor (ou professora, quem sabe) Zhou Hongan. Jogando o nome no Google, todas as referências relevantes levam a sites espalhando a notícia do computador redondo. O próximo passo, então, é tentar descobrir algo sobre a Universidade onde ele trabalha. Quem quiser ver o site, pode acessÁ-lo através da URL http://www.shu.edu.cn/en/indexEn.htm e verificar que, aparentemente, não existe nenhuma Faculdade de Medicina lÁ.

Procurando por qualquer faculdade de Medicina em Xangai, a Wikipedia nos traz uma informação interessante: existe uma Shangai Medical University, que passou a ser conhecida como Fudan University Shangai Medical College desde o ano 2000. Apesar de jÁ não parecer ter mais nada a ver com a "Medical Faculty of the University of Shanghai" citada no site da Revo Round, não desistimos e fomos atrÁs da instituição.

É aí que a situação fica mais escabrosa. O endereço web da faculdade, http://shmc.shmu.edu.cn/ é bloqueado pelo Google, como foco de ameaças. Das 414 pÁginas relativas a esse endereço que foram testadas nos últimos 90 dias, 281 efetuavam o download e a instalação de arquivos suspeitos sem o consentimento do usuÁrio. Conforme as contas do Google, são 307 exploits, 69 scripts maliciosos e 24 cavalos-de-troia. Na melhor das hipóteses, acreditaremos que a tal Universidade não é uma instituição-fantasma criada por cibercriminosos para infectar vítimas indefesas, mas, considerando que a China é o país mais afetado pela prÁtica do crime virtual, uma hipótese é de que o site tenha sido simplesmente invadido e lotado de porcarias. De qualquer forma, é de se impressionar o descuido de uma instituição de ensino com o próprio site.



Como somos loucos o bastante, clicamos em "ignorar este alerta" e conseguimos acessar o site. Feio, é verdade. E sem opção de tradução para o inglês, o que, obviamente, dificulta MUITO qualquer investigação (ainda estamos muito ocupados tentando aprender tcheco para entender a review do Windows Phone 7).

- Continua após a publicidade -

O Google Translator também não quis fazer o serviço pra porque ficou com medinho do monte de ameaças virtuais nele (antivírus vai fazer bem aqui) e, na lata, mandou a gente se virar. Ou seja, a não ser que algum chinês tope ajudar a gente, vai ser impossível encontrar o tal Hongan nessa pÁgina. Provavelmente, no entanto, nem vale o sacrifício, jÁ que ele diz ser de outra faculdade que sequer existe.


Para tornar toda a história ainda mais confusa, entrou uma terceira faculdade na parada. Isso porque a pÁgina inicial do site oficial da Revo Round diz que a ideia nasceu, inicialmente, como um projeto de quatro estudantes da Shanghai Jiao Tong University. Pelo menos o site dessa instituição estÁ em inglês e não vem lotado de de malwares. Acontece que a Revo Round não identifica os estudantes pelo nome, o que torna impossível saber se, de fato, os rapazes existem. Além disso, uma pesquisa por "roundtop", "roundtop computer" ou "round computer" não retornou nada parecido a um projeto semelhante. Piorando ainda mais as coisas, a própria empresa se contradiz. Isso porque, na pÁgina dedicada aos parceiros, a informação é de que o projeto original é, na verdade, fruto do trabalho de de dois estudantes e dois oftalmologistas.

{break::Um negócio milionÁrio}A última novidade é o anúncio de um investimento de 50 milhões de euros, o equivalente a US$69 milhões, vindos de investidores do Vale do Silício liderados por um empresÁrio holandês, Roeland Reinders. É aqui que a coisa começa a parecer séria. O sujeito realmente existe, é co-fundador de uma tal Efactor e, inclusive, twittou a matéria do Tech Crunch que fala a respeito de toda a grana envolvida. Isso provocou um nó em nossas cabeças. Cogitamos a possibilidade de ele nem existir, mas, de fato, o site da empresa traz seu nome entre os fundadores. Além disso, o sujeito possui um perfil no Facebook e até um blog (desatualizado desde junho de 2009).


O Sr. Reinders estÁ superfeliz com o investimento


Isso não quer dizer muita coisa, é claro, haja vista a proliferação dos fakes pelas redes sociais. Então, mais uma vez, vamos usar um pouco do nosso bom senso. Recapitulando: o sujeito tirou quase 70 milhões de dólares do bolso para investir em uma empresa que acabou de aparecer com o objetivo de "desocidentalizar" chineses através de um computador redondo. Suas especificações técnicas (exceto que rodarÁ Windows, Linux e Mac OS X, o que o torna, na prÁtica, ilegal por ser um "hackintosh") não foram reveladas, mas supõe-se que deva ter um processador comum, de repente um Core i5 ou i3 e uns 4GB de memória RAM. Apesar da tela arredondada, não apresentarÁ nenhuma perda de imagem, e foi testada em diversas resoluções, exceto HD e 3DTV (ficamos curiosos para saber qual seria a resolução desta tela redonda, 600 px de raio?)

Para se ter uma ideia do valor astronômico que representam os U$ 70 milhões, a agência de defesa americana, conhecida como DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency) liberou US$25 milhões para uma equipe liderada pela Nvidia realizar pesquisas na Área da supercomputação. A iniciativa tem por objetivo o desenvolvimento de uma mÁquina mil vezes mais poderosa que o atual supercomputador mais rÁpido do mundo, o Cray XT5 (Jaguar), com "apenas" 45 mil processadores de seis núcleos com 2,6GHz. O valor para o desenvolvimento do notebook pode não ser tão descabido assim, se considerarmos que um computador redondo vai demandar o desenvolvimento de uma tela redonda, placas redondas, e sabe-se lÁ de que forma seria a unidade leitora de DVD.



Se toda essa história é, de fato, mentira, ainda não sabemos. Se não for, ao menos uma conclusão podemos tirar: esse Reinders, além de multimilionÁrio, é muito corajoso. Ou faz parte de uma piada muito sem graça. Além do mais, toda essa história de "reverter a evolução" e de herança genética de modificações faciais após o uso prolongado de computadores cheira a Lamarckismo, em uma concepção ultrapassada de que características físicas adquiridas ao longo da vida de um indivíduo podem ser transmitidas para os descendentes.

De qualquer forma, não duvidamos de que os chineses possam investir na criação de um computador em formato circular. Por mais absurdo que pareça, sabemos que o mundo da tecnologia e seus gadgets é alimentado também por invenções inúteis ou bizarras. A grande questão aqui é que uma suposta pesquisa científica envolvendo questões étnicas e culturais da China não parece ser a melhor estratégia para divulgar um produto.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Qual vai ser o melhor game de setembro de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.