Impressões com o Edifier Hecate G33BT - Fone sem fio e com LEDs RGB!

Adeus cabos e olá luzes coloridas (mas também um tanto de latência)

O Edifier Hecate G33BT é compatível com Android, iOS e PC com suporte a Bluetooth 5.0. Com um tempo de carregamento de 2 horas ele oferece outras 48 horas de uso com os LEDs RGB desligados. O Tempo de autonomia com os LEDs ligados, passíveis de serem usados em oito modos de luz diferentes, diminui para 24 horas. 

Site oficial do Edifier Hecate G33BT

Esse headset conta com Modo Gamer e Modo Música, sendo que no primeiro o usuário vai experimentar a tecnologia de baixa latência PIXart de 60ms. Outras especificações incluem Drivers NdFeB de 40mm, sensibilidade de 100dB e Conexão de carregamento Tipo-C. Na caixa, além do fone, estão inclusos o cabo P3-P3 que torna seu uso cabeado possível, o microfone removível do headset e um cabo Tipo-A para Tipo-C para carregamento.

Começando pelo design, ele tem uma estrutura em plástico com reforços em metal. Há um acabamento acolchoado na haste e também nas espumas com courino para as orelhas. O conjunto tem um bom ajuste e ficou firme no uso, em minha experiência. Até consegui correr e pedalar de forma mais leve com ele, mas não é o uso mais indicado para ele. Ele tem um leve isolamento passivo, mas não chega a obstruir muito o som externo.

Mas no visual há algo que não tem como passar batido, e é um dos destaques do produto: os LEDs RGB. Em um acabamento de plástico transparente bem integrado com o corpo do fone temos um efeito de LEDs customizável com oito opções de cores e modos diversos de iluminação que ficam bem, como dá pra ver na postagem abaixo e também sendo usado em live aqui. Algo que me agradou é o microfone removível, então para quando você quiser usar o fone na rua ou só para consumir áudio, dá pra tirar esse componente.

Na parte de áudio temos uma qualidade regular, com resultados satisfatórios e dentro do que já experimentei em produtos anteriores da Edifier, como o W800bt. O que me chama a atenção é o modo gaming, necessário para habilitar a baixa latência de 60ms. A mudança não é apenas na latência, mas também é perceptível no áudio. Com o modo jogos ligado, há uma mudança perceptível na equalização, com os graves sendo muito destacados. Isso é uma boa pedida para quem quer ouvir mais claramente os passos dos inimigos nas proximidades, mas nem tanto para quem quer um ajuste mais equilibrado das frequências.

- Continua após a publicidade -

Mas aqui vem um ponto importante: 60 milissegundos é baixo para bluetooth, mas ainda é perceptível. Jogando games competitivos em que o tempo de resposta é crucial ele não é uma boa pedida, já que é perceptível o atraso. Mesmo sendo menor que outros dispositivos bluetooth mais convencionais, 60ms é um atraso bastante grande: um jogador com um game a 60fps tem um novo quadro a cada 16ms, mas usando esse fone no modo sem fio, vai estar ouvindo o áudio correspondente a quase 4 quadros atrás. Em um setup gamer competitivo, esse atraso em relação a imagem vai ser ainda maior.

Mas a questão da latência pode ser contornada com o cabo. O Hecate G33BT traz uma conexão cabeada P3, sendo possível ligar o fone no celular ou PC diretamente por ele e derrubando a latência para teóricos 5 a 10ms do cabo. Isso coloca esse fone em uma situação bem interessante: com cabo a latência deixa de ser um problema, e quando o usuário faz questão de usar a conexão sem fio, seja jogando em um portátil ou smartphone, por exemplo, ele terá uma latência menor que outros fones bluetooth, sendo que essa conexão pode adicionar 100 a 300ms de atraso dependendo da versão da tecnologia em uso.

Aqui acho que houve um vacilo que poderia tornar o produto mais interessante. Em dispositivos móveis, videogames e notebooks é comum o combo P3 com os dois canais de áudio e o microfone, porém em computadores de mesa é mais comum o fone e o microfone estarem em portas separadas. Faltou na caixa um cabo ou um adaptador com essa divisão, para os usuários que estão cogitando esse uso. É possível adquirir separadamente esse tipo de cabo, mas seria interessante ter na caixa. Um detalhe: ligar com o cabo apaga os LEDs RGB, o que é um efeito negativo para quem pegou esse fone especificamente pelo seu efeito de luzes.

Na parte de ajustes há um conjunto de botões e comandos no lado esquerdo. Um botão atua tanto como liga/desliga, pareamento e alternância entre os modos normais e gamer, enquanto o outro serve tanto para mutar o microfone quanto alternar o modo do RGB. O volume fica por conta do potenciômetro em forma de roleta, o que me desagrada por dois motivos: o primeiro é que esse componente pode apresentar defeito a longo prazo, e segundo que ele não controla o volume do dispositivo onde o fone está conectado, e sim somente a intensidade do fone. Isso quer dizer que você vai ter que lidar com o volume do dispositivo e também do fone para fazer a regulagem do áudio, e definitivamente prefiro fones que unificam isso e os comandos de volume alteram esse ajuste diretamente no dispositivo que estão conectados.

A qualidade do microfone é regular, mas depende da conexão em uso. Com fio ele entrega um bom resultado, mas via bluetooth há uma compressão mais perceptível, como podem ouvir nas duas gravações abaixo:

- Continua após a publicidade -

 

Nesse momento não encontrei ele a venda no Brasil, então terei que usar de referência os preços no exterior. Ele chegou por US$ 59, 10 dólares mais barato que o W820NB (R$ 400 no Brasil), um modelo da Edifier com foco em cancelamento de ruído, e bem acima dos US$ 39 do W800BT, um modelo muito popular no Brasil e encontrado por R$ 220.

Considerando as suas características, eu não recomendaria o Hecate G33BT para alguém focando exclusivamente em um headset sem fio para o PC, um fone bluetooth para uso cotidiano ou um fone para uso cabeado. Há opções mais interessantes para cada um desses usos, alguns inclusive à venda pela própria Edifier. Mas o que o G33BT faz de interessante é a versatilidade: ele consegue transitar entre todos esses usos, então consegue ser um fone bluetooth de latência baixa para jogar no celular/portátil, pode ser usado no PC com cabo e também serve com um fone bluetooth de uso cotidiano. Ele é meio grandalhão, mas acredito que quem opta por esse produto, com tantos LEDs, já estava de olho em uma abordagem mais indiscreta.

Especificações principais:

- Bluetooth 5.0
- Compatível iOS, Android e PC
- Bateria com duração de até 48h (RGB desligado)
- Bateria com duração de até 24h (RGB ligado)
- tempo de carga: cerca de 2 horas
- Reprodução em Modo Gamer e Modo Música
- Baixa latência PIXart de 60ms
- Drivers NdFeB de 40mm
- Sensibilidade: 100dB
- Conexão de carregamento Type-C
- Oito modos de luz Luzes RGB
- Cabo de áudio: P3 - P3


PRÓS
Sistema de LEDs RGB configurável
Boa autonomia
Confortável
Bluetooth de baixa latência
CONTRAS
Latência do bluetooth ainda é perceptível
Não acompanha cabo com separação de fone e microfone
Uso via cabo apaga as luzes RGB
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.