REVIEW: Gigabyte X570S AERO G é uma placa-mãe AM4 excelente, mas fora de timing

Placa-mãe traz traz ótimas tecnologias e acabamento, mas transição de plataforma está próxima

Recebemos para review a placa-mãe Gigabyte X570S AERO G, modelo baseado no chipset AMD X570, aquele lançado em 2019, mas que diferente das primeiras placas-mãe com esse chipset, agora não precisa mais de ventoinha (FAN) sobre o chipset, além de trazer atualizações de tecnologias como versões mais recentes do Wi-Fi/Bluetooth e também o USB 3.2 Gen2x2, tudo para manter a plataforma AM4 atualizada frente a Intel e placas Z590. Esse modelo é voltado para usuários entusiastas, que procuram um produto com muitas tecnologias e alta qualidade em acabamento.

Não existe chipset X570S, é o mesmo X570 de 2019, mas com placas-mãe trazendo tecnologias atualizadas e agora sem FAN no chipset

Site oficial da placa-mãe Gigabyte X570S AERO G
Link de compra de placas Gigabyte com chipset X570

Como destaques da placa além do design diferenciado da linha AERO (AMD), semelhante ao design da linha VISION (Intel), a Gigabyte adicionou quatro slots para SSD M.2 NVMe PCIe 4.0, Wi-Fi 6 e Bluetooth 5.2, suporte para memórias com frequência de até 5400MHz dependendo o processador utilizado. Uma conexão USB 3.2 Gen2x2 também rivaliza a placa aos modelos mais recentes da Intel em se tratando de tecnologias atualizadas, porém no caso de placas AMD com essa conexão, utilizando um chip da ASMedia para o controle e não diretamente pelo chipset como acontece com os modelos Intel Z590 e B560.

Outro detalhe legal nesse modelo é a tecnologia VisionLink da Gigabyte, que possibilita utilizar a USB C para vídeo se o monitor também tiver a conexão, a própria Gigabyte já tem alguns modelos de monitores com suporte a conexão por cabo USB C. Esse conceito veio das portas Thunderbolt em modelos Intel. E se você precisar de conexões M.2, ela tem 4 no total, todas PCIe 4.0, sendo uma controlada pelo CPU e três pelo chipset.

Em cenário internacional a Gigabyte X570S AERO foi lançada custando US$ 349,99 dólares, já no Brasil a placa-mãe deve chegar custando R$3.500 ou mais pelo dólar alto.


X570S não é um novo chipset

Para evitar confusões, é bom deixar claro que não existe um chipset chamado X570S como pode aparentar, já que boa parte dessa nova leva de placas-mãe traz no nome X570S. Trata-se do mesmo chipset X570 das primeiras gerações quando o assunto é tecnologias oferecidas por ele, porém as fabricantes atualizaram outras tecnologias das placas, envolvendo chips de terceiros como é o caso do USB 3.2 Gen2x2 ou mesmo de tecnologias de conexão Wifi 6 e Bluetooth 5.x.

Outro detalhe é que as placas X570S não trazem mais FAN sobre o dissipador, que estava presente em praticamente 99% dos modelos iniciais lançados com esse chipset. Agora essa característica é opcional e não praticamente uma obrigação como antes.

- Continua após a publicidade -

Atualização do chipset consome menos energia e esquenta menos, logo não precisa mais do FAN

Dependendo o fabricante e o modelo da placa-mãe, as tecnologias variam, como suporte a HDMI 2.1 e DisplayPort 1.4, quantidade de conexões M.2 PCIe 4.0, chip controlador de áudio e por ai vai. 

Um novo chipset entusiasta da AMD vai aparecer apenas com o novo soquete AM5, já voltado para a nova geração de processadores que deve ser anunciada entre final desse ano e ano que vem, leia-se Ryzen 6000.


Fotos e tecnologias

O projeto da X570S AERO G lembra o da Z590 VISION G que também recebemos, o que muda é que a placa soquete AMD AM4 utiliza o nome AERO, já a VISION ficou para as placas com chipset Intel. Os dissipadores com acabamento na cor branca e azul sobre o chipset, além do logo AERO também dão um belo destaque passando um ar refinado ao produto.

Voltando a AERO G, o projeto dessa placa está sensacional, alias, em minha opinião melhor do que a versão Intel. Essa X570 traz mais tecnologias do que a placa Z590, como destaque o suporte para Wi-Fi 6E e Bluetooth 5.2, que não estão disponíveis na placa Intel. Como outra novidade o suporte a conexão USB 3.2 Gen2x2 através de um chip da ASMedia, coisa que a Intel já faz pelos chipsets da linha 500, com resultados um pouco melhores na prática quando falamos de velocidade de cópia de arquivos.

Outro detalhe é que a placa suporta ao todo 4 SSD M.2, com todos os slots compatíveis com modelos PCIe 4.0. O slot mais próximo ao CPU controlado pelo próprio CPU, os demais controlados pelo chipset. Para overclock, o projeto traz 14 controladores de fases (12+2).

- Continua após a publicidade -

No painel a placa traz conexões USB 3.2 Gen2 e Gen2x2, inclusive com suporte a monitores com essa conexão. Uma HDMI 2.1 com suporte a 4k 60Hz também está presente, além de Wi-Fi 6, Bluetooth 5.2, LAN de 2.5 GbE.

Teoricamente, placas com chipset B550 só suportam modelos Ryzen 3000 ou mais recentes

Nas fotos abaixo a AERO ao lado da VISION, qual das duas vocês preferem?


BIOS

A BIOS é a mesma de modelos AORUS, mas a Gigabyte trocou as cores deixando a interface com casa mais clean e menos gamer, mas a própria disposição das opções lembra outros modelos Intel.

- Continua após a publicidade -

BIOS DOWNLOAD - Gigabyte X570S AERO G

 


Sistema Utilizado

Veja abaixo os detalhes do sistema utilizado na bateria de testes. Foi usado o mesmo em todas as plataformas, com exceção da placa-mãe.

Máquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: AMD Ryzen 5 3600 [análise]
- Placa de vídeo: GeForce RTX 2080 Ti [análise]
- Memórias: 16GB G.Skill TrindentZ RGB 3200MHz (2x8GB) CL14 [site oficial]
- SSD Kingston NV1 500GB [site oficial]
- Cooler: Noctua NH-U12S  [site oficial] / CM MasterLiquid ML240L V2 RGB
- Fonte de energia (PSU): Thermaltake Toughpower 850W GOLD PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 64 Bits com Updates
- GeForce 471.xx

Aplicativos/Games:
- 7-Zip 2.x
- AIDA 5.xx
- ATTO Benchmark 4.x
- Cinebench R20
- wPrime 1.55
- 3DMark Fire Strike Ultra (DX11 - 4K)
- Red Dead Redemption 2 (Vulkan)
- Shadow of Tomb Raider (DX12)

CPU-Z
Confira abaixo telas do CPU-Z com detalhes da placa-mãe e parte do sistema utilizado nos testes. As memórias estão com frequência de 3200MHz, a máxima indicada pela AMD para o processador utilizado.

Para usar a frequência máxima das memórias, é necessário definir o perfil na BIOS


Overclock

Sempre utilizamos o mesmo Ryzen 5 3600 em review de placas AM4. Em review anteriores vários dos modelos não estabilizavam acima de 4.1GHz em todos os núcleos, mas com essa Gigabyte X570S AERO G conseguimos subir um pouco mais estabilizando todos os núcleos em 4.2GHz quando setando a tensão em 1.4v. Particularmente não gosto de colocar tensões de 1.4v ou acima para evitar que usuários façam isso em modelos de placas-mãe sem um projeto que consiga manter tensões altas por uso contínuo, então fica a dica para analisar bem qual sua mainboard e se ela tem um projeto bom para overclock.

Apesar do bom comportamento da placa, na teoria ela é mais simples do que muitos modelos, trazendo um conjunto de 12+2 controladores de fases. Uma AORUS X570 Master por exemplo tem um projeto mais "parrudo", mas naturalmente modelos novos trazem otimizações visando fazer mais com menos, a chamada evolução dentro dos projetos da plataforma.

Também fiz vários testes com um Ryzen 9 5900X, sem nenhum problema de aquecimento diferente mesmo quando overclockado, é uma placa que segura tranquilamente mesmo o modelo topo de linha AM4.

OBS.: Sempre lembramos que você deve fazer overclock por sua conta e risco, dependendo do quanto e como forçar o sistema, pode gerar problemas irreversíveis.


Temperatura dos controladores de fases

A foto a seguir mostra como ficou o comportamento da placa em relação a temperatura dos VRMs no meio do teste do Blender com o sistema overclockado. Mesmo quando overclockamos, em nenhum momento a temperatura passou os 50º graus, o que não representa nenhum problema para os componentes da placa.

Também testamos ela com um Ryzen 9 5900X, com a temperatura e ficando levemente acima, novamente sem apresentar algum problema.


Testes

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema. Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso (IDLE).

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, obtivemos os seguintes resultados de consumo:


Testes de desempenho
Temos uma série de testes de desempenho com o sistema, que você pode conferir abaixo.
Comparamos a placa com outros modelos do mercado, utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes - com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema!

AIDA64 
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de leitura, escrita, cópia e latência. Confira abaixo:

ATTO Disk Benchmark
O ATTO é um bom aplicativo para teste de desempenho de unidades de armazenamento, sendo um dos mais utilizados para essa finalidade. Abaixo colocamos inclusive testes com o SSD PCIe 4.0 na conexão M.2 de número #2, limitada a PCIe 3.0 e que dessa forma limita a velocidade do SSD.

CineBENCH R20
O CineBench está entre os mais famosos testes de benchmarks para processadores, baseado em um teste convertendo uma imagem. Adicionamos aos comparativos o teste Multi Core:

7-Zip
O software de compactação 7-Zip se tornou um dos mais populares do mundo por se tratar de um aplicativo de código aberto. Ele possui também um benchmark interno que vem sendo muito utilizado para métrica de performance. Abaixo, o desempenho dos sistemas com ele:

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, obtemos os resultados abaixo:

3DMark
Tratando-se de testes de desempenho gráfico do sistema, começamos com o 3DMark no modo Fire Strike Ultra, que usa resolução 4K:

Red Dead Redemption 2
Game da RockStar, com belíssimos gráficos e uma boa referência para medir o comportamento de sistemas. Nosso teste considera o game rodando sobre a API Vulkam.

Shadow of Tomb Raider
O mais recente game da franquia da Lara Croft, Shadow of Tomb Raider, traz ótimos gráficos, exigindo muito do sistema, mesmo os de alta performance.


Conclusão

A Gigabyte assim como outros fabricantes, em parceria com a AMD, lançou uma nova leva de placas-mãe de alto desempenho baseadas no chipset topo de linha para soquete AM4, trazendo como principais novidades a remoção do FAN posicionado sobre o chipset, presente em quase todas as mainboards lançadas até então. Outra novidade natural foi a atualização de algumas tecnologias, como versão de WiFi e Bluetooth e também USB 3.2 Gen2x2, isso em modelos com foco em maior quantidade de tecnologias, já que não é o padrão. O porém é que nenhuma tecnologia nova foi adicionada ao chipset, já que a ideia a principio é ter versões de placas-mãe da mais alta qualidade para a plataforma AM4, com tecnologias atuais, visando competir em pé de igualdade com as placas Intel Z590, que foram lançadas bem depois e naturalmente trazem projetos mais atualizados.

Falando especificamente da Gigabyte X570S AERO G, é uma daquelas placas-mãe sensacionais, produto refinado com ótimos componentes e belo acabamento, para completar, recheada de tecnologias em suas versões mais recentes. Como destaques, uma conexão USB 3.2 Gen2x2 com suporte para a tecnologia VisionLink, que entre as características permite conectar um monitor ou outro dispositivo a placa pela conexão USB C. Também traz suporte a Wi-Fi 6 e Bluetooth 5.2, as versões mais recentes dessas conexões.

Mainboard tem tudo que existe de melhor em tecnologias

Conexão de rede de 2.5GbE, sistema de áudio com 7.1 canais baseados no chip Realtek ALC 1220-VB, conexões de vídeo HDMI 2.1 e DisplayPort 1.4 proporcionando 4K 60Hz. Ela também traz nada menos que 4 slots para SSDs M.2 NVMe com suporte a PCIe 4.0, enfim, uma placa bem completa para quem curte tecnologias. Em se tratando de processadores suportados, da linha Ryzen 2000 até a Ryzen 5000, incluindo os modelos com vídeo integrado. Alias, foi nela que testamos o modelo Ryzen 7 5700G com memórias de 5333MHz rodando no gráfico integrado, coisa que outras placas com chipset AMD não conseguiram. Falando em processadores, ela se saiu bem em overclock, com resultados tão bom quando outros modelos, certamente por trazer um projeto mais otimizado para essa característica, afinal o chipset já está a anos no mercado.

Link de compra da placa-mãe Gigabyte X570 AORUS Elite Wi-Fi
Link de compra da placa-mãe Gigabyte X570 AORUS Elite
Link de compra do modelo Ryzen 7 5700G

Preço? Ahhhh é ai que temos um problema. Hoje é possível encontrar no Brasil modelos como a Gigabyte X570 AORUS Elite WiFi por R$2099, uma placa bem completa, enquanto a Gigabyte X570S AERO G vai custar tranquilamente um valor na casa de R$3.500. Com a diferença de R$1.400 é possível comprar SSDs, memórias ou mesmo investir em um processador bem melhor. 

Não é o melhor momento para comprar uma placa-mãe recém lançada com chipset X570

O valor é bem alto e só faz sentido o investimento se você de fato precisa de um modelo de computador de alto desempenho nesse momento, além dos diferenciais que essas tecnologias mais recentes podem oferecer, se não, recomendo esperar, não em se tratando apenas desse modelo, mas de qualquer placa-mãe nessa faixa de preço para processadores de alto desempenho. Nem preciso destacar também que é um perfil de placa que tem sentido combinar com as linhas Ryzen 3000 ou Ryzen 5000 e um modelo Ryzen 7 ou Ryzen 9, pelo projeto e tecnologias que oferece.

Alias, se você não precisa de Wi-Fi e Bluetooth, o mesmo modelo Gigabyte X570 AORUS Elite citado acima, mas sem essas tecnologias, custa R$1.699, uma diferença de R$1.800 reais para a AERO G, é muita grana e que na prática pode ser investida em outros componentes que podem trazer benefícios tão bons quanto os oferecidos pela AERO G, e novamente, estamos chegando no momento de transição com a chegada dos modelos Ryzen 6000 e Core de 12ª geração, junto com eles, ao menos em alguns, suporte a DDR5, PCIe 5.0 e outras tecnologias, sendo que certamente teremos modelos de placas-mãe com o mesmo nível de qualidade e tecnologias que a AERO G, mas com um produto trazendo o que vai virar tendência e não o que começa a chegar no fim da linha.

PRÓS
Ótimo projeto e boa qualidade dos componentes
Suporte para memórias de até 5400MHz
Bom projeto para tirar maior proveito dos processadores Ryzen via overclock
As tecnologias mais recentes do mercado
CONTRAS
Fora de timing com eminente chegada de nova geração de processadores
Alto valor frente a bons modelos X570 com tecnologias semelhantes
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.