Review: SSD Adata Falcon 512GB - Será que tem um bom desempenho?

Será que este SSD NVMe intermediário da Adata consegue bater de frentes com as outras fabricantes?

Na análise de hoje, vamos testar um SSD NVMe intermediário da marca taiwanesa Adata, modelo Falcon, que vem no formato M.2 2280 com capacidades de 256GB, 512GB, 1TB e 2TB. Em cenário nacional, o Adata Falcon de 512GB está custando em média R$ 549.

Site oficial dos modelos Adata Falcon

Vale destacar que o atual cenário pandêmico e de falta de estoques está impactando o valor de SSDs também, inclusive com possibilidade de aumento de preço nos próximos meses.

Especificações

Antes de iniciarmos a bateria de testes, vamos ver algumas especificações deste line-up de SSDs:

A seguir, informações um pouco mais detalhadas sobre o SSD que será testado (unidade de 512GB):

 

Unboxing e Construção

- Continua após a publicidade -

O SSD traz um fino "dissipador", com uma cola adesiva para ajudar na transferência de calor, e tem um projeto single sided (possui chips de apenas um lado).

Sobre sua construção interna, vemos que essa linha vem no formato M.2 2280, sem necessidade de chaves para abri-lo. Porém, o usuário necessita de certo cuidado para remover o dissipador, pois caso seja removido com uma força muito grande, existe a chance dos C.I.s com solda BGA serem arrancados do PCB.


Componentes internos

A seguir, foto da parte frontal do SSD, sendo que é single-sided, como foi comentado:

- Continua após a publicidade -

Controlador
Neste trecho, abordamos em detalhes o coração do SSD, ou seja, seu controlador, que é responsável por fazer todo o gerenciamento de dados, over provisioning, garbage collection, dentre outras funções que ocorrem em segundo plano. É claro, também faz com que o SSD tenha uma boa performance.

Projeto do controlador melhorado, similar ao controlador do Adata XPG S40G

Este SSD utiliza um controlador da Realtek RTS5762DL, modelo ARM 32-bit Dual Core que, diferente do RTS5762 encontrado no Adata XPG S40G, tem o tamanho de seu package reduzido. Isso nos leva a crer que ele teve melhorias, embora seja uma variante DRAM-Less, mas além disto suporta até 8 canais de comunicação com até 4 Chips enables/Dies por cada canal e provavelmente tem um processo de fabricação de 12nm. Oferecendo suporte à tecnologia "H.M.B." (Host Memory Buffer), LDPC, SLC Cache e criptografia AES-256 bits, ele também suporta diversos power states, otimizando assim sua eficiência energética.

DRAM Cache ou H.M.B
Todo SSD topo de linha que visa oferecer um alto desempenho constante necessita de um buffer para armazenar suas tabelas de mapeamentos (Flash Translation Layer ou Look-up table). Esse componente melhora seu desempenho aleatório e o torna mais responsivo. 

Este SSD utiliza memória RAM do sistema alocada de forma dinâmica para armazenar suas tabelas de mapeamento

- Continua após a publicidade -

Neste projeto, a Adata optou por utilizar a tecnologia H.M.B., que surgiu com a nova versão do protocolo NVMe 1.3. Ela permite que o controlador de um SSD DRAM-Less (que não possui um Chip DRAM integrado no seu projeto) acesse a memória RAM do computador e aloque uma certa quantidade de forma automática e dinâmica. Ou seja, o usuário não tem controle de quanto é alocado.

Este tipo de tecnologia trás vantagens e desvantagens. Por não trazer cache DRAM, faz com que o valor de custo do projeto seja reduzido, resultando em SSDs cada vez mais baratos e com desempenho similar aos com DRAM Cache. Por outro lado, suas principais desvantagens são que não é possível alterar a quantidade de memória alocada e, mesmo deixando o SSD mais rápido, ainda gera latências de escrita e leitura maiores em comparação aos que já possuem DRAM - devido a própria limitação do barramento, pois o controlador precisa passar por um percurso para acessar a tabela de mapeamentos.

Após o SSD ser ligado, esta tabela é automaticamente carregada na memória RAM - neste projeto, são alocados apenas 64 megabytes. Quando o computador é desligado, esta tabela é transferida novamente para as Nands 3D TLC, pois como a memória RAM é volátil, se essa tabela fosse mantida na memória RAM, ela seria perdida ao desligar o computador.

Como o SSD utiliza a memória RAM do computador para realizar o armazenamento dessas tabelas, devido ao fato das memórias DDR4 terem evoluído bastante, chegamos ao ponto no qual altíssimas velocidades e latências cada vez menores fazem com que essa latência extra diminuia, embora ainda esteja presente e podendo ser notada.

NAND Flash
Em relação aos seus chips de armazenamento, este SSD possui 4 chips de armazenamento de 128GB da Micron 3D TLC 96-Layers "220178831277276" de 3º geração, com 4 Dies de 32GB (256Gbit) cada usando uma arquitetura Biplanar, ou seja 2 Planos. Eles oferecem uma velocidade de comunicação paralela entre 533-667 MT/s. O modelo exato das NANDs e seus datasheets infelizmente não estão disponíveis na internet.

As outras unidades dessa linha de SSDs utilizam o mesmo PCB, sendo todas do tipo single-sided, o que é um bom fator, pois diversas placas mães que possuem dissipador, ou ainda notebooks, possuem apenas para a parte superior que é onde geralmente se encontra seu controlador e algumas de suas Nand Flashes. Porém, existem diversos projetos aonde são utilizados ambos os lados do SSD, sendo dessa forma mais difícil o combate ao aquecimento dos SSDs NVMe.


CURIOSIDADES SOBRE O ADATA FALCON 512GB
Após ter lido diversas análise de SSDs, descobri que, da mesma forma que chips de memória RAM em um pente sofrem uma variação, o mesmo ocorre com SSDs. Há casos de mudanças de componentes como controlador e NAND flashes.

Em algumas análises de outros canais ou sites, pudemos ver que este modelo de SSD manteve seu controlador e suas NAND flashes, dessa maneira diminuindo as chances de termos SSDs mais lentos ou mais rápidos circulando com a mesma SKU. Isso é uma ótima notícia tendo em vista que é um produto lançado em 2020.


METODOLOGIA DE TESTES
Nesta bateria de testes serão utilizados softwares como Crystal Disk Mark, Anvil Storage utilities, AS SSD e PCMark 10 (versão paga), além de utilizar o GTA V para teste de tempo de carregamento de games e tempo de carregamento de Boot do Windows 10. Ressalto apenas que farei estes testes sintéticos com diferentes valores de espaço livre no SSD de teste, pois os SSDs tendem a ficar mais lentos ao serem utilizados por completo. 

BANCADA DE TESTES
- Sistema Operacional: Windows 10 Pro 64-bit (Build: 20H2)
- Processador: AMD Ryzen 5 3500X (6C/6T) [
Análise]
- Memória RAM: 2x8 GB DDR4-2800MHz CL-15 HyperX Predator (c/ XMP)
- Placa-mãe: Asus TUF Gaming X570-Plus/BR (Bios Ver.: 3607) [
Análise]
- Placa de Vídeo: GTX 780 Windforce Gigabyte 3X OC
- Armazenamento (OS): Samsung EVO 860 500GiB (firmware atualizado c/ 62GB de OP) [
Análise]
- SSD à ser testado: Adata Falcon 512GB. (Firmware: v9002s77) (Obrigado Roberto | XPG Brasil)


Comparativo entre SSDs

Comparativo

SSD Adata
Falcon
SSD Asgard AN3+
512GB
Samsung 860 EVOHP EX900 NVMe
SSD

Preços

Preço no lançamentoU$ 69,99 U$ 69,99 U$ 169,00 U$ 65,00
Preço atualizadoR$ 549,99 U$ 86,29 R$ 560,00 U$ 65,00

Características

Capacidades256GB, 512GB(Cadastrado), 1TB, 2TB 256GB, 512GB(Cadastrado), 1TB 250GB, 500GB(cadastrado), 1TB, 2TB e 4TB 120GB, 250GB e 500GB(cadastrada)
InterfacePCIe 3.0 x4 - NVMe 1.3 PCIe 3.0 x4 - NVMe 1.3 SATA III 6GB/s PCIe 3.0 x4 - NVMe 1.3
Interface de ConexãoM.2 2280 M.2 2280 SATA M.2 2280
ControladorRealtek RTS5762DL (2-Core, 8-Canais) StarBlaze STAR1000P (2/4-Core, 8-Canais) Samsung MJX Controller (3-Core, 8-Canais) HP Controller
Tipo das memóriasMicron 3D TLC 96-Layers Toshiba BiCS3 3D TLC 64-Layers Samsung V4-NAND 3bit TLC 3D TLC
Leitura Sequencial3000, 3100, 3100, 3100 MB/s2800-3500 MB/s550 MB/s2100 MB/s
Escrita Sequencial900, 1500, 1500, 1500 MB/s2000 MB/s520 MB/s1500 MB/s
Leitura Aleatória100.000, 100.000, 180.000, 180.000 IOPS750000 IOPS98000 IOPS100.000 IOPS
Escrita Aleatória130.000, 160.000, 180.000, 180.000 IOPS600000 IOPS90000 IOPS80.000 IOPS
Classificação de resistência150, 300, 600, 1200 TBW180TB, 300TB, 600TB, 1200 TBW300 TBW200 TBW
Garantia5 Anos 5 Anos 5 ano 3 anos
Site oficialLinkLinkLinkLink

SSD Adata Falcon, 2TB, M.2 PCIe, Leituras: 3100MB/s e Gravações: 1500MB/s - AFALCON-2T-C

SSD Adata Falcon, 2TB, M.2 PCIe, Leituras: 3100MB/s e Gravações: 1500MB/s - AFALCON-2T-C

SSD Adata Falcon, 2TB, M.2 PCIe, Leituras: 3100MB/s e Gravações: 1500MB/s - AFALCON-2T-C

SSD Adata Falcon, 2TB, M.2 PCIe, Leituras: 3100MB/s e Gravações: 1500MB/s - AFALCON-2T-C

SSD Adata Falcon, 2TB, M.2 PCIe, Leituras: 3100MB/s e Gravações: 1500MB/s - AFALCON-2T-C

SSD Adata Falcon, 2TB, M.2 PCIe, Leituras: 3100MB/s e Gravações: 1500MB/s - AFALCON-2T-C


Benchmarks Sintéticos

CRYSTALDISKMARK
Realizamos testes sintéticos sequenciais e aleatórios entre diversos SSDs, além de testes com quantidade variada de espaço em disco utilizado.

O SSD conseguiu manter suas velocidades sequenciais estáveis, o que provavelmente foi proporcionado pelo seu grande volume de SLC Cache. Entretanto, quando chegamos próximo de 100% de espaço utilizado e ficamos sem quase nada de SLC Cache, a velocidade de escrita sequencial caiu cerca de 48%.

Como sempre comentamos por aqui, também é possível notar uma diferença grande entre os SSDs SATA e NVMe. Com relação ao Asgard an3+, que é o flagship da marca chinesa, o Adata se saiu bem em sua leitura sequencial, ficando mais para trás em sua escrita.


AS-SSD
Vamos agora utilizar o AS-SSD para medir suas respectivas latências de leitura e escrita em comparação a demais SSDs do mercado.

Houve um crescimento na latência de leitura do SSD conforme ele foi enchendo, tendo um aumento drástico a partir de 50% de capacidade. Já sua escrita se manteve estável em todo o processo.

Comparando aos demais SSDs, ele conseguiu a melhor latência de leitura. Porém, para escrita ficou entre o WD Blue e o BX500 de 480GB.

É aqui que o ponto negativo do HMB aparece: nas latências de escrita.


ANVIL'S STORAGE UTILITIES
Fizemos um teste utilizando o Anvil's Storage utilities para medir as velocidades aleatórias QD4T1 e QD1T1 dos SSDs. Confira abaixo:

Em Queue Depth QD4T1, o Adata conseguiu se sair bem, mantendo suas velocidades de leitura estáveis até os 75% capacidade. Suas velocidades de gravação foram caindo gradativamente conforme o SSD foi se enchendo.

O SSD conseguiu atingir o topo do comparativo com as maiores velocidades aleatórias, ficando na frente do Asgard AN3+, que é inclusive um SSD com DRAM Cache. Isso ocorreu devido às NANDs do Adata terem entregue um desempenho aleatório maior que o Asgard e seu controlador.

Em QD1T1, ocorre o mesmo que em QD4T1: o SSD teve apenas queda em quando chegamos próximo de 100% de espaço em disco utilizado.

O Adata teve uma leve vantagem em sua velocidade de leitura em comparação ao Asgard e ao Samsung. Com relação às taxas de escrita, ele foi cerca de 28% superior ao Asgard e por volta de 42% superior ao Samsung.


PCMARK 8 - Test SSD & HDD Performance

Neste benchmark, é realizado um combo de testes de programas do Pacote Adobe Creative Suite e Microsoft Office, além de games populares.

Mesmo em cenários de uso prático bastante comuns no dia a dia, um SSD NVMe como este tem pouca diferença para SSDs de boa qualidade de barramento, mas velocidade inferior, tendo apenas diferenças notáveis em comparação com HDs.

 

PCMARK 10 - FULL SYSTEM DRIVE BENCHMARK
Neste teste, foi utilizada a ferramenta de Storage test e o teste “Full System Drive Benchmark”, que faz testes leves e pesados no SSD.

Utilizando o PCMark 10 Full System Drive Benchmark que testa o drive escrevendo mais de 200GB de dados, vemos que o Adata conseguiu atingir uma ótima pontuação devido seu grande volume de SLC Cache. Na maior parte do teste, ela fez com que sua velocidade sustentada de escrita permanecesse alta, porém no final, com a cache acabado, fez com que não conseguisse pontuação suficiente para atingir o 1º lugar da tabela. 


Benchmarks Práticos

TESTE DE PROJETO - SONY VEGAS
A seguir, utilizamos o Sony Vegas para medir o tempo médio de abertura de um projeto grande no software, de aproximadamente 13.6GB.

Neste benchmark, mesmo SSDs topo de linha em alguns cenários são similares aos de entrada - e neste caso não foi diferente. Entretanto, foi possível ver uma diferença ao compararmos um SSD NVMe com SATAs.


TESTE DE TEMPO DE CARREGAMENTO DE GAMES E WINDOWS
Fizemos também uma comparação entre múltiplos SSDs e um HD utilizando uma instalação limpa do Windows 10 Build 20H2 (a partir do momento em que surge o logo do Windows) junto do GTA 5 abrindo o modo campanha. Vejam os gráficos à seguir.

Vale salientar que o Bootracer conta não só o tempo de boot para chegar na área de trabalho mas também o tempo que leva para terminar de carregar os programas na inicialização. 

Podemos ver a real diferença em carregamento de games, que o usuário convencional conseguiria apenas distinguir se estivesse usando um HD.

A diferença do tempo de boot da máquina não é tão grande, mas se compararmos o pior SSD para o NVMe, dá para se notar. No entanto, de novo, a diferença grande mesmo é somente com relação ao HD.


TESTE DE VELOCIDADE SUSTENTADA | SLC CACHING
A grande maioria dos SSDs no mercado atualmente utiliza como base a tecnologia de SLC Caching - em que certo percentual de sua capacidade armazenamento, seja ele MLC (2 bits p/ célula), TLC (3 bits p/ célula) ou QLC (4 bits p/ célula), é usado para armazenar apenas 1 bit por célula, que no caso é usado como um buffer de escrita e leitura, em que o controlador inicia a gravação nessa região. Quando o Buffer se esgota, ele escreve nas NAND Flash nativas (MLC / TLC / QLC).

As versões de 1TB e 2TB possuem um volume de SLC Cache maior

Através do HD Tune Pro e de alguns outros programas, podemos ter uma ideia do volume de SLC Cache deste SSD, já que o fabricante muita vezes não informa este valor. Nesta unidade, temos um volume de aproximadamente 165GB, com o qual o SSD conseguiu manter uma velocidade sequencial de escrita de 1100~1300 MB/s - e logo em seguida ao térmico da SLC Cache, a velocidade despencou para cerca de 90~140 MB/s até o final do teste. Seu Cache conseguiu recuperar aproximadamente cerca de 25GB por cada minuto de idle time.

Vemos acima que o Adata conseguiu uma velocidade de escrita sustentada bem baixa, o que é um ponto negativo, deixando ele lado a lado com um Crucial BX500 de 240GB - um SSD SATA 2.5".

Neste outro gráfico, com o tamanho aproximado de SLC Cache total que o SSD possui em comparação aos demais SSDs, podemos ver que o Adata possui um SLC Cache de quase um terço de sua capacidade (~165GB) e mesmo assim conseguiu fazer com que ele se recuperasse de forma razoavelmente rápida.


TESTE CÓPIA DE ARQUIVOS
Neste teste, será feito a cópia 2 ISOs de uma RAM Disk para o SSD para ver como ele se sai. Foram utilizadas a ISO do Windows 10 20H2 de 6.25GB (1 arquivo) e sua versão extraída com o Winrar para uma pasta contendo 1.874 arquivos menores.

O Adata teve um empate técnico com o Asgard, pois a diferença prática entre esses resultados é quase nula.

Agora, vemos que o Adata também levou um segundo a menos para fazer essa transferência de mais de 1 arquivo compactado, sendo quase 3x mais rápido que o melhor SSD SATA do comparativo.


TESTE DE TEMPERATURA
Neste trecho da análise, observaremos a temperatura do SSD durante um teste de stress, no qual o SSD recebe arquivos de forma contínua, para que possamos saber se houve algum thermal throtling com seus componentes internos que pudesse gerar algum gargalo ou perda de performance.

E como podemos ver acima, o SSD conseguiu manter uma ótima temperatura no início e foi subindo conforme o teste se prolongava, até chegar ao ponto de ultrapassar os 70ºC na região de cima do controlador, onde, em picos, bateu 73ºC, gerando um leve thermal throtling nessa carga de trabalho que é bem irrealista.


Softwares SSD

Os SSDs da linha Adata e XPG acompanham um software chamado Adata SSD Toolbox com um monte de features para gerenciamento e monitoramento dos SSDs e até de HDs instalados em sua máquina. Entre estes features, temos telas responsáveis por apresentar informações dos discos de armazenamento do sistema, suas temperaturas, saúde deles (checando via S.M.A.R.T.), um setor para realizar diagnósticos em si, no qual o programa faz uma varredura rápida ou completa de seus discos para que saiba se há algum problema.

Temos também algumas partes deste software voltadas para atualização de firmware do SSD e do próprio aplicativo, além de recursos para melhorar o desempenho do sistema como, por exemplo, a opção para rodar o comando TRIM no SSD. Além de, claro, dar a opção de registrar o seu produto. Esta linha também acompanha o Acronis True Image OEM, que é um programa para realizar clonagem e backup de SSDs e HDs.


Conclusão

Levando em conta que temos SSDs DRAM-Less com HMB na faixa dos 480-512GB por volta dos R$550-R$750, sim, este SSD apresentou um bom custo benefício comparado a, por exemplo, um WD Blue SN550 ou um Lexar NM610, que está um pouquinho mais caro e tem menos tempo de garantia, e outros modelos como HP. Acredito que este modelo seja um dos melhores custo benefício para serem utilizados no uso casual ou para um uso intermediário até mesmo em notebooks, tendo apenas alguns pontos negativos que serão apresentados à seguir.

PRÓS
Leitura Sequencial satisfatória para PCIe 3.0 X4
Velocidade aleatórias satisfatórias
Construção interna decente
Ótima opção para uso em notebooks
Volume de SLC Cache de bom tamanho e não demora muito para se recuperar
Possui Software de gerenciamento junto de programa de clonagem, Adata SSD Toolbox + Acronis Migration
Boa durabilidade para faixa de 512GB (300TB)
Suporte à Criptografia AES-256 e AES-128 bit
Preço
Garantia de 5 anos
CONTRAS
Velocidade de Escrita sequencial baixa comparada aos padrões de hoje.
Em alguns cenários não é tão responsivo quantos outros modelos (latência um pouco alta quando tem pouco espaço livre)
Velocidade sustentada baixa 
Não possui DRAM-cache
Em uso extremo sofre um pouco de thermal throtling
Tags
  • Redator: Gabriel Ferraz

    Gabriel Ferraz

    Colaborador do Adrenaline desde 2021, formado pela faculdade Anhanguera Educacional de Sorocaba em Engenharia da Computação (2018), apaixonado desde pequeno por hardware e outras tecnologias e recentemente começou a fazer análises de SSD.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.