GIGABYTE Z590 AORUS Xtreme é um projeto perfeito de placa-mãe ostentação

Design, acabamento, componentes e muitas tecnologias, uma versão aprimorada do modelo Z490 AORUS Master
Por Fabio Feyh 30/03/2021 17:00 | atualizado 06/04/2021 11:35 comentários Reportar erro

Ano passado recebemos para review a Gigabyte Z490 AORUS Xtreme, placa-mãe topo de linha da Gigabyte com o chipset Z490, e agora recebemos a Gigabyte Z590 AORUS Xtreme, versão atualizada trazendo o chipset Intel Z590. Além de novas tecnologias, a nova placa-mãe topo de linha da empresa também tem um projeto aprimorado visando entregar o que existe de melhor para quem busca montar um sistema de alto desempenho, combinado com os novos processadores Intel Core de 11ª geração (Rocket Lake-S), soquete LGA1200, lançados hoje.

Placa conta com projeto de 20+1 controladores de fases e as melhores tecnologias do mercado

A Gigabyte Z590 AORUS Xtreme, como colocado acima, é uma versão semelhante a anterior, porém com atualizações de tecnologias e também no projeto de alimentação e estabilidade para overclock. Enquanto a Z490 AORUS Xtreme traz 16 controladores de fases, a nova Z590 Xtreme traz 20+1 (com capacitores de 100A), prometendo alcançar o limite dos processadores Core de 10ª e 11ª geração da linha K. A placa-mãe suporta memórias com frequência de até 5400MHz, traz 3 slots M.2, sendo um deles PCIe 4.0 (porém só funciona com um CPU Core de 11ª geração), ainda em armazenamento, ela acompanha uma placa PCI-Express com suporte a dois SSDs M.2, que dependendo dos modelos dos SSDs utilizados, pode chegar até a 19.970 MB/s de leitura sequencial em RAID 0 (combinado com um SSD instalado direto na placa-mãe).

A Gigabyte Z590 AORUS Xtreme ainda traz conexões de LAN de 10Gb e 2.5GbE, Wi-Fi 6E e Bluetooth 5.2. O sistema de áudio utiliza o tradicional chip Realtek ALC1220-VB + ESS ES9018K2M DAC e amplificador TI OPA1622. Por fim, conexão Thunderbolt 4 e USB 3.2 Gen2x2 também estão presentes nesse modelo, ou seja, tudo que existe de mais atual.

Site oficial da GIGABYE Z590 AORUS Xtreme
Análise do processador Intel Core i9-11900K

Em cenário internacional a Z590 AORUS Xtreme chegou custando US$849, US$50 acima da Z490 AORUS Xtreme quando lançada. Não achei ela à venda no Brasil, mas não espero que custe abaixo de uns R$6.000, podendo chegar a valores bem mais altos, ficando claro que é um produto para poucos bolsos.


Tecnologias

As placas-mãe com chipset Z590 trouxeram algumas novidades interessantes, entre elas uma já deveriam ter aparecido antes em placas-mãe para processadores Intel, falo do PCI-Express 4.0. Alias, alguns modelos de placas com chipset Z490 já tem essa tecnologia, mas só agora passam a funcionar sendo que para ativar é necessário um processador Core de 11ª geração instalado no sistema, se colocar um modelo Core de 10ª geração as placas funcionam em PCI-Express 3.0.

Como outras novidades, cito o USB 3.2 Gen2x2, agora nativo no chipset Intel Z590, e em meus testes para a review do WD_Black P50, foi possível notar uma melhora de desempenho quando comparado com placas-mãe que usam o chip da ASMedia para adicionar a tecnologia USB 3.2 Gen2x2.

- Continua após a publicidade -

Abaixo as principais tecnologias destacadas pela Gigabyte na Z590 AORUS Xtreme:

- Suporte para processadores Intel Core de 10ª e 11ª geração
- Dual Channel Non-ECC Unbuffered DDR4, 4 DIMMs com até 5400MHz
- 20+1 controlador de fases digitais de 100A fabricados em Tantalum
- Dissipadores Thermal Reactive Armor com Fins-Array II Heatsink, Direct Touch Heatpipe II e NanoCarbon Baseplate
- Tecnologia Intel Thunderbolt 4
- Intel WiFi 6E 802.11ax 2T2R e BT 5 com 2 antenas AORUS
- Adaptador USB Tipo C para headset de 3.5mm ESSential USB DAC
- Sistema de áudio 127dB SNR AMP-UP + ESS SABRE 9018K2M DAC, LME 49720, OPA1622 e capacitores WIMA
- Conexões de rede AQUANTIA 10GbE BASE-T LAN e Intel 2.5GbE LAN com cFosSpeed
- Placa dedicada AORUS PRO Gen4 AIC para SSDs M.2
- Dissipadores para SSD M.2 com tecnologia Thermal Guards II
- RGB FUSION 2.0 com suporte a controle Multi-Zona endereçável e fitas LED & RGB LED
- Sistema de gerenciamento de ventiladores Smart Fan 6 com sensores de temperatura, conectores de FAN híbridos com sistema FAN STOP e Noise Detection
- Sistema Q-Flash Plus para atualização de BIOS sem necessidade de CPU, memória e placa de vídeo, apenas a placa-mãe e uma fonte de energia

Enfim, é uma placa cheia de recursos, como destacado, alguns como o PCI-Express 4.0, seja via SSD, placa de vídeo ou qualquer placa dedicada com essa velocidade de conexão, só funcionará quando em conjunto com um processador Core de 11ª geração.


Fotos

A placa como é de se esperar tem um acabamento primoroso em todos os detalhes, tipo de produto destinado a quem não precisa calcular o custo final do sistema. É um projeto visando atender quem pretende fazer overclock extremo e busca todas as principais tecnologias do mercado em suas versões mais recentes. Como toda placa com esse chipset, suportará todos os processadores Core de 10ª geração e também os novos Core de 11ª geração. Ela utiliza o soquete LGA 1200.

Placa foi projetada visando ser o centro das atenções do sistema!

Em se tratando do projeto, curto a mudança de conexão visando "esconder" algumas conexões que até então deixam os cabos conectados em 45º graus com a placa, como o cabo de energia de 24 pinos, que passa a ficar alinhado com o PCB. Porém estamos falando de um modelo em formato Extended-ATX, e dessa forma já ocupa mais espaço do que modelos ATX, com o cabo ficando nessa posição pode gerar limitações com gabinetes mais simples.

- Continua após a publicidade -

É bem visível que se trata de um projeto muito diferenciado, com cuidados em todos os detalhes visuais e materiais de alta qualidade, como já vimos lá na introdução, afetando diretamente o preço final.

Acabamento primoroso com o que existe de melhor em tecnologias

A placa conta com 20+1 controlador de fases digitais de 100A fabricados em Tantalum, o que existe de melhor em componentes atualmente para uma placa-mãe com projeto diferenciado para overclock.

- Continua após a publicidade -

Abaixo algumas fotos com a carcaça de proteção e dissipação de calor dos SSD desconectada para mostrar onde ficam os slots M.2, sendo que apenas o M3 tem suporte ao tão esperado PCIe 4.0, os demais são PCIe 3.0. A placa também com seis tradicionais conectores SATA.

Belo acabamento e cuidado nos mínimos detalhes, incluindo coberturas de conexões que ficaram posicionadas de forma tradicional. É um conceito visando um projeto com a placa como centro das atenções.

O painel traseiro é fixo como tem acontecido em muitas placas-mãe atualmente. Duas conexões de rede sendo uma de 10GbE estão disponíveis, além d 8 conexões USB 3.2 Tipo A, uma USB 3.2 Gen2 Tipo C e uma Thunderbolt 4/USB 3.2 Gen2x2, a mais rápida da atualidade, que pode alcançar 40Gbps em Thunderbolt 4 e 20Gbps em USB 3.2 Gen2x2.  Ainda está disponível uma HDMI, mas em versão 1.4 e não 2.0 como aconteceu na Z490 Xtreme.


BIOS

Como tenho destacado em minhas últimas reviews de placa da Gigabyte, a empresa tem melhorado consideravelmente suas BIOS, especialmente no que diz respeito a interface. A interface está bem padronizado, tem as opções de forma simples de achar, porém ainda falta um bom sistema de busca das opções, isso ajuda muito, especialmente em tempos de Resisable BAR e o novo Intel Adaptive Boost quando falamos do Core i9-11900K, tecnologias que assim como o XPM precisam ser ativados na BIOS.

BIOS DOWNLOAD - GIGABYTE Z590 AORUS Xtreme


Sistema Utilizado

Veja abaixo os detalhes do sistema utilizado na bateria de testes. Foi usado o mesmo em todas as plataformas, com exceção da placa-mãe.

Máquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: Intel Core i5-11600K
- Placa de vídeo: GeForce RTX 3080 [análise]
- Memórias: 16GB G.Skill TrindentZ RGB 3200MHz (2x8GB) CL14 [site oficial]
- SSD Seagate FireCuda 520 500GB PCIe4 [site oficial]
- Cooler: Noctua NH-U12S [site oficial]
- Fonte de energia (PSU): Cooler Master V850 [site oficial]

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 "20H2" 64 Bits com Updates
- GeForce 461.xx

Aplicativos/Games:
- 7-Zip 2.x
- AIDA 5.xx
- AS SSD Benchmark 2.x
- Cinebench R23
- wPrime 1.55
- 3DMark Fire Strike Ultra (DX11 - 4K)
- Red Dead Redemption 2 (Vulkan)
- Shadow of Tomb Raider (DX12)

CPU-Z
Confira abaixo telas do CPU-Z com detalhes da placa-mãe e parte do sistema utilizado nos testes. As memórias serão setadas com a configuração máxima recomendada pelo CPU utilizado.

Para usar a frequência máxima das memórias, é necessário definir o perfil XMP na BIOS


Os aplicativos da Gigabyte

Nos últimos anos, para tirar proveito de boa parte das tecnologias presentes nessas mainboards que trazem mais recursos, é necessário instalar alguns aplicativos desenvolvidos pelo fabricante. A Gigabyte tem como base o aplicativo APP Center, e através dele é possível instalar outros softwares de acordo com o modelo de placa, já que o conceito da empresa foi lançar apps separados para cada tecnologia. Abaixo algumas telas dos principais apps rodando com a Z590 Xtreme(mas vale para outros modelos também, porém podendo variar em opções disponíveis no aplicativo).

Tem uma grande quantidade de aplicativos, desde o EasyTune para melhorar o desempenho do sistema com perfis de overclock prontos ou mesmo de forma manual, ao RGB Fusion 2.0 para controlar o RGB da placa e de outros componentes, assim como o @BIOS que busca a BIOS mais recente na internet e faz a atualização automaticamente.

Vale destacar também que o APP Center tem uma função bem legal que busca no site oficial da Gigabyte as novidades para a placa, não apenas em se tratando dos aplicativos desenvolvidos pela empresa, mas também em novas versões de drivers, extremamente importantes, especialmente para uma plataforma nova.


Overclock

Tenho seguido um conceito diferente em overclocks nas placas-mãe, usando sistema que facilitam o processo para usuários sem muito conhecimento e mostrando o que as fabricantes fazem para facilitar esse processo. Essa placa-mãe será utilizada em um artigo com o Cooler Master MasterLiquid ML Sub-Zero, um cooler que promete manter as temperaturas próximas de zero mesmo com um Core i9-11900K, processador que alcança altas temperaturas.

Na review do Core i5-11600K definimos todos os núcleos em 5GHz para o overclock, caso queiram um cenário de testes diferentes. Abaixo o print da BIOS com o perfil utilizado na placa-mãe para os gráficos.

Na sequência algumas fotos com a câmera termal Flir sobre os controladores de fases, que dependendo a qualidade podem esquentar bastante, mas no caso dessa placa-mãe, estão com temperaturas bastante tranquilas.

OBS.: Faça overclock por sua conta e risco, dependendo do quanto e como forçar o sistema, pode gerar problemas irreversíveis.


Testes

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema. Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso (IDLE).

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, obtivemos os seguintes resultados de consumo:


Testes de desempenho
Temos uma série de testes de desempenho com o sistema, que você pode conferir abaixo. Comparamos a placa com outros modelos do mercado, utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes - com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema!

AIDA64 
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de leitura, escrita, cópia e latência. Confira abaixo:

AS SSD Benchmark v2.x
O AS SSD Benchmark é um bom aplicativo para teste de desempenho de unidades de armazenamento, gerando resultados de leitura e escrita do drive de armazenamento desejado. Vejam abaixo o comportamento de um SSD PCIe4 WD_Black SN850 de 500GB testado nos modelos de placas comparadas:

CineBENCH R23
O CineBench está entre os mais famosos testes de benchmarks para processadores, baseado em um teste convertendo uma imagem. Adicionamos aos comparativos o teste Multi Core na versão R23 do software, a mais recente.

7-Zip
O software de compactação 7-Zip se tornou um dos mais populares do mundo por se tratar de um aplicativo de código aberto. Ele possui também um benchmark interno que vem sendo muito utilizado para métrica de performance. Abaixo, o desempenho dos sistemas com ele:

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, obtemos os resultados abaixo:

3DMark
Em se tratando de testes de desempenho gráfico do sistema, começamos com o 3DMark no modo Fire Strike Ultra, que usa resolução 4K:

Red Dead Redemption 2
Game da RockStar, com belíssimos gráficos e uma boa referência para medir o comportamento de sistemas. Nosso teste considera o game rodando sobre a API Vulkam.

Shadow of Tomb Raider
O mais recente game da franquia da Lara Croft, Shadow of Tomb Raider traz ótimos gráficos, exigindo muito do sistema, mesmo de alta performance.


Conclusão

Como já falei em outras análises de placas-mãe desse perfil, a Gigabyte Z590 AORUS Xtreme é uma placa voltada para quem quer o que existe de melhor em qualidade e tecnologias, aliado a um visual muito acima do padrão, logo visando montar um sistema onde a placa-mãe vai aparecer também, e não ficar escondida dentro de um gabinete todo fechado. Existe vários modelos com tantos recursos quanto essa Z590 AORUS Xtreme, mas acho que o maior diferencial dela é também ter um apelo visual, com cuidados em todos os cantos no que diz respeito a design, e isso só faz sentido se você pretende montar um sistema que ela fique à mostra, como faremos em um futuro artigo.

O suporte a 128GB de memória RAM com frequência de até 5400MHz, 3 slots M.2 na placa-mãe, sendo um PCIe 4.0 (apenas um é PCIe 4.0 e para funcionar nessa velocidade precisa de um processador Core de 11ª geração), duas conexões de LAN sedo uma 10GbE e outra de 2.5 GbE, Wi-Fi 6E e Bluetooth 5.2, sistema de áudio "top" com 7.1 canais, um dos melhores em placas-mãe Z590, conexões USB 3.2 Gen2 aos montes mais uma Thunderbolt 4 e USB 3.2 Gen2x2 também são destaques em tecnologias. Para completar, a Gigabyte adicionou uma placa dedicada para SSDs M.2 com suporte a 2 modelos em padrão PCIe 4.0, quando combinado com mais um SSD M.2 conectado na placa-mãe via RAID 0 pode superar os 19GB/s de leitura.

A Gigabyte Z590 AORUS Xtreme tem visual muito parecido com a Z490 AORUS Xtreme, mas com tecnologias mais atuais e algumas melhorias no projeto

Com a chegada dos processadores Core de 11ª geração a Intel passa oficialmente a suportar o PCIe 4.0, já que essa tecnologia não funciona com os processadores da geração anterior. Se você combinar essa Z590 AORUS Xtreme com um modelo dessa geração, poderá ter um ganho teórico na velocidade especialmente de SSDs, mas que fique claro, é um ganho em muito dos casos em cenários bem específicos e benchmarks, na prática, a mudança não é tão grande para usos rotineiros.

Como estamos falando de uma placa topo de linha, um projeto visando proporcionar um bom cenário para overclock é natural. A Gigabyte adicionou um sistema com incríveis 20+1 controladores de fases, mais do que os 16+1 da Z490 Xtreme. Talvez a empresa fez isso visando entregar um cenário melhor para quem pretende usar a placa com um Core i9-11900K, processador topo de linha e o mais indicado para trabalhar com esse modelo. Como eu já tinha falado na review da Z490 Xtreme, esses projetos me fazem lembrar da GA-Z77X-UP7 lançada lá em 2012, que tem absurdos 32+3+2 controladores de fases.

Desempenho de placas-mãe com mesmo soquete é praticamente o mesmo se não for feito overclock

E com um projeto tão diferenciado e com cuidado em todos os detalhes, naturalmente também espera-se um preço fora do normal. A Gigabyte Z590 AORUS Xtreme foi lançada por US$849, cinquenta dólares acima da Z490 AORUS Xtreme em seu lançamento. Se me perguntarem se vale a pena o investimento, a resposta assim como para muitos produtos com esse perfil é não, já que na prática modelos como uma Gigabyte Z590 AORUS Master é tão bonita quanto, tem tecnologias no mesmo nível, acabamento de primeira qualidade, vai entregar o mesmo cenário de desempenho e potencial de overclock também muito bom, mas custa menos da metade da Xtreme. Essa placa é um modelo com apelo de exclusivo, trazendo mimos que não estão em outros modelos, logo não é um produto que busca conquistar o usuário pelo preço ou recursos apenas, mas sim por ser o que existe de melhor.

Ela não está disponível no Brasil, mas se chegar imagino preço beirando os R$10k, o que é bem nonsense, como vários outros componentes nesse mercado de hardware que tangencia a lógica de grife. Não é só qualidade e tecnologias, mas aqui também temos luxo.

PRÓS
Projeto praticamente perfeito
Acabamento primoroso nos mínimos detalhes
Suporte para memórias de alta frequência, até 5400MHz
O que existe de melhor em tecnologias em suas versões mais atuais
Belo sistema de áudio, um dos melhores em placas-mãe Z590
Projeto com foco em overclock do sistema
Thunderbolt 4 e USB 3.2 Gen2x2 nativo pelo chipset
CONTRAS
PCIe 4.0 só funciona com processadores Core de 11ª geração
Somente o primeiro slot tem suporte ao PCIe 4.0
Incrivelmente cara, mais do que o dobro de uma Z590 AORUS Master que é sensacional
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.