Placa-mãe ASUS TUF Gaming B460M-Plus é opção em conta para CPUs Intel, mas...

Uma boa placa, mas como todas as demais placas-mãe B460, traz limitações importantes do chipset
Por Fabio Feyh 29/12/2020 18:26 | atualizado 29/12/2020 18:32 comentários Reportar erro

Depois da análise da TUF Gaming B550M-Plus, placa-mãe soquete AM4 para processadores Ryzen, agora é a vez da TUF Gaming B460M-Plus, placa soquete LGA1200 para processadores Intel Core de 10ª geração (e futuros Core de 11ª geração). O perfil da placa é muito parecido com a versão para Ryzen, porém com uma série de limitações, praticamente todas impostas pelo chipset B460 da Intel. Ou seja, limitações que esse e qualquer outro modelo de placa com mesmo chipset terá.

Entre as principais diferenças de placas-mãe com chipset B460 para modelos como o Z490, temos a limitação de overclock e frequências de memória. Quando falamos de Intel, overclock é possível apenas com os modelos da linha "Z", que tem o multiplicador desbloqueado. Outra diferença está na quantidade de linhas PCI-Express: 16 na B460 contra 24 na Z490. Por fim, o suporte a memórias vai até 2933MHz, justamente a frequência máxima dos processadores Core i7 e i9 de 10ª geração, mas que cai para 2666MHz se o processador utilizado for um Core i3 ou i5.

Site oficial da ASUS TUF Gaming B460M-Plus
Análise Intel Core i5-10600K

Em cenário internacional, a TUF Gaming B460M-Plus chegou custando pouco mais de US$100. É possível encontrar modelos com esse chipset por preços abaixo de US$100, perdendo na qualidade do projeto, como esperado. No Brasil, atualmente a placa pode ser encontrada por menos de R$800. Um modelo com Wi-Fi também está disponível custando pouco mais de R$1k.

Os modelos com chipset  B460 mais baratos giram na casa de R$600, mas deixam de lado características importantes como dissipadores sobre os controladores de fases, possibilitando uma gama maior de CPUs que podem ser utilizados sem comprometer a estabilidade do sistema. Essa é uma placa-mãe recomendada até um Core i5 ao meu ver, pelas limitações do chipset - não tem muito sentido usar um Core i7 ou i9, especialmente overclockáveis, combinados com ela.


Tecnologias

Esse é um modelo considerado intermediário dentro da linha de placas com chipset B460 da ASUS, então traz as tecnologias mais importantes, com um projeto melhor do que os modelos de entrada. Ela tem acabamento um pouco mais refinado, com o total de 8 controladores de fases (6+2) com dissipadores sobre os MOSFET - importante dependendo do CPU que será utilizado no sistema.

Como destaques em tecnologia, dois slots M.2 PCIe 3.0, sendo que o mais próximo do CPU é do padrão Key B + M, leia-se SATA + NVMe. Traz uma conexão de rede Intel Gigabit, chip de rede Realtek ALC S1200A, comum em placas intermediárias. Ainda traz 3 conexões de vídeo: uma DisplayPort 1.4b, uma HDMI 1.4b e uma DVI-D. Curiosamente, não tem um conexão USB tipo C no painel traseiro, conexão essa que vai virar padrão em mercado em breve.

- Continua após a publicidade -

Dando sequência, abaixo o diagrama das principais tecnologias do chipset B460, destacando que algumas das tecnologias podem não estar presentes em algumas placas, já que os fabricantes podem não adicionar dependendo do perfil do produto.

Especificações do chipset Intel B460


B460 vs Z490

Para quem não pretende overclockar o sistema, uma boa placa-mãe com chipset B460 é uma boa alternativa frente a uma Z490? Sim e não. O maior problema está no fato de não possibilitar frequência de memória acima do que o suporte máximo do processador - 2933MHz para os Core i7 e i9 e 2666MHz para os modelos inferiores como Core i3 e i5. Ao meu ver, overclock não é o maior problema para esse perfil de placa, mas a limitação na frequência das memórias sim, especialmente porque kits de 3200MHz já estão com preços semelhantes aos modelos com frequências menores, e essa frequência mais alta pode trazer bons ganhos em vários cenários. Ao colocar kits de memória com frequências mais altas, o sistema automaticamente vai "baixar" para o máximo suportado pelo processador.

Chipset B460 não deixa overclockar CPU e suporte a memória vai até 2933MHz. Não mais

Sempre lembramos que a AMD é muito mais aberta nesse quesito, deixando a limitação de overclock do CPU restringida apenas no chipset de entrada, ex.: A520 que, aliás, suporta frequências de memórias mais altas, ficando de fora apenas o suporte para overclock do CPU.

Voltando às diferença entre os chipsets, como destacamos na introdução, menor quantidade de linhas PCI-Express também estão entre os cortes feito pela Intel: 16 em B460 contra 24 em Z490. Na prática, pouco vai afetar os usuários que comprarem um modelo com esse chipset, mas, novamente, quando falamos de uma AMD B550, o número de linhas PCI-Express fica em 24 canais. Para quem está na dúvida se isso vai impactar no desempenho, é só conferir os testes na sequência da review, sendo que temos instalado uma RTX 2080 Ti, um SSD NVMe PCIe 3.0 e um PCIe 4.0.

- Continua após a publicidade -

Comparativo de especificações: H410 vs B460 vs H470 vs Z490

De resto, conexões USB, HDMI, LAN etc, ficam por conta do fabricante, que dependendo da tecnologia tendem a deixar um pouco abaixo de modelos H470 e Z490 para não encarecer a placa e perder o sentido de modelos com esse chipset, que buscam maior competitividade em preço.


Fotos

Como já colocamos, a placa-mãe tem um bom acabamento, posicionada como modelo intermediário dentro da gama de placas com esse chipset. No quesito tecnologias, apenas o principal, sem extras como Wi-Fi, Bluetooth etc.

Na hierarquia de chipset série 400 temos: H410, B460, H470 e Z490

O painel traseiro não é fixo, como em modelos de maior qualidade. Ela tem o básico, porém se destaca por trazer três tipos de conexões de vídeo. Talvez para alguns seja algo negativo ela não tem conexão USB Tipo C, que, na medida que o tempo passa, está virando o padrão de mercado. 

- Continua após a publicidade -


TUF B460 vs TUF B550

Placas visualmente parecidas, mas a B550 tem muitas tecnologias melhores, desde overclock e frequências de memórias mais altas, ao suporte para SSDs PCIOe 4.0 e para todas as 5 gerações de processadores Ryzen, incluindo modelos de alto desempenho da linha Ryzen 9.


BIOS

A interface das BIOS da Asus, como sempre destaco, está entre as que mais gosto, simples e intuitiva, com otimizações em funções automáticas, mesmo que esse chipset limite funções como overclock e uso de memórias com frequências altas.

BIOS DOWNLOAD - ASUS TUF Gaming B460M-Plus


Sistema Utilizado

Veja abaixo os detalhes do sistema utilizado na bateria de testes. Foi usado o mesmo em todas as plataformas, com exceção da placa-mãe.

Máquinas utilizadas nos testes:
Todos os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: Intel Core i5-10600K [análise]
- Placa de vídeo: GeForce RTX 2080 Ti [análise]
- Memórias: 16GB G.Skill TrindentZ RGB 3200MHz (2x8GB) CL14 [site oficial]
- SSD Kingston KC2500 250GB PCIee [análise]
- SSD Seagate FireCuda 520 500GB PCIe4 [site oficial]
- Cooler: CM MasterLiquid ML240L V2 RGB [análise]
- Fonte de energia (PSU): Thermaltake Toughpower 850W GOLD PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 64 Bits com Updates
- GeForce 447.xx

Aplicativos/Games:
- 7-Zip 2.x
- AIDA 5.xx
- ATTO Benchmark 4.x
- Cinebench R20
- wPrime 1.55
- 3DMark Fire Strike Ultra (DX11 - 4K)
- Red Dead Redemption 2 (Vulkan)
- Shadow of Tomb Raider (DX12)

AIDA
Confira abaixo a tela do CPUID do AIDA, com detalhes da placa-mãe e parte do sistema utilizado nos testes. As memórias utilizam a configuração máxima recomendada pelo CPU utilizado, no caso, 2666MHz do Core i5-10600K.

Vale destacar novamente que, no caso de placas-mãe com esse chipset, mesmo querendo, não seria possível colocar a frequência acima do máximo recomendado pelo processador em uso.

Para usar a frequência máxima das memórias, é necessário definir o perfil XMP na BIOS


Suite de aplicativos ASUS

Antes de começar os testes, segue alguns prints da suíte de aplicativos da ASUS, composta pelo Armoury Crate e AI Suite 3. Os aplicativos ajudam bastante no processo de instalação de tudo que o sistema precisa para o bom funcionamento, desde os drivers até aplicações para tirar proveito de tecnologias oferecidas pela placa, como o controle dos LEDs, controle das FANs, aviso de novas versões de drivers, apps e BIOS.

Os prints foram feitos com uma Maximus XII Extreme, mas o aplicativo funciona com todas as placas da ASUS. No entanto, as opções disponíveis podem variar de acordo com o modelo em questão.

DOWNLOAD - Aplicativos e Drivers


Overclock

Como ela se comporta em Overclock? Essa placa não possibilita overclock, e isso acontecerá com todos os modelos com chipset H470, B460 e H410. Ao meu ver, overclockar o CPU nem é um grande problema, mas placas com esses chipsets destacados também não suportam memórias com frequência acima do que o processador suporta. Ou seja, 2666MHz nos modelos até Core i3 e i5, e 2933MHz nos modelos Core i7 e Core i9. Isso é uma grande limitação em diversos cenários, especialmente no caso dos modelos com suporte máximo a 2666MHz.

Como toda B460, sem suporte a overclock do CPU e também das memórias


Testes

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema. Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso (IDLE).

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, obtivemos os seguintes resultados de consumo:


Aquecimento dos VRMs

Essa placa não tem perfil para overclock, mas está posicionada acima dos modelos de entrada, trazendo seis controladores de fases, com dissipadores sobre eles, o que em teoria permite utilizar processadores de maior desempenho sem problemas.

Durante nossos testes passei por uma situação que não pareceu estar associada especificamente aos VRMs de inicio, mas sim ao projeto da placa. Utilizamos um Core i5-10600K para os testes, assim como em TODAS as placas LGA1200, justamente para ter um cenário "comparável e justo" nos comparativos, mas que por uma questão lógica, não teria sentido na combinação com essa placa, já que ela não permite overclock. O porém aqui é que o TDP dos modelos "K", é de até 125W, contra 65W dos modelos não "K", e isso parece afetar essa placa se ela não estiver combinada com um bom cooler. Como não poderia testar overclock, coloquei um cooler box, que deixou o sistema instável depois de um tempo rodando a bateria de testes, inclusive sequer dando boot. Bastou trocar para um cooler melhor, e o problema foi resolvido.

Nos testes de temperatura dos VRMs, a placa não está com eles muito quente: 60º graus rodando o Blender, um cenário tranquilo pela qualidade do VRMs que a ASUS implementou. Mas, aparentemente, utilizar um modelo com TDP mais alto como os da linha K sem um bom sistema de cooler, pode comprometer o sistema.

Agora a pergunta é: alguém vai comprar um processador da linha K para usar com essa placa? Teoricamente não tem sentido, mas pode acontecer e o usuário também poderá ter uma dor de cabeça. Lembro que mesmo um Core i7-10700 tem TDP de 65W, ficando por conta apenas dos modelos K o TDP mais alto, e eles não devem ser utilizados com essas placas, caso contrario podem gerar instabilidade em todo o sistema.

Abaixo, fotos da temperatura de alguns dos VRMs com câmera de calor da FLIR, mostrando que a placa está em um cenário bastante tranquilo nesse aspecto, mesmo com o Core i5-10600K.


Testes de desempenho
Temos uma série de testes de desempenho com o sistema, que você pode conferir abaixo. Comparamos a placa com outros modelos do mercado, utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes - com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema - e, nesse caso, como já repeti algumas vezes, não existe.

AIDA64 
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de leitura, escrita, cópia e latência. Confira abaixo:

ATTO Disk Benchmark
O ATTO é um bom aplicativo para teste de desempenho de unidades de armazenamento, sendo um dos mais utilizados para essa finalidade. Vejam abaixo o comportamento de um SSD PCIe4 testado nos modelos de placas comparadas:

CineBENCH R20
O CineBench está entre os mais famosos testes de benchmarks para processadores, baseado em um teste convertendo uma imagem. Adicionamos aos comparativos o teste Multi Core:

7-Zip
O software de compactação 7-Zip se tornou um dos mais populares do mundo por se tratar de um aplicativo de código aberto. Ele possui também um benchmark interno que vem sendo muito utilizado para métrica de performance. Abaixo, o desempenho dos sistemas com ele:

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, obtemos os resultados abaixo:

3DMark
Tratando-se de testes de desempenho gráfico do sistema, começamos com o 3DMark no modo Fire Strike Ultra, que usa resolução 4K:

Red Dead Redemption 2
Game da RockStar com belíssimos gráficos e uma boa referência para medir o comportamento de sistemas. Nosso teste considera o game rodando sobre a API Vulkam.

Shadow of Tomb Raider
O mais recente game da franquia da Lara Croft, Shadow of Tomb Raider traz ótimos gráficos, exigindo muito dos sistemas, mesmo de alta performance.


Conclusão

Ao fazer uma review de uma placa com chipset B460, dois pontos vem a cabeça logo de inicio: as limitações do chipset e o preço cobrado pela placa, que irá definir se vale a pena ou não, o investimento. A ASUS TUF Gaming B460M-Plus dentro do perfil de placas B460 e valor que elas custam, é um bom modelo. Tem um projeto melhor do que as placas mais baratas, com dissipadores sobre os controladores de fases, que, na prática, podem ajudar bastante, especialmente quando o sistema estiver combinado com um processador mais potente. Até iria falar que ajudaria em situações de overclock, mas como todas as placas B460, ela não suporta overclock. Além disso, também não suporta memórias de frequência acima de 2933MHz para CPUs da linha Core i7 e i9, ou 2666MHz acima de modelos como os Core i5 e i3 ou inferiores, e isso é uma limitação bem chata, já que memórias com frequência de 3200MHz, por exemplo, tem aparecido por preços bem competitivos e podem fazer uma boa diferença dependendo do cenário, como com um Core i3 e vídeo integrado, até quando combinado com um Core i7 com uma boa placa de vídeo dedicada para jogos. É realmente um contra a ser levado em consideração e que me frustra bastante.

Bom projeto, mas como toda B460, limitada pelo chipset

Tratando-se das demais tecnologias, sem destaques - o básico do básico, sequer traz uma conexão USB Tipo C, algo que virou padrão de mercado atualmente. Tem uma rede Gigabit, três conexões de vídeo, sendo uma DisplayPort, uma HDMI e outra DVI, mas fica por ai.

Recebi esse modelo e, depois de uma bateria de testes, ele ficou instável. Deixei um tempo desligado, novamente normal, ligava e depois de um tempo novamente ficava instável até para ligar o sistema. Enviei de volta para a ASUS e mandaram outra, e novamente isso aconteceu. Para minha surpresa, o que gerou esse problema no meu caso foi utilizar o Core i5-10600K com um cooler box. Os CPUs série "K" tem TDP bem mais altos que os modelos não K (125W contra 65W), e isso poderá ser um problema. Lógico que, teoricamente, ninguém fará essa combinação - nós fizemos para manter justos os comparativos e até para ver as diferenças entre chipsets, já que todas as demais placas LGA 1200 utilizaram esse CPU para os testes. Mas, na prática, não tem sentido, já que o chipset sequer possibilita overclock. Mas fica a dica: se combinar uma B460 com um série K, o sistema poderá ficar instável, porque o projeto pode não considerar o uso desses processadores com altos TDP. E mesmo sem overclock, esses modelos K não devem ser combinados com o cooler box.

Nos testes de desempenho eu coloquei uma Z490 com o processador em default, mas defini as memórias em 3200MHz, além de adicionar também testes com o Core i5-10600K overclockado, dessa forma é possível ver como ficaria esses cenários frente as limitações do chipset B460 que não oferece esse tipo de característica. Ainda poderia ter colocado o processador overclockado com memórias também em 3200MHz, que dependendo do teste traria mais um pequeno ganho de desempenho.

Core i7-10700 vs i5 10600K vs i5 10600 vs i5 10400

Limitar frequências de memórias em chipset intermediário não é mais aceitável

Essa placa no Brasil está custando cerca de R$800, um preço bom a primeira vista quando comparada com a TUF B550M-Plus que custa R$1.000, ainda mais porque os processadores AMD estão com valores bem acima de modelos Intel. Sim, é isso mesmo que você está lendo, o cenário mudou completamente e hoje a Intel tem os produtos baratos e a AMD os caros, que ironia, não? E viva a lei do mercado...tem gente que esperava que isso não aconteceria, a AMD desenvolveria produtos melhores do que a Intel, mas custando menos... mas voltando ao preço, esses R$200 da placa podem ser pouco pensando a médio prazo.

Hoje, no dia de publicação dessa análise, a placa TUF B550M-Plus soquete AMD AM4 custa cerca de R$1.000, mais um Ryzen 5 3600 por cerca de R$1.600, totalizando R$2.600. Já a TUF B460M-Plus por R$800, mais um Core i5 10400 (no Brasil não se acha o i5-10600) na casa de R$1.300, temos R$2.100, possibilitando o uso dos R$500 restantes em uma placa de vídeo melhor. Em nossas reviews, a diferença favorável ao Ryzen 5 3600 contra o Core i5-10400 fica na casa de 10% em favor do modelo AMD, ambos utilizando a frequência de memória no máximo recomendado para o CPU, ou seja, na prática uma diferença discreta.

Uma plataforma AMD com placa B550 traz maior potencial para upgrades e tecnologias melhores

Um fator que pode decidir a escolha a médio longo prazo é que, no caso da placa AM4, ela oferece um suporte a uma quantidade muito maior de processadores, incluindo modelos de alto desempenho como os Ryzen 9, além das memórias com frequência mais alta e suporte a PCIe 4.0. Então esses R$200 extras da placa-mãe e até mesmo um custo maior de modelos de processadores semelhantes em desempenho podem acabar sendo um bom investimento a longo prazo, pelas tecnologias melhores, além de uma margem maior para upgrades. A TUF B550M-Plus é uma das melhores opções custo vs benefício do mercado, a TUF B460M-Plus é só mais uma boa B460 com suas limitações.

O que não ajuda a Intel é que placas Z490 tem custo consideravelmente acima de placas B460 por exemplo, com valores na casa de R$1.300 ou mais. Outro ponto é que o chipset H470, que fica entre o Z490 e o B460, sofre dos mesmos problemas do B460, não suporta overclock e memórias com alta frequência. A diferença de valor entre placas B460 e Z490 é muito grande, acabando com o atrativo de alguns processadores Intel Core 10ª geração que estão com preços melhores do que concorrentes AMD.

PRÓS
Placa com bom projeto e principais tecnologias da plataforma
Suporte aos processadores Core de 10ª geração e 11ª geração
CONTRAS
Chipset sem suporte a overclock e frequência de memória acima de 2933MHz
Tecnologias ultrapassadas comparadas com AMD B550
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.