Placa-mãe ASUS Maximus XII Extreme é perfeita combinação para um Core i9-10900K

O melhor processador Core de 10ª geração combinará muito bem com uma placa-mãe desse nível

Recebemos várias placas-mãe com chipset Intel Z490 soquete LGA 1200, mas algumas delas se destacam. A ASUS Maximus XII Extreme está no topo desta lista. Sendo uma das mais impressionantes que já vi pelo seu projeto, buscando oferecer tudo de melhor em todos os aspectos: acabamento, componentes e tecnologia. O resultado é uma placa-mãe simplesmente sensacional, como irei mostrar nessa review.

Como toda mainboard com chipset Z490, a ASUS Maximus XII Extreme introduz o soquete LGA1200 ao mercado. Junto com ele, o suporte aos processadores Intel Core de 10ª geração. Já temos uma análise da Maximus XII HERO (Wi-Fi), modelo também muito bom, logo abaixo da Extreme em projeto. A Extreme é o que a ASUS desenvolveu de melhor, com o chipset Z490.

Como alguns dos destaques em tecnologias e componentes, estão: 16 controladores de fases; suporte à memórias de até 4800MHz+ - com total de 128GB -; 4x slots M.2; 2x conexões de LAN (sendo uma de 2.5GbE e outra de 10GbE); Wi-Fi 6 AX201 e Bluetooth 5.1; sistema de áudio SupremeFX de 7.1. Essas características fazem com que ela seja um dos melhores projetos da ASUS. Além disso, também inclui conexões USB 3.2 Gen2, no painel traseiro e, para painel frontal de gabinetes.

Modelo é o melhor projeto da ASUS com chipset Z490

Site oficial da ASUS Maximus XII Extreme
Análise Intel Core i9-10900K
Análise Intel Core i7-10700K
Análise Intel Core i5-10600K

Em cenário internacional, essa placa chegou ao mercado custando US$750. Já no Brasil, seu valor atualmente é de cerca de R$ 7k, mas varia bastante com a mudança do dólar. Pesquisa feita no dia da publicação da review.


Tecnologias

- Continua após a publicidade -

Essa é uma das placas mais incríveis que já peguei, por unir alto acabamento com o que existe de melhor em tecnologias. Ela é uma daquelas indicadas para quem deseja o que existe de melhor, independente do valor que custar.

Assim como a HERO (WiFi), apresenta suporte à memórias de até 4800MHz+, Wi-Fi 6 AX201 e Bluetooth 5.1, conexões USB 3.2 Gen2 (sendo uma 2x2). Além disso, também apresenta sistema de áudio SupremeFX (CODEC S1220 + ESS ES9023 DAC + RC4580 OP AMP), de alta qualidade.

Para quem precisa de alta velocidade em trafego de dados, a Maximus XII Extreme apresenta duas conexões de rede, uma 2.5 GbE e outra 10 GbE. No painel traseiro, há uma alta qualidade no acabamento, com conexões banhadas a ouro, sendo que as de áudio trazem LEDs internos coloridos (foto abaixo).

A construção da placa foi feita pensando desenvolver a melhor mainboard do mercado. Logo, são inseridos 16 controladores de fases, com componentes da mais alta qualidade, visando ser a combinação perfeita para os modelos overclockáveis da linha K. Além dos componentes, várias tecnologias para maior estabilidade em situações extremas foram adicionadas.

É uma placa que traz vários acessórios também. O destaque fica por conta da placa Thunderbolt 3, com conexões de dados e de vídeo, incluindo 2 cabos DisplayPort, além da placa para SSDs M.2, com total de quatro SSDs M.2 suportados.

A Asus também tem destacado bastante o novo sistema de IA de suas placas-mãe. O sistema visa facilitar a vida do usuário, principalmente aqueles sem conhecimento avançado em determinadas funcionalidades oferecidas. Como em overclock e, configurações que não são aplicadas de forma automática. O grande exemplo está nas memórias, que normalmente definem como frequência máxima 2133MHz ou 2400MHz, mesmo quando possuem suporte a frequências de até 3200MHz, por exemplo. Nesse caso o sistema aplica o XMP máximo suportado.

- Continua após a publicidade -

ASUS AI Website

Além desse exemplo, os algoritmos trabalham visando "ajudar" em outros cenários do sistema. Isso se aplica em melhor eficiência na refrigeração, tanto no quesito ruído como em manter os componentes mais frios, bem como melhorar a velocidade de trafego de dados na rede.


Fotos

Assim como a HERO (WiFi), a Extreme tem acabamento de alta qualidade. Ela ainda é recheada de acessórios e mimos. Destaco a placa DIMM.2, que adiciona suporte para dois SSDs M.2, totalizando 4 no total, sendo que dois ficam na mainboard.

Também tem uma placa Thunderbolt 3, com conexões de alta velocidade para dados e monitores. Para os fãs da ASUS, há uma chave Philips, que é bem útil, até para a montagem. Traz ainda um pen drive USB personalizado da linha RoG com os aplicativos e drivers da ASUS, como: chaveiro, adesivos, muitos cabos (muitos mesmo) de LEDs RGB a sensores de temperatura.

Processadores Core de 10ª geração só funcionam em placas-mãe soquete LGA 1200

A placa tem formato Extended ATX, um pouco maior do que as tradicionais ATX e isso quer dizer que será necessário cuidado na hora da escolha do gabinete, já que muitos modelos não suportam esse formato. Como já destacamos, um projeto com muito cuidado em detalhes visando melhor estabilidade em overclock, especialmente com os componentes, tecnologias de dissipação e gerenciamento das temperaturas do sistema. Ao todo são 16 controladores de fases, 2 alimentadores de 8 pinos para o CPU, muitos conectores de FANs e vários sensores.

- Continua após a publicidade -

O PCB traz os tradicionais botões de acesso rápido para alguns comandos. Como já destaquei na HERO, a ASUS inseriu um botão próximo ao botão de "START" e Q-Code LED, chamado "Flex Key". Esse botão tem diferentes possibilidades, desde funcionar como reset, como também receber outras funções, sendo elas: desligar os LEDs da placa e até mesmo entrar direto na BIOS. Logicamente, interessante para quem usa o sistema em bancada, ou com o gabinete aberto. 

Os LEDs RGB estão presentes em vários locais, tanto na parte superior como também inferior. Além, é claro, do suporte a fitas de LED e controle de outros componentes que tragam esse tipo de feature.

O sistema de áudio SupremeFX dessa placa é um dos melhores já lançados pela ASUS em uma placa-mãe. Ela adiciona o que existe de melhor em tecnologias e componentes, visando o melhor cenário possível, com alta qualidade e sem interferências.

A placa traz o painel traseiro fixo e, com muitas conexões, também com acabamento refinado. Ao todo, são 12 conexões USB, sendo 2 USB-C e uma delas 3.2 Gen2 2x2, a mais rápida do mundo na atualidade. Também tem duas conexões de rede, sendo uma 2.5GbE e outra 10GbE. As conexões de áudio além de banhadas a ouro, trazem LEDs internos coloridos para ajudar na hora da conexão, como podem ver nas fotos. Ahhhhh, nada de conexão de vídeo na placa, pode parecer bobeira para muitos, mas o vídeo integrado pode ser útil em algumas situações.


BIOS

Abaixo algumas prints da BIOS da placa-mãe, com a tradicional interface da ASUS, muito boa e funcional. Por se tratar de uma placa com muitos recursos, tem uma série de opções extras, comparado com modelos mais simples. Inclusive com funções para ativar alguns dos acessórios como a placa DIMM.2.

DOWNLOAD - BIOS MAXIMUS XII Extreme


Sistema Utilizado

Dando sequência na review, abaixo detalhes do sistema utilizado na bateria de testes, mesmo em todas as plataformas, com exceção da placa-mãe.

 

Máquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: Intel Core i5-10600K [análise]
- Placa de vídeo: GeForce RTX 2080 Ti [análise]
- Memórias: 16GB G.Skill TrindentZ RGB 3200MHz (2x8GB) CL14 [site oficial]
- SSD Seagate FireCuda 520 500GB PCIe4 [análise]
- Cooler: Noctua NH-U12S [site oficial]
- Fonte de energia (PSU): Thermaltake Toughpower 850W GOLD PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 "2004" 64 Bits com Updates
- GeForce 451.xx

Aplicativos/Games:
- 7-Zip 2.x
- AIDA 5.xx
- ATTO Benchmark 4.x
- Cinebench R20
- wPrime 1.55
- 3DMark Fire Strike Ultra (DX11 - 4K)
- Red Dead Redemption 2 (Vulkan)
- Shadow of Tomb Raider (DX12)

CPU-Z/AIDA
Confira abaixo as telas do CPU-Z e AIDA, com detalhes da placa-mãe e parte do sistema utilizado nos testes. As memórias serão setadas com a configuração máxima recomendada pelo CPU utilizado, no caso, 2666MHz do Core i5-10600K.

Para usar a frequência máxima das memórias, é necessário definir o perfil XMP na BIOS


Overclock

Os processadores da linha K da Intel costumam se sair bem em overclock. Colocamos o Core i5-10600K com todos seus núcleos trabalhando em 4.9GHz na review, mas a verdade é que ele pode ir além sem forçar muito. Nas reviews de placas-mãe com o air cooler subimos mais um pouco o clock, definindo todos os núcleos em 5.1GHz. A tensão setada foi de 1.375v, dentro de uma margem que pode ser usada de forma contínua, em um sistema com bons componentes, como é o caso.

Já as memórias, subi de 2666MHz utilizado no teste default, para 3200MHz através do perfil XMP máximo do kit utilizado.

Da mesma forma que fiz na HERO, utilizei um sistema da ASUS para fazer overclock automático sem necessidade de configurações manuais. A diferença é que, ao invés de seguir pelo processo da BIOS, utilizei o software do AI Suite 3, aplicativo da ASUS. A IA do aplicativo subiu também para 5.1GHz, porém não em todos os núcleos. Outro trabalho que ela fez foi aplicar o perfil XMP máximo do kit, definido em 3200MHz.

OBS.: Sempre lembramos que você deve fazer overclock por sua conta e risco, dependendo do quanto e como forçar o sistema, pode gerar problemas irreversíveis.

Para a galera que gosta de testes de temperatura, abaixo algumas fotos mostrando os VRMs do sistema no meio de um teste rodando o Blender com o sistema overclockado. Os controladores de fases estão dentro de uma margem muito tranquila, na casa dos 40 graus mesmo em overclock e uso forçado.


Suite de aplicativos ASUS

Antes de começar os testes, segue algumas prints da suite de aplicativos da ASUS, composta pelo Armoury Crate e AI Suite 3. Os aplicativos ajudam bastante no processo de instalação de tudo que o sistema precisa para o bom funcionamento, desde os drivers com o Armoury Crate, até aplicações para tirar proveito de tecnologias oferecidas pela placa, como o controle dos LEDs, controle das FANs, aviso de novas versões de drivers, apps e BIOS, além de outras features através do AI Suite 3. Recomendo conferir caso tenha uma placa da ASUS.

DOWNLOAD - Aplicativos e Drivers


Testes

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema. Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso (IDLE).

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, obtivemos os seguintes resultados de consumo:


Testes de desempenho
Temos uma série de testes de desempenho com o sistema, que você pode conferir abaixo. Comparamos a placa com outros modelos do mercado, utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes - com exceção de overclock, que pode ser diferente em cada uma das placas-mãe.

AIDA64 
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de leitura, escrita, cópia e latência. Confira abaixo:

ATTO Disk Benchmark
O ATTO é um bom aplicativo para teste de desempenho de unidades de armazenamento, sendo um dos mais utilizados para essa finalidade. Vejam abaixo o comportamento de um SSD PCIe4 testado nos modelos de placas comparadas:

CineBENCH R20
O CineBench está entre os mais famosos testes de benchmarks para processadores, baseado em um teste convertendo uma imagem. Adicionamos aos comparativos o teste Multi Core:

7-Zip
O software de compactação 7-Zip se tornou um dos mais populares do mundo por se tratar de um aplicativo de código aberto. Ele possui também um benchmark interno que vem sendo muito utilizado para métrica de performance. Abaixo, o desempenho dos sistemas com ele:

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, obtemos os resultados abaixo:

3DMark
Em se tratando de testes de desempenho gráfico do sistema, começamos com o 3DMark no modo Fire Strike Ultra, que usa resolução 4K:

Red Dead Redemption 2
Game da RockStar, com belíssimos gráficos e uma boa referência para medir o comportamento de sistemas. Nosso teste considera o game rodando sobre a API Vulkam.

Shadow of Tomb Raider
O mais recente game da franquia da Lara Croft, Shadow of Tomb Raider traz ótimos gráficos, exigindo muito do sistema, mesmo de alta performance.


Conclusão

Uma obra prima se tratando de placa-mãe, aquela que ficamos babando só de olhar após tirar da caixa, mesmo antes de montar e ligar o sistema. Os modelos Extreme da ASUS sempre buscam oferecer o melhor projeto possível quando lançados, e isso quer dizer alto acabamento, os melhores componentes e a maior quantidade de tecnologias em suas versões mais recentes. É isso que a Maximus XII Extreme faz: une tudo do melhor em uma placa-mãe para processadores soquete LGA 1200, leia-se os modelos Intel Core de 10ª geração - ao menos por enquanto, já que essa placa será compatível com modelos Core de 11ª quando os mesmos forem lançados, bastando uma atualização de BIOS.

Eu analisei o modelo Maximus XII HERO, que já é uma bela placa-mãe para quem busca montar um sistema entusiasta, mas a placa dessa vez é aquela "sem noção", que tem tudo e ainda mais, com um projeto que busca oferecer tecnologias e features que a grande maioria dos modelos não trazem. Temos como exemplo uma série de sensores e opções para gerenciamento do sistema mais refinado, importante para quem vai colocar o sistema no limite, especialmente em overclock. Aliás, foi por isso que coloquei no título que ela é uma combinação perfeita para um Core i9-10900K: porque ele é o que existe de melhor em processamento da 10ª geração, e nada melhor que trabalhar em conjunto com uma das melhores mainboards do mundo.

Todas as principais tecnologias do mercado em suas versões mais atuais

Os destaques em tecnologias ficam por conta do suporte a memórias de alta frequência, até 4800MHz e alcançando 128GB. No quesito conexão, ela também tem o que existe de melhor: Wi-Fi 6 AX201, Bluetooth 5.1, LAN de 2.5Gbe e 10GbE quando falamos em transferência via internet ou redes de dados, e uma série de conexões USB 3.2 Gen2 (inclusive uma 2x2 Tipo C, o que existe de mais rápido no mercado atualmente). Ahhhh, cade a conexão de vídeo, ao menos uma HDMI? Isso pode salvar a vida em várias situações. Bato nessa tecla não porque é importante para usar o vídeo integrado, mas porque ele é útil em situações de problema com a placa de vídeo e está presente em uma grande quantidade de modelos de CPU, logo, seria importante ao menos uma conexão de vídeo, muito importante ao meu ver.

O sistema de áudio é o SupremeFX como em várias placas da ASUS, mas aqui com componentes e tecnologias visam entregar o melhor cenário possível, e isso quer dizer alta fidelidade sem interferência. Para isso, ele traz CODEC S1220 + ESS ES9023 DAC + RC4580 OP AMP com componentes da mais alta qualidade.

Como extras, tem uma placa dedicada para dois SSDs M.2 chamada pela ASUS de DIMM.2, que se conecta em um slot exclusivo da ASUS posicionado ao lado dos módulos das memórias. Com essa placa, mais os dois slots M.2 da própria mainboard, ela pode oferecer um total de 4 SSDs M.2. Além dela, a Maximus XII Extreme também traz uma placa Thunderbolt 3 com 4 conexões, sendo 2 de dados e 2 para vídeo, incluindo cabos adaptadores mini-DisplayPort para DisplayPort tradicional. Lembro que esse é o padrão mais rápido da indústria por enquanto, e que servirá como base para o USB 4, também liderado pela Intel.

Processadores Core 10ª limitam o suporte a PCIe 3.0 em todas as mainboards

Assim como outras mainboards com chipset Z490, ela também conta com slots PCI-Express 4.0, mas, diferente de outros fabricantes como ASRock e Gigabyte, a ASUS não divulga - já que, por enquanto, não é possível usufruir dessa tecnologia, visto que os processadores Core de 10ª geração não são compatíveis. Mas por que adicionar se eles não são compatíveis? Porque os modelos Core de 11ª geração que vão funcionar no mesmo soquete serão. Logo, após o update de BIOS o usuário terá não apenas suporte a nova linha de processadores, mas também o suporte a SSDs, placas de vídeo e outros componentes com PCIe 4.0.

Acabamento, componentes, tecnologias, tudo do melhor e naturalmente um projeto também com foco em overclock. Está entre as placas mais completas nesse sentido, com uma série de sensores e tecnologias para levar o usuário ao limite da plataforma se a ideia é overclockar o sistema - ao todo, 16 controladores de fases acompanhados de um projeto muito refinado em busca do máximo. Como tenho destacado em outras reviews, a ASUS também ganha os holofotes na busca de facilitar a vida dos usuários com menor conhecimento, oferecendo tanto de forma simples via BIOS como por aplicativos um processo automático de overclock, onde a IA do aplicativo analisa o hardware e coloca ele no limite após alguns testes, muito legal.

Não posso deixar de destacar também a suite de aplicativos da ASUS, começando pelo Armoury Crate, uma espécie de software inicial em busca de tudo que será necessário para fazer todas as tecnologias da placa funcionarem no melhor cenário possível - desde drivers até outros aplicativos da ASUS, como o AI Suite 3, um centralizador de outros aplicativos para overclock do sistema, gerenciamento dos leds RGB da placa-mãe e outros componentes, softwares para otimização do Windows, dos jogos etc. Vale a pena conferir.

Uma Ferrari das placas-mãe em todos os aspectos: visual, tecnologias e preço

Mas ai chegamos ao preço, e o preço dessas placas não é brincadeira. Por uma questão lógica, trazendo tudo que existe de melhor, várias tecnologias bem específicas, não tem como lançar o produto em um preço baixo. Nos EUA ela chegou custando US$750 em seu lançamento. Por aqui tem seu preço acima de R$7.000 no dia da publicação da análise, mas que pode variar bastante de acordo com o dólar. Ai você me pergunta: vale toda essa grana? É a mesma coisa que perguntar isso para quem compra uma Ferrari ou um Porsche. Quem comprou vai jurar que foi a melhor compra do mundo, mas porque tinha dinheiro para isso, e é justamente o caso de placas desse perfil, bem semelhante à Gigabyte Z460 AORUS Xtreme que também analisamos, parecida com a testada dessa vez: recheada de recursos e acabamento primoroso, mas que custam muito caro. Logo, são interessantes apenas para quem quer o que existe de melhor, mas na prática não oferecem muito a mais do que um modelo como a Maximus XII HERO (WiFi), uma placa completa que custa metade do valor.

PRÓS
Acabamento e componentes de alta qualidade
Suporte a memórias de alta frequência
Todas as tecnologias, em suas versões mais recentes
Vários acessórios e mimos da linha RoG
Excelente sistema de áudio
Projeto com muitas tecnologias visando melhor cenário para overclock
CONTRAS
Sem suporte a PCIe 4.0 (Terá com Core de 11ª geração)
Sem conexão de vídeo, pode ajudar muito em determinadas situações
Custa o dobro de uma placa-mãe já muito boa
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.