ANÁLISE: PRIME A320M-K/BR - Placa do PC da Crise é a AM4 mais vendida da ASUS no Brasil

O típico modelo bom e barato indicado para a grande maioria dos usuários

Depois da Intel, a análise de hoje será da versão AMD da placa mais vendida pela ASUS. Estamos falando do modelo PRIME A320M-K/BR, bastante conhecido por nós do Adrenaline já que é justamente o modelo que está no PC da Crise - nosso PC mais barato atualmente, entre os vários que montamos e seguimos fazendo conteúdos.

Site oficial da ASUS PRIME A320M-K/BR
Análise ASUS PRIME H310M-E R2.0/BR

A placa-mãe PRIME A320M-K/BR, lançada em 2017, é a mais vendida pela ASUS no Brasil quando se trata de modelos soquete AM4

Como não poderia deixar de ser, já que foi a escolhida para o PC da Crise, trata-se de um modelo barato e, dessa forma, bem diferente de boa parte dos modelos que analisamos por aqui. Por outro lado, ela vai funcionar mesmo com modelos de CPUs mais potentes, apesar de não ser indicada para uso com chips Ryzen 7 ou Ryzen 9 - justamente porque, para tornar a placa barata, a ASUS teve que limitar o nível dos componentes utilizados, assim como qualquer outra empresa.

A placa, de produção nacional, está custando atualmente pouco mais de R$500, valor bem semelhante ao modelo PRIME H310M-E R2.0/BR para processadores Intel Core de 7ª e 8ª geração que testamos faz pouco tempo.


Tecnologias

O grande motivo do sucesso desse modelo e de outros semelhantes está relacionado principalmente ao preço, já que, considerando o uso de mesmo chipset, as placas-mãe não mudam muito no que oferecem em tecnologias. Porém uma placa vai além de tecnologias: tem o acabamento e, principalmente, a qualidade dos componentes, que faz elevar o valor final. No caso dessa A320, o que ela perde na prática para um usuário que busca apenas o uso de um computador tradicional é o potencial para overclock e limitação de uso com CPUs intermediários. De resto, a maioria das tecnologias estão presentes - e nisso eu destaco o suporte aos modelos Ryzen 3000, um bom suporte a memórias com até 3200MHz e slot M.2 NVMe.

- Continua após a publicidade -

Funciona com modelos Ryzen 7 e Ryzen 9, mas definitivamente não é indicada, pois pode cortar número de núcleos e threads do CPU

O que ela perde além do suporte e overclock? Tecnologias como StoreMI, Multi-GPU, (Crossfire e SLI) e limitação de linhas PCIe. Mas, novamente, a gigante maioria dos usuários não irá notar, especialmente porque se trata de um modelo que, por questão lógicas de preço, será combinada com CPUs da mesma faixa - leia-se Ryzen 3 ou Ryzen 5 combinados a outros componentes de mesmo nível, visando um equilíbrio de componentes.

A grande diferença para os modelos mais caros fica nos componentes e tecnologias, mas o desempenho não muda em vários cenários

A ASUS destaca o sistema de proteção automática do hardware instalado, construção da placa com várias camadas, gerenciamento de FANs e áudio com suporte a oito canais.

Aos mais interessados, vejam esse vídeo do Peperaio sobre esse modelo

Abaixo, uma tabela mostrando algumas diferenças entre chipsets AMD, incluindo o X399, que é baseado em outro soquete.


Rodando com um Ryzen 9 3950X

Ai você pensa: "bom, é uma placa barata e só vai funcionar com modelos de processadores de baixo desempenho". Mais ou menos! Veja nosso vídeo abaixo mostrando ela rodando com um Ryzen 9 3950X... No caso, a placa limitou o CPU em 4 cores e 8 threads, ou seja, deixa funcionar, mas para evitar problemas já "capa" o CPU lá embaixo, limitando seu desempenho e consequentemente evitando forçar a placa demais.

- Continua após a publicidade -

Ao todo, ela traz 6 controladores de fases, sendo 4 para o CPU.


Fotos

Como aconteceu com o modelo PRIME H310M-E R2.0/BR, a PRIME A320M-K/BR é uma placa de entrada e, por lógica, tem um projeto mais modesto, incluindo o uso de componentes mais baratos. Isso é bem visível nas fotos abaixo.

Modelo não deverá suportar processadores Ryzen 4000

Como destaques, tem suporte aos modelos Ryzen 1000 até os atuais Ryzen 3000. Ela também suporta memórias de até 3200MHz, uma frequência muito boa e que certamente dará um ganho extra interessante em várias situações, especialmente em games e aplicações gráficas. Tem um slot M.2 e um PCI-Express x16. No painel traseiro, uma conexão HDMI 1.4 e também uma D-Sub - mais antiga, mas faz sentido para esse perfil de placa. É um projeto que lembra bastante a versão H310 mais vendida pela ASUS.


BIOS

A interface de BIOS é igual a qualquer outro modelos da ASUS - entre as melhores nesse quesito, como sempre destacamos em nossas análises. O que muda é a quantidade de tecnologias e opções. Novamente, assim como a H310M-E R2.0/BR, esse modelo não terá uma série de configurações para overclock, por exemplo, porque se trata de um modelo com chipset que não oferece essas funções para os processadores.

Download BIOS ASUS PRIME A320M-K/BR

- Continua após a publicidade -

 


Sistema Utilizado

Veja abaixo os detalhes do sistema utilizado na bateria de testes. Foram usados os mesmos componentes em todas as plataformas, com exceção da placa-mãe.

Máquinas utilizadas nos testes:
Todos os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: AMD Ryzen 5 3600 [análise]
- Placa de vídeo: NVIDIA GeForce RTX 2080 Ti [análise]
- Memórias: 16GB G.Skill TrindentZ RGB 3200MHz (2x8GB) [site oficial]
- Cooler: Noctua NH-U12S [site oficial]
- Fonte de energia (PSU): Thermaltake Toughpower 850W GOLD PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 64 Bits build 2004 com updates
- GeForce 451.xx

Aplicativos/Games:
- AIDA 5.xx
- CrystalDiskMark 5.x
- Cinebench R15
- WinRAR 5.7x
- wPrime 1.55
- 3DMark Fire Strike (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)

CPU-Z / AIDA
Confira abaixo as telas do CPU-Z e AIDA, com detalhes da placa-mãe e parte do sistema utilizado nos testes. Utilizamos as memórias em 3200MHz - o máximo recomendado para as CPUs AMD Ryzen 3000, e também o máximo que essa placa-mãe suporta.

Para usar a frequência máxima das memórias, é necessário "carregar" o perfil na BIOS

Overclock
Placas-mãe com chipset A320 não suportam overclock, logo não teremos testes com overclock nessa análise. Diga-se de passagem, em um modelo com esse perfil de componentes nem seria indicado fazer OC.


Testes

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema. Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso (IDLE).

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, obtivemos os seguintes resultados de consumo:

Testes de desempenho
Temos uma série de testes de desempenho com o sistema, que você pode conferir abaixo. Comparamos a placa com outros modelos do mercado, utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes - com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema!

AIDA64 
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de leitura, escrita, cópia e latência. Confira abaixo:

ATTO Disk Benchmark
Outro aplicativo famoso para teste de desempenho de unidades de armazenamento é o ATTO. Vejam abaixo o comportamento dos modelos comparados:

CineBench
O próximo teste é de renderização de imagem com multi-core - todos os núcleos são colocados para trabalhar:  

WinRAR
Outro teste indicado que pode ser utilizado para medir o comportamento do processador é o WinRAR, que consegue fazer bom uso de todos os cores:

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, obtemos os resultados abaixo:  

3DMark
Começamos nossos testes com foco em vídeo no 3DMark, mas, por enquanto, com a placa de vídeo dedicada:

Red Dead Redemption 2
Game da RockStar, com belíssimos gráficos e uma boa referência para medir o comportamento de sistemas. Nosso teste considera o game rodando sobre a API Vulkam.

Shadow of Tomb Raider
O mais recente game da franquia da Lara Croft, Shadow of Tomb Raider, traz ótimos gráficos, exigindo muito do sistema, mesmo os de alta performance.


Conclusão

Como destaquei na análise da PRIME H310M-E R2.0/BR, esse tipo de análise mostra alguns cenários importantes quando tratamos de placas-mãe. O primeiro deles, e que chama mais atenção, é que, usando os mesmos componentes e configuração, não importa o modelo da placa e chipset que ela usa, em um mesmo cenário, o desempenho será igual. Aqui só temos que cuidar, pois não é indicado o uso de um processador das linhas de maior desempenho com as placas mais baratas - eles até funcionam, mesmo que às vezes não em seu cenário ideal, como demonstramos no teste com o 3950X, mas definitivamente não tem sentido.

O que muda é que modelos de melhor qualidade e com chipsets melhores irão quase sempre oferecer mais tecnologias e uma construção que permita forçar mais a CPU e/ou usar CPUs de maior desempenho em seu cenário ideal - além de aumentar a longevidade da placa, especialmente quando usamos processadores de maior desempenho, já que esses modelos tendem a forçar mais outros componentes, em especial a placa-mãe.

Placa-mãe oferece as tecnologias básicas da plataforma

A ASUS PRIME A320M-K/BR, assim como a PRIME H310M-E R2.0/BR, é uma placa-mãe de entrada. Isso quer dizer que ela oferece o que todo modelo básico com esse chipset vai oferecer - e engana-se quem acha que isso quer dizer limitar muito o desempenho e tecnologias. Ela suporta dual channel (como toda placa-mãe para esse soquete), tem um slot M.2 NVMe, que é o atual padrão de mercado para SSDs mais rápidos, e, apesar de não suportar módulos de memória acima de 3200Hz, essa é a frequência utilizada por boa parte de quem monta sistemas gamer mais parrudos por ainda ter um preço não tão alto frente a módulos com frequência maior.

Logicamente, por se tratar de um modelo de baixo custo, não tem tecnologias como Wi-Fi, Bluetooth, suporte a frequência mais altas de memória e overclock. Mas tais características certamente poderiam dobrar o preço da placa, que para muitos não faria sentido, possibilitando comprar outros componentes mais importantes. Por isso que ela é a mais vendida dessa plataforma: porque tem o necessário.

Já quando falamos de desempenho, não existe diferença tanto para modelos Intel quanto para AMD - se os sistemas usarem os mesmos componentes e configurações. Ou seja, não tem mudança de performance entre um computador com placa-mãe chipset A320 e outro com B550, X570, isso sempre considerando todos os mesmos hardwares mudando apenas a placa-mãe. A diferença fica por conta do suporte ideal a determinados nível de processador e nas tecnologias oferecidas.

Placa ideal para um Ryzen 3 ou no máximo Ryzen 5, até os modelos Ryzen 3000

Por utilizar um chipset barato da primeira geração de placas AM4 da AMD, e depois de suportar três gerações de processadores, placas com esse chipset não irão suportar os modelos Ryzen 4000, o que já era bem óbvio. É um clássico exemplo de placa com boa longevidade, um baita ponto positivo dela.

O que faz esse modelo ser tão atrativo é que ela é muito barato, oferecendo o que de mais importante um computador básico precisa, inclusive suporte a tecnologias importantes como SSDs NVMe M.2 e memórias de até 3200MHz - que fará diferença em vários cenários, como em games ou aplicativo que faça uso desse nível de configuração, como a edição de um vídeo.

Ahhhh! Outra coisa atrativa dela é que sua caixa pode virar o próximo gabinete... kkkkk não indicamos isso, mas foi a saída para montarmos o PC da Crise: usar a próxima caixa da placa-mãe, evitando assim gastar alguns preciosos reais.

Atualmente, a ASUS PRIME A320M-K/BR está custando R$520 em média - um pouco menos do que a ASUS PRIME H310M-E R2.0/BR e com o extra de suportar três gerações de processadores, inclusive modelos Ryzen 3000. A PRIME H310 parou nos modelos Core de 8ª geração, já que a 9ª geração utiliza outro soquete. É um diferencial bastante importante em modelos baratinhos: suporte a uma gama maior de processadores além de memórias com maior frequência.

Outro detalhe é que novas placas com chipset A5x podem ter limitações importantes na quantidade de CPUs suportados, apesar, é claro, de suportar os novos modelos Ryzen 4000 que estão chegando, coisa que as A320 não terão e isso deve ser levado em consideração, é um modelo que já alcançou seu "máximo" em CPUs suportados.

Na briga com H310, o A320 leva várias vantagens, entre elas suportar mais processadores

A dica é sempre ficar de olho, ainda mais agora. Produtos que estão a mais tempo no mercado tendem a ter preços melhores devido estoque antes da pandemia, já o que está chegando acaba sofrendo com todo o cenário criado pelo COVID-19: alta do dólar e os preços lá para cima.

PRÓS
Baixo custo com as tecnologias mais importantes
Suporte para três gerações de processadores Ryzen
Suporte a memórias de até 3200MHz
CONTRAS
N/A
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.