ANÁLISE: Maximus XII HERO (Wi-Fi) é uma das mainboards mais completas da ASUS

Excelente acabamento padrão da linha RoG, muitas tecnologias e preço altíssimo
Por Fabio Feyh 21/06/2020 17:46 | atualizado 21/06/2020 17:48 comentários Reportar erro

Recebemos para review a placa-mãe ASUS Maximus XII HERO (Wi-Fi), primeiro modelo que analisamos com o chipset Z490, que introduz o soquete LGA1200 ao mercado, e junto com ele o suporte aos processadores Intel Core de 10ª geração. A linha Maximus possui 4 modelos, com a Maximus XII Extreme como topo de linha da ASUS e a HERO como um dos modelos de entrada dessa série.

Como grandes destaques da HERO temos o suporte a memórias de até 4800MHz, 3x slots M.2 PCIe 3.0, 2x conexões de LAN sedo uma de 5Gb, Wi-Fi 6 e Bluetooth 5.1, sistema de áudio SupremeFX de 7.1 canais e várias conexões USB, incluindo 3.2 Gen2.

Modelo está entre os melhores da ASUS, com alto padrão de qualidade e muitas tecnologias

Site oficial da ASUS Maximusw XII Hero (Wi-Fi)
Análise Intel Core i9-10900K
Análise Intel Core i7-10700K
Análise Intel Core i5-10600K

Em cenário internacional essa placa está custando US$399, já no Brasil seu valor atualmente é de cerca de R$3.500, mas esse valor pode variar bastante com a mudança do dólar, tanto para cima como para baixo.


Tecnologias

Estamos falando de uma placa com projeto bastante diferenciado sobre a grande maioria, com alto acabamento e suporte a uma grande quantidade de tecnologias, com vários destaques. Suporte a memórias de até 4800MHz, Wi-Fi 6 e Bluetooth 5.1, conexões USB 3.2 Gen2 e sistema de áudio SupremeFX (CODEC S1220 + ESS ES9023 DAC + RC4580 OP AMP) de alta qualidade, estão entre os maiores destaques.

- Continua após a publicidade -

Ela também traz uma conexão de vídeo HDMI, porém em sua versão 1.4b. Para quem precisa de alta velocidade em trafego de dados, 2 conexões de rede, uma baseada no chip Intel i219-V com 1Gb, e outra de 5Gb baseada no chip Marvell AQtion AQC111C.

A construção da placa foi feita pensando em usuários entusiastas, que pretendem combinar ela com os modelos de processadores mais potentes, especialmente os da linha K, que trazem opção de overclock. Ela tem 14+2 controladores de fases e CPU alimentado por um conector de 8 pinos e outro de 4 pinos. Dissipadores sobre os componentes mais exigidos e que aquecem mais, incluindo todos os slots M.2, além de uma série de conectores para FANs e liquid cooler. Gerenciamento completo dos LEDs pelo AURA também é outro destaque da placa, possibilitando configurações avançadas nesse aspecto.

A Asus também tem destacado bastante o novo sistema de IA de suas placas-mãe, sistema que visa facilitar a vida do usuário sem conhecimento avançado em determinadas funcionalidades do sistema, como em overclock e configurações que não são aplicadas de forma automática, o grande exemplo está nas memórias, que normalmente definem como frequência máxima 2133MHz ou 2400MHz, mesmo quando possuem suporte a frequências de até 3200MHz por exemplo, e nesse caso o sistema aplica o XMP máximo suportado.

ASUS AI Website

Além desse exemplo, os algoritmos trabalham visando "ajudar" em outros cenários do sistema, como em melhor eficiência na refrigeração, tanto no quesito ruído como em manter os componentes mais frios, assim como também melhorar a velocidade de trafego de dados na rede.


Fotos

Nas fotos comprovamos o que destaquei acima, é uma placa com um projeto muito bom, com alta qualidade nos componentes e acabamento, além de ser recheada de tecnologias. O visual remete muito a outros modelos da linha RoG, com muitos dissipadores na cor preta e com boa parte do corpo coberta, logicamente, com vários LEDs como virou padrão em todas as mainboards com esse perfil.

- Continua após a publicidade -

Processadores Core de 10ª geração só funcionam em placas-mãe soquete LGA 1200

Além das várias tecnologias já destacadas anteriormente no texto, a ASUS inseriu um botão muito legal no PCB próximo ao botão de "START" e Q-Code LED, chamado "Flex Key". Esse botão tem diferentes possibilidade, desde funcionar como reset, mas também receber outras funções, como desligar os LEDs da placa e até mesmo entrar direto na BIOS, logicamente, interessante para quem uso o sistema em bancada ou com o gabinete aberto.

A placa traz o painel traseiro fixo, conexões de áudio banhadas a ouro, 4 portas USB 3.2 Gen2 com transferência de até 10Gbps, sendo 3 delas do tipo A. Também tem uma HDMI, porém em versão 1.4b e não 2.x. Botões para reset da BIOS e update da BIOS também estão disponíveis no painel traseiro.


BIOS

Abaixo algumas telas da BIOS, com a interface tradicional da ASUS, uma das melhores em nossa opinião.

BIOS DOWNLOAD - ASUS MAXIMUS XII Hero (Wi-Fi)

Como um dos atrativos dessa geração, o sistema IA foi aprimorado, ele analisa o hardware instalado e busca o melhor cenário de configuração, desde setar o XMP máximo das memórias, até realizando o overclock, levando em consideração o cooler instalado, tudo sem que o usuário entenda bulhufas de configuração, muito legal já que grande parte dos usuários sequer seta o perfil XMP máximo de suas memórias, e acaba perdendo um ganho desempenho considerável dependendo o hardware que possui.

- Continua após a publicidade -


Sistema Utilizado

Veja abaixo os detalhes do sistema utilizado na bateria de testes. Foi usado o mesmo em todas as plataformas, com exceção da placa-mãe.

Máquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: Intel Core i5-10600K [análise]
- Placa de vídeo: GeForce RTX 2080 Ti [análise]
- Memórias: 16GB G.Skill TrindentZ RGB 3200MHz (2x8GB) CL14 [site oficial]
- SSD Seagate FireCuda 520 500GB PCIe4 [site oficial]
- Cooler: Noctua NH-U12S [site oficial]
- Fonte de energia (PSU): Thermaltake Toughpower 850W GOLD PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 "2004" 64 Bits com Updates
- GeForce 446.xx

Aplicativos/Games:
- 7-Zip 2.x
- AIDA 5.xx
- ATTO Benchmark 4.x
- Cinebench R20
- wPrime 1.55
- 3DMark Fire Strike Ultra (DX11 - 4K)
- Red Dead Redemption 2 (Vulkan)
- Shadow of Tomb Raider (DX12)

CPU-Z/AIDA
Confira abaixo as telas do CPU-Z e AIDA, com detalhes da placa-mãe e parte do sistema utilizado nos testes. As memórias serão setadas com a configuração máxima recomendada pelo CPU utilizado, no caso, 2666MHz do Core i5-10600K.

Para usar a frequência máxima das memórias, é necessário definir o perfil XMP na BIOS


Overclock

Os processadores da linha K da Intel costumam se sair bem em overclock, sendo que colocamos esse mesmo Core i5-10600K com todos seus núcleos trabalhando em 4.9GHz na review, mas a verdade é que ele pode ir além sem forçar muito, e nessa review subimos mais um pouco o clock, definindo todos os núcleos em 5.1GHz. A tensão definida foi de 1.375v, dentro de uma margem que pode ser usada de forma contínua em um sistema com bons componentes como é o caso.

Já as memórias subi de 2666MHz utilizado no teste default, para 3200MHz através do perfil XMP máximo do kit utilizado.

Fiz um teste com o sistema de overclock através da tecnologia IA da BIOS da ASUS. O que o sistema fez foi definir o perfil XMP máximo das memórias, e aumentou alternadamente o clock dos núcleos, chegando em 5.1GHz, o que naturalmente apresentou um ganho de desempenho, ficando entre o modo default e o overclock que apliquei em todos os núcleos, certamente é o modo mais indicado para a maioria dos usuários.

Esses 21% de overclock que a Asus informa, considera principalmente o ganho sobre a frequência das memórias, mas que nada mais foi do que setar o perfil XMP do kit utilizado.

OBS.: Sempre lembramos que você deve fazer overclock por sua conta e risco, dependendo do quanto e como forçar o sistema, pode gerar problemas irreversíveis.


Testes

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema. Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso (IDLE).

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, obtivemos os seguintes resultados de consumo:


Testes de desempenho
Temos uma série de testes de desempenho com o sistema, que você pode conferir abaixo. Comparamos a placa com outros modelos do mercado, utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes - com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema!

AIDA64 
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de leitura, escrita, cópia e latência. Confira abaixo:

ATTO Disk Benchmark
O ATTO é um bom aplicativo para teste de desempenho de unidades de armazenamento, sendo um dos mais utilizados para essa finalidade. Vejam abaixo o comportamento de um SSD PCIe4 testado nos modelos de placas comparadas:

CineBENCH R20
O CineBench está entre os mais famosos testes de benchmarks para processadores, baseado em um teste convertendo uma imagem. Adicionamos aos comparativos o teste Multi Core:

7-Zip
O software de compactação 7-Zip se tornou um dos mais populares do mundo por se tratar de um aplicativo de código aberto. Ele possui também um benchmark interno que vem sendo muito utilizado para métrica de performance. Abaixo, o desempenho dos sistemas com ele:

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, obtemos os resultados abaixo:

3DMark
Em se tratando de testes de desempenho gráfico do sistema, começamos com o 3DMark no modo Fire Strike Ultra, que usa resolução 4K:

Red Dead Redemption 2
Game da RockStar, com belíssimos gráficos e uma boa referência para medir o comportamento de sistemas. Nosso teste considera o game rodando sobre a API Vulkam.

Shadow of Tomb Raider
O mais recente game da franquia da Lara Croft, Shadow of Tomb Raider traz ótimos gráficos, exigindo muito do sistema, mesmo de alta performance.


Conclusão

As placas-mãe da linha RoG tem tradição de produtos de altas qualidade e com muitas tecnologias, com essa Maximus XII Hero (Wi-Fi) não é diferente, uma placa espetacular, belo acabamento, e tudo o que pode se pedir em uma placa-mãe, incluindo as versões mais recentes de todas as tecnologias que ela traz.

Como falei antes, entre seus maiores destaque cito o suporte a memórias com frequência de até 4800MHz, Wi-Fi 6 e Bluetooth 5.1, conexões USB 3.2 Gen2 alcançando 10Gbps e sistema de áudio SupremeFX (CODEC S1220 + ESS ES9023 DAC + RC4580 OP AMP) de alta qualidade. Mas ela ainda traz uma série de outros recursos, todos com as versões mais recentes das tecnologias existente do mercado.

Modelo traz todas as tecnologias disponíveis e mais recentes para essa plataforma

Agora apesar de ser recheada de tecnologias, nem ela e nenhuma outra placa-mãe Z490 terá ainda, ao menos não para uso efetivo com os atuais Core de 10ª geração, suporte a PCIe 4.0. Você já pode ter notado que alguns fabricantes destacam o suporte a PCIe 4.0 em placas Z490, mas ao menos com os processadores de 10ª geração essa tecnologia não será suportada. As fabricantes que estão mencionando essa tecnologia estão fazendo como marketing, pensando na 11ª geração Core, que de acordo com vazamentos, traria suporte a PCI-Express, e como de costume, devem ser suportadas pelas placas com chipset Z490 após update de BIOS.

Processadores Core 10ª limitam o suporte a PCIe 3.0 em todas as mainboards

É um modelo com projeto muito bom para quem busca tirar o máximo dos processadores Core da linha "K", que podem ser overclockados. Como destaquei, tem 14+4 controladores de fases, suporta frequências altas de memórias, até 4800MHz, tudo visando alcançar o limite da plataforma. A BIOS da Asus também merece destaque, sempre bastante funcional no que se propõe. A empresa também busca sempre inovar no quesito facilidade de configurações com processos automáticos na BIOS, como com mo uso do que a empresa tem chamado de sistema "IA", onde algoritmos analisam o hardware instalado e buscam o limite ideal deles para funcionamento do sistema, desde desempenho, ao sistema de dissipação de calor e também trafego de dados pelos chips de rede.

Uma placa-mãe excelente, mas com custo muito alto

Em cenário internacional essa placa foi lançada por $399 dólares, é um valor bastante alto mesmo para fora do país, valor que poderia ser do modelo topo de linha com esse soquete, mas existem ainda dois outros modelos acima dela(Extreme e Formula), e a Apex que é possui o mesmo preço. Já no Brasil temos o problema de sempre, variação do dólar, e nesse momento, com o coronavírus atuando como potencializador desse problema, já que o dólar tem variado sempre acima de R$5. Em buscas achei ela por R$3.500, um valor bastante alto, mas que está de acordo com o que se cobra lá fora pela placa considerando o preço Brasil. Acho que uma placa assim deveria custar no máximo uns R$2.500, mas não sei quando isso acontecerá e se acontecerá antes de sair uma nova geração desse chipset. Uma boa placa-mãe Z490, tirando suporte a tecnologias como Wi-Fi e Bluetooth, pode ser encontrada por cerca de R$1.600. Os novos modelos com o chipset B460 já aparecem à venda, com preços pouco acima de R$1.000, então é bom ficar de olho neles também quando se trata de processadores Core de 10ª geração soquere LGA 1200.

PRÓS
Ótimo acabamento com belo design
Suporte para memórias de alta frequência
Muitas tecnologias, em suas versões mais recentes
Bom projeto para quem busca overclock do sistema
CONTRAS
Cara, muito cara
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.