ANÁLISE: Teclados Pichau P531, P631K e P731

Algumas das melhores escolhas para quem procura um bom teclado mecânico ABNT2 RGB

Os teclados Pichau P531, Pichau P631K e Pichau P731 foram primeiramente apresentados na BGS 2019, tendo como proposta serem teclados mecânicos ABNT2 com RGB e preço acessível.

Embora tenham algumas diferenças externas, nomes e switches diferentes, por dentro todos eles são o mesmo teclado. Mesmos componentes internos, mesmo número de modelo base (ML859-B-RGB-V03), as diferenças estão apenas nos switches, cabo e carcaça utilizada.

Links de compra dos teclados na Pichau

Nesta análise, nós temos apenas o Pichau P531 (Outemu) e Pichau P731 (Cherry) disponível, mas peço que vocês leitores considerem ela válida para o Pichau P631K (que usa switches Kailh, por isso K) também, que utiliza a mesma carcaça e cabo que o P531.

Construção Externa

Fora os switches, a construção externa é o único ponto onde há diferença entre estes teclados, mas não é muita, os teclados Pichau P531 e Pichau P631K (baixo) são idênticos externamente, enquanto o Pichau P731 (cima) é um pouco diferente:


Cima: Pichau P731. Baixo: Pichau P531

O Pichau P731 é mais "quadrado" em seu design, enquanto os modelos Pichau P531 e Pichau P631K são mais redondos e possuem estas bordas em alumínio polido.

- Continua após a publicidade -

A grande diferença na parte externa destes teclados, é que o Pichau P731 possui um duto para fios, permitindo que você escolha para qual direção o cabo do P731 irá sair, enquanto no caso do P531/P631K, o cabo sai da direita do teclado.

A construção externa destes teclados é boa e bastante adequada ao preço. Claro, nenhum utiliza uma estrutura ridiculamente robusta e são teclados relativamente leves comparados a outros, mas não há nada para reclamar julgando o preço destes.

Em seguida temos as keycaps, que são as mesmas entre estes teclados, feitas em plástico ABS e com método de impressão Double-Shot, o que torna elas extremamente resistentes a desgastes:

Estas são as mesmas keycaps que são utilizadas por teclados recentes da Havit e outras marcas, inclusive suspeito que a mesma OEM (a fabricante chinesa) usada pela da Havit, seja a OEM da Pichau.

A grafia destas keycaps é boa, a fonte é extremamente legível e a única coisa que pode estranhar algumas pessoas, são os "recortes" no meio de algumas letras, tal como "O", "A", "8" e outras letras e caracteres onde se forma um "campo fechado".

O problema nesse caso não é a "fonte" utilizada, na verdade é proposital. O método "Double-Shot barato" que maioria das empresas utilizam, infelizmente não permite "caracteres fechados", por isso existem estes recortes.

Enfim, a construção dos teclados Pichau P531, Pichau P631K e Pichau P731 é ótima e extremamente adequada ao preço.

- Continua após a publicidade -

Construção Interna

Conforme já dito, os teclados Pichau P531, P631K e P731 são totalmente idênticos no interior, não há nada em sua PCB que diferencie um do outro:



Cima: Pichau P531. Baixo: Pichau P731

As únicas diferenças que são visíveis ao olho, são os switches, os Cherry possuem o encaixe branco, enquanto os Outemu possuem um encaixe escuro.

Avaliando a placa em si (e outros pontos), estes teclados realmente me lembram os modelos da Havit. E avaliando as soldas dos teclados, não encontrei problemas, apenas o fato que o Pichau P731 tinha alguns resíduos de solda em alguns pontos da placa, os quais saem facilmente usando a unha e não creio que devem apresentar problemas.

No caso do Pichau P531, não existia resíduos de solda em nenhuma parte da placa e todas as soldas estavam bem feitas:

O curioso da placa destes teclados, é que ela foi projetada para que possa ser utilizada em teclados com designs bem diferentes, o que é provado pelo fato de que a placa destes teclados possui suporte para iluminação lateral, embora os LEDs não estão instalados e a carcaça não permite que luz passe:

- Continua após a publicidade -

Há até um encaixe para um LED embaixo da barra de espaço, estilo "Razer Blackwidow". Se alguém quiser se aventurar e realizar modificações nestes teclados, sinta-se à vontade.

Enfim, a única grande diferença nestes teclados está realmente na questão dos switches, havendo três opções:

  • Outemu (P531)
  • Kailh (P631K)
  • Cherry (P731)

Os switches da Outemu estão bastante complicados, a empresa está com um nível de produção absurdamente alto e o controle de qualidade diminuiu bastante nos últimos anos. O resultado é que, embora a Outemu seja uma marca que já foi muito recomendada no passado, devido à queda de qualidade e à presença de opções melhores com uma pequena diferença de preço, ela não é uma boa escolha, pois pode vir a apresentar problemas com double-click e outras falhas com o tempo.


Outemu Red do Pichau P531

A Kailh é uma empresa que melhorou absurdamente nos últimos anos e continua melhorando. Se eu escrever tudo o que penso dela, vai parecer que estou fazendo uma propaganda da marca, mas ela realmente trabalhou muito para chegar onde está hoje, tendo uma excelente relação entre qualidade e preço, além de um dos maiores e melhores portfólios de switches do mercado.


Switches Kailh Speed

A Cherry é clássica, o controle de qualidade é indiscutível, ao comprar Cherry você pode ter certeza de que as chances de problemas serão baixas. Além disso, o Pichau P731 é o teclado mecânico RGB com switches Cherry mais barato do Brasil, o que é excelente.

o Pichau P731 é o teclado mecânico RGB com switches Cherry mais barato do Brasil


Switch Cherry MX de um Ducky One 2 Mini

Mas o problema da Cherry é que ela parou no tempo e não tomou atitudes para competir contra o "custo x benefício" e novos switches de concorrentes como Kailh e Gateron, e o resultado é que ela perdeu muito mercado, tanto em teclados de entrada, quanto em teclados high-end.

Por mais que a Cherry seja uma excelente marca, é difícil justificar os mais de 100 reais de diferença entre o P631K e o P731, não há um ganho de qualidade absurdo ou algo do tipo.

Recursos e Extras

Curiosamente, o modelo com mais "extras" é o teclado mais barato, o Pichau P531, que possui um mecanismo de "hotswap" de switches via encaixes que são chamados de "holtites".

Acompanhando isto, há um saco com quatro switches Outemu Brown e também um removedor de switches/keycaps em plástico, que é o melhor removedor de switches que já usei até hoje, muito melhor do que os modelos de metal que há no mercado:

Embora eu não usaria ele como removedor de keycaps em outros teclados, pois ele parece "raspar" as laterais das keycaps ao encaixar, o que não é um problema no caso do Pichau P531, mas pode ser um problema em outros teclados com keycaps de menor qualidade.

E antes que alguém pense "Ah, ele tem hotswap, logo é o melhor dos três", esse sistema não é tão bom assim. Os "holtites" utilizados pelo Pichau P531 e também por teclados de marcas como Redragon e T-Dagger, são limitados a switches Outemu, que possuem "pernas" mais finas do que switches de outras marcas. Ou seja, switches da Cherry, Kailh ou Gateron não vão encaixar.

Também, mesmo sendo "hotswap", não se recomenda que troque os switches - a menos que necessário - pois o encaixe dos "holtites" é extremamente firme e, se você não tomar cuidado, é ridiculamente fácil danificar as pernas dos switches ao remover ou encaixá-los.

No final, não é algo tão bom quanto sistemas de "sockets" como os Kailh Hotswap que estão disponíveis em teclados como o Glorious GMMK e outros teclados high-end com hotswap.

Seguindo, agora vamos entrar no software, o qual é o mesmo para os três teclados. A versão antiga do software tem um bug extremamente irritante que diminui a velocidade de repetição das teclas ao segurar, mas a versão atual do software corrigiu isso.

O software dos teclados Pichau P531 / P631K / P731 é bastante básico e a interface não é tão intuitiva de início. Primeiro de tudo, você deve clicar em "Perfil" no canto superior direito para poder editar qualquer coisa, o modo "PCMODE" é o modo "padrão" que não permite modificações.

Em seguida, você pode clicar em qualquer tecla e trocar a função dela, seja para realizar macros, iniciar programas ou você pode desligar ela. Também, diferente de outros teclados mecânicos da faixa de preço do P531 e P631K, é possível atrelar perfis a programas/jogos, o que pode ser interessante para alguns.

O sistema de macros dos teclados mecânicos da Pichau é extremamente simples, mas foi mal traduzido por alguém que provavelmente não tinha o teclado em mãos para saber o que estava traduzindo. O resultado, é que botões como "Iniciar gravação", foram erroneamente traduzidos como "Opções de Gravação".

Também, como podem notar, há algumas partes que não foram traduzidas, outras pela metade... Mas enfim, tirando a má tradução, ele faz o básico e não se espera mais do que isso nessa faixa de preço.

Há também uma aba para controle de iluminação, mas este segmento é ainda mais limitado do que outros teclados da faixa de preço, fora que a única coisa que você está fazendo, é trocando efeitos que podem ser configurados pelo próprio teclado.

Enfim, para quem espera fazer um "show de luzes", os teclados Pichau P531, P631K e P731 irão decepcionar, sugiro ir atrás do Cooler Master CK550 (R$ 350). Para quem só quer deixar em uma cor ou em um único efeito e esquecer, sem problema nenhum.

Conclusão

Conforme foi possível ver na análise, os teclados Pichau P531, Pichau P631K e Pichau P731 são exatamente o mesmo teclado por dentro, mesma PCB, mesmos componentes, tudo é igual, a única mudança que há é nos switches e na carcaça.

A construção interna é ótima para o preço e não encontrei problemas graves no interior do P531 ou P731. A construção externa de ambos é adequada para o preço, as keycaps ABS Double-Shot são de ótima qualidade e não apresentarão desgastes com o tempo, o software é bastante básico (e possui alguns erros de tradução), mas é o que se espera pelo preço...

Minha maior crítica para esses teclados, não é aos teclados em si, mas sim à decisão da Pichau em lançar os três modelos usando switches Red, o que foi uma péssima escolha pois acaba fazendo um teclado competir com o outro.

Minha maior crítica, é ao fato da Pichau ter lançado teclados "quase iguais" sem variedade nas opções de switches, todos Red

Uma decisão mais apropriada, teria sido, por exemplo, lançar o P531 com Outemu Red, o P631K com Kailh Brown e o P731 com Cherry MX Blue.

Ou melhor ainda, talvez nem precisava ter lançado o P531, apenas duas versões do P631K com switches Kailh de modelos diferentes. Até mesmo o modelo Cherry, poderia ser trocado por algum switch diferente e interessante como o Kailh Speed Bronze ou Gateron Silent Brown. Falta mais variedade no mercado brasileiro e a Pichau só complicou a situação com estes teclados.

Enfim, o Pichau P631K é um teclado perfeitamente balanceado, como todas as coisas deveriam ser. Construção de alta qualidade, switches de alta qualidade e um excelente preço, na faixa dos R$ 240. No geral, é o melhor teclado entre os três e uma das melhores opções do mercado brasileiro, levando o selo diamante.

O Pichau P731 é o teclado Cherry RGB mais barato do Brasil, o que é um tremendo feito, mas há uma diferença de mais de R$ 100 entre ele o Pichau P631K, que também usa switches do tipo Red. O Pichau P731 é um ótimo teclado e merece o selo ouro, porém seu irmão P631K compete diretamente com ele e acaba levando o pódio devido ao melhor Custo x Benefício.

Isto não aconteceria se a Pichau tivesse usado um tipo de switch diferente nestes dois teclados... Como eu já disse antes, o maior erro entre o P631K e P731, foi a Pichau fazer eles competirem um com o outro.

Já no Pichau P531, temos a Outemu, a qual está bem complicada para recomendar. Embora ela tenha linhas de switches "premium" que são mais caprichados que os outros, tal como os Outemu MK II e os lotes utilizados pela HyperX, não são estes que aparentam ter sido instalados neste teclado.

A diferença de preço do Pichau P531 para o P631K (que utiliza switches Kailh), fica na faixa de apenas R$ 40. Não há razão para vocês economizarem tão pouco e comprar algo tão pior.


PRÓS
ABNT2
Boa construção externa
Boa construção interna
Excelente Custo x Benefício (P631K)
Keycaps ABS Double-Shot
Ótimo Custo x Benefício (P731)
Switches de alta qualidade (P631K e P731)
CONTRAS
Apenas uma variante de switch entre os três teclados (Red)
Software com erros de tradução
Switches de qualidade duvidosa (P531)
Tags
  • Redator: Wellington Diesel

    Wellington Diesel

    Formado em Redes de Computadores, o "wetto" é um entusiasta do ramo de Periféricos. Autor do Guia do Teclado Mecânico, ele carrega consigo mais de 150 análises de mouses, teclados e headsets publicadas, além de diversos Guias e Artigos sobre teclados, mouses e headsets. Respeitado pela comunidade do Adrenaline, ele trabalha à distância como colaborador.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.