Melhor 2080 Super!? A Galax GeForce RTX 2080 Super HOF 10th Anniversary Edition é espetacular

Linda e com projeto voltado para overclock, a placa é um modelo bem acima da média, mas cobra por isso
Por Fabio Feyh 16/01/2020 19:35 | atualizado 17/01/2020 13:19 comentários Reportar erro

A Galax lançou uma placa de vídeo Edição de Aniversário no final de 2019 utilizando a GPU 2080 Super. Trata-se da GeForce RTX 2080 Super HOF 10th Anniversary Edition, uma placa com projeto altamente diferenciado, acabamento de alta qualidade, foco em overclock e design na cor branca - em suma, uma das mais bonitas do mercado.

Site oficial da Galax RTX 2080 Super HOF Anniversary Edition

Fora o projeto e o visual, a placa vem com overclock de fábrica e traz um botão no painel traseiro que "libera" maior alimentação, além de aumentar a rotação dos FANs, visando um melhor cenário para overclock. Como toda GeForce RTX 2080 Super, é uma placa de vídeo de alta performance voltada para o consumidor que quer alta qualidade em 4K ou altas taxas de quadro em QuadHD, servindo para jogar com Ray Tracing ativado tanto em FullHD quanto em QuadHD - às vezes, é possível até arriscar um 4K dependendo do jogo, como acontece em Wolfenstein Youngblood.

Esse modelo está atualmente na casa de R$4.800+ por aqui, valor consideravelmente acima de placas com projetos mais simples com essa mesma GPU. Para comparar, essas últimas podem ser encontradas por R$3.800+. (Pesquisa feita dia 15/01/2020)


Especificações da placa
Começamos pelas especificações da placa comparadas com as de outros modelos:

Comparativo

NVIDIA GeForce RTX 2080 TiGALAX RTX 2080 SUPER HOF 10th AnniversaryGainward RTX 2080 Super Phantom GLHNVIDIA GeForce RTX 2080 Super

Preços

Preço no lançamentoU$ 999,00 U$ 799,00 U$ 699,00 U$ 699,00
Preço atualizadoR$ 5.600,00 R$ 4.840,00 R$ 4.200,00 R$ 3.850,00

Especificações da GPU

Processo de fabricação12nm Finfet 12nm Finfet 12nm Finfet 12nm Finfet
PCI-Express bus3.0 3.0 3.0 3.0
ChipTuring TU102 Turing TU104-450 Turing TU104-450 Turing TU104-450
Clock do GPU1350 MHz1650 MHz1650 MHz1650 MHz
Clock do GPU (Turbo)1545 MHz1845 MHz1860 MHz1815 MHz

Especificações das Memórias

Tecnologia da RAMGDDR6 GDDR6 GDDR6 GDDR6
Interface de largura de BUS352 bit 256 bit 256 bit 256 bit
Quantidade de RAM11GB 8GB 8GB 8GB
Clock das memóriass1750 MHz1937 MHz1937 MHz1937 MHz
Clock efetivo14000 MHz15496 MHz15496 MHz15496 MHz
Largura de banda616 GB/s495.9 GB/s495.9 GB/s495.9 GB/s

Características Gerais

Shading Units4352 3072 3072 3072
TMUs272 192 192 192
ROPs88 64 64 64
Pixel Rate136 GPixel/s118.1 GPixel/s119 GPixel/s116.2 GPixel/s
Texture Rate420.2 GTexel/s354.2 GTexel/s357.1 GTexel/s348.5 GTexel/s
Performance de pontos flutuantes13.45 TFLOPS11.34 TFLOPS11.43 TFLOPS11.15 TFLOPS

Design

Pinos de alimentação2x 8 pinos 2x 8 pinos 2x 8 pinos 1x 6 pinos, 1x 8 pinos
Suporte à combinação de placasNVLink 2-way NVLink 2-way NVLink 2-way NVLink 2-way
Tipo de SlotDual-slot Dual-slot Dual-slot Dual-slot
Comprimento da placa267 mm320 mm292 mm267 mm
TDP250 W250 W250 W250 W
Fonte recomendada650 W750 W650 W650 W
Conexões de vídeo3x DisplayPort 1.4, 1x HDMI 2.0B, 1x USB Tipo-C 3x DisplayPort 1.4, 1x HDMI 2.0B, 1x USB Tipo-C 3x DisplayPort 1.4, 1x HDMI 2.0B, 1x USB Tipo-C 3x DisplayPort 1.4, 1x HDMI 2.0B, 1x USB Tipo-C

Recursos

DirectX12 Ultimate 12.1 12.1 12.1
OpenCL1.2 2.0 2.0 2.0
OpenGL4.6 4.6 4.6 4.6
Shader6.5 6.5 6.4 6.4

Extras


A GeForce RTX 2080 Super

A GeForce RTX 2080 Super é uma das evoluções mais modestas desse line-up Super comparado aos modelos RTX anteriores. Enquanto a versão anterior desabilitava parcialmente o TU104, a Super traz o chip gráfico TU104 em toda sua "plenitude", subindo a contagem de núcleos CUDA de 2.944 para 3.072 e os SM de 46 para 48. Duas mudanças que indicam que o salto não é tão representativo.

As memórias seguem na mesma quantidade, utilizando um total de 8GB de GDDR6. A novidade aqui é a velocidade: de acordo com a Nvidia, essa é a memória mais rápida GDDR6 do mercado, atingindo 15,5Gbps e uma largura de banda de 496GB/seg.

- Continua após a publicidade -

A frequência base e boost também ganharam um "up", subindo dos 1.515MHz base da GeForce RTX 2080 para 1.650MHz na Super, e o boost de 1.710MHz para 1.815MHz. Esses valores, no entanto, são bem diferentes na prática, com o Turbo Boost buscando aumentar o desempenho e tentando atingir o máximo de performance obedecendo critérios de consumo e aquecimento.

Com a mudança nos clocks e nas estruturas habilitadas, o TDP subiu dos 215W para os 250W. Porém, não foi preciso mudar o projeto, usando basicamente a mesma solução de resfriamento. Os conectores de energia também seguem os mesmos, sendo um de seis e outro de oito.


Fotos

Como destacamos na introdução, esse é um dos projetos mais bonitos que já vimos, especialmente para quem gosta da cor branca em componentes - algo não tão comum, já que o preto é a cor predominante. Mas, se você gosta mais de preto, a Galax também tem uma versão exatamente igual com essa cor.

Uma placa linda com acessórios bem interessantes

O sistema de cooler é outro detalhe que chama a atenção logo de inicio: 3 fans de 90mm, sendo a central envolta por LEDs que deixam o visual da placa lindo (veja fotos adiante e nosso vídeo mostrando os efeitos). Ainda no "círculo", a Galax adicionou os 10 anos que faz referência ao modelo.

Na traseira, traz um backplate (como não poderia deixar de ser), sendo a placa alimentada por 2 conectores de 8 pinos - modelos referência tem um de 8 e outro de 6.

Em conexões, segue o padrão do modelo referência, sendo três DisplayPorts,  uma HDMI e uma USB-C. Reparem que ela tem um botão extra, que ao ser pressionado "libera" mais energia e aumenta a rotação dos FANs, possibilitando um cenário melhor para quem pretende fazer overclock tirando mais do GPU e memórias.

- Continua após a publicidade -

Por fim, diferente da maioria, esse modelo traz um acessório bem legal: um painel com display personalizável que pode passar algumas informações bem interessantes como a temperatura. Esse extra também funciona como suporte para a placa quando ela está conectada de forma tradicional, leia-se deitada, evitando que a placa desça um pouco na parte oposta ao conector. Mostramos bem esse display no nosso vídeo.


Sistema utilizado

Utilizamos uma máquina topo de linha baseada em uma mainboard Gigabyte Z390 Aorus Xtreme com processador Intel Core i9-9900K overclockado para 4.7GHz em todos os cores, além de 16GB de memórias através de 2 módulos de 8GB em dual-channel e frequência de 3200MHz. A ideia é evitar que o sistema seja um limitador para o desempenho das placas de vídeo testadas, além de evitar também variações de clock que acabem influenciando os resultados - novamente, mantivemos o overclock de 4.7GHz.

Antes dos testes, confira fotos da placa instalada no sistema utilizado em todas nossas reviews de placas de vídeo, mostrando um visual espetacular.

- Continua após a publicidade -

Abaixo, os detalhes da máquina, sistema operacional, drivers e softwares/games utilizados nos testes e, por fim, um vídeo mostrando a máquina de review utilizada em todos os testes de placas de vídeo:

Máquina utilizada nos testes:
- Processador Intel Core i9-9900K @ 4.7GHz em todos os cores - Análise
- Placa-mãe Gigabyte Z390 Aorus Xtreme - Site oficial
- Kit de memórias G.SKILL TridentZ Royal 2x8GB 3200MHz - Site oficial
- SSD HyperX Fury RGB SSD - Análise
- SSD WD Black M.2 NVMe 1TB - Análise
- Sistema de refrigeração liquida Cougar Helor 360 - Site oficial
- Fonte de energia Cougar CMX 1000W - Site oficial
- Gabinete Cougar Conquer - Site oficial
- Monitor Samsung U28E590D 4K 60Hz - Site oficial

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 Pro 64 Bits
- NVIDIA GeForce 441.xx

Aplicativos/Games:
- Adobe Premiere CC 2019 (aplicativo de renderização de vídeo)
- V-Ray Benchmark (aplicativo de renderização)
- 3DMark (Fire Strike Ultra 4K DX11 / Time Spy Default DX12/ Port Royal Default)
- Assassin´s Creed Odyssey (DX11)
- Battlefield V (DX12)
- Forza Horizon 4 (DX12)
- Metro Exodus (DX12 e Ray Tracing)
- Red Dead Redemption 2 (Vulkan)
- Shadow of Tomb Raider (DX12)
- The Division (DX12)

GPU-Z
Aqui temos tela principal do GPU-Z, mostrando algumas das principais características técnicas da placa.


Overclock

Se você não for mexer em tensões, o overclock dessa placa é semelhante a outras com a mesma GPU. Mas, ela tem um atrativo voltado a entusiastas que buscam scores mais altos através do botão que "libera" um pouco mais de energia, além de aumentar a rotação das fans ao máximo, até acima do que é possível definir via software. Logicamente, essa condição de uso gera muito mais ruído e fica nítido que é uma feature para quem pretende alcançar algum recorde ou não se preocupa com barulho.

Nosso overclock considerou o que sempre fazemos: mirar um cenário máximo sem mexer em tensões para evitar maiores problemas - o que ainda pode acontecer se a GPU ou memórias forem forçados demais por uso contínuo. Lembro novamente que fizemos os testes e dá para subir um pouco mais, porém o barulho é bem alto.

Faça overcloclock por sua conta e risco. Problemas gerados com overclock podem gerar perda de garantia

Subimos a GPU em 100MHz, deixando ela em 1.750MHz. Já as memórias foram de 15.5GHz para 17.1GHz, que são números consideráveis. Além disso, essa é uma placa que traz um leve overclock de fábrica no clock turbo de 30MHz acima do padrão. Abaixo, a tela do app de overclock da Galax utilizado para o processo.


Consumo de energia

Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Eles foram feitos em cima da máquina utilizada na análise, o que dá a noção exata do que cada VGA consome. Vale destacar que o valor é o consumo total da máquina e não apenas da placa de vídeo. Dessa forma, comparações com testes de outros sites podem dar resultados bem diferentes.

Para o teste de carga, rodamos o 3DMark - aplicativo que exige um pouco mais do sistema e da placa de vídeo do que grande maioria dos games.

OBS.: No teste rodando o 3DMark, consideramos 10W como margem de erro, devido a variação que acontece testando uma mesma placa.


Temperatura

Iniciamos nossa bateria de testes com um critério muito importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

É importante destacar que algumas placas possuem sistemas que desligam as fans quando a GPU não está sendo exigida, como ao executar tarefas simples do Windows ou mesmo games mais simples. Por isso, existem temperaturas consideravelmente acima de alguns modelos nessa situação, mas que na prática não comprometem a placa. De acordo com as fabricantes, esse recurso aumenta o tempo de vida útil além de consumir menos energia. Sendo assim, podem existir diferenças grandes na temperatura do modo ocioso, o que não caracteriza uma placa ruim caso a temperatura seja alta.

Por que a placa ficou com temperatura menor quando overclockada?
Essa é uma situação normal nas placas atuais. A rotação da fan (ou das fans, dependendo o modelo) fica mais rápida e, consequentemente, fazem a GPU resfriar mais rapidamente - em alguns casos com temperatura menor do que em situação normal.

Por que a placa com sistema de cooler referência tem temperatura em modo ocioso menor que uma placa com cooler teoricamente melhor?
Porque placas de vídeo atuais com projetos de cooler melhores tendem a desligar as fans quando a temperatura fica abaixo de números como 40, 45 ou mesmo 50 graus. Assim, quando as fans ficam desligadas, a tendência é que a GPU não baixe a temperatura mais do que o limite que desliga as fans.

Primeiro, vamos ao teste das placas com o sistema em modo ocioso:

Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo:

OBS.: As temperaturas podem variar bastante de acordo com a região do país, sistema onde a placa está instalada e teste utilizado.


Adobe Premiere CC
Vários softwares atuais conseguem melhorar o desempenho de renderizações através de aceleração com uso da GPU além do processador. A Adobe é uma das empresas que melhor faz isso e, sendo assim, incluímos o desempenho das placas de vídeo fazendo a renderização de um vídeo que publicamos no Youtube na bateria de testes. O material tem tempo final de 4:39 segundos renderizados em FullHD.

Em grande parte dos resultados será possível notar que não importa o GPU utilizado, o que importa é ter um GPU já que a diferença é quase nula entre os diferentes modelos. Vale também o comparativo do sistema renderizando sem o uso do GPU, com o processo todo por conta do CPU.


V-Ray
O teste V-Ray Benchmark utilizado consiste no resultado de renderização com uso da GPU. É um bom teste para ver como as placas podem ajudar a diminuir o tempo de trabalho em aplicações gráficas. Quanto menor for, melhor é o desempenho.


3DMark


Começamos pelos testes sintéticos, utilizando aplicativos específicos para medir o desempenho das placas.

3DMark
Rodamos a versão mais recente do aplicativo da Futuremark com dois testes: o Fire Strike em modo Ultra 4K e o Time Spy em modo normal baseado em API DirectX 12. Abaixo, os resultados:

O novo teste Time Spy que roda sobre a API DirectX 12:

O próximo teste é apenas para os modelos com suporte a Ray Tracing. Logo, sem placas da AMD por enquanto,.


Testes em games


Agora, vamos ao que realmente importa: os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado.

Para ajudar a entender os gráficos a seguir: acima de 60fps é o ideal para monitores que operam nessa frequência. Quanto mais próximo dos 30fps, pior vai ficando a fluidez e, abaixo dos 30, o jogo começa a ficar "não jogável"


Assassin´s Creed Odyssey
O game de mundo aberto da Ubisoft é muito exigente no hardware, tanto na complexidade das cidades e seu estresse para o processador quanto os detalhes dos modelos e sua carga na placa de vídeo. Em geral, esse é um game que beneficia bastante as placas GeForce e penaliza as Radeon, mesmo meses após o lançamento e a chegada de novos drivers.


Battlefield V
O game desenvolvido pela DICE segue como uma referência de qualidade gráfica, operando tanto na API DirectX 12 quando 11. O jogo também se tornou um marco nos games para PC ao ser o primeiro a introduzir a técnica de Ray Tracing híbrido da Nvidia através das placas GeForce RTX.


Forza Horzion 4

Aviso importante: um update recente dos drivers da Nvidia mudaram completamente o perfil das GeForces com esse game. Algumas placas ainda não tem seu resultado atualizado, e isso pode ser notado por alguns desempenho baixos entre os resultados do gráfico comparado a placas testadas recentemente

O game exclusivo da Microsoft se destaca pelo excelente uso da API DirectX 12, entregando altos níveis de desempenho em hardware potentes e bons resultados mesmo em hardwares mais limitados.


Metro Exodus
Novamente, a franquia Metro é responsável por introduzir um game com novos níveis de exigência para o hardware. Com gráficos capazes de "entortar" placas de vídeo, o jogo da 2A Games também se destaca por introduzir tecnologias como o Ray Tracing e DLSS, recursos exclusivos da linha GeForce RTX.


Red Dead Redepmtion 2
Novo game da RockStar, com belíssimos gráficos e uma boa referência para medir o comportamento das placas de vídeo. Nosso teste considera o game rodando sobre a API Vulkam, que se comportou melhor tanto em placas AMD como Nvidia.


Shadow of Tomb Raider
O mais recente game da franquia da Lara Croft, Shadow of Tomb Raider traz ótimos gráficos, prometendo muito das placas de vídeo - mesmo os modelos de alta performance. O game também tem suporte a DirectX 12 e será um dos primeiros a suportar a tecnologia Ray Tracing.


Tom Clancy's The Division 2
The Division 2 usa um motor gráfico próprio desenvolvido pela Ubisoft Massive, lidando com cenários complexos e grandes quantidades de partículas na tela.


Ray Tracing - Metro Exodus


Para os testes com a tecnologia Ray Tracing, escolhemos o exigente Metro Exodus, considerado um dos games com a melhor qualidade gráfica atualmente.


Conclusão

Esse é um modelo dos sonhos por trazer um projeto acima da média e visual que se destaca muito. Mas, o valor só se justifica para quem quer algo realmente diferenciado

A Galax GeForce RTX 2080 Super HOF Anniversary Edition é uma placa de vídeo sensacional e certamente uma das melhores com a GPU RTX 2080 Super - destaque para projeto, componentes e design, que vai combinar muito bem em um sistema aberto onde é possível ver a placa. No entanto, ela continua sendo uma 2080 Super, e não vai alcançar uma RTX 2080 Ti mesmo em seu melhor cenário de overclock. Sendo assim, o preço de placas com esse perfil sempre as tornam mais difíceis de se justificarem.

Por ser um modelo com projeto que visa tirar o máximo dessa GPU, é indicada para quem vai forçar bastante em overclock. Para isso, ela traz inclusive um botão que seta a rotação das fans em 100%, além de liberar mais energia para oferecer um comportamento melhor quando a placa é forçada com clocks maiores. O porém é que fans em em 100% de qualquer placa, mesmo a mais silenciosa do mundo, geram um ruído bem alto e que é difícil de aguentar por longos períodos. Então, é uma função para uso em determinadas situações, mas não para uso contínuo.

Tratando-se de desempenho, ela fica um pouco acima dos modelos com clocks referência, já que traz um leve overclock no modo turbo, como destacado acima. Além disso, tem potencial para ir além em overclock e garantir uma segurança maior nessa condição pelo projeto mais focado nessa característica do que uma referência.

Placa boa placa para 4K/60fps ou QuadHD em altas taxas de quadros, se saindo bem com Ray Tracing

A escolha pela RTX 2080 Super é um claro reflexo de um mercado sem competição. Enquanto a RTX 2070 Super e especialmente a RTX 2060 Super mostraram mudanças mais relevantes, afinal tem as placas Radeon RX 5700 XT e RX 5700 em seu encalço, essa placa chega ao mercado não apenas sem concorrente, mas também tendo uma potencial rival com aposentadoria anunciada, a Radeon VII.

A GeForce RTX 2080 Super é a cara de um mercado sem competição

Por outro lado, mesmo quando estava no mercado, a Radeon VII não fez frente a GeForce RTX 2080 e só precisava superar a si mesma. A Nvidia lança pelo mesmo preço uma placa que entrega, nos melhores cenários, 10% de ganho sobre a antecessora, porém a maior parte do tempo vimos ela ficar bem perto dos 5% - algo que beira mais a margem de erro do que uma evolução notável.

Esse modelo, pelo projeto diferenciado, custa bem mais que modelos mais simples como uma Galax RTX 2080 Super EX, que pode ser encontrada por R$3.800 e sem overclock vai entregar resultados parecidos. Logicamente, perde o apelo visual, mas, na prática, isso não importa para a maioria dos usuários.

Links de modelos RTX 2080 Super na Pichau

Enfim, uma bela placa, sensacional eu diria, mas que é voltada apenas para colecionares e quem busca recordes de overclock. De resto, seu preço na casa de R$4.800 tira ela de qualquer briga, inclusive aproximando-a das 2080 Ti (R$5.400+), placas em outro patamar de desempenho.

PRÓS
Excelente projeto com componentes de alta qualidade e design sensacional
Capaz de um competente 4K/Alto e QuadHD/Ultra com alta taxa de quadros
Bom sistema de resfriamento e alimentação
Overclock trouxe bons ganhos de desempenho
Suporte a novos recursos como DLSS e Ray Tracing
Entrega Ray Tracing em QuadHD em 60fps ou FullHD com alta taxa de quadros
CONTRAS
Custo muito acima das RTX 2080 Super mais baratas por pouco acréscimo de desempenho
Modelo com custo muito mais alto do que outras RTX 2080 Super
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.