ANÁLISE: Avell G1550 FOX

Muita performance, muita portabilidade, muito barulho

Avell G1550 Fox é um notebook de alto desempenho com design compacto. Ele une componentes potentes e um design com fino, com menos de 2 centímetros de espessura e apenas 2 quilos. Ele conta com acabamentos premium como uso de metal na carcaça, um teclado retroiluminado RGB com tecnologia mecânica de segunda geração e uma tela com bordas de menos de 1 centímetro em torno da tela.

Site oficial do produto

Esse também é o primeiro modelo de notebook com processadores da oitava geração Core, uma linha importante por introduzir mais núcleos para os modelos de CPUs em notebooks. Com isso temos um modelo com seis núcleos ao invés dos tradicionais quad-core de gerações anteriores. Será que um design muito fino vai impedir que a CPU e a GPU entreguem alto desempenho? Vejamos no restante da análise!

Principais especificações do modelo testado:

- Placa de vídeo NvidiaGeForce GTX 1060 6GB GDDR5
- Intel Core i7-8750H
- 32GB de memória RAM DDR4 2400MHz
- Tela de 15,6" FullHD IPS
- Bateria: 3 células Lithium-Ion
- Dimensões: 35.9  x 23.6 x 1.99 cm
- 250GB M.2 SSD + 250GB M.2 NVMe

Design


Fino e com excelentes acabamentos

O Avell G1550 Fox é um notebook de alto custo, então nossas expectativas sobem tanto para o uso de componentes de alta performance quanto por um design caprichado. Esse notebook tem vários méritos em seu projeto, e o principal deles é a portabilidade. Com apenas 2 centímetros de espessura e com bordas bastante estreitas em torno do display, ele consegue ser um notebook bastante compacto para um modelo com tela de 15,6 polegadas e hardwares potentes. 

A portabilidade é o grande destaque do G1550 Fox

- Continua após a publicidade -

Apesar de fino, ele usa um chassi em alumínio que traz uma sensação de robustez. As linhas são simples e diretas, com uso de texturas bem neutras e um corpo na cor cinza. São as luzes que trazem um diferencial ao modelo, com uma barra LED na parte da frente e um teclado RGB customizável. Essa escolha é bem interessante já que pode ir desde algo bem colorido e chamativo até algo bem neutro, desligando as luzes. O mousepad tem uma boa área de uso enquanto o teclado é bastante responsivo graças as tecnologias que comentaremos no trecho sobre tecnologias adicionais.

O acabamento em metal bordas finas na tela e a customização
das luzes tornam esse um belo notebook

A quantidade de conexões é suficiente para um bom uso do notebook, com duas USB 3.0, uma USB 2.0 e uma USB Tipo-C. Apesar do porte compacto, não ficou de fora uma tradicional porta de internet por cabo, enquanto o destaque é a grande quantidade de portas de vídeo, com uma HDMI tradicional e mais duas mini-DisplayPort. Apesar de inviável para um gameplay em surround, a performance desse notebook é suficiente para ligá-lo em mais dois monitores, por exemplo, e trabalhar em aplicativos de edição de foto ou vídeo.

Performance


Bom desempenho, mas limitado pelo resfriamento

O design supercompacto tem um conflito inevitável com o hardware poderoso que equipa esse modelo. O chip gráfico é o competente GeForce GTX 1060 6GB, enquanto o processador é um Core i7 de oitava geração. É bom destacar que temos aqui um processador de oitava geração, pois significa que ao invés dos quad-core usados em gerações anteriores, os Coffee Lake usam modelos hexa-core.

- Continua após a publicidade -

- Continua após a publicidade -

A falta de uma estrutura passiva mais robusta, devido ao pouco espaço para heatpipes ou outros elementos para ajudar a dissipar o calor faz com que o notebook dependa muito de fans em alta rotação e impacta no aquecimento, que por consequência impacta na performance. Em vários momentos ele fica bem próximo do Helio 300, outro notebook também equipado com uma GTX 1060, mas em outros momentos dá para ver um delta entre os desempenhos surgindo.

O G1550 Fox entrega 60FPS em qualidade alta e resolução FullHD

Mesmo quando não fica para trás, o G1550 Fox entrega uma performance competente com alta taxa de quadros em todos os testes. Esse é um modelo que entregará próximo dos 60FPS em qualidade alta em resolução FullHD. Em alguns games mais pesados, como Assassin's Creed Origins, pode precisar baixar um pouco e deixar em qualidade média para manter uma fluidez alta. Em outras franquias mais leves, ele irá sobrar para rodar no Ultra com altas taxas de quadros.

Aqui dá para perceber uma fragilidade do notebook: em games mais vinculados a performance de processador, como DoTA ou CSGO, dá para perceber que o G1550 Fox apresenta um desempenho inferior de outros modelos, apesar de ainda manter uma taxa alta de quadros. Como a limitação é de processador, há mais presença de stuttering no gameplay. Não chega a inviabilizar os games, mas pode ser incômodo (dá para ver isso lá no vídeo de gameplay com esse modelo).

Saindo dos games, hora de ver outro aspecto desse notebook interessante de observar: com dois núcleos a mais graças ao processador de oitava geração Core, mais cores e threads costumam trazer benefícios para aplicações profissionais.

O G1550 Fox se sai bem em atividades profissionais
que dependem da performance do processador

Mesmo com todas as limitações de espaço para resfriamento, o Avell G1550 Fox crava novos recordes em vários testes que tiram benefícios de mais núcleos. O resultado é um notebook que se sai bem na hora de renderizar vídeos ou editar fotos. Em nossos testes ele se mostrou bastante capaz de dar conta de fazer o render de alguns vídeos aqui do Adrena, levando um tempo não muito maior que alguns desktops disponíveis por aqui. Mas houve um inconveniente que vamos comentar em aquecimento e ruído. 

Gameplay em vídeo

Aquecimento e ruído


O ponto crítico do modelo

Com um corpo fino e hardwares potentes, caímos em uma situação crítica para muitos notebooks com esse perfil. Sem estrutura metálica passiva para dissipar o calor, são as fans que precisam "na força bruta" resfriar os componentes, sendo que tanto CPU quanto GPU possuem alto desempenho e, por consequência, um grande aquecimento.

As CPUs Intel batendo os 90ºC em modelos gamers não são novidade, são quase norma, então não há nenhuma surpresa no resultado que obtivemos com o WPrime. A GPU apresentou um baixo aquecimento comparado com outros modelos mais robustos, efeito de manter as fans a 100% enquanto outros produtos conseguem maneirar no uso das ventoinhas. O problema surge em outro aspecto:

Sem uma estrutura mais robusta de resfriamento passivo, como aletas ou heatpipes, o jeito é usar (e abusar) do sistema ativo de resfriamento, composto por duas fans. O resultado é um notebook MUITO barulhento, colocando as fans a 100% de sua capacidade com frequência e muitas vezes de forma constante em um gameplay. Os níveis de ruído são altos o suficiente para serem irritantes para um gamer que não estiver jogando com um fone de ouvido. 

O G1550 Fox é bastante barulhento,
ligando as fans com frequência

Mas o ruído não surge apenas em games. As vezes só de iniciar uma transferência, o que coloca a CPU para trabalhar um pouco mais, tem chances da ventoinha acelerar de forma perceptível. Qualquer atividade mais intensa, como colocar um vídeo para renderizar, é alto nível de ruído garantido ao longo de todo o processo.

Autonomia

Apesar dos componentes de alto consumo e do design fino, o que normalmente significa que não há espaço para uma bateria mais parruda, o resultado da autonomia do G1550 Fox não foi dos piores, com um uso de 2h40min antes de descarregar. Não é muito, mas não é distante do que normalmente temos nesse segmento de produtos. O teste, porém, foi feito usando o modo Office do PCMark 08, usando o modo economia de energia e com brilho baixo da tela, simulando um uso leve (navegar na web, editar texto). Jogar fora da tomada é pedir para ter uma notável perda de desempenho e um ficar sem carga rapidamente.

Tecnologias


Algumas recursos raros de serem encontrados em outros notebooks

O Avell G1550 Fox vem com alguns recursos bem interessantes em diversos aspectos da experiência com o notebook. Além da faixa LED e o teclado RGB, outro diferencial bastante relevante é a tecnologia de teclas mecânicas, sendo que esse modelo vem equipado com a segunda geração desse recurso.

Obviamente um teclado mecânico de notebook não pode ser comparado a experiência de um teclado mecânico de desktop, que possui muito mais espaço disponível para as estruturas dos switches e tem alguns "luxos" como grande distância de deslocamento de teclas que um notebook compacto não pode ter. Dentro das limitações do formato, é bem interessante o feedback que o "teclado mecânico" desse notebook entrega, com um acionamento rápido logo no início do pressionamento da tecla e, talvez o recurso "mais e menos" interessante, o clique característico de alguns teclados mecânicos.

O clique do teclado tem essa dualidade porque ao mesmo tempo que dá um excelente feedback ao usuário, ele torna o G1550 Fox muito mais barulhento que um teclado convencional, mesmo problema que teclados mecânicos de desktops enfrentam. A diferença que enquanto o os computadores convencionais constumam ficar em quartos ou espaços mais reservados, a mobilidade do notebook pode colocá-lo em locais mais ingratos a produção de barulhos, como conferências de imprensa ou uma biblioteca silenciosa, por exemplo. É bom ter isso em mente se pretende digitar longos textos e não quer infernizar as pessoas próximas a você.

Esse modelo inclui o Control Center como app de gerenciamento da funcionalidade do notebook. Aqui dá para ajustar individualmente as luzes RGB de cada tecla do teclado, criando múltiplos perfis e até animações. Por ele também é possível definir perfis das fans, mas assim como comentamos na parte de performance, as margens não são muito grandes, então é difícil conseguir uma configuração silenciosa com esse modelo.

O Avell G1550 Fox traz aquele complicado balanço entre alta performance e portabilidade, e leva ambos ao extremo possível. Com isso ele consegue aliar um hardware bastante potente com um design relativamente fino, e tem os benefícios dessa combinação, e também paga seus preços.

A grande vantagem é que esse produto tem alta performance, capaz de rodar games em alta qualidade e, principalmente, se sai muito bem renderizando vídeos ou editando fotos, algo muito bem-vindo por quem quer um modelo para trabalhar com softwares de edição, por exemplo. Ele entrega um excelente desempenho um um chassi bastante compacto, se saindo muito bem nas viagens que levamos ele para trabalhar graças a esse conjunto.

Mas essa combinação de design fino e performance trazem problemas, e no que esse notebook se sai mal, ele se sai bastante mal: ele é muito barulhento. Rodando games ele se mantém acima dos 50 decibéis de produção de ruído de forma quase constante. O mesmo também acontece quando colocamos ele para faze trabalhos mais intensos, como editar múltiplas fotos ou deixar um vídeo renderizando. Até atividades cotidianas leves parecem fazer as fans eventualmente dispararem.

A limitação no resfriamento também impacta no desempenho, reduzindo um pouco a capacidade dos chips Core i7 e GeForce GTX 1060, mas mantém níveis de performance suficientes para um gameplay em alta qualidade na resolução FullHD com uma taxa de quadros na casa dos 60fps, com algumas exceções de games mais pesados que podem pedir mais ajustes para equilibrar qualidade e fluidez do jogo. Só ficaria de olho em jogos com carga muito alta no CPU, como Assassin's Creed Origins ou jogos rodando em taxas muito altas de quadros, onde notamos um pouco mais de stuttering relacionado ao processador em alta carga, e por consequência aquecendo mais.

O Avell G1550 Fox tem excelente performance e design fino, mas é bastante barulhento

O Avell G1550 Fox é um notebook que se destaca pela excelente relação entre performance e portabilidade, mas que traz um efeito bastante negativo na produção de ruído. Para quem não vê problema em ter um notebook mais barulhento mas que em compensação é muito compacto, essa pode ser uma boa opção, mas talvez deve cogitar se pegar um notebook maior para conseguir um sistema mais robusto (e silencioso) de resfriamento.

Conclusão

 

Avaliação: Avell G1550 FOX

Design
9.5
Performance
8.5
Tela
9.0
Autonomia
7.0
Preço
6.0

PRÓS
Design fino e leve
Teclado mecânico com sistema RGB customizável
Componentes de alto desempenho
Boa performance em games
Se sai bem em aplicações profissionais
Grande quantidade de conexões de vídeo
CONTRAS
Muito barulhento
Perfil fino limita a performance
Alguns stutterings em games que dependem de CPU
Alto custo
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.