ANÁLISE: Team Group Delta RGB SSD

Um bom SSD, para quem quer ainda mais LEDs

Recebemos para análise o SSD T-Force Delta RGB com capacidade de 250GB, modelo que traz controlador SMI 2258H e memória Nand Micron TLC 3D, mas diferente de SSDs "normais", a característica que mais chama a atenção nesse modelo não está relacionada a sua velocidade, e sim ao fato de ter leds RGB, talvez o primeiro do mundo a ter esse tipo de "feature", adorado por uns, odiado por outros.

 

A Team Group lançou duas variantes, uma na cor preta (a que estamos analisando), e outra na cor branca, ambas com capacidades de 250GB, 500GB e 1TB.

Site oficial da linha T-Force DELTA RGB SSD

Em cenário internacional o modelo com 250GB foi lançado por US$85, cerca de U$10 dólares acima de um SSD tradicional sem leds. Será que vale a pena o custo extra de cerca de 15% pelos leds? e o desempenho? Veremos adiante...


Tecnologias


Como é possível notar logo de inicio, esse SSD busca conquistar quem procura um produto com maior apelo visual, especialmente por trazer LEDs personalizáveis, mas acima de tudo se trata de um SSD, então primeiro vamos listar suas especificações técnicas.

Apesar de não estar destacado no site oficial, de acordo com a empresa o controlador é o SMI SM2258H, já as memórias são Micron TLC 3D (veja mais abaixo a diferença entre memórias Nand TLC e MLC).

Como principais especificações técnicas a empresa destaca:
- Memórias NAND Micron TLC 3D
- Capacidades de armazenamento de 250GB, 500GB e 1TB
- Sequência de leitura/escrita no modelo de 250 e 500GB de até 560/500 MB/s, o de 1TB muda apenas a escrita subindo para até 510MB/s
- Velocidade de leitura e gravação no modelo de 250 e 500GB de até 90K/80K IOPS max, o de 1TB muda apenas a escrita para 85K IOPS
- Formato em 2,5 polegadas com 9,5mm
- 3 anos de garantia limitada

- Continua após a publicidade -

Para a lista completa de especificações técnicas clique aqui.

Compatibilidade com sistemas RGB
Uma ótima característica é que o SSD traz compatibilidade com múltiplos softwares de controle de LEDs. A Team Group informa que ele é compatível com os sistemas Asus AURA, Gigabyte Fusion, MSI Mystic além do próprio Blitz da Team Group e de outros não listados.

Um detalhe importante é que existem duas versões do SSD, uma chamada "Magnificent" e outra "Simple", sendo que na prática a diferença fica por conta do LED implementado em casa um. A versão analisada chama-se Delta, porém existe uma versão chamada Delta S, sendo que a principal diferença fica por conta da versão que estamos analisando trazer o suporte a mudança de cores graduais, o efeito chamado rainbow, já a versão S mudará de uma cor diretamente para outra, sem efeito de troca gradativa as cores, por exemplo. É importante também ficar de olho nas placas-mãe compatíveis nesse link.


O que é TLC?


Para explicar o que é TLC (triple-level cell flash), o ideal é, antes, explicar do que se trata o MLC, padrão ainda utilizado pela maioria dos SSD atualmente, apesar da mudança que o mercado está passando para o TLC. A sigla significa multi-level cell flash (MLC), e é utilizada para descrever memórias NAND flash que tenham a capacidade de armazenar 2 bits de dados por célula. O TLC é uma evolução dessa tecnologia, e permite armazenar 3 bits de dados por célula. Há ainda o single-level cell (SLC), onde cada célula armazena apenas um bit de dados. Cada uma tem vantagens e desvantagens,.

Quais são as vantagens e as desvantagens?
A grande vantagem dos SSDs com tecnologia TLC está em seu menor preço. Isso porque drives com a tecnologia são mais densos, armazenando mais dados em menos espaço. Ou seja, eles acabam tendo uma eficiência de custo maior. Mas isso, como tudo na vida, tem um preço (sem trocadilhos).

Os SSDs com a tecnologia TLC acabam não sendo tão rápidos e nem tão duráveis quanto os modelos com MLC e SLC. Por isso, eles não são indicados para uso profissional e nem para uso empresarial. Na verdade, os SSDs com TLC são mais indicados para usuários domésticos. Para esse pessoal, não há uma diferença de desempenho perceptível, ao menos na grande maioria dos casos, e eles também dificilmente tem um ciclo de trabalho intenso o suficiente para encurtar a vida útil do SSD, que ainda vai durar um longo período mesmo usando o TLC.


Fotos


Ele traz o formato 2.5 polegadas, parecido com qualquer outro modelo baseado nesse tipo de conexão, só mudando um pouco na altura, 9,5mm. Normalmente os SSDs tem 7mm ou 9mm, alias, é devido seu sistema de LED que ele ficou um pouco mais alto, sendo indicado para desktop, já que pode não ser possível instalar em alguns modelos de notebooks devido sua altura. Considerando que normalmente não são visíveis os componentes internos de um notebook, também "lá se vai" o principal atrativo desse modelo, de qualquer forma.

- Continua após a publicidade -

Nas fotos abaixo colocamos ele lado a lado com o SSD WD Blue, onde podemos destacar como diferenças a conexão Micro USB destinada para a alimentação de energia do LED assim como gerenciamento das cores via softwares, além da altura.

Agora algumas fotos com ele aberto, mostrando que os leds ficam na carcaça oposta ao PCB onde fica o controlador e memórias, diga-se de passagem bem pequeno, ocupando menos de 50% do espaço interno.

Com o SSD ligado, o usuário pode usar perfis pre programados para troca das cores, inclusive da transição dos efeitos, ou mesmo selecionar uma cor específica.

Abaixo fotos do sistema montado também com muitos LEDs para "combinar" com o SSD. Vale destacar que é possível escolher a cor de cada componente, no caso dessa mainboard, zonas diferentes dela também.

- Continua após a publicidade -


Sistema utilizado


Abaixo, detalhes completos do sistema utilizado em todos os modelos utilizados nos comparativos.

Máquina utilizada nos testes
- Mainboard Gigabyte Z370 Gaming 7
- Processador Intel Core i7-8700K
- Memórias G.Skill TridentZ RGB 16GB (2x8GB)
- SSD Samsung 960 EVO 500GB
- Fonte Thermaltake 850W Toughpower Gold

Sistema Operacional e Drivers
- Windows 10 Pro 64 Bits com updates

Aplicativos/Games:
- AS SSD Benchmark 2.0.x
- ATTO Benchmark 3.x
- Battlefield 1 (DX11)
- BootRacer 7.x
- CrystalDiskMark 5.x
- DiskBench

Drives Comparados:
- Team Group T-Force Delta RGB (250GB) - SATA
- Crucial MX500 (1TB) - SATA
- WD Blue SSD 1TB - SATA
- HyperX Predator PCIe SSD (480GB) - PCIe Gen2
- Kingston M.2 SATA G2 SSD (480GB) - Sata3
- Kingston KC1000 480GB - NVMe

Temperatura


Como estamos falando de um SSD padrão SATA, a temperatura dele é a temperatura ambiente de onde ele estiver, diferente dos novos SSDs M.2 NVMe por exemplo, que esquentam bastante e em muitos cenários ainda "absorvem" o calor da mainboard onde eles ficam instalados.

Apesar dos novos SSDs M.2 normalmente ficarem dentro de uma margem segura de acordo com seus fabricantes, não será incomum alguns modelos atingirem temperaturas altas, acima de 80º por exemplo, sendo esse um dos poucos pontos negativos desse novo padrão comparado ao SATA.

Abaixo, tela do Crystal Disk Info com alguns detalhes técnicos do SSD analisado, em seguida gráficos comparativos de temperatura com o sistema em modo ocioso e também com a temperatura máxima atingida quando rodando o aplicativo Crystal Disk Mark.


Testes sintéticos


AS SSD Benchmark
Começamos nossos testes com o AS SSD Benchmark, software específico para testes de drives SSD, HD etc.

O aplicativo faz uma série de testes em diversas situações de leitura e escrita e, no final, gera uma pontuação com a média entre todos os testes. Confiram abaixo:

ATTO Disk Benchmark
Outro famoso aplicativo para teste de desempenho de unidades de armazenamento é o ATTO. Vejam abaixo o comportamento dos modelos comparados:

CrystalDiskMark
Com o aplicativo CrystalDiskMark, outro muito famoso para testes de drives, optamos por utilizar o teste "Seq". Abaixo, os resultados em modo leitura e escrita:


Testes práticos


Carregando um game (Battlefield 1)
Outro teste interessante é o carregamento de um game. Para isso, utilizamos o Battlefield 1 com teste em cima do mapa "Avanti Savoia!" logo no início em "O La Vittoria". O conceito do teste foi simples: computar o tempo que levou da hora que clicamos até a hora em que o gameplay começa.

A segunda vez que se carrega um mesmo mapa
demora o mesmo tempo em um SSD ou em um HD

Tempo de BOOT (Windows 10 Pro 64 bits)
Com o software BootRacer, medimos o tempo necessário para inicializar o sistema operacional, um dos principais atrativos de drives SSD.

O teste consiste no melhor resultado após três boots seguidos do sistema, considerando o tempo total até finalizar na área de trabalho com o score informado pelo aplicativo.


Cópia de arquivo - SSD NVMe
Abaixo os testes de desempenho em cópia utilizando um SSD padrão NVMe de alto desempenho para enviar e também receber, sendo assim tiramos o fator limitador de velocidade de um drive mais lento como aconteceria com um HD padrão Sata3, já que o SSD utilizado, um Samsung 960 EVO, tem velocidade de leitura de até 3.200 MB/s e escrita de 1.800MB/s.

O teste utiliza o aplicativo DiskBench para o processo.

Para o cenário ideal de cópia ambos os drives precisam ser rápidos

Drive analisado para SSD Samsung 960EVO M.2 500GB NVMe (leitura)
Neste teste copiamos os arquivos do drive analisado para um SSD NVMe de alto desempenho. Este seria o teste de leitura, já que ele não escreve nada no drive analisado.

Samsung 960EVO M.2 500GB NVMe para drive analisado (escrita)
Invertendo o processo, agora copiamos os arquivos do 960EVO para o drive analisado, consistindo em um teste prático de escrita, já que os dados estão sendo gravados no drive. 


Fica bem evidente que a proposta do SSD T-Force Delta RGB da Team Group são os interessados em componentes com apelo visual, especialmente relacionados a onda LED / RGB que tem tomado conta do produtos "gamers", mas se tratando de um SSD não temos como não avaliar seu comportamento em aspectos técnicos e de desempenho, que não é ruim, mas também não é destaque. Podemos dizer que é um bom produto, não vai concorrer com os melhores modelos desse formato. E a principio nem é o que ele busca.

Modelo indicado para quem deseja maior apelo visual para o sistema

Ele possui bons tempos de leitura e escrita, como já colocamos em uma série de análises relacionadas a esse formato/padrão, SSDs de conexão SATA3 atingiram o limite da velocidade que a tecnologia oferece, logo a diferença prática vai ser muito pequena, quem procura o que existe de melhor em desempenho deve partir para soluções NVMe que é o futuro, seja através de drives M.2 ou PCI-Express, por exemplo.

O controlador é utilizado em vários modelos que buscam ter preço mais competitivo, o Silicon Motion SM2258, acompanhado de memórias Micron TLC 3D, também utilizadas pela grande maioria dos drives que buscam o custo/benefício, como o Crucial MX500 que analisamos recentemente, mas como já destacamos, o foco do Delta RGB é outro público. A Team Group lançou modelos com 3 capacidades diferentes, 250GB, 500GB e 1TB, mudando levemente a escrita do modelo de maior capacidade. Também é possível escolher entre a cor preta e branca na carcaça do SSD, interessante novamente para o apelo visual do sistema que será montado.

Fica evidente que a proposta desse SSD é quem quer um modelo com apelo visual diferenciado, já que ele conta com LED na parte superior, sendo o modelo utilizado uma versão mais avançada que permite a mudança gradual das cores sobre a "base" do LED, destaco isso porque existe um modelo onde essa função não existe, sendo possível apenas alternar entre cores e não "brincar" com efeitos de transição entre uma ou mais cores, chamado modo "rainbow".

Suporta softwares de gerenciamento de cores de todas as fabricantes é seu grande destaque

Em cenário internacional ele foi lançado por US$84, entre 10 e 15 dólares a mais que um modelo semelhante de mesma capacidade, isso representa cerca de 15% do valor, sendo uma opção interessante para quem realmente pretende montar um sistema destacando a parte visual, caso contrario vai acabar pagando mais e nem utilizar o diferencial dele que é o LED. Vale lembrar também que é necessário uma mainboard com suporte a "fitas" de LED, no caso do modelo que recebemos, com conexão de 5v, já que existe um modelo com conexão 12v (as mainboards atuais já trazem suporte a ambos os modelos).

Conclusão

 

Avaliação: Team Group Delta RGB SSD

Tecnologia
8
Capacidade
8
Desempenho
8
Preço
7

PRÓS
Bons tempos de leitura e escrita
Ideal para quem quer montar um sistema LED RGB
Compatiblidade com múltiplas plataformas de sistemas RGB
CONTRAS
Valor alto
Performance limitada pela tecnologia SATA
Custo adicional para ganhos apenas cosméticos
Tags
ssd
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.