ANÁLISE: Alienware 15 R3 (GTX 1060+i7+8GB)

Um notebook que extrai toda a performance da GTX 1060 e cheio de extras, mas com um custo muito elevado

O Alienware 15 R3 é um notebook da divisão gamer da Dell. Como seu nome indica, o Alienware 15 traz uma tela com 15 polegadas, o que torna ele um notebook de porte intermediário. Seu hardware possui variações que vão desde uma GeForce GTX 1050 Ti até uma GTX 1070. Recebemos para teste um modelo "meio do caminho", com um processador Core i7-7700HQ, GeForce GTX 1060 e 8GB de RAM, uma configuração que é vendida por quase R$ 10 mil no site oficial da empresa.

Site oficial Alienware 15 R3

Como o preço indica, não é um produto feito para ser acessível. É um notebook gamer que carrega uma "grife" gamer além de recursos que são incomuns, aumentando ainda mais seu preço. Vejamos no restante da análise suas características mais a fundo.

Especificações do modelo testado:

- Placa de vídeo NvidiaGeForce GTX 1060 6GB GDDR5
- Intel Core i7-7700HQ
- 8GB de memória RAM
- Tela FullHD IPS 120Hz G-Sync
- 1TB HD

Design


Arrojado como um Alienware sempre é

Enquanto alguns modelos de notebooks tem uma pegada mais discreta, a linha Alienware sempre foi composta por produtos com visual bastante arrojado e "bastante gamer". Isso significa um design meio futurístico característico da marca, além de um conjunto de LEDs RGB customizáveis em três zonas do teclado, botão de liga/desliga, logo na tampa e faixas de LED nas laterais. Através do software dá para customizar esse sistema de luzes desde um colorido arco-íris até a possibilidade de desligar todas as luzes (exceto a do botão de ligar, pois ela serve para mostrar que o notebook está ligado).

O sistema de resfriamento é imponente, algo que fica evidente quando colocamos lado-a-lado com o Acer Predator Helios 300. Mesmo ambos possuindo uma tela de 15,6" e configurações parecidas, o modelo da Dell tem um sistema de resfriamento que avança além da área ocupada pelo rival, algo que vai dar vantagens lá na parte da análise que falamos de desempenho. Além do tamanho, ele também é consideravelmente mais pesado, com 3.49kg versus os 2.7kg do Helios 300.

- Continua após a publicidade -

A tela é um dos destaques. Apesar de manter a resolução FullHD e tecnologia IPS comuns até em modelos bem mais baratos que ele, esse display se sobressai ao trazer uma taxa de atualização de 120Hz, um diferencial interessante para praticantes de eSports e que demandam esse tipo de característica. Além disso ela traz suporte à tecnologia G-SYNC, algo bem-vindo para fazer um bom uso de uma taxa de atualização tão alta e que é dificilmente alcançada de forma estável, mesmo com um chip GeForce GTX 1060.

Na conectividade temos o Alienware tem suas excentricidades. Por um lado ele conta com algumas conexões incomuns, como uma mini-DisplayPort 1.2, uma USB Tipo-C com suporte a Thunderbolt e outra USB Tipo-C na lateral, e até uma conexão proprietária para utilizar o amplificador gráfico (nome curioso que a Dell dá para o acessório com placa de vídeo externa). Mas em contrapartida entrega uma quantidade ínfima de USBs tradicionais, as do Tipo-A, sendo apenas duas, uma de cada lado. Essa aposta em tantas conexões no novo formato ainda demora a vingar, já que poucos acessórios estão nesse padrão, e mais de 99% de pendrives e mouses, por exemplo, ainda usam o USB Tipo-A. Três tem sido o mínimo, na maioria dos modelos.

Em manutenção e upgrades, não há muito a se criticar. Após tirar seis parafusos e remover a tampa inferior, um procedimento bastante simples, temos acesso ao sistema de resfriamento, o que facilita sua limpeza, e també a praticamente todos os slots relevantes para upgrades, como memórias RAM, M.2 para SSDs e baia de 2,5 polegadas para HD ou SSD.

Performance


Dentro do esperado para o hardware utilizado

 

- Continua após a publicidade -

- Continua após a publicidade -

 

Aquecimento e autonomia


Bom sistema de resfriamento, mas uma bateria que não vai longe

O maior porte e peso do Alienware está claramente direcionado ao seu sistema de resfriamento, e seu desempenho é notável: mesmo quando comparado com notebooks equipados com chips gráficos menos potentes, ele é um dos melhores modelos analisados. Ele foi capaz de manter o chip GTX 1060 na casa dos 60ºC, e o Helios 300 nos dá uma ideia de o quanto é difícil manter baixas as temperatuas dessa GPU.

Na porção de CPU... bem, acho que a Intel é um caso meio perdido. Todos os modelos apresentaram aquecimentos em torno de 90ºC, o que mostra que todos vão acabar batendo "no teto" e tendo que controlar as frequências e performance para não superaquecer. Valeu, Intel.

O sistema de resfriamento do Alienware consegue extrair alta
performance do chip gráfico com baixo aquecimento

Olhando para o resultado do wPrime nessas situações, dá para ver que o Alienware conseguiu um bom resultado nessas situações limites de processamento:

Na parte de autonomia chegamos a um ponto sensível para os notebooks gamers, que muitas vezes não se saem bem em ficar longe da tomada por conta de seus componentes de alta performance (e por consequência de alto consumo). O Alienware entrega exatamente o que esperamos desse perfil: pouca coisa.

Mesmo utilizando economia de energia, luzes no mínimo e todos os LEDs RGB desligados, em atividades leves ele só segurou 2h53min, um resultado ruim mesmo no mundo dos modelos gamers, e perdendo até para modelos ultrafinos como o Avell com Max-Q design e seus meros 1.8cm de espessura. Esse não é um notebook para ficar longe da tomada, exceto para usos específicos, curtos e de pouca intensidade para não descarregar rápido demais.

Melhor não ficar longe de uma tomada

Tecnologias


Algumas recursos raros de serem encontrados em outros notebooks

Um dos grandes destaques do Alienware 15 R3 são as tecnologias adicionais, muitas delas indisponíveis na maioria dos modelos do mercado. A primeira e mais importante delas é a presença de um monitor com taxa de atualização de 120Hz, o que significa que esse notebook é capaz de exibir até 120 quadros por segundo, algo que aumenta muito a fluidez das imagens e é um recurso muito interessante para gamers de jogos competitivos, que irão explorar essa frequência maior do display com tempos menores de resposta.

Com uma frequência tão alta, até o chip GeForce GTX 1060 não será capaz de alcançar esse patamar de forma constante mesmo nos jogos leves. Por isso outro destaque é a tecnologia G-Sync, que consegue adaptar a atualização da tela ao tempo que a placa de vídeo demorou para renderizar cada quadro. Assim o display exibe de forma mais rápida novas imagens e também evita problemas como tearing, sempre combinando a criação de um novo quadro com sua subsequente exibição.

Agora chegando a recursos ainda mais raros, os modelos Alienware incluem uma conexão proprietária para ligá-los ao amplificador gráfico, um dock onde pode ser ligado uma placa de vídeo externa. Enquanto não chegam soluções através das conexões USB Tipo-C ou Thunderbolt ao país, essa é a única opção disponível que "não seja um pouquinho gambiarra". É bom lembrar que para usar esse recurso você precisa comprar o dock em separado, e o custo não é nada baixo: R$ 1.2 mil, e não inclui uma placa de vídeo.

Outra tecnologia bastante rara é o rastreamento Tobii, um sistema de sensores instalados juntos à webcam que fazem o rastreamento dos olhos do usuário. Isso possibilita funções como reduzir o brilho do display quando a pessoa não está olhando para a tela, por exemplo. Sua implementação mais interessante para os gamers está restrita para os jogos que fazem uso dessa tecnologia, algo que atualmente supera os 100 títulos, com medalhões como Assassin's Creed Origins, Deus Ex: Mankind Divided, Rise of the Tomb Raider e Final Fantasy XV entre alguns dos exemplos que exploram esse recurso de alguma forma. São minúcias como virar automaticamente a câmera ou jogar uma granada baseada na região da tela em que o usuário está olhando, detalhes que não mudam a experiência essencial com o jogo, mas trazem adições interessantes em alguns títulos.

O Alienware 15 R3 é um daqueles modelos para quem quer o que há de melhor disponível em um único produto. Além de componentes de alto desempenho (tem versões com GTX 1070, também) ele traz recursos como tela de alta taxa de atualização e com G-Sync, visual caprichado com um sistema de LED RGB customizável, sistema de resfriamento potente e até coisas incomuns como conexão para placa de vídeo externa (comprando o acessório) e rastreamento Tobii.

A performance desse modelo é excelente, aguentando o tranco mesmo em games mais pesados. São raros os jogos que não vai ser possível manter 60FPS em FullHD e qualidade alta, e mesmo nessas exceções a taxa de quadros ainda será alta o suficiente para jogar, ou bastará mexer um pouco na qualidade para ter um bom desempenho.

O Alienware 15 R3 tem hardware para
encarar qualquer game

Tudo isso obviamente tem seu preço, e no caso do Alienware 15, não é nem de longe barato. Ele é vendido por valores próximos dos R$ 9 mil, algo caro até mesmo se comparado com outros notebooks de hardware similar. Isso impossibilita recomendar esse produto para um consumidor que não for daqueles que não precisa ficar cuidando preço quando compra seus gadgets. A combinação GTX 1060+ Core i7 7700HQ sai na casa dos R$ 5.5 mil em um Acer Predator Helio 300, uma diferença pesada mesmo considerando os diferenciais que o modelo da Dell inclui.

Esse modelo traz o que há de melhor em notebooks gamers,
mas por um custo alto demais

Além do custo, o hardware mais potente também piora questões como resfriamento, autonomia e portabilidade. Por isso é importante considerar que jogos serão jogados, já que franquias um pouco mais leves como DoTA e CS:GO atingem taxas semelhantes mesmo em notebooks mais baratos e menos potentes, e dependendo dos games que farão parte da rotina de jogatinas, faz mais sentido um modelo mais fino, leve e menos caro equipado com GTX 1050 Ti ou até mesmo GTX 1050. 

Se para sua carteira esse valor não é problema, e faz questão de um notebook com muitos recursos e um visual imponente, mesmo não sendo dos mais leves, o Alienware 15 R3 é uma boa pedida para um entusiasta que faz questão que seus hardwares tragam LEDs e um design claramente gamer. Se está fora desse nicho, há opções bem mais interessantes com performance próxima e preço mais barato, ou pode compensar muito mais um modelo mais ponderado do segmento de entrada ou intermediário de notebooks gamers.

Conclusão

 

Avaliação: Alienware 15 R3 (GTX 1060+i7+8GB)

Design
9.5
Performance
9.0
Tela
10
Autonomia
6.0
Preço
6.0

PRÓS
Design arrojado
Boa tela com tecnologia IPS, 120hz e G-Sync
Boa performance e baixo aquecimento
Tecnologias adicionais como GPU externa e rastreamento Tobii
CONTRAS
Autonomia ruim
Maior e mais pesado que rivais
Custo elevado
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.