ANÁLISE: Asus Maximus X Hero

Placa-mãe é boa opção para um PC Gamer de alto desempenho baseado em Intel Core 8 Gen

Recebemos da Asus para análise a placa-mãe Maximus X Hero, modelo com selo ROG que ocupa a posição intermediária dentro dessa linha. A placa é uma opção mais em conta para quem busca recursos voltados a gamers com tecnologias diferenciadas da Asus, e para quem não faz questão de produtos topo de linha como a Formula.

É importante falar logo no começo que apesar do socket LGA1151 estar presente também nas placas com chipset série 300, o mesmo não traz compatibilidade com os processadores Core de 6ª e 7ª geração, Skylake e Kaby Lake. Ou seja, por enquanto ela só suporta os processadores de 8ª geração (deve suportar também a 9ª futuramente). De acordo com a Intel, isso acontece porque foram feitas mudanças de configurações diferentes na pinagem para os CPUs com mais núcleos, isso quer dizer que possivelmente nunca será possível usar os modelos das duas gerações anteriores nessa. Talvez não tecnicamente, mas...

Confira nossa análise do Intel Core i7-8700K
Site oficial da placa-mãe Asus Maximus X Hero

Em cenário internacional a placa chegou custando US$ 210, já no Brasil ela chegou com preços na casa de R$ 1.700. Vale destacar que estamos falando do modelo sem WiFi, já que existe um igual, porém mais cara trazendo essa tecnologia.


Tecnologias destacadas pela fabricante


Abaixo listamos algumas das principais tecnologias destacadas pela Asus:

USB 3.1 frontal para gabinetes
A ROG Maximus X Hero oferece um conector frontal USB 3.1 tipo-C para utilizá-lo com gabinetes. O USB 3.1 frontal trabalha em velocidades de 10Gbps.

AURA RGB
Como de costume nas placas-mãe mais recentes, esta placa possui zonas com iluminação de LED que podem ser personalizada usando o ASUS Aura, um software de controle de iluminação intuitiva. Também há duas conexões de quatro pinos para tiras RGB built-in de LEDs. As configurações de iluminação podem ser sincronizadas em todo o sistema, incluindo outros dispositivos Asus e as luzes nos cabos extras em RGB.

- Continua após a publicidade -

Baseada em 3D Xpoint, tecnologia Intel Optane traz velocidades de SSD mesmo com HD

Personalização 3D Printing
Além de oferecer um upgrade estético de luzes, a placa também traz a opção de personalizá-la com peças impressas em 3D. É possível criar placas de identificação personalizadas com cores combinadas, e depois juntá-las à tecnologia de iluminação ASUS para um espectro infinito de combinações de cores.

ASUS Z170 PRO Gaming/Aura e o recurso de personalização 3D

O projeto patenteado de montagem dá a liberdade exclusiva para montar peças impressas em 3D com entradas M.2. Os modelos para personalizar sua placa-mãe estão disponíveis no fórum da Republic of Gamers ou em ASUS.com.

Dissipador de calor M.2
A placa-mãe está equipada com um dissipador de calor M.2 integrado ao dissipador de calor do PCH. Este dissipador em posição angular serve para resfriar a unidade SSD M.2. Essa placa também faz o monitoramento de temperatura de outras áreas da placa, mostrando relatórios em tempo real através do software de gerenciamento Fan Xpert 4. 

- Continua após a publicidade -

O que é M.2 e para que ele serve

Intel I219-V Gigabit Ethernet e Onboard LANGuard
A placa-mãe Asus ROG Maximus X Hero a tecnologia Intel Ethernet (I219-V). Ela conta com a tecnologia LANGuard em seu chipset para proteger a placa de danos causados por eletricidade estática que pode prejudicar os componentes. O Onboard LANGuard oferece uma proteção 1.5X maior em sobretensão e 1.9X maior em tolerância de eletricidade estática do que placas-mãe convencionais.

Dual PCI-E Gen3 M.2 + Intel Optane 
Com a largura de banda oferecida pelo PCI Express 3.0/2.0 x4, o M.2 suporta velocidades de transferência de dados de até 32 Gbit/s. Essa configuração é indicada para fazer com que o PC ou aplicações profissionais funcionarem mais rápido. As memórias também suportam tecnologia Intel Optane.

Baseada em 3D Xpoint, tecnologia Intel Optane traz velocidades de SSD mesmo com HD

Memória DDR4 4133+ MHz
A Asus ROG Maximus X Hero também conta com suporte à memórias DDR4 como toda Z370, sendo capaz de overclocká-las em frequências até 4133MHz. O design de circuito T-Topology, exclusivo da ASUS, mais o OC Socket prometem ajudar a liberar todo o potencial das memórias DDR4.

SupremeFX ASUS e softwares de áudio
A tecnologia SupremeFX minimiza a interferência eletromagnética e os componentes premium oferecem áudio de melhor qualidade 113dB DNR , inclusive, que o das placas de som dedicadas. Ela também normaliza o volume do microfone para uma gravação estável e reduz os ruídos do ambiente. Inclui tecnologia ESS Sabre Hi-Fi ES9023P para maximizar o desempenho acústico e eliminar a interferência. A placa-mãe ainda traz os softwares Sonic Radar III e Sonic Studio III prometendo áudio de melhor qualidade em jogos.

- Continua após a publicidade -

Fotos


Como toda placa com selo ROG, a Maximus X Hero tem design nas cores preto e vermelho com detalhes em cinza. A placa tem um visual muito bonito, mesmo não sendo o modelo topo de linha se destaca bastante nesse aspecto. Uma das únicas criticas frente a modelos concorrentes de empresas como MSI e Gigabyte está nos slots de memória que ainda não trazem a proteção metálica semelhante a utilizadas em conexões PCI-Express 16x, mas pra Asus não ter feito isso, é provável que situações como RMA de problemas com esses slots não sejam algo rotineiro para ela.

Assim como todas mainboards atuais para CPUs Intel Gen8, ela usa o chipset Z370 suportando overclock. Mesmo não sendo a top da empresa, se trata de um modelo com características diferenciadas para essa finalidade. Outro detalhe é que ela suporta memória de até 4133MHz.

Botões de acesso fácil estão integrados ao PCB, junto a uma conexão USB 3.1 tipo-C de segunda geração destinada a gabinetes. Mesmo que ainda buscando seu espaço, essa conexão será importante para quem precisa de altas taxas de transferência no futuro. O debug LED também está presente na placa, algo que ao meu ver deveria ser obrigatório mesmo nos modelos mais baratos.

As conexões para drives de armazenamento incluem 6 portas Sata 3 e duas conexões no formato M.2, uma delas coberta por um dissipador que promete deixar o SSD em formato M.2 em temperaturas menores.

O sistema de som SupremeFX conta com o chip Realtek ALC1220, também o ESS SABRE ESS9023P e capacitores de alta qualidade. Além do suporte à 8 canais, ela traz uma série de tecnologias que prometem qualidade acima da média quando se trata da parte sonora.

O painel traseiro é outro destaque da placa. Assim como aconteceu com alguns modelos topo de linha de gerações mais atuais da Asus, a Maximus X Hero está entre as primeira placas intermediárias da empresa a trazer o antigo espelho "fixo" na mainboard. Ta, mas e daí? E daí que isso facilita muito a vida do usuário, primeiro por deixar o encaixe perfeito das conexões, algo que não acontece com alguns espelhos ao fixar no gabinete devido à "furação" para fixar a mainboard, outra que o acabamento fica muito melhor, deixando qualquer coisa que se conecte no painel melhor conectada. Esperamos que isso se torne cada vez mais comum, incluindo em modelos concorrentes.

Já quando se trata das conexões, sem muitos destaques, o padrão de mainboards de mesmo segmento de preço. Ficamos decepcionados porque placas com esse perfil ainda não trazem por padrão HDMI 2.0b, especialmente porque os CPUs de Gen7 e Gen8 da Intel estão entre os primeiros certificados para ver Netflix em 6K 60Hz, sim, grande parte vai usar a placa de vídeo para isso, mas se tem modelos com sentido para essa tipo de característica essa está entre elas.


BIOS
A interface de BIOS da Asus continua a mesma das últimas gerações, sendo ela a melhor em nossa opinião. Outro detalhe que sempre ressaltamos é o compromisso da Asus em sempre lançar atualizações, visando correções e otimização, especialmente de maior compatibilidade com novos kits de memória.

Abaixo algumas telas da BIOS da placa. Para os testes utilizamos a versão 0505, mais recente durante a análise. Para fazer o download de BIOS desse modelo recomendamos conferir o site oficial.


Sistema Utilizado


Abaixo, detalhes sobre o sistema que utilizamos, além de drivers e aplicativos e games testados. Mas antes, fotos do sistema, atualmente como toda mainboard desse nível com muitos LEDs.

Máquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: Intel Core i8-8700K [análise]
- Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 1080 Founders Edition [análise]
- Memórias: 16 GB G.Skill Trident Z RGB @ 3200MHz (2x8GB) [site oficial]
- SSD: Kingston Savage 240GB Sata 6Gb/s [análise]
- HD: Seagate Barracuda 2TB 7200RPM Sata 6Gb/s [site oficial]
- Cooler: Noctua NH-U12S [site oficial]
- Fonte de energia (PSU): Thermaltake Toughpower 850W GOLD [site oficial]

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 64 Bits com Updates
- GeForce 388.13

Aplicativos/Games:
- AIDA 5.xx
- CineBench R15
- CrystalDiskMark 5.x
- wPrime 1.55
- WinRAR 5.5x
- 3DMark (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)

CPU-Z
Abaixo, telas do CPU-Z mostrando detalhes da placa-mãe e parte do sistema utilizado nos testes. Os processadores Core i7 de 8ª geração são os primeiros modelos da Intel com 6 núcleos e 12 threads sem ser da linha Extreme.

Diferente da análise do CPU, fizemos testes com o sistema em modo default, como ele vem para todos que comprarem os mesmos componentes utilizados. Isso quer dizer especialmente que também adicionamos testes com as memórias em 2133MHz já que a grande maioria das memórias, mesmo com frequências mais altas, vão trabalhar nesse clock até o usuário fazer a modificação - caso não o faça, elas ficam em 2133MHz.


Overclock


Diferente da Gigabyte, a Asus traz em suas BIOS perfis de overclock. Para muitos isso não importa, mas para os usuários mais leigos que adquirem um processador da linha "K" isso faz muita diferença, porque basta optar por um perfil de overclock que o sistema faz todas as seleções de opções já certificadas pela Asus para o overclock daquele processador. Foi isso que fizemos ao testar essa placa-mãe. Aliás, sempre procuramos mostrar esse tipo de facilidade quando disponível.

Nesse caso a Asus adicionou alguns perfis, selecionamos o melhor colocando o Core i7-8700K trabalhando em 5GHz em todos seus núcleos mesmo que não forçados sempre nesse clock, ou seja, ainda utilizando do modo Turbo colocando o clock de 5GHz apenas quando o sistema é exigido. O resultado foi interessante, superando o overclock que fizemos na Gigabyte Z370 Gaming 7. Lembramos ainda que utilizamos um cooler a ar para os testes.

Abaixo, a tela do CPU-Z mostrando o CPU com o overclock de 5GHz aplicado junto com as memórias trabalhando em 3200MHz em dual-channel.


Testes

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema. Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso (IDLE).

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, temos os seguintes resultados de consumo:

Testes de desempenho
Abaixo, temos uma série de testes de desempenho com o sistema, comparando a placa com outros modelos do mercado utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes; com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema.

AIDA64 
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de latência:  

Crystal Disk Mark - USB 3.1
No próximo teste, mostramos o desempenho com um pen-drive USB 3.1 na conexão USB mais rápida da placa. Para esse teste estamos utilizando um dos Flash Drives mais rápidos do mercado, o SanDisk Extreme PRO USB 3.1 de 256GB. Ele tem velocidades altíssimas para um drive USB, com 420 MB/s de leitura e 380 MB/s de escrita.

É importante instalar os drivers do controlador USB da placa
para atingir o cenário ideal

Destacamos ainda que o drive utilizado é padrão USB 3.1 Gen1. Futuramente, em nova versão Gen2 ele poderá alcançar velocidades ainda maiores, já que as placas trazem essa nova conexão. Abaixo os resultados da placa analisada comparada com uma uma Gigabyte X399 AORUS Gaming (socket TR4).

É possível notar que ao overclockar o sistema o desempenho tanto dos testes com drives via conexão USB como também de drives em conexão Sata 3, M.2 etc aumentam um pouco. No comparativo abaixo podemos ver que os resultados quando rodando com o sistema baseado no Threadripper 1950X se mostrou mais eficiente, aliás, superando a própria velocidade teoricamente máxima do drive. indecision

CineBench
Vamos para um teste de conversão de imagem utilizando os múltiplos cores:

WinRAR
Outro teste indicado que pode ser usado para medir o comportamento do processador é o WinRAR, que consegue fazer bom uso de todos os cores.

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, temos os resultados abaixo:  

3DMark
Começamos nossos testes com foco em vídeo com o 3DMark, mas por enquanto com a placa de vídeo dedicada.

Grand Theft Auto 5
O game GTA V para PC está entre os mais exigentes da atualidade, trazendo ótima qualidade gráfica. Confiram abaixo o comportamento das placas rodando o game e como fica a diferença entre os processadores:


Como já colocamos na análise dos CPUs Core Gen8 que fizemos, um dos maiores problemas quando se trata de novas gerações de processadores Intel é a mudança de socket e necessidade de novas placas-mãe. Com os processadores Core de 8ª geração isso "não aconteceu e aconteceu ao mesmo tempo". Eu explico: não aconteceu porque a Intel manteve o socket LGA1151 das placas-mãe com chipset série 100 e 200 nas novas placas com chipset série 300, mas apesar do socket também ser o LGA1151, ele não traz compatibilidade com os processadores de 6ª e 7ª geração, mesmo eles "encaixando". De acordo com a Intel, não tem como suportarem devido uma mudança necessária na configuração dos pinos para os novos processadores com mais núcleos. Muitos esperavam que isso aconteceria através de uma atualização de Bios, mas pelo jeito não vai ocorrer mesmo.

Dito isso, a Asus Maximus X Hero é um ótimo produto para quem busca uma placa-mãe considerando montar um PC Gamer de alto desempenho, mas não quer gastar com os produtos mais caros. Por ser um modelo com selo ROG, ela traz grande parte das tecnologias normalmente encontradas em placas da Asus voltadas aos usuários gamers, como principal diferencial frente aos modelos mais entusiastas. Eu diria que faltou o Wi-Fi, que aliás está disponível em um modelo praticamente idêntico com esse recurso, de resto, a placa tem as principais tecnologias da atualidade.

Placa-mãe traz principais recursos das mainboards Z370

Assim como toda mainboard mais atual, ela traz conexões USB 3.1 da Gen2, que duplica a velocidade final frente as conexões Gen1. Isso desde que o dispositivo conectado tenha suporte a essa velocidade, ou seja, para conseguir alcançar os 16 Gb/s da conexão USB 3.1 Gen2, será necessário um pen drive ou HD Externo que também suporte esse padrão de tecnologia. Assim como outros modelos high-end, ela traz uma conexão USB 3.1 frontal no PCB, também Gen2.

O sistema de áudio SupremeFX conta com o já conhecido chip Realtek ALC1220, encontrado na grande maioria de placas-mãe com chip de áudio posicionado acima dos tradicionais. Ainda traz conectores banhados a ouro no painel traseiro e o chip ESS SABRE.

Modelo se posiciona como intermediário da Asus para Gamers

Assim como outras placas Z370 com mesmo perfil, destacamos o suporte às memórias com frequência mais altas em plataforma Intel do que AMD. Essa placa suporta memórias de até 4133MHz, quase 1000MHz mais que os melhores modelos socket AM4 pra AMD. Considerando que cada vez mais as memórias fazem diferença, é algo a se levar em consideração, sem contar que a compatibilidade em plataforma Intel é muito superior do que em AMD quando se trata de frequências mais altas. Já falamos a mesma coisa na análise da placa-mãe Gigabyte Z370 Gaming 7.

Suporte a memórias com frequências
muito mais altas que em plataformas AMD

Em overclock a Asus costuma se destacar nesse perfil de placa, especialmente por trazer na BIOS perfis pré-programados para overclock, facilitando bastante a vida dos usuários sem conhecimento para overclock manual. Usamos o perfil que colocava o Core i7-8700K em 5GHz aliado ao XMP de 3200MHz das memórias utilizadas, um cenário muito bom para qualquer gamer. O desempenho teve um comportamento um pouco melhor que o alcançado pela Gigabyte. Aliás, não podemos deixar de ressaltar também o desempenho da conexão USB 3.1 do painel traseiro, bem melhor na Maximus X Hero, inclusive refizemos os testes na placa da Gigabyte para garantir que tudo estava normal. Ponto pra Asus nesse aspecto.

Em cenário internacional a placa foi lançada por US$ 210, já no Brasil ela chegou por volta R$ 1.700 disponível em sites como a Kabum, Pichau etc. É um valor alto para uma placa-mãe, esperando até a black friday ou mesmo natal com certeza os preços tendem a ficar melhores, tornando a placa uma opção mais atrativa para quem procura um PC Gamer. Porém não podemos deixar de destacar que placas assim deveriam ficam com preço entre R$1.200 ou R$1.500 no máximo, menos mal que estamos falando do primeiro modelo com o "novo" socket LGA1151, que tendem a também suportar futuros CPUs Core de 9ª geração se o conceito se manter como foi com as gerações anteriores.

Conclusão

 

Avaliação: Asus Maximus X Hero

Tercnologias
9
Acabamento
9.5
Overclock
9.5
Preço
7

PRÓS
Ótimo acabamento e visual
Componentes de alta qualidade
Bom potencial para overclock
Suporte à múltiplas placas de vídeo
Suporte a SSDs Intel Optane
Conexões M.2 e USB 3.1 (Tipo A, tipo C e frontal)
Suporte à memórias DDR4 de até 4133MHz
CONTRAS
N/A
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.