ANÁLISE: ASUS Radeon RX 570 Strix OC

Placa leva o chip RX 570 próximo de seu limite, mas ainda abaixo de uma RX 480

Depois de fazer importantes avanços na serie 400, com a introdução da microarquitetura Polaris, a AMD lança a serie 500. Recebemos da empresa o modelo Asus Radeon RX 570 Strix OC, placa com sistema de cooler melhorado além de overclock de fábrica quando comparado ao modelo referência. O "novo" conjunto de chips, se é que podemos falar assim, são bem mais modestos em inovação: enquanto a serie 400 trouxe uma redução de litografia e saltos de eficiência e performance, a serie 500 é composta por revisões dos chips Polaris, buscando explorar evoluções no processo de fabricação em 14nm FinFET.

Site oficial da Asus Radeon RX 570 Strix OC

10 meses depois do lançamento da primeira placa Polaris, a RX 480, a AMD afirma que as evoluções na produção de seus chips possibilitam novos patamares de desempenho, algo que pretende explorar nessas novas placas. Bem... e basicamente é isso. A serie 500 não tem ambições de ser um produto revolucionário, atuando mais como uma "revisão" das Polaris do que um produto inteiramente novo, apesar da nova nomenclatura. Por esse motivo, inclusive, os modelos estão sendo lançados com preços sugeridos abaixo dos praticados no lançamento da serie 400. A RX 570 referência, por exemplo, foi anunciada por US$ 169, 10 dólares abaixo do preço da RX 470 quando apresentada.

Especificações das placas
Começamos pelas especificações da placa comparada a outros modelos:

Comparativo

ASUS Radeon RX 570 Strix OCAMD Radeon RX 570AMD Radeon RX 470NVIDIA GeForce GTX 1060 3GB

Preços

Preço no lançamentoU$ 190,00 U$ 170,00 U$ 179,00 U$ 199,00
Preço atualizadoR$ 1.050,00 R$ 650,00 R$ 730,00 R$ 900,00

Especificações da GPU

Processo de fabricação14nm FinFET 14nm FinFET 14nm FinFET 16nm FinFET
ChipPolaris 20 (Ellesmere XL) Polaris 20 (Ellesmere XL) Polaris 10 Pro Pascal GP106
Clock do GPU1168 MHz1168 MHz926 MHz1506 MHz
Clock do GPU (Turbo)1300 MHz1244 MHz1206 MHz1708 MHz

Especificações das Memórias

Tecnologia da RAMGDDR5 GDDR5 GDDR5 GDDR5
Interface de largura de BUS256 bit 256 bit 256 bit 192 bit
Quantidade de RAM|4GB| 4GB |4GB| 3GB
Clock das memóriass1750 MHz1750 MHz1650 MHz2002 MHz
Clock efetivo7000 MHz7000 MHz6600 MHz8008 MHz
Largura de banda224 GB/s224 GB/s211 GB/s192.2 GB/s

Características Gerais

Shading Units2048 2048 2048 1152
TMUs128 128 128 72
ROPs32 32 32 48
Pixel Rate41.6 GPixel/s39.81 GPixel/s38.6 GPixel/s72.3 GPixel/s
Texture Rate166.4 GTexel/s159.2 GTexel/s154.4 GTexel/s108.4 GTexel/s
Performance de pontos flutuantes5.325 GFLOPS5.095 GFLOPS4940 GFLOPS3.470 GFLOPS

Design

Pinos de alimentação1x 8 pinos 1x 6 pinos 1x 6 pinos 1x 6 pinos
Suporte à combinação de placasAté quatro placas Até quatro placas Até quatro placas Sem suporte
Tipo de SlotDual-slot Dual-slot Dual-slot Dual-slot
Comprimento da placa241 mm241 mm170 mm250 mm
TDP150 W120 W120 W120 W
Fonte recomendada450 W450 W400 W400 W
Conexões de vídeo1xHDMI 2.0b, 1xDisplayPort 1.4, 2xDVI 1xHDMI 2.0b, 3xDisplayPort 1.4, 1x DVI 1xHDMI 2.0b, 3xDisplayPort 1.4 3x DisplayPort 1.4, 1x HDMI 2.0B, 1xDVI

Recursos

DirectX12.0 12.0 12.0 12.0
OpenCL2.2 2.2 2.2 1.2
OpenGL4.5 4.5 4.5 4.5
Shader5.0 5.0 5.0 5.0

Extras

ExtrasSistema de cooler com 2 FANs

As novidades da serie 500

A AMD apresenta a serie 500 como sendo a "Polaris Evoluída". Ela é resultado de duas evoluções principais, uma das fabricantes e outra da própria AMD. Fornecedores como GlobalFoundries e Samsung vem refinando a fabricação em 14 nanômetros, e como resultado os chips baseados nessa litografia são capazes de atingir maiores frequências de forma mais eficiente, abrindo margem para clocks mais ousados.

O processo em 14 nanômetros evoluiu e agora possibilita chips com frequências mais altas

- Continua após a publicidade -

Além da evolução na fabricação, a AMD introduziu um novo estágio de energia para as memórias, criando um intermediário entre o modo ocioso e o "full load". Com isso a empresa pode reduzir o consumo da placa de vídeo nos momentos que ela não está sob uso intenso, trazendo melhorias no consumo nesses momentos. 

Sim, a lista de inovações acaba aqui. Nó avisamos lá na introdução que não havia muitas novidades.

Tecnologias


Abaixo algumas das principais tecnologias, incluindo tecnologias exclusivas da ASUS, na Radeon RX 570 STRIX OC:

DirectCU II Wing-Blade com tecnologia Fan 0dB
A tecnologia DirectCU II inclui heatpipes que transportam 30% mais calor para longe da GPU. Eles são 3 vezes mais silenciosos que os modelos referência. Além disso, se a temperatura da placa de vídeo estiver abaixo de um valor pré-determinado, os coolers param completamente, ficando totalmente silenciosos e aumentando a sua vida útil.


 

ASUS FanConnect II - Refrigeração complementar direcionada
Durante o jogo, a temperatura da GPU frequentemente é maior que a da CPU. Contudo, as ventoinhas do gabinete geralmente atuam somente em referência ao CPU, o que resulta em um resultado ineficiente de refrigeração do sistema.

Para otimizar a performance térmica, as placas de vídeo ROG Strix possuem dois conectores de 4 pinos que podem ser conectados às ventoinhas do gabinete, tornando possível um gerenciamento das fans do gabinete para atender as demandas da placa de vídeo.

Processo de fabricação automatizado Auto-Extreme 
Hoje, todas as placas de vídeo da Asus são produzidas com a tecnologia Auto-Extreme. Trata-se do primeiro processo de produção 100% automatizado da indústria, removendo assim possíveis falhas humanas. Isso resulta em placas de vídeo consistentes, com melhor desempenho e maior longevidade. O processo também é ecologicamente correto, pois elimina o uso produtos químicos mais agressivos e reduz o consumo energético em 50%.

- Continua após a publicidade -

Iluminação Aura RGB 
A iluminação Aura RGB com Blindagem Modular garante uma personalização única do seu PC. São várias opções para personalizar as luzes como quiser. Além da customização feita pela Asus, o usuário pode fazer as próprias. A placa conta com uma conexão 4-pin adicional para que outros produtos ASUS AURA possam funcionar em conjunto com o software Aura Sync.

Fotos


A placa tem um visual bonito e refinado, com sistema de cooler DirectCU II, composto por 2 FANs com tecnologia 0dB, que desliga os FANs quando o GPU estiver com temperatura inferior a 55º.

Visual bonito e discreto, sem muitos LEDs e luzes

Ainda possui um LED na parte superior, bem discreto para o padrão que as empresas tem adotado atualmente. Em se tratando de conector de energia, apenas um de 8 pinos.

A placa traz duas conexões DVI, uma DisplayPort 1.4 e uma HDMI 2.0B, já suportando 4K em 60Hz apesar da provável limitação de desempenho da placa nessa resolução.

- Continua após a publicidade -

Asus RX 570 Strix OC vs PowerColor RX 470 Red Dragon
O projeto da RX 570 Strix é muito semelhante ao da RX 470 Red Dragon, ambas com coolers utilizando 2 FANs. A Asus optou por não adicionar backplate nesse modelo, diferente da placa da PowerColor com o GPU da geração "passada". Como nova placa consome mais, a Asus adicionou um conector de 8 pinos, porém vale destacar que o modelo referência possui um conector de 6 pinos. Outro detalhe é que a Asus mudou uma DisplayPort para DVI, deixando duas conexões desse formato na RX 570 Strix.

 


Sistema utilizado

Como de costume, utilizamos uma máquina topo de linha baseada em uma mainboard ASUS Rampage V Extreme com processador Intel Core i7 5960X para os testes. A ideia é evitar que o sistema seja um limitador para o desempenho das placas de vídeo testadas.

Abaixo algumas fotos da placa no sistema utilizado:

Mais abaixo, os detalhes da máquina, sistema operacional, drivers, configurações de drivers e softwares/games utilizados nos testes.

Máquina utilizada nos testes:
- Processador Intel Core i7 5960X 3.0GHz - Análise
- Placa-mãe Asus Rampage V Extreme - Análise
- Kit de memórias Kingston HyperX Predator DDR4 16GB 2133Hz (2x8GB) - Análise
- SSD Kingston HyperX Savage 240GB - Análise
- SSHD Seagate 2TB SATA3 - Análise
- Sistema de refrigeração liquida Cooler Master Nepton 120M - Site oficial
- Fonte de energia Cooler Master V1200 Platinum - Site oficial
- Gabinete Cooler Master HAF EVO XB - Site oficial
- Monitor Samsung U28E590D 4K 60Hz - Site oficial

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 Pro 64 Bits Redstone2
- AMD Crimson 17.4.3
- NVIDIA GeForce 381.65

Aplicativos/Games:
- 3DMark (DX11/DX12)
- VRMark (DX11)
- Battlefield 1 (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)
- Hitman (DX12)
- Rise of Tomb Raider (DX11)
- The Division (DX11)
- The Witcher 3 (DX11)

GPU-Z
Vejam a tela principal do GPU-Z mostrando algumas das principais características técnicas da placa.

Em placas AMD o clock default mostrado no GPU-Z
é o clock máximo(turbo) que ela vai atingir

Overclock


Assim como ja acontecia com as placas da geração passada, essa "nova geração" Polaris não vai muito longe quando o assunto é overclock. Conseguimos subir o clock base desse modelo de 1300MHz para no máximo 1375MHz, acima disso a placa se tornava instável. Tem alguns modelos com o GPU RX 580 passando de 1400MHz, porém mesmo essa RX 570 sendo um modelo com projeto melhorado frente ao referência, não passou do clock aplicado, sempre destacando que não fazemos mudanças de tensão para o overclock.

Abaixo a tela do GPU-Z com o overclock aplicado.


Consumo de energia


Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Todos os testes foram feitos em cima da máquina utilizada na análise, o que dá a noção exata do que cada VGA consome. Vale destacar que o valor é o consumo total da máquina e não apenas da placa de vídeo. Dessa forma, comparações com testes de outros sites podem dar resultados bem diferentes.

Para o teste de carga, rodamos o 3DMark - aplicativo que exige um pouco mais do sistema e da placa de vídeo do que grande maioria dos games.

OBS #1.: No teste rodando o aplicativo 3DMark, consideramos 10W como margem de erro, devido a variação que acontece testando uma mesma placa.


Temperatura


Iniciamos nossa bateria de testes com um critério muito importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

É importante destacar que algumas placas possuem um sistema que desliga os fans quando a GPU não está sendo exigida, como ao executar tarefas simples do Windows ou mesmo games mais simples. Por isso, existem temperaturas consideravelmente acima de alguns modelos nessa situação, mas que na prática não comprometem a placa. De acordo com as fabricantes, esse recurso aumenta o tempo de vida útil além de consumir menos energia. Sendo assim, podem existir diferenças grandes na temperatura do modo ocioso, o que não caracteriza uma placa ruim caso a temperatura seja alta.

Primeiro vamos ao teste das placas com o sistema em modo ocioso:

Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo.


3DMark / VRMark


Começamos pelos testes sintéticos, utilizando aplicativos específicos para medir o desempenho das placas.

3DMark

Rodamos a versão mais recente do aplicativo da Futuremark com três testes, o Fire Strike em modo normal e também em modo 4K além do novo Time Spy baseado em API DirectX 12. Abaixo, os resultados:

Agora o resultado em modo 4K: 

Abaixo o novo teste Time Spy que roda sobre a API DirectX 12:

VRMark

O teste VRMark consiste e ver como o sistema se comporta quando rodando cenas em Realidade Virtual. Caso o score atinja 5.000 pontos ou mais, o sistema está apto para, em teoria, rodar bem games com essa tecnologia.


Testes em games

Agora vamos ao que realmente importa: os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado.

Para ajudar a entender os gráficos a seguir: acima de 60fps é o ideal para monitores que operam nessa frequência. Quanto mais próximo dos 30fps, pior vai ficando a fluidez e, abaixo dos 30, o jogo começa a ficar "não jogável"


Battlefield 1


Como um dos games com a melhor qualidade gráfica já lançados, não teria como deixar ele de fora de nossa bateria de testes. Sendo assim, abaixo estão o comportamento das placas rodando o novo game da DICE.


GTA5


GTA V está entre os maiores sucessos dos últimos anos, trazendo entre seus destaques ótima qualidade gráfica. Confiram abaixo o comportamento das placas rodando o game:


Hitman


A franquia clássica ganhou mais um episódio em 2016, com desenvolvimento por conta da I/O Interactive e distribuição da Square Enix. Entre os destaques do game está o uso da API DirectX 12 já em seu lançamento, sendo um dos primeiros jogos a já contar com essa tecnologia. Com fases complexas e até 300 personagens em cada cenário, o game é um interessante desafio para o hardware.


Rise of Tomb Raider


O mais recente game da franquia da Lara Croft, Rise of Tomb Raider trouxe um grande salto na qualidade sobre a versão anterior, prometendo exigir muito das placas de vídeo, mesmo os modelos de alta performance. O game também tem suporte a DirectX 12, mas ainda não consegue tirar proveito dessa API de forma que justifique seu uso (sendo assim, não fizemos os testes com essa versão da API), mesma situação de Hitman. Sendo assim, os testes são em DirectX 11.


The Division


O game da Ubisoft é uma proposta bastante ambiciosa de criar uma Nova Iorque "viva" em partidas com multiplayer totalmente online. The Division usa um motor gráfico próprio desenvolvido pela Ubisoft Massive, e precisa lidar com cenários complexos e grandes quantidades de partículas na tela, com destaque para a neve que ocasionalmente cai em alguns momentos.


The Witcher 3


The Witcher 3 chegou como nova referência em qualidade gráfica para PC, sendo um dos games mais interessantes da atualidade para medir desempenho de placas de vídeo.


Pra quem já tem uma placa da serie 400, não há muito para se ver aqui. A serie 500 explora o novo potencial de frequências que a fabricação em 14nm FinFET, algo que possibilita frequências mais altas mas, em contrapartida, aumenta consumo e aquecimento desses chips. Para balancear essa mudança, as fabricantes estão usando projetos mais "parrudos" em termos de alimentação e dissipação de calor.

Apesar do aumento de frequências trazer um aumento de performance, essa relação não é linear. Isso quer dizer que mesmo que tenhamos aumentos de 25% nas frequências base, o ganho não atinge o mesmo patamar, e em geral podemos esperar um incremento de mais ou menos 10% na performance, comparado ao que víamos em equivalentes da serie 400.

Apesar do salto em frequências, o aumento de performance não é no mesmo patamar

O modelo RX 570 Strix OC leva esse conceito de aumento de frequências além. Com o sistema customizado de resfriamento e alimentação adicional com o uso de um conector de 8 pinos, a Asus trouxe um aumento considerável sobre a frequência padrão dessa GPU, chegando com clock de 1300MHz e, mais importante, conseguindo mantê-lo de forma constante nesse patamar durante nossos testes. Isso é um salto e tanto comparado aos 1168MHz presentes na RX 570 referência, e ainda mais distante dos 926MHz presentes na RX 470 referência.

Em geral o projeto da Strix conseguiu "segurar o tranco" que esse aumento de frequências traz, conseguindo manter seu objetivo térmico que é 70ºC sem precisar baixar dos 1300MHz ao longo de nossos testes, e muitas vezes utilizando as ventoinhas na casa dos 50 a 60%. A exceção foi Witcher 3, onde vimos ela chegar a 75% de uso das ventoinhas, algo que chegou a produzir um ruído perceptível, porém felizmente não muito alto.

A RX 570 Strix consegue manter a frequência máxima sem aquecimento ou produção de ruído excessivos

Se por um lado é interessante ver um projeto que eleva bastante as frequências comparado ao modelo referência, em contrapartida há um efeito colateral comum dessas situações: não há mais muita margem para overclock. A Asus colocou a RX 570 próximo de seu limite ao usar os 1300MHz, e em nossos testes não conseguimos ir muito além disso: de forma estável conseguimos jogar com a placa operando a 1375MHz com um incremento de 10% power target.

A Asus colocou o chip RX 570 próximo de seu limite, e é difícil subir mais com um overclock

Essas características colocam a RX 570 em uma disputa difícil no mercado. Seu ganho de 10% não é uma margem muito grande comparado ao que vemos na RX 470 e nem suficiente para superar a RX 480. Como se trata de um lançamento, está chegando por um preço mais elevado que as placas RX 400, e portanto não estão compensando a compra. A Strix tem esse processo agravado, já que seu projeto diferenciado encarece ainda mais o produto e coloca essa placa em uma situação complicada quando comparado a modelos da própria AMD, custando mais que modelos da RX 480 entregando menos performance, ficando também na desvantagem comparado ao custo de uma GTX 1060 de 3GB e as vezes até as de 6GB. No exterior a diferença é mais discreta: a Strix custa 20 dólares a mais que a RX 570 referência, 

A serie 500 só compensa se a diferença de preço com a serie 400 for bastante baixa

O foco desse produto é mesmo no pessoal que tem placas de vídeo em series mais antigas, como R300 ou anteriores. Para esses, é importante destacar que há um benefício em performance ao se optar por uma RX 500 comparado a uma RX 400, porém com margens tão pequenas de ganho e com praticamente nenhuma inovação, as diferenças de preço precisam ser mínimas para compensar a compra das placas mais recentes.

Uma boa dica na hora de pesquisar o preço de placas de vídeo é ficar de olho no Adrenaline FOR SALE, tópico no fórum onde os usuários compartilham as melhores ofertas.

PRÓS
Overclock de fábrica
Baixo aquecimento e produção de ruído
Tecnologias mais recentes do mercado
CONTRAS
Nenhuma inovação comparada a serie 400
Preços altos de lançamento
Pouca margem para overclock adicional
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

  • Redator: Mariela Cancelier

    Mariela Cancelier

    Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), fui estagiária do Adrenaline/Mundo Conectado entre 2015 e 2017. Gosto de jogos de luta (o que marcou minha infância foi Tekken 4) e MOBAs. Atualmente sou colaboradora de ambos sites e apareço de vez em quando em alguns vídeos e reviews dos canais.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.