ANÁLISE: ASRock Fatal1ty Z270 Gaming K6

Placa-mãe é ótimo modelo com relação custo vs benefício usando chipset Z270

Recebemos para análise a placa-mãe ASRock Z270 Gaming K6, um dos modelos da linha Fatal1ty da empresa, composta de produtos destinados ao público gamer que busca se diferenciar pelo seu visual aliado às principais tecnologias da plataforma.

Em cenário internacional. a placa chegou custando na casa de U$ 160, valor bastante competitivo frente outros modelos bastante semelhantes como a MSI Z270 Gaming Pro Carbon que custa U$ 175 e que analisamos à alguns dias atrás. No Brasil essa placa da ASRock deve ficar abaixo de R$ 1.000.

Site oficial da placa-mãe ASRock Fatal1ty Z270 Gaming K6
Veja as novidades dos processadores Kaby Lake e chipsets série 200

Tecnologias


Abaixo você confere algumas das principais tecnologias oferecidas na placa-mãe ASRock Falal1ty Z270 Gaming K6 socket LGA 1151:

VR-Ready e personalização em LED RGB
A placa-mãe possui VR Ready, ou seja, é qualificada para suportar a imersão de games em realidade virtual. Além da experiência in-game, o usuário também pode ter uma experiência visual com a placa, já que ela possui sistema AURA RGB LED, que permite a personalização de luzes e cores no hardware. Além disso, há uma conexão para uma faixa extra de LED para estender as luzes pelo gabinete. É possível definir perfis e personalizar a placa por meio do software LED ASRock AURA RGB, que pode ser baixado diretamente neste link.

- Continua após a publicidade -

Conexão dupla Intel LAN e dual USB 3.1
Usuários da ASRock Z270 Gaming K6 são capazes de conectar dois cabos LAN na parte traseira. A função Teaming ativada nesta placa-mãe permite que duas conexões únicas atuem como uma única conexão com o dobro da largura de banda. Ela também possui duas portas USB 3.1 Tipo-A e Tipo-C integradas para suportar dispositivos de próxima geração e para fornecer taxas de transferência de dados de até 10 Gbps.


Slots M.2, PCI-E Steel Slot e Intel Optane
Este modelo de placa-mãe possui dois slots M.2 com suporte para PCIe Gen3 x4 Ultra em velocidades de transferência de até 32Gb/s. Ela também suporta módulos SATA3 6Gb/s M.2. O acabamento PCI-E Steel Slots oferece uma cobertura que impede qualquer interferência de sinal com as placas de vídeo. Ele também garante que esses componentes sejam bem instalados nos slots PCI-E. Outro ponto importante na placa é o suporte aos SSDs com tecnologia Intel Optane que chegarão ao mercado em breve.


Intel 4-Layer POOL e Creative Sound Blaster Cinema 3
A tecnologia POOL (Planes On Outer Layers) permite que a placa trabalhe em multicamadas, utilizando um roteamento stripline. Isso melhora as propriedades e desempenho elétrico da placa-mãe. Já o Sound Blaster Cinema 3 presente no hardware é a versão mais recente do software para otimizar a experiência sonora. Com a tecnologia Reality 3D, o som surround 5.1 / 7.1 pode ser ativado para garantir a imersão em jogatinas.

Super Alloy e Hyper BCLK Engine II 
Os componentes da ASRock Z270 Gaming K6 são produzidos com a tecnologia Alloy Power, que garante resistência e maior durabilidade. Assim, seus componentes como capacitores e chokes podem ter um desempenho mais estável e resistir melhor a maiores tensões. 
O Hyper BCLK Engine II é um componente que gerencia o clock base do processador, fazendo com que o usuário possa ter acesso à uma gama mais ampla e mais precisa de frequências em um overclock.


Fotos


Como destacamos na introdução, placas da série Fatal1ty buscam conquistar o público gamer por duas situações: visual gamer e tecnologias voltadas a esse público. Quando falamos em visual gamer, parece que a indústria adotou as cores preto e vermelho, sendo que grande parte das empresas lançam seus produtos para esse público nessas cores, e a Z270 Gaming K6 é mais um exemplo. O visual da placa ficou bem legal, com tonalidades foscas e detalhes "impressos" que buscam chamar a atenção de tecnologias presentes na placa, como das conexões M.2.

A placa acompanha produtos concorrentes e traz características que viraram padrão nesse segmento, leia-se LEDs e estrutura dos slots PCI-Express fixadas com material metálico garantindo maior resistência e também gerando um apelo visual mais bonito. Para os mais exigentes, acompanha os acessórios uma ponte SLI HB, para garantir a melhor conexão entre múltiplas placas usando essa tecnologia. Já para os overclocks, além do chipset é claro, a placa conta com 10 controladores de fases.

- Continua após a publicidade -

Sobre suas tecnologias: além das duas conexões M.2 que viraram padrão em placas Z270 tamanho ATX, ela também traz sistema de áudio baseado no chip Realtek ALC1220 com suporte a 7.1 canais e tecnologia Creative SoundBlaster Cinema3. Na parte de conexão para drives, além dos M.2 estão disponíveis 8 portas Sata3. Botões de ligar e resetar o PCB também estão presentes no PCB da placa, além de um debug LED que ajuda a orientar o usuário em caso de algum problema.

No painel frontal destaque para o suporte a 3 monitores, mas o HDMI é 1.4, ou seja, não suporta 4K em 60Hz, curiosamente algo que tem virado padrão em placas Z270. "Curiosamente" porque várias Z170 foram lançadas com conexão HDMI 2.0, mas os Kaby Lakes são os primeiros CPUs recomendado para uso com 4K a 60Hz devido o suporte direto no hardware. Se tratando de conexão de rede, a ASRock optou por utilizar chip Intel através de duas conexões, sendo um deles concorrente dos chips da série Killer da Qualcomm.

Abaixo, mais algumas fotos da placa e do sistema semi montado:

- Continua após a publicidade -

BIOS


Em se tratando da BIOS, a ASRock manteve a interface igual as versões anteriores, com layout bem funcional e opções de fácil localização e entendimento. Por se tratar de uma placa com chipset Z270, naturalmente várias opções de overclock, desde perfis prontos a configurações avançadas.

Abaixo um vídeo que publicamos em nosso Instagram mostrando os efeitos de LED da placa:

Sistema Utilizado


Abaixo, detalhes sobre o sistema que utilizamos em todas as análise de placas-mãe com mesma série de chipset, além de drivers e aplicações utilizadas nos testes. Antes fotos do sistema utilizado em funcionamento.

Máquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: Intel Core i7 7700K
- Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 1080 (referência)
- Memórias: 8 GB Kingston HyperX Predator @ 2122/3000MHz (2x4GB)
- SSD: Kingston HyperX 3K 240GB Sata 6Gb/s
- HD: Seagate Barracuda 2TB 7200RPM Sata 6Gb/s
- Cooler: Noctua NH-U12S
- Fonte de energia (PSU): Thermaltake Toughpower 850W GOLD PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 64 Bits com Updates
- GeForce 376.33

Aplicativos/Games:
- AIDA 5.xx
- AS SSD Benchmark 1.9.x
- CPU-Z Bench
- wPrime 2.10
- WinRAR 5.4x
- 3DMark (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)

CPU-Z
Abaixo, telas do CPU-Z mostrando detalhes da placa-mãe e parte do sistema utilizado nos testes.

Overclock


Em nossas reviews de placas Z270 com processadores Core i7-7700K que temos aqui (uma versão de engenharia) colocamos ele trabalhando no máximo em 4.9GHz com o cooler Noctua NH-U12S - é um overclock bom por se tratar de um cooler a ar. Algumas placas-mãe entregaram ganho em todos os aplicativos testados quando subimos no máximo até 4.8GHz. Acima desse clock alguns testes simplesmente não apresentam nenhum ganho pelo overclock feito, ficando com resultados semelhantes ao clock padrão, e essa Z270 Gaming K6 é um exemplo. O sistema ficou totalmente estável com o overclock de 4.9GHz através do perfil disponível na BIOS, porém em um único teste, no wPrime, justamente um dos que mais exige do processador, simplesmente não tivemos ganho de desempenho.

Optamos por deixar o sistema overclockado dessa forma e mostrar que em algumas aplicações pode ter o ganho esperado, já em outras não. No caso dos testes de nossa review o único que não surtiu efeito prático foi justamente um teste que não faria muita diferença para uso cotidiano, apesar de ser uma referência boa porque coloca o sistema em Full LOAD.

Abaixo algum tela do CPU-Z e do AIDA64 com o CPU trabalhando em 4.9GHz e as memórias usando seu perfil XMP de 3.000MHz.

Testes

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema. Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso (IDLE).

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, temos os seguintes resultados de consumo:

Testes de desempenho
Abaixo temos uma série de testes de desempenho com o sistema, comparando a placa com outros modelos do mercado utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes - com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema!

CPU-Z Bench
Abaixo, o resultado do teste "Multi Thread" do aplicativo CPU-Z.

AIDA64 
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de latência. Confiram:  

AS SSD Benchmark
Dando sequência, abaixo um teste de desempenho do mesmo SSD utilizado em todas as placas:  

WinRAR
Outro teste indicado que pode ser usado para medir o comportamento do processador é o WinRAR, que consegue fazer bom uso de todos os cores.

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, temos os resultados abaixo:  

3DMark
Começamos nossos testes com foco em vídeo com o 3DMark, mas por enquanto com a placa de vídeo dedicada.

Grand Theft Auto 5
O game GTA V para PC está entre os mais exigentes da atualidade, trazendo ótima qualidade gráfica. Confiram abaixo o comportamento das placas rodando o game e como fica a diferença entre os processadores:


A ASRock tem tradição de ter boas placas-mãe com custo mais atrativo do que a concorrência. Com a Z270 Gaming K6 da série Fatal1ty não é diferente, já que a placa traz as principais tecnologias dessa plataforma por um preço bastante competitivo: U$ 160 em cenário internacional, U$ 15 a menos que a MSI Z270 Gaming Pro Carbon, por exemplo. Ao colocar lado a lado esses dois modelos, a placa da MSI passa a sensação de um produto um pouco superior, mas na prática são produtos bem semelhantes: ambos entregam praticamente a mesma coisa, inclusive em todas as tecnologias oferecidas. Como os U$ 15 normalmente são convertidos em valores próximos a R$ 100 por aqui, pode fazer a diferença para muitas pessoas, jogando um pouco mais de $$ em cima dessa diferença, temos um SSD de 120G, por exemplo.

Placa-mãe tem os principais recursos da plataforma com preço atrativo

O destaque fica por conta das tecnologias e do visual característico dos modelos da série Falal1ty da ASRock, sempre na cor preto+vermelho. Como todas as placas-mãe lançadas nos últimos meses, ela traz LEDs com tecnologia AURA, suporte a 2 SSDs em formato M.2, além dos futuros Intel Optane (que sabe-se lá quando serão lançados) e suporte a múltiplas placas de vídeo via Crossfire ou SLI - inclusive acompanha uma ponte HB SLI. Ela ainda traz suporte à conexões USB 3.1 tipo A e C, hoje padrão em placas Z170 e Z270. Mas como acontece com todas as mainboards da ASRock anunciada até agora, não traz a conexão frontal para futuros gabinetes com conexão USB 3.1. Outro detalhe que conta pontos contra é que o HDMI no painel traseiro é 1.4 e não 2.0.

Boa opção destinada a usuários que buscam montar máquina gamer intermediária

Como aconteceu nas demais reviews de placas-mãe com chipset da série 200, estamos destacando a chegada da nova plataforma de alto desempenho da AMD através dos processadores Ryzen e mainboards socket AM4, que deve acontecer em março, de acordo com vazamentos. Essa plataforma promete chegar com alto desempenho podendo inclusive superar modelos da linha Intel Core Extreme, mas com preços mais atrativos. Sendo assim, fazer um investimento nesse momento em uma máquina visando games e pensando em ficar com ela por um bom tempo não é a melhor "coisa" para se fazer, ainda mais quando se trata de placa-mãe e processador, que limitam o upgrade apenas para essa plataforma.

ASRock tem tradição de bons produtos custo/benefício

Porém, como concluímos na análise da MSI Z270 Gaming Pro Carbon e Asus Z270E Strix, em nossa opinião é mais interessante optar por modelos com essas características do que aqueles com valores acima – às vezes mais do que o dobro do preço dessas placas consideradas bons custo/benefício – mas que vão entregar tecnologias que na prática não serão tão utilizadas. No Brasil, essa placa deve custar na casa de R$ 800, considerado um valor interessante para um produto com as características que a placa tem, especialmente porque os modelos mais baratos do que ela com chipset Z270 devem chegar pouco acima de R$ 600, mas considerados modelos mais simples.

Conclusão

 

Avaliação: ASRock Fatal1ty Z270 Gaming K6

Tecnologias
9
Acabamento
8.5
Overclock
9
Preço
9.5

PRÓS
Bom acabamento e visual
Componentes de alta qualidade
Bom potencial para overclock
Suporte a múltiplas placas de vídeo com ponte SLI HB inclusa
Suporte a SSDs Intel Optane
Conexões M.2 e USB 3.1
Sistema de áudio com suporte a SoundBlaster Cinema 3
Preço muito bom para uma placa Z270
CONTRAS
Não tem suporte a conexão USB 3.1 frontal para gabinetes
HDMI do painel traseiro não suporta [email protected]
Assuntos
Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

  • Redator: Mariela Cancelier

    Mariela Cancelier

    Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), fui estagiária do Adrenaline/Mundo Conectado entre 2015 e 2017. Gosto de jogos de luta (o que marcou minha infância foi Tekken 4) e MOBAs. Atualmente sou colaboradora de ambos sites e apareço de vez em quando em alguns vídeos e reviews dos canais.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.