ANÁLISE: Motospeed Inflictor CK104

O melhor Custo x Benefício em teclados mecânicos?

Motospeed é uma das marcas de periféricos que mais cresceram no ano de 2016, popularizada pelo seu teclado Motospeed Inflictor CK104 (chamado pelo público apenas por "CK104") e atualmente tratada sob holofotes, especialmente pelo suposto baixo custo e alta qualidade de alguns de seus produtos.

Mas ao contrário do que maioria do público acredita, a Motospeed não é nenhuma marca nova no ramo de periféricos. Embora muitos só vieram a conhecer ela no final de 2015 ou no ano de 2016, a Motospeed já é uma marca experiente, sendo que o público Brasileiro já conhecia produtos dela, porém, não sob o seu nome. 

Os mouses Dazz KirataDazz Smilodon PCYes Orion são apenas alguns exemplos de produtos que ela projetou e remarcou para outras marcas. Há diversos outros mouses, teclados e headsets que foram projetados pela Motospeed e vendidos por outras marcas. Ela não é nenhuma novata neste ramo, mas até 2015 sua presença oficial no mercado internacional era mínima.

Todavia, algo ocorreu para alavancar sua popularidade: a introdução de um produto com um preço bastante agressivo o qual acabou transformando completamente a imagem da Motospeed e sua percepção diante do público: o Motospeed Inflictor CK104.

Motospeed CK104 foi um dos primeiros teclados mecânicos RGB a terem um preço extremamente baixo, custando quase 1/3 do valor que muitos concorrentes de "grandes marcas" e conquistando diversos mercados, especialmente aqui no Brasil, onde se tornou extremamente popular.

O sucesso deste teclado foi tanto que o público acabou se interessando bastante em outros produtos da marca, sendo que mouses e headsets da Motospeed também estão com um grande aumento em sua procura.

Mas será que o Motospeed CK104 realmente é bom? Será que esta popularidade não é apenas hype? Ele realmente é equiparável a teclados do triplo do preço? Por que é tão barato? Isto, é o que veremos a seguir.

Construção Externa

- Continua após a publicidade -

Entre teclados mecânicos, o Motospeed CK104 é extremamente simples em seu visual:

Embora a marca faça marketing em cima da placa de alumínio, repito o que sempre postei nas análises de outros teclados: há um "truque" por trás disto e a placa de suporte exposta não faz o Motospeed CK104 ou qualquer outro teclado ter uma "durabilidade" superior a teclados que não sejam assim.

Mas o que realmente me apavorou é o quão fino este teclado é. Mesmo entre teclados com switches expostos, ele ainda assim é um dos mais finos e leves da categoria e a diferença é imensa quando comparado com um teclado mecânico "comum".


Motospeed CK104 na esquerda e CM Quick Fire XTi na direita

Todavia esta é apenas uma característica do teclado, não afeta em nada a sua qualidade ou durabilidade.

No verso do teclado encontramos o logotipo da Motospeeed e algumas informações bastante básicas do teclado. O que é estranho, é que não há nenhuma informação quanto à fabricação ou número de série do teclado. Até a sua caixa é uma das mais simplistas que já vi em um teclado.

- Continua após a publicidade -

O teclado possui dois enormes pedaços de borracha para manter este no lugar, assim como também pés de inclinação, ambos emborrachados.

Quanto às keycaps (o plástico com algo escrito por cima, chamado popularmente de "teclas"), o Motospeed CK104 impressiona por usar materiais melhores que alguns teclados mais caros. Assim como teclados topo de linha da Ducky, o Motospeed CK104 (e diversos outros teclados chineses de baixo custo) utiliza o método de pintura Double-Shot, que consiste em prensar duas peças de plástico para criar a legenda da tecla:


Fonte: Ripster na r/MechanicalKeyboards

Maior parte de seus concorrentes, tal como o Corsair Strafe RGBLogitech G810 e Razer Blackwidow Chroma, utilizam o método "Laser", que consiste em aplicar uma camada de tinta sobre uma tecla e remover esta tinta para criar os caracteres.


O problema deste tipo de acabamento, é que além da tinta causar mais fricção com os dedos, manchas aparecerem com umidade e suor, ou pior ainda, pode haver desgaste com o tempo.

O método Double-Shot é extremamente superior em qualidade ao Laser, a pintura não sofre desgastes com o tempo, as teclas não ficam com "manchas" de umidade e nem com marcas de uso com tanta facilidade. E quais são os pontos negativos então?

- Continua após a publicidade -

O Motospeed CK104 utiliza keycaps de maior qualidade que concorrentes muito mais caros

Este tipo de acabamento possui um custo muito superior e também diminui o brilho das teclas. Mas, o maior problema no caso destes teclados baratos que fazem uso destas keycaps, é que todos usam a mesma fonte por usarem keycaps da mesma fabricante (não é a Motospeed que faz elas!).

O resultado? Bom...

Isso era pra ser um "A"...

Quase todos os teclados mecânicos de baixo custo vendidos na China estão usando esta fonte Gamecuben DualSet, a mesma fonte que a Cooler Master utilizava (e recebia críticas por fazer isto) e parou de usar, porém com algumas diferenças que acabam piorando ainda mais a legibilidade.

Sério, meu Deus do céu, o que diabos vocês fizeram aqui?

Enfim, para o bem de usuários do Motospeed CK104, eis aqui a legenda para cada uma destas teclas:

  • PS = Print Screen
  • SL = Scroll Lock
  • PB = Pause/Break
  • INS = Insert
  • HM = Home
  • PU = Page Up
  • PD = Page Down

Por outro lado, tenho que pelo menos agradecer que no caso do Motospeed CK104 são utilizadas as duas primeiras letras ao invés de encurtar as palavras, o que acaba gerando isto na tecla Pause do concorrente Drevo Gramr, que tem os mesmos problemas:

Outra decisão infeliz de design por parte da Motospeed, foi acrescentar "nomes" aos cinco perfis de iluminação do teclado, estes estando escritos através de um infill branco (a iluminação não passa através destas escritas):

Quando você ativa o perfil "FPS", as teclas WASD e Setas ficam iluminadas. Quando você ativa o perfil "RACE", WASD, R, o SHIFT, CTRL e ALT Esquerdos ligam. E claro, todos estes podem ter suas cores modificadas, pois nada mais são do que simples perfis.

O grande problema, é que isto é propositalmente mal explicado ao usuário, chegando ao ponto de pessoas utilizarem o modo FPS achando que teriam algum tipo de "vantagem" ao fazer isto. Seria muito mais simples e causaria menos incômodo se a marca se referisse apenas como "P1" (Profile 1), "P2", "P3"... 

Enfim, a Construção Externa do Motospeed CK104 é muito boa, especialmente para o seu preço e devido à qualidade do material das suas keycaps. A marca de fato comete diversos pecados na questão de design, mas nenhum que acabe estragando a experiência com o teclado, com exceção dos termos encurtados, que podem ser irritantes para pessoas que não sejam experientes com teclados.

Construção Interna

Um dos principais diferenciais entre a Motospeed e marcas mais populares é que ela mesma realiza a fabricação de seus próprios teclados, pois é uma OEM (Original Equipment Manufacturer).

Isto permite que a Motospeed trabalhe com valores bastante próximos ao Custo de Produção, o que seria impossível para marcas como a CorsairCooler MasterLogitechRazerSteelseries, e outras que dependem de fabricantes como a iOne e Solid Year.

Mas este não é o único segredo para o Motospeed CK104 custar tão pouco. A maior razão está no seu interior. Vamos então depenar ele:

Até início de 2015, se me falassem "teclado mecânico chinês barato" minha reação seria repúdio, pois maioria tinha qualidade similar a teclados como o Newmen GM-10 (conhecido no Brasil como Zalman K500G), o qual é extremamente mal feito em seus componentes e no seu interior.

Certamente não é o caso do Motospeed CK104. Soldas bem feitas (embora com uma boa quantia de resíduo de limpeza, o qual não é nocivo ao teclado), conector removível e uma placa bem organizada. Hoje, devido a casos como este, teclados mecânicos chineses são considerados os melhores em termos de Custo x Benefício do mercado.


Mas, conhecendo outros teclados mecânicos RGB, pode-se notar algo bem diferente no Motospeed CK104 em comparação com outros modelos mais caros.

Por exemplo, o Razer Blackwidow Chroma da imagem abaixo, possui um processador ARM 32 Bits NXP LCP11U24F e outros 4 microprocessadores responsáveis por controlar cada um dos LEDs do teclado.


Por favor, ignorem as manchas neste teclado, ele foi mau-tratado pelo dono dele (que não é o autor)

Ele é basicamente um pequeno computador e não apenas um simples teclado, por isso consegue ter tantas cores, efeitos e suporte a software. O mesmo se aplica a outros teclados, como o Ducky Shine 5, o G.SKILL RIPJAWS KM780 RGB e diversos outros teclados mecânicos RGB de alto custo.

Teclados mecânicos RGB são basicamente um pequeno computador, tendo processadores, memória e sistema operacional

E claro, esta é uma das razões para o custo bastante elevado de alguns destes.

Já o Motospeed CK104, tem apenas isto:

Uma controladora BYK870, um pequeno chip criado para gerenciar todas as funções do teclado e também a sua iluminação em uma solução muito mais barata do que o que é usado por alguns concorrentes. Fazendo uma comparação com processadores, teclados topo de linha usam a linha Intel i7 e o Motospeed CK104 usa um Intel Atom.

O resultado, é um custo de produção muito inferior e também algumas limitações que veremos adiante nesta análise.

O resultado desta peça, é um custo de produção muito inferior, mas diversas limitações em seus recursos

Motospeed CK104 utiliza switches feitos pela Outemu, uma submarca da Gaote, uma empresa já conhecida e respeitada no ramo de switches para mouses, assim como também conhecida pela fabricação dos switches Matias.

A princípio, a Outemu/Gaote tem uma boa reputação no ramo de teclados mecânicos e é agora uma das marcas mais comuns em teclados mecânicos baratos. O Outemu Blue é um pouco diferente da Cherry MX Blue, ele tem uma resistência minimamente maior, mas o que realmente o separa do switch da Cherry, é o seu barulho.

Teclados com Outemu Blue são extremamente barulhentos. Digo e repito, teclados com este switch, tal como o Motospeed CK104, fazem bastante barulho. Pense muito bem nisto antes de comprar um.

O Motospeed CK104 é um teclado bastante barulhento devido a seus switches Outemu Blue

Por outro lado, este barulho é extremamente satisfatório para muitos que digitam com o teclado (e não tanto para quem escuta a digitação), sendo facilmente um dos switches favoritos do autor da análise.

Enfim, ao contrário do que acaba se pensando ao falar de um dos teclados mecânicos mais baratos do mercado, a construção interna do Motospeed CK104 não é ruim. Certamente não está no mesmo nível que alguns concorrentes e ele também usa componentes que limitam seus recursos, mas, para o preço, é até impressionante o nível de capricho que a marca tem em seu teclado.

Recursos e Extras

Conforme acabamos de discutir na Construção Interna, o Motospeed CK104 é um teclado limitado em recursos se comparado a concorrentes mais caros. O responsável por isso? Sua controladora BYK870.

Uma das perguntas mais frequentes que recebo de pessoas interessadas neste teclado é "Dá usar/fazer um software pro CK104?". A resposta é um tremendo não. A controladora utilizada no Motospeed CK104 mal tem capacidade de suportar o próprio teclado, tendo que limitar várias coisas que outros concorrentes disponibilizam.

E uma delas são as suas cores. O Motospeed CK104 possui apenas 7 cores (8 na verdade, mas a cor escura não é contabilizada pois é apenas a iluminação desligada), algo feito para simplificar a sua iluminação e possibilitar que esta controladora de baixa potência seja usada, caso contrário ela nem funcionaria com o teclado por ser fraca demais.


Cores disponíveis nos Motospeed CK104

Preto (desligado), Azul, Verde, Azul-bebê, Vermelho, Rosa, Amarelo e Branco são as cores disponíveis para selecionar no teclado e customizar seus efeitos. É possível ajustar apenas o brilho dos LEDs apertando as setas para cima/baixo, não a intensidade das cores do espectro RGB.

Entrando em questões mais técnicas, a iluminação do CK104 é do tipo 3 bits (8 cores), enquanto concorrentes mais caros chegam até 24 bits (16.8 milhões de cores), o que requer muito mais processamento.


Cores disponíveis em concorrentes como o CM MasterKeys Pro L, Corsair Strafe RGBDucky Shine 5Logitech G810 Razer Blackwidow Chroma

A única exceção para esta regra é o efeito de Ciclo de Cores, onde o teclado consegue muito mais do que 8 cores, mas este é um efeito mais simples do que os outros presentes neste teclado e por esta razão a controladora consegue dar conta dele e alcançar mais cores. Infelizmente não é possível parar estes efeito, o que teoricamente "desbloquearia" mais cores no teclado.

Outro ponto que diferencia o CK104 é a ausência de software, mas diversos teclados de concorrentes, até mesmo alguns que poderiam ter suporte a software, também acabam optando por não ter um, especialmente pela simplicidade e praticidade que isto pode acabar trazendo.

Porém, isto não quer dizer que o Motospeed CK104 não possa ter customizações. O teclado conta com cinco perfis de iluminação, sendo possível customizar as cores de cada uma das teclas, mas claro, havendo apenas 7 cores disponíveis para cada uma delas. A partir disto, podemos fazer a nossa querida bandeira Brasileira que usamos para comparar a iluminação entre teclados mecânicos RGB:

Mas, criar um perfil de iluminação no Motospeed CK104 é uma tarefa muito mais árdua do que por exemplo em concorrentes como o CM MasterKeys Pro L ou Ducky Shine 5, sendo necessário pressionar cada uma de suas 104 teclas diversas vezes para conseguir esta simples bandeira do Brasil.

"Mas wetto, não é fácil fazer isso apertando diversas teclas ao mesmo tempo?"

Não. Caso você tente fazer isto, ao invés das teclas seguirem a ordem, elas irão "se perder", sendo que ao invés de por exemplo, as teclas QWER ficarem todas na cor verde, estarão em cores totalmente diferentes umas das outras.

Outro ponto importante a mencionar, é que diferente de outros teclados melhor projetados, o Motospeed CK104 continua registrando as teclas enquanto você configura a iluminação delas. E se você fez algo errado ou gostaria de mudar apenas a cor de uma tecla neste perfil que fez? Se prepare para fazer tudo de novo, pois vai resetar ele.

É fácil ver o porquê algumas pessoas procuram urgentemente um software no Motospeed CK104, pois embora ele tenha uma configuração via hardware, esta tem algumas falham que dificultam a utilização do teclado. Ele está abaixo nesta questão de teclados como o Ducky Shine 5. Mas, novamente o seu preço entra em jogada e acaba servindo como desculpa, pois custa apenas 1/4 do preço de um Ducky Shine 5.

Enfim, o Motospeed CK104 certamente não é equivalente a teclados do triplo do preço em termos de recursos, ele possui diversas limitações, e algumas falhas, mas todas estas são justificadas pelo seu preço. Para um valor tão baixo, todos os seus recursos, assim como a falta e limitações de alguns, são perfeitamente aceitáveis.

Motospeed Inflictor CK104 fez o que grandes marcas sempre desejam fazer quando lançam um novo produto: mudar por completo o mercado de teclados mecânicos.

O seu preço é incrivelmente baixo, girando na faixa dos 40 até 50 dólares, e nem por isso deixa a desejar em qualidade, tendo uma excelente construção, incluindo keycaps e switches de alta qualidade. A nossa unidade custou cerca de R$ 170,00. Porém, é importante saber que ele é bastante limitado em seus recursos, especialmente na sua iluminação, a qual é muito mais simples do que outros teclados mais caros.

O Motospeed CK104 é sem sombra de dúvidas um dos melhores teclados em termos de Custo x Benefício no mercado

Outro problema atual do Motospeed CK104 é o fato deste teclado estar disponível apenas em uma variante, o Outemu Blue. Quem deseja um teclado que não faça tanto barulho, deve-se manter distante do CK104.

Claro, há alternativas para quem quer algo similar, porém com mais recursos (ex: Motospeed CK108) e com mais variedades de switches (ex: Mantistek GK2), mas estes não possuem um preço tão baixo quanto o CK104.

Antes de terminarmos, gostaria de deixar claro que não vamos recomendar lojas ou vendedores, pois não nos responsabilizamos por quaisquer problemas que você tenha relacionados a importação.

O Adrenaline não se responsabiliza por problemas relacionados à importação

Para quem não quer se estressar com isso, há marcas no Brasil que vendem teclados chineses de qualidade similar, porém com impostos pagos (o que explica as diferenças de preços) e garantia para casos de problemas. A PCYes! estará lançando em breve uma remarcação de um teclado da Motospeed porém com ABNT2 (Ç e tudo), a G.Fallen começara a vender seu novo teclado em Janeiro (em ABNT2) e a Redragon também está prometendo trazer uma nova linha de produtos com preços baixos e em ABNT2.


Novo teclado da PCYes!


Novo teclado da G.Fallen


Redragon Vara RGB

PS: Infelizmente não temos imagens dos modelos finais em ABNT2 da Redragon PCYes pois ainda não chegaram ao Brasil, por isso a falta do "Ç" e tal neles.

Sugerimos que o nosso público apoie estas empresas se possível, pois fazer teclados mecânicos em ABNT2 é algo extremamente complicado, que envolve a encomenda de um número enorme de teclados (entre 500~1.000 unidades de acordo com a fabricante) e um risco imenso caso estes teclados não sejam vendidos.

Sabemos que estas marcas não terão um preço tão baixo quanto a Motospeed, mas se todos que compraram o CK104 tivessem que pagar os impostos que estas marcas pagam, ele também não seria o sucesso que é hoje.

Não quero entrar no âmbito da política, mas muita coisa poderia custar menos da metade em nosso país se nossos impostos não fossem tão abusivos, fora que também existe a questão do Lucro Brasil, que afeta produtos claramente superfaturados do nosso mercado e infelizmente inclui alguns teclados mecânicos.

Conclusão

 

Avaliação: Motospeed Inflictor CK104

Construção Externa
9
Construção Interna
8.5
Recursos e Extras
8
Preço
10

PRÓS
Boa Construção Externa
Boa Construção Interna
Custo x Benefício Monstruoso
Keycaps de alta qualidade com impressão Double-Shot
Iluminação RGB
Switches de alta qualidade Outemu Blue
CONTRAS
A legibilidade de suas teclas é ruim e as abreviações de termos atrapalha usuários comuns
Disponível apenas através de Importação e no switch Outemu Blue
Recursos bastante limitados se comparado a teclados mecânicos topo de linha
Assuntos
Tags
  • Redator: Wellington Diesel

    Wellington Diesel

    Formado em Redes de Computadores, o "wetto" é um entusiasta do ramo de Periféricos. Autor do Guia do Teclado Mecânico, ele carrega consigo mais de 200 análises de mouses, teclados e headsets publicadas, além de diversos Guias e Artigos sobre teclados, mouses e headsets. Respeitado pela comunidade do Adrenaline, ele trabalha à distância como colaborador.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.