ANÁLISE: Ducky Shine 5 e Ducky One TKL RGB

Simplicidade e capricho sem igual

Ducky, a marca do pato. Por trás deste nome simpático e desconhecido pela maioria do público gamer se esconde uma das empresas mais influenciais do mercado de teclados mecânicos. A Ducky foi a primeira empresa a criar efeitos de iluminação avançados em teclados mecânicos em meados de 2011, muito antes de existirem teclados mecânicos RGB com estes mesmos recursos.

Além disso, a Ducky foi a primeira empresa a fazer teclados com efeitos de iluminação que reagem ao pressionar teclas em 2012, sendo que possui uma patente sobre tal efeito, além de diversos outros efeitos que hoje são comuns em teclados mecânicos. Logo, não estamos tratando de uma pequena empresa desconhecida como possa parecer, e sim uma pioneira que, diretamente e indiretamente, influenciou muito este mercado.

Porém, a Ducky não foi uma das primeiras empresas a comercializar teclados mecânicos RGB. Devido a um contrato de exclusividade entre a Cherry e Corsair, que prejudicou e atrasou o mercado por mais de um ano, a Ducky lançou o seu Shine 5 apenas no final de 2015 e o One TKL RGB em Junho de 2016, bem depois de teclados como o Corsair Vengeance K70 RGB e Razer Blackwidow Chroma já terem se popularizado.

Mas então o que o Ducky Shine 5 e a sua versão compacta e mais recente, Ducky One TKL RGB, trazem de diferenciais? Por que estes teclados são tão reverenciados por entusiastas? E quais as diferenças entre estes teclados da Ducky e concorrentes da Corsair, LogitechMotospeed e Razer?

Agora teremos uma análise bastante diferente, analisando dois teclados ao mesmo tempo: um Full-Size (completo com numérico), que é o Ducky Shine 5 e o seu irmão compacto (TKL, Tenkeyless), o Ducky One TKL RGB.

Construção Externa

Ducky Shine 5 e o Ducky One TKL RGB são teclados relativamente simples em design. Estes, possuem uma capa frontal em plástico, o que faz algumas pessoas acharem que sejam menos resistente do que outros concorrentes de alumínio, mas quem já leu algumas das nossas análises anteriores, sabe que há um "truque" por trás disto e que o Ducky Shine 5 e One TKL RGB não são inferiores em durabilidade a outros teclados em alumínio.

- Continua após a publicidade -

No Ducky Shine 5 esta capa frontal é estilizada na cor escura, fazendo-a parecer que seja alumínio.

Já o Ducky One TKL RGB tem uma capa mais simples na cor escura, sem ter bordas ao seu redor, diminuindo ainda mais o espaço ocupado por este na mesa:

O acabamento externo de ambos os teclados é de ótima qualidade e não passa impressão de fragilidade em nenhuma de suas peças, mesmo que não seja feito em alumínio.

Um dos detalhes que realmente separam o Ducky Shine 5 de seus concorrentes são as suas laterais, que juntas aos pés de inclinação, lhe dão um visual diferenciado.

No Ducky Shine 5 vemos um verso bastante estilizado, com o logotipo da marca e as informações do teclado em uma pequena placa de alumínio, sendo também possível remover os pés de ajuste do Ducky Shine 5, que são bem diferentes de outros teclados:

- Continua após a publicidade -


Mas, infelizmente, estes pés não são emborrachados, o que faz o teclado se mover com maior facilidade.

Outro detalhe também é o seu cabo que utiliza um conector Mini-USB, o qual fica prensado em uma canaleta do teclado:

E não é difícil encontrar críticas a este design na internet, inclusive, há casos de usuários com problemas de mal contato com este teclado.

Ducky One TKL RGB por sua vez é bem diferente em sua traseira, tendo diversas melhorias:

Para começar, o formato dos pés de inclinação é diferente, há opções de inclinação e todos estes são emborrachados:

- Continua após a publicidade -

Também, o Ducky One TKL RGB trocou tanto o design do cabo quanto o seu conector, que é agora um Micro-USB (que é mais resistente que o Mini-USB) e possui canaletas para ser utilizado com outros cabos também.

Quanto às keycaps (o plástico com algo escrito por cima, chamado popularmente como "teclas"), ambos os teclados diferem muito de seus concorrentes. Para início de conversa, teclados recentes da Ducky utilizam o método de pintura Double-Shot, que consiste em prensar duas peças de plástico para criar a legenda da tecla:


Fonte: Ripster na r/MechanicalKeyboards

Maior parte de seus concorrentes, tal como o Corsair Strafe RGBLogitech G810 e Razer Blackwidow Chroma, utilizam o método "Laser", que consiste em aplicar uma camada de tinta sobre uma tecla e remover esta tinta para criar os caracteres.


O problema deste tipo de acabamento, é que além da tinta causar mais fricção com os dedos, manchas aparecerem com umidade e suor, ou pior ainda, pode haver desgaste com o tempo.

O método Double-Shot é extremamente superior em qualidade ao Laser, a pintura não sofre desgastes com o tempo, as teclas não ficam com "manchas" de umidade e nem com marcas de uso com tanta facilidade. E quais são os pontos negativos então? Este tipo de acabamento possui um custo muito superior e também diminui o brilho das teclas. Mas não se enganem, a Ducky fez algo muito interessante para resolver o problema do brilho. 

Tanto o Ducky Shine 5 quanto o Ducky One TKL RGB são teclados que externamente não impressionam em visual, mas não deixam de ser bem feitos em termos de acabamento. A qualidade das keycaps é simplesmente absurda, sendo superiores em qualidade até contra keycaps do mesmo tipo feitas por concorrentes chineses (ex: Motospeed CK104). 

E é graças à qualidade das keycaps, que ambos os teclados conseguiram gabaritar este segmento da análise, mesmo que o Ducky One TKL RGB seja um pouco melhor em seu acabamento.

Construção Interna - Ducky Shine 5

Um fato interessante que separa os teclados da Ducky de outras marcas populares (ex: Corsair, Cooler Master, Logitech, Razer, etc...) é que ela possui fábrica própria. A partir do Ducky Shine 5, a Ducky já não trabalha mais com sua antiga OEM, a Costar. Ao invés disso, ela mesma é responsável pela manufatura do teclado.

E foi isso que acabou permitindo muito do que veremos no interior destes teclados. Vamos começar pelo Ducky Shine 5 então, para então partirmos para o One TKL RGB, que é mais recente:

Santa mãe, por onde começar, Batman?

Primeiro: o Ducky Shine 5 é bem diferente de qualquer outro teclado mecânico que eu analisei até agora. Mas, vamos começar analisando as soldas:

Soldas ridiculamente bem-feitas, acrescentadas ao fato deste teclado ter componentes e circuitos dos dois lados (Double-Sided), garantem a sua durabilidade. Ele está vários níveis acima de um Motospeed CK104 e outros teclados RGB baratos por exemplo.

Ducky Shine 5 conta com um conector Mini-USB que pode ser trocado caso venha a ser danificado, sendo que este não aparenta ser muito resistente a maus-tratos como conectores de alguns outros teclados, sendo que já vi relatos de pessoas com problemas de mal-contato nele.

No coração do Ducky Shine 5 encontramos um processador ARM Holtek HT32F1655, um processador 32 bits de alta performance também presente em alguns outros teclados, como o CM Quick Fire XTi.

Para realizar o controle da iluminação, há três controladores de iluminação MBI5042GP, que são exatamente os mesmos que o G.SKILL RIPJAWS KM780 utiliza.

Tratando agora sobre a iluminação, a Ducky considerou o sistema projetado pela Cherry e utilizado por outras marcas como ineficiente. Além de não iluminar tão bem as teclas, não proporciona tanto brilho, o que atrapalha o uso de keycaps Double-Shot e também impede o uso de LEDs de maior qualidade.


Fonte: Análise do teclado Corsair Vengeance K70 RGB pela Tech-Critter

Então, como colocariam outros LEDs se este espaço é tão pequeno? De uma forma nunca vista antes: fazendo duas PCBs. O Ducky Shine 5 foi o primeiro teclado mecânico a contar com duas PCBs, uma dedicada exclusivamente à iluminação.


O resultado disso? Uma das melhores iluminações entre teclados mecânicos. Cores extremamente bem definidas, caracteres nítidos e um efeito de iluminação bem diferente quando comparado a concorrentes, além de LEDs de alta qualidade.

Mas, a Ducky sabia que este era um design com um custo de produção muito alto e curiosamente quem trouxe uma ideia melhor, fora um concorrente que já havia copiado outras ideias da Ducky: a Cooler Master, sendo estas mudanças copiadas pela Ducky no Ducky One TKL RGB.

Continuando ainda sobre a questão da iluminação, o Ducky Shine 5 tem um erro de projeto. Infelizmente, os dois LEDs adicionais que o teclado possui em sua barra de espaço vazam para os olhos do usuário, sendo irritantes caso o teclado seja usado em um certo ângulo.

Para consertar este problema (e muitos outros, com exceção do casamento), basta apenas um pouco de fita isolante. Um erro desnecessário, mas que pode ser corrigido facilmente e que a marca não cometeu novamente em modelos mais recentes.

O seu irmão menor, assim como também toda a linha Ducky One, não tem este problema.

Construção Interna - Ducky One TKL RGB

Ducky One TKL RGB é diferente do Shine 5. Ele possui um design simplificado e algumas melhorias em sua construção.

As suas soldas, assim como o Ducky Shine 5 são extremamente bem-feitas, mas o que realmente acabou me chamando a atenção foi a similaridade com alguns teclados da Cooler Master, em especial este conector micro-USB blindado:

Mas o que realmente me impressiona é que a Ducky parece ter copiado o CM MasterKeys Pro L/S no design dos LEDs do Ducky One TKL RGB, removendo a segunda placa e posicionando os LEDs RGB logo abaixo de cada switch.

E isso é estranho, pois em todos estes anos que faço análises, o que mais vejo é a Cooler Master copiar outras marcas (Ducky inclusa) e nunca o contrário. Parabéns?

O processador do Ducky One TKL RGB é um Holtek HT32F1654, um processador ARM 32 Bits presente também em teclados como o CM Storm MasterKeys Pro S e o CM Storm MasterKeys Pro L.

Para realizar o controle da iluminação, há três controladores de iluminação MBI5042GPque são exatamente os mesmos que o G.SKILL RIPJAWS KM780 e que o seu irmão Ducky Shine 5 utiliza.

Sinceramente, teclados produzidos pela Solid Year, tal como o KM780 RGB, teclados mecânicos da Cooler MasterCorsair, Roccat e várias outras, tem uma construção interna excelente e por isso dou nota 10 para todos eles neste segmento da análise.

Mas teclados como o Ducky Shine 5 e o Ducky One TKL RGB são tão bem feitos e a empresa foi tão além destes concorrentes que para avaliar o que foi feito eu teria que quebrar o sistema de notas e dar um 11, o que não posso fazer.

Recursos e Extras

Embora seja o Ducky Shine 5 no vídeo, estas configurações se aplicam a ambos os teclados:

Para início de conversa, o Ducky Shine 5 e o Ducky One TKL RGB não possuem software. Para algumas pessoas isso pode ser um ponto negativo, já que teoricamente limita o que pode ser feito com o teclado.

Mas não é o caso do Ducky Shine 5 e Ducky One TKL RGB, que possuem o melhor sistema de configuração de iluminação via hardware já visto no mercado. São diversas diferenças que separam estes de outros teclados RGB mais "simples" que também não possuem software.

A começar pela própria escolha de cores. Maioria dos teclados mecânicos RGB com configuração via hardware baratos, tal como o Motospeed CK104, possuem apenas 7 cores. Outro teclado com apenas 7 cores, é o Patriot Viper V760:

Nestes dois teclados da Ducky, ao pressionar F5 (que controla a tonalidade de vermelho), F6 (que controla o verde) e F7 (azul), é possível escolher 8 tons para cada uma destas cores.

Matemática básica: 8x8x8 = 512 cores. Mas, é possível ir além disto: ao segurar a tecla, ela realiza a troca entre 256 tons para cada cor do espectro RGB.

Logo, segurando cada tecla: 256x256x256 = 16.7 milhões de cores, exatamente o mesmo que concorrentes da Corsair, Cooler MasterG.SKILL, LogitechRazer, Roccat, Steelseries e outras marcas oferecem.

Sabemos que o olho humano não consegue reconhecer tantas cores, mas o resultado de um valor destes é que efeitos de iluminação possuem transições bem-feitas: o teclado não troca imediatamente de cores em efeitos como "onda", há uma transição mais fluída em efeitos de iluminação - algo que não acontece em concorrentes mais baratos.

Mas claro, apertar F5, F6 e F7 para escolher cores não é nada prático. Aliás, um grande problema de muitos teclados mecânicos RGB sem software, como por exemplo o Redragon Yama, é que escolher uma cor única para o teclado é algo complicado e chato de fazer.

Então, o que há como alternativa para isto é um dos recursos mais inteligentes que já vi em um teclado: uma paleta de cores ao apertar FN + Barra de Espaço:

Ducky Shine 5 e o Ducky One TKL RGB não foram os primeiros teclados mecânicos do mercado, mas certamente esta foi uma das melhores ideias já concebidas neste ramo. Pressionar uma tecla e ter acesso a 108 ou 78 cores, sendo possível escolher qual destas utilizar pressionando a tecla referente à cor, é algo genial e quero que outras marcas copiem isso.

É extremamente fácil e prático realizar a troca das cores dos teclados da Ducky através deste recurso: não precisa sair do jogo, não precisa instalar um software, não é necessário saber que laranja é a mistura de vermelho com verde, não há apenas 7 cores e não é gasto nem três segundos para realizar a troca.

Um recurso que separa o Ducky Shine 5 do seu irmão menor e da maioria dos concorrentes do mercado são as quatro teclas adicionais acima do numérico:

Calculadora, Mute, Diminuir e Aumentar o Volume. Confesso que quando comecei me acostumar com estas teclas, acabei procurando elas em outros teclados. cheeky

Outro recurso exclusivo do Ducky Shine 5 é uma barra de espaço adicional:

A razão para vocês não terem visto ela nas imagens anteriores ou no vídeo, é porque além do material dela ser extremamente inferior à original, a minha unidade infelizmente fora danificada pela falta de cuidado dos Correios. Sério, a caixa estava tão amassada que ainda saí no lucro tendo apenas a barra de espaço quebrada.

Embora não tenha software, tanto o Ducky Shine 5 quanto o Ducky One TKL RGB têm a capacidade de realizar macros. Mas, a complexidade do sistema, a documentação confusa, aliado ao péssimo inglês da Ducky, não ajudam muito. Por isso decidi criar o meu próprio guia:

Há outros recursos também, mas não quero me adentrar demais. Este sistema é interessante para quem quer usar estes teclados de forma portátil ou não utiliza Windows, mas, para o usuário comum, um software para realizar estas funções seria muito mais prático.

Mas a Ducky sabe desta confusão e tem uma solução para isto: o Ducky Software Controller (DKS). Com ele, é possível realizar os mesmos controles de iluminação e macros, mas em uma interface intuitiva.

O problema? Só está incluso no Ducky Shine 6.

E sinceramente, isto é algo baixo por parte da empresa. Analisando o hardware e capacidades do Ducky Shine 5 e Ducky One TKL RGB, além do fato do firmware deste aceitar atualizações, é possível notar que os teclados não possuem software apenas por escolha da empresa, não porquê não teriam suporte para tal recurso.

Ducky One TKL RGB tem basicamente o mesmo hardware que o CM MasterKeys Pro L e Pro S, sendo que estes dois possuem um software! Qual a razão para a Ducky não adicionar suporte ao Shine 5 One TKL RGB ao DKS? Ganância.

Aliás, notem a similaridade do software da Cooler Master com o DKS. Olhem a fonte, olhem o scroll da caixa de efeitos. Algo que me diz que esse software foi feito pelas mesmas pessoas...

Estes dois teclados da Ducky têm o melhor sistema de configuração via hardware, mas a partir do ponto que o software é usado como um "diferencial" para que pessoas optem ou façam um "upgrade" para o Ducky Shine 6, a falta deste já se torna um ponto negativo e uma falsa limitação imposta pela própria empresa no teclado - uma atitude que espero que revertam enquanto ainda há tempo.

Entendo que há pessoas que são indiferentes quanto ao software, tal como o autor da análise, ou até preferem que não exista, mas custava à Ducky acrescentar esse mesmo software aos modelos anteriores? E foi por esta razão que, embora tenham sido teclados que chegaram muito próximo disto, não ganharam o selo Diamante.

Conclusão

 

Avaliação: Ducky Shine 5 e Ducky One TKL RGB

Construção Externa
10
Construção Interna
10
Recursos e Extras
9
Preço
8

Os teclados Ducky Shine 5 e Ducky One TKL RGB tem algumas falhas, tal como dificuldade para utilizar este teclado nos primeiros dias devido à complexidade de sua configuração, e os LEDs da barra de espaço do Ducky Shine 5 vazando no olho do usuário.

A única coisa que me irrita, e pode não ser um ponto negativo para alguns, é a Ducky utilizar o software como diferencial para pessoas comprarem o Ducky Shine 6, quando na verdade o Shine 5 e One TKL RGB também poderiam receber este recurso através de uma atualização de firmware.

Com exceção da questão do software, estas falhas são pequenas perto do nível de qualidade e capricho colocados nestes dois teclados. Ambos foram projetados desde o primeiro momento para ser alguns dos melhores teclados mecânicos RGB do mercado, algo que, do ponto de vista técnico, conseguiram.

Algumas das melhores keycaps em um teclado mecânico iluminado, uma construção interna nunca vista antes, um dos melhores sistemas de iluminação entre teclados Cherry MX RGB e a melhor configuração via hardware entre todos os teclados RGB.

Ducky Shine 5 e Ducky One TKL RGB não são teclados "gamer" no sentido de marketing e visual, embora sejam excelentes para utilização em jogos. Ele são teclado feitos de entusiastas para entusiastas e por isso diferem tanto em termos de qualidade e capricho se comparado a outros teclados mecânicos do mercado.

Ducky Shine 5 está disponível à venda no Brasil por R$ 948 na PlayerID, enquanto o Ducky One TKL RGB não está disponível à venda no Brasil, mas custaria um pouco menos. Estes são valores bastante elevados, para muitos, absurdos, mas estão dentro dos padrões para modelos topo de linha do mercado de teclados mecânicos. 

Avaliando o fato deste usar componentes de qualidade superior a concorrentes como o Corsair Strafe RGBLogitech G810 e Razer Blackwidow Chroma, os preços até se justificam um pouco por ser dois dos melhores desta categoria, embora realmente poderiam ser um pouco menores.

Mas para quem não se importa com RGB e busca um nível de qualidade similar, há o Ducky One DK1508S (review), que possui um valor bem mais acessível (R$ 588).

PRÓS
A melhor Construção Interna entre todos os teclados mecânicos RGB do mercado
Excelente Construção Externa
Keycaps de altíssima qualidade, algumas das melhores do mercado.
LEDs RGB de maior qualidade que quase todos os concorrentes, com cores nítidas e um ótimo brilho.
O melhor sistema de configuração via hardware entre todos os teclados mecânicos RGB do mercado
Switches de alta qualidade Cherry MX RGB
CONTRAS
Apenas Ducky Shine 5: LEDs da barra de espaço são fortes demais e refletem nos olhos do usuário
Manual confuso e mal feito
Incluir um software apenas para o Shine 6 e não adicionar suporte aos outros teclados RGB, é uma atitude desleal por parte da empresa
Preço elevado
Tags
  • Redator: Wellington Diesel

    Wellington Diesel

    Formado em Redes de Computadores, o "wetto" é um entusiasta do ramo de Periféricos. Autor do Guia do Teclado Mecânico, ele carrega consigo mais de 200 análises de mouses, teclados e headsets publicadas, além de diversos Guias e Artigos sobre teclados, mouses e headsets. Respeitado pela comunidade do Adrenaline, ele trabalha à distância como colaborador.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.