ANÁLISE: LG G5 SE

Premium com desempenho de intermediário, ótima câmera grande-angular e modularidade dispensável

O LG G5 é o novo topo de linha da LG, e chegou ao país com uma polêmica: o downgrade em sua versão voltada ao mercado brasileiro. Em termos gerais, o aparelho é o mesmo em design e em diversos de seus componentes, mas há duas reduções comparados ao G5 tradicional: menos RAM, com 3GB ao invés de 4GB, e um Snapdragon 652 no lugar do Snapdragon 820. Será que com esses cortes, o G5 SE ainda tem condições de entregar uma experiência topo de linha?

Comparativo

LG G5 SELG G5Samsung Galaxy S7Motorola Moto Z

Preços

Preço no lançamentoR$ 3.499,00 U$ 690,00 R$ 3.199,00
Preço atualizadoR$ 3.499,00 U$ 690,00 R$ 3.199,00

Especificações

Armazenamento interno|32GB| |32GB| |32GB||64GB| |32GB||64GB|
Cartão microSDAté 2TB Até 200GB Até 2TB
Memória RAM3GB 4GB 4GB 4GB
Número de núcleos8 4 8 4
Portas de conexão|USB Tipo-C| |USB Tipo-C| |Micro-USB| |USB Tipo-C|
Sistema OperacionalAndroid 6.0 Android 6.0 Android 6.0 Android 6.0
Update disponível para o sistemaNão informado Não informado
ProcessadorSnapdragon 652 Qualcomm Snapdragon 820 Snapdragon 820 | Exynos 8890 Qualcomm Snapdragon 820
Clock1,6GHz GHz2 cores em 2.3GHz 2 cores em 1.6GHz GHz2.3GHz e 1.6GHz | 2 + 2 ou 4 + 4 GHz2.2GHz | Versão brasileira: 1,8GHz GHz
GPUAdreno 510 Adreno 530 Adreno 530 | Mali-T880 MP12 Adreno 530
Bateria2.800mAh mAh2.800 mAh mAh3000mAh mAh2600 mAh
Dimensões149,4 x 73,9 x 7,7mm mm149.4 x 73.9 x 7.7mm mm142.4 x 69.6 x 7.9mm mm155.9 x 75.8 x 5.2 mm
Peso157g g159g g152g g136 g g

Recursos

GPSSim Sim Sim Sim
Leitor de DigitalSim Sim Sim Sim
LTESim Sim Sim Sim
NFCSim Sim Sim Sim
Número de cartões SIM1 1 1 1
RadioSim Não Sim
Tipo de cartão SIMNano SIM Nano SIM Nano SIM Nano SIM
TV DigitalNão Não Não
Bluetooth4.2 4.2 4.2 4.1
ExtrasDesign semi-modular e bateria removível Design semi-modular e bateria removível IP68, carregamento por indução, Gorilla Glass 5 Suporte a módulos Moto Snaps

Display

Resolução1440 x 2560 1440 x 2560 1440 x 2560 1440 x 2560
Tamanho5.3 polegadas 5.3 polegadas 5.1 polegadas 5.5 polegadas
TecnologiaIPS Quantum IPS Quantum Super AMOLED AMOLED
ProteçãoTela resistente a quedas, Corning Gorilla Glass 4.0

Câmera

Vídeos2160p 30 fps 2160p 60 fps 2160p 60 fps 2160p 30 fps
Traseira16MP e 8MP (câmera dupla) Standard 16MP | Wide 8MP 12MP Dual Pixel 13
Frontal8MP 8MP 5MP 5

Design


Agora mais compacto e com bons acabamentos

Se no lado dos componentes rolou "um downgrade", o design não tem mexidas. O LG G5 SE conta com o mesmo corpo metálico do G5 com um acabamento no estilo aço escovado. A primeira mudança é seu porte: no lugar da tela de 5,5 polegadas presente no G4, o G5 ficou um pouco mais compacto com o uso de um display de 5,3". A LG também deixou de lado designs em plástico ou mesmo couro e partiu para o que se tornou padrão na indústria entre os modelos premium: o alumínio.

O G5 está mais compacto e com acabamentos arredondados nas bordas

A LG utilizou um formato arredondado nas laterais e em elementos protuberantes como a câmera, na parte traseira, e isso resulta em uma pegada confortável e segura. O porém fica por conta de dois elementos: o botão traseiro, que possui bordas bem demarcadas para facilitar localizá-lo com o toque, e a base, onde é feito o encaixe dos módulos. A empresa sul-coreana fez um esforço para alinhar o smartphone com o módulo na parte de baixo, porém o desnível entre os dois elementos é sensível na palma da mão quando você está manuseando o aparelho.

É perceptível um desnível no smarpthone onde é realizado o encaixe do módulo

- Continua após a publicidade -

Apesar de menor, a tela ainda mantém a resolução QuadHD, o que significa que temos aqui uma maior densidade de pixels que seu antecessor. Um avanço em relação ao G4 é a luminescência da tela: com 850 nits, a tela é bem mais clara que o G4 (500 nits) e está em um patamar que facilita seu uso mesmo se você utilizar o aparelho em um lugar muito iluminado. Em termos de qualidade, a tela mantém o que se espera de um topo de linha: há um bom balanço de cores, contrastes e os ângulos de visão são amplos, sendo que praticamente não há nenhuma distorção da imagem e cores, independente do ângulo que você olhar para a tela.

Performance


Suficiente para tocar o Android, mas longe de ser um topo de linha

Chegamos ao ponto polêmico da análise. A decisão de não trazer o G5 com seus componentes de mais alta performance para o Brasil, e no lugar equipar o G5 SE com um chip do segmento intermediário, o Qualcomm Snapdragon 652. Mas, afinal, o que significa essa troca em termos práticos? 

Começando com nossos três testes de performance geral, o Antutu, o Basemark OS II e o PCMark for Android. Como não é de surpreender, em muitos testes há uma lacuna entre o G5 SE e os aparelhos topo de linha como o Galaxy S7 e o iPhone 6S Plus. Na verdade, em alguns testes vemos o smartphone ser incapaz de alcançar seu antecessor, o LG G4, e emparelhar a disputa com um dos modelos mais potentes do segmento intermediário, o Zenfone 2.

- Continua após a publicidade -

A diferença de performance é mais notável nos benchmarks do que na experiência de uso

Mas em termos práticos, o que isso significa? No uso cotidiano será pouco provável que a performance decepcione. Mesmo com menos RAM, ainda temos 3GB, o que é mais que o suficiente para um uso ágil do Android. Apesar da performance abaixo de outros concorrentes, o G5 ainda se insere em um patamar de aparelhos com bom desempenho, e na experiência prática desempenhou muito bem suas funções.

Em nosso teste com o 3DMark, bastante focado no estresse do hardware em situações de jogos, vemos novamente o padrão dos testes anteriores se repetir. O G5 emparelhou com seu antecessor, e também ficou no mesmo patamar que o Zenfone 2, um aparelho do segmento intermediário que se destaca por seu alto desempenho dentro de sua categoria de preço (ele custa metade do G5 SE). Olhando para o topo da tabela dá para perceber que tem "muito chão" separando o desempenho do G5 SE e os concorrentes topo de linha, o que deve impactar a capacidade do smartphone em rodar games mais intensos.

O G5 SE trouxe uma novidade para as reviews do Adrenaline. Pela primeira vez nossos benchmarks de bateria são totalmente incompatíveis com nossa experiência de uso. Enquanto nossos testes cravaram resultados fantásticos nos gráficos comparativos, em uso o aparelho é frustrante. O LG G5 SE tem autonomia para segurar um dia de uso, chegando ao final de 15 horas de uso "no grito". Impossível ficar sem carregá-lo ao final do dia, em uma experiência que se mostra inferior a seus antecessores, que não passavam tanto aperto para garantir um dia todo longe da tomada.

Não se engane com os resultados em benchmarks. O LG G5 SE possui uma autonomia apenas aceitável

Esse resultado é uma pena se considerarmos que uma das grandes vantagens de aparelhos topo de linha, em muitos casos, é a duração de bateria convincente. Mesmo com o uso de um SoC menos potente, outros elementos como brilho de tela e alta resolução do display pesaram contra, e o G5 SE não se destaca quando o assunto é autonomia. A discrepância entre os benchmarks e o teste prático pode ser sinal de um mal gerenciamento em modo ocioso, consumindo energia demais quando a tela está apagada. Mesmo tirando o recurso Always On, que exibe informações na tela mesmo com ela bloqueada, o resultado foi ruim.

Câmera


Boas fotos e a grande-ângular é um excelente diferencial

- Continua após a publicidade -

A LG vinha fazendo um bom serviço nas câmeras de seus aparelhos topo de linha, e o G5 SE herda muitas dessas características além de alguns truques novos bem interessantes. Ele traz o que esperamos de um topo de linha: na câmera frontal temos sensor de 8MP com abertura de f/2.0, enquanto a traseira vem equipada com sensor de 16MP com ótima abertura de f/1.8 e um sistema de estabilização ótica com 3 eixos de atuação. Esse conjunto é capaz de gravar vídeos em 1080p30fps (frontal) e [email protected] (traseira). Combinado a esses elementos temos um sistema de LED como flash e foco realizado através de laser, o que auxilia o aparelho na hora de focar. A agilidade da câmera em ser executada também é bem interessante: basta bater o botão de baixar o volume duas vezes para ver o app de fotografia aberto em menos de um segundo.

O G5 entrega fotos com ótima qualidade, mesmo em cenas escuras

O grande diferencial está na segunda câmera traseira. Ao invés de adicionar mais uma câmera para buscar fotos e vídeos com o 3D estereoscópico (como já aconteceu no passado), a função da segunda câmera é trazer um enquadramento e composições totalmente diferentes através do uso de uma objetiva grande-angular. A captura feita com essa segunda câmera captura 135º da cena, e abre toda uma nova gama de possibilidades para fotos e vídeos.


Foto batida na mesma posição, com as duas câmeras traseiras do G5

 

 

Luta do século #melhorqueUFC #doge pic.twitter.com/93oIsZP4MZ

— Diego Kerber (@kerberdiego) 18 de junho de 2016

 

Vídeo feito com câmera no modo grande-angular

Em termos de eficiência, o G5 SE entrega o que esperamos de um smartphone topo de linha. As fotos tem excelente cores, contrastes e o aparelho lida muito bem com cenas escuras, graças a sua grande abertura de f/1.8. Essa abertura também traz outro efeito interessante: é possível fazer fotos muito bacanas com baixíssima profundidade de campo, como nessa cena abaixo, onde o mariposa/borboleta/inseto não identificado tem apenas parte de seu corpo em foco, gerando uma cena bem interessante.



​


Câmera frontal em uma situação bastante desafiadora de luz

Uma das principais mudanças da interface desse smartphone, a UX 5.0 (detalhamos mais ela em "Tecnologias Extras"), são os novos modos de câmera. Buscando explorar os recursos das várias câmeras nesse aparelho, a LG trouxe um software bastante avançado para fotografia, que inclui o sempre bem-vindo "Modo Manual", onde usuários com experiência em fotografia podem ter acesso a ajustes como balanço de branco, tempo de exposição e ISO.

Os diversos modos manuais e automáticos, além da presença de uma lente grande-angular, trazem muitas possibilidades para fotos e vídeos nesse aparelho

Para quem não domina tanto assim essa arte, o aparelho conta com os modos "Simples" e "Básico", com diferentes elementos na tela para ajustes. O aparelho também conta com funções como "Câmera Lenta", que reduz a resolução para capturar mais quadros por segundo, "Timelapse", onde comprime em poucos segundos capturas longas de vídeos e o "Modo Múltiplo", que faz interessantes composições combinando a captura das diversas câmeras do aparelho.


Um dia normal no Adrena - colagem do app do G5

A LG poderia ter feito um trabalho melhor na agilidade e eficiência do foco

Minha principal crítica é o foco. A velocidade e eficiência do G5 na hora de focar as fotos e vídeos ficou abaixo do que vemos em rivais como o Galaxy S7 ou o iPhone 6S. Mesmo se compararmos com o seu antecessor, o LG G4, é perceptível os quase 2 segundos que ele leva para focar em algumas situações, e não raro temos vídeos que começam a ser gravados sem foco, ou fotos que são feitas totalmente borradas. A câmera não chega a ser ineficiente, porém como estamos em um segmento de preço elevado, a concorrência é dura!

Recursos adicionais

O G5 tem como o seu grande diferencial a modularidade. Ela é feita através de um encaixe na base, após destravar através de um botão na lateral, por onde desliza a parte de baixo do aparelho levando a bateria junto com ela. Aí surge a primeira limitação óbvia: mexer em módulo significa necessariamente desligar o smartphone, seja previamente, seja de forma acidental no processo. Esse estilo é obviamente menos eficiente que o modelo da Motorola e seus Snaps, que conseguem fazer essas trocas sem necessidade de reiniciar o aparelho.

Além dos módulos, o ecossistema de "amigos" do LG G5 SE também incluem aparelhos externos, como a câmera 360º LG 360 CAM e os fones de ouvido de alta qualidade LG H3 B&O Play, com preços sugeridos de R$ 1.799 e R$ 1.399, respectivamente. Os acessórios que exploram a modularidade incluem o CAM PLUS, que traz botões adicionais na parte traseira para controle das fotos e vídeos, além de um extra de 1200 mAh na bateria, enquanto o HI-FI Plus com B&O Play traz reprodução sonora mais fiel para o gadget. Esses dois acessórios tem preço sugerido de R$ 649 e R$ 1.299, respectivamente.

Resumindo, o ecossistema atual do G5 explora a modularidade para trazer um pouco mais de bateria e comandos físicos para fotografia, ou possibilidade de incorporar áudio de alta fidelidade. Ambas tem potencial para atingir nichos, porém parecem muito pouco para tornar esse produto em algo atrativo para a maioria do público, frente aos concorrentes. Além do baixo interesse que alguns do recursos incorporam ao aparelho, pesa contra os G5 Friends, mesmo os mais baratos, o fato de chegarem por valores mais caros que smartphones completos.

Outra adição incomum, porém, se mostrou muito acertada. A segunda câmera grande-ângular foi muito útil durante nossos testes, criando possibilidades em fotos e vídeos que não estão disponíveis em aparelhos da concorrência. Esse enquadramento mais amplo é uma excelente pedida para locais mais apertados, ou para registrar mais do que há em redor do objeto em foco. Até em vídeos o efeito é muito bacana, e tem tudo para fazer a alegria de quem curte capturar imagens, pois traz novas possibilidades de composições e cenas.


Duas são melhor que uma

Além das modificações em hardware e componentes, a LG traz "sua abordagem" ao Android, o LG UX 5.0. Essa modificação do Android traz uma interface retrabalhada, funcionalidades adicionais e um gerenciamento dos componentes do smarpthone.

A maioria dos elementos básicos do Android são mantidos, como os apps e wigdets nas telas inciais, barras de notificações e os três botões básicos da interação com o sistema. A primeira mudança mais chamativa é a inexistência da tradicional "gaveta de apps", ícone normalmente na parte central da base da tela que abre uma relação completa dos apps instalados no smartphone. A LG seguiu uma abordagem mais semelhante ao iOS, da Apple: todos os aplicativos instalados estão necessariamente na home screen, retirando assim a gaveta de apps do sistema. Quem não curtiu a mudança, não tem problema: é só ir em Configurações >> Tela >> Tela Inicial e acionar o "Início e gaveta de aplicação" para ter de volta a interface tradicional do Android em seu LG G5.

Em termos gerais, a UX 5.0 traz recursos interessantes, como a integração com os acessórios da linha, o Display Always On, que exibe informações na tela mesmo com o smartphone inativo, os já tradicionais Knock Codes para desbloquear a tela através de um padrão de toques determinado, e também um bem bacana: com a presença de um sensor infravermelho, é possível configurar diferentes controles remotos para usar seu G5 SE para controlar aparelhos como televisores, DVD Players e até ar-condicionado.

A LG trouxe uma aposta um pouco diferente das rivais no mercado. Ao invés de jogar lá pra cima as specs, como a maioria das empresas fazem com seus modelos topo de linha, a empresa sul-coreana decidiu maneirar em componentes e focar mais na "experiência", cortando um pouco dos elementos que não influenciam de forma marcante na qualidade de uso do aparelho. Com isso, ficaram o design, a excelente tela, o leitor de digitais e o conjunto de câmeras, mas em contrapartida foi "tirado o pé do acelerador" quando o assunto é performance. 

Mesmo com os cortes, o G5 SE não é um aparelho de desempenho ruim. Ele se situa abaixo dos topo de linha atuais, mas em compensação se encaixa no topo do segmento intermediário, o que representa uma experiência eficiente com o Android. No uso cotidiano o G5 SE alterna rapidamente entre apps, abre qualquer game sem maiores problemas e encara todas as atividades diárias sem sinais de lentidão ou engasgos.

O chip menos potente não impacta tão negativamente na experiência, mas o preço final não justifica esse corte

Então, onde está o problema? Temos dois: 1) smartphones topo de linha esbanjam performance, resolvendo não apenas "o agora". Estes dispositivos garantem uma janela maior antes da obsolescência, dando ao usuário a certeza que, mesmo que ele estique o ciclo com esse aparelho por alguns anos, ainda vai dar conta do recado até o final. Mas, o maior problema é mesmo 2) ver que não houve um impacto significativo no preço em decorrência dessa economia. Apesar do chip menos potente, o G5 SE chegou com preço sugerido de R$ 3.599, só 200 reais abaixo do preço de lançamento do Galaxy S7, um aparelho que não pegou leve em termos de specs. A conta fica ainda pior considerando que o modelo da Samsung hoje é encontrado por R$ 2.999 e o antecessor do próprio G5, o LG G4, pode ser comprado por R$ 1.7 mil, com um patamar semelhante de performance e com muitos recursos no mesmo nível do implementado no G5 SE.

A Modularidade do G5 não convence. Já a câmera grande-ângular é um diferencial e tanto!

O LG G5 SE traz duas apostas para se diferenciar, e dá para dizer que foi 50% efeito. A modularidade traz conceitos interessantes, mas os módulos disponíveis para ampliar a capacidade do aparelho e, principalmente, seus respectivos preços, tornam difícil que esse recurso faça o diferencial para muitos dos consumidores. A outra aposta, porém, se mostrou excelente: a segunda câmera traseira com objetiva grande-ângular trouxe novas possibilidades para a fotografia e os vídeos feitos com esse aparelho, e é um diferencial e tanto. Com a popularidade da fotografia em smartphones, é fácil ver o apelo que esse "truque novo que o G5 aprendeu" terá com os consumidores.

Por fim, talvez uma das principais decepções com o aparelho, além da pouca atratividade de seu design modular ou o downgrade nos componentes, é mesmo a duração de bateria. Em nossos testes ele se mostrou pouco convincente, segurando apenas um dia de uso regular e com riscos de ficar sem carga antes de ver a noite chegar. Com uma autonomia que gira entre 12 a 15 horas, sair de casa sem o carregador traz o risco de ficar sem smartphone em alguma altura do seu dia. Em contrapartida, como um aparelho topo de linha, manteve elementos importantes como uma ótima tela, excelente conjunto de câmeras e um design atraente. Pena que no conjunto geral, para um aparelho situado em um segmento tão caro e exigente, ele tem muitos deslizes, e sofre forte concorrência dos aparelhos topo de linha de concorrentes como Motorola e Samsung, ao mesmo tempo que até mesmo seu antecessor traz níveis interessantes 


LG G5 SE e iPhone 6s Plus

Conclusão

 

Avaliação: LG G5 SE

Design
9.5
Performance
8.0
Autonomia
7.0
Câmera
9.5
Recursos
9.0
Preço
7.0

PRÓS
Design compacto
Boas câmeras
Excelente tela
Câmera grande-angular adicional
CONTRAS
Downgrade no chip
Leitor de digital deveria ser mais eficiente
Forma como operam os módulos e as opções disponíveis
Tags
lg
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.