ANÁLISE: Gigabyte GeForce GTX 1080 G1 Gaming

Modelo se destaca pelo sistema de cooler mais eficiente e overclock de fábrica

Recebemos para análise a placa de vídeo Gigabyte GeForce GTX 1080 G1 Gaming, modelo que assim como todas as demais placas com GPU NVIDIA GeForce GTX 1080 conta com 8GB de memória do tipo GDDR5X.

A nova geração Pascal da Nvidia chegou trazendo uma série de benefícios sobre a geração passada, com destaque para o maior desempenho e baixo consumo. Assim como sempre acontece, após o anúncio das placas oficiais da Nvidia, agora chamadas de "Founders Edition" (antigos modelos referência), as parceiras da empresa lançam suas versões, sempre procurando adicionar modificações que chamem a atenção do usuário na hora da escolha por qual modelo comprar.

Análise da NVIDIA GeForce GTX 1080 Founder Edition

A série G1 Gaming da Gigabyte vem fazendo muito sucesso desde o lançamento com os modelos da geração GeForce 900, com destaque para o sistema de cooler. Será que a GTX 1080 G1 Gaming conseguirá manter as críticas positivas?

Em cenário internacional essa placa chegou custando U$649, exatos U$50 abaixo dos modelos Founders Edition, mais caros para evitar competir com esses modelos dos parceiros como sendo uma das principais justificativas da Nvidia para esse custo maior. No Brasil a placa chega custando na faixa de R$4.000, no Megamamute ela pode ser encontrada por pouco mais de R$3.900, como pode ser visto nesse link.

Vale lembrar aqui que a NVIDIA anunciou que a sugestão de preço desses modelos dos parceiros parte de U$599 em cenário internacional, mas as empresas estão adotando valores bem maiores, ao menos no lançamento.

A GPU GeForce GTX 1080

A GeForce GTX 1080 é equipada com o chip GP104, um chip gráfico baseado na arquitetura Pascal que conta com 7,2 milhões de transistores, 2560 núcleos CUDA e com clock referência de 1607 MHz, com Boost que pode levar a placa a 1734 MHz, no modelo analisado, o clock do GPU está trabalhando em 1696MHz em default e 1733MHz em modo turbo. No comparativo de especificações fica notável os avanços da nova arquitetura do chip sobre o GM204 da GTX 980, que possui "apenas" 5,2 milhões de transistores e opera em 1127 Mhz como clock referência. A litografia mais compacta possibilitou mais transistores, que somado a reestruturações da arquitetura se refletiu em mais núcleos CUDA, e a maior estabilidade dos chips e maior eficiência (que reflete em menor aquecimento) também possibilitaram esses clocks mais elevados.

Além da GPU, a evolução das memórias é um ponto importante. Além de possuir muito mais espaço, com 8GB comparado aos apenas 4GB da GTX 980, o uso da tecnologia GDDR5X também traz significantes avanços em largura de banda. A GTX 1080 conta com uma interface de memória de 256-bit e oferece uma largura de banda 43% superior a presente em sua antecessora. Além da nova tecnologia, a placa também conta com uma melhoria na arquitetura que torna o processo de gravação e leitura dos dados mais rápido, chegando a ser 1.7x mais rápida que as memórias presentes na GTX 980. Outra evolução implementada é uma compressão mais avançada dos dados, o que causa um consumo menos elevado da largura de banda disponível nas memórias. Com isso, mesmo sem implementar a mais veloz tecnologia HBM, a Nvidia pretende entregar memórias suficientes para atender as demandas do chip GP104.

- Continua após a publicidade -

Os modelos dos parceiros, quando não baseados na Founders Edition, podem ter características um pouco diferente, mas continuam com o mesmo tipo e quantidade de memórias por exemplo.

Especificações das placas
Abaixo as principais especificações da placa analisada ao lado de outros modelos de alto desempenho.

Comparativo

Gigabyte GeForce GTX 1080 G1 GamingNVIDIA GeForce GTX 1080NVIDIA GeForce GTX 1070Gigabyte GTX 980 G1 Gaming

Preços

Preço no lançamentoU$ 649,99 U$ 699,00 U$ 379,00 U$ 579,00
Preço atualizadoR$ 3.262,90 R$ 3.150,00 U$ 450,00 R$ 2.900,00

Especificações da GPU

Processo de fabricação16nm FinFET 16nm FinFET 16nm FinFET 28nm
ChipPascal GP104 Pascal GP104 Pascal GP104 GM204
Clock do GPU1696 MHz1607 MHz1506 MHz1278 MHz
Clock do GPU (Turbo)1835 MHz1733 MHz1683 MHz1329 MHz

Especificações das Memórias

Tecnologia da RAMGDDR5X GDDR5X GDDR5 GDDR5
Interface de largura de BUS256 bit 256 bit 256 bit 256 bit
Quantidade de RAM|8GB| 8GB |8GB| |4GB|
Clock das memóriass1251 MHz1251 MHz2002 MHz1753 MHz
Clock efetivo10008 MHz10008 MHz8008 MHz7012 MHz
Largura de banda320 GB/s320.3 GB/s256 GB/s224 GB/s

Características Gerais

Shading Units2560 2560 1920 2048
TMUs160 160 120 128
ROPs64 64 64 64
Pixel Rate102.8 GPixel/s110.9 GPixel/s96.4 GPixel/s78.6 GPixel/s
Texture Rate257.1 GTexel/s277.3 GTexel/s180.7 GTexel/s157 GTexel/s
Performance de pontos flutuantes8.228 TFLOPS8.873 TFLOPS5.783 TFLOPS5,030 TFLOPS

Design

Pinos de alimentação1x 8 pinos 1x 8 pinos 1x 8 pinos 2x 8 pinos
Suporte à combinação de placasAté duas placas Até duas placas Até duas placas
Tipo de SlotDual-slot Dual-slot Dual-slot Dual-slot
Comprimento da placa286 mm267 mm267 mm312 mm
TDP180 W180 W150 W165 W
Fonte recomendada500 W500 W500 W600 W
Conexões de vídeo3x DisplayPort 1.4, 1x HDMI 2.0B, 1xDVI 3x DisplayPort 1.4, 1x HDMI 2.0B, 1xDVI 3x DisplayPort 1.4, 1x HDMI 2.0B, 1xDVI 2xDVI, 1xHDMI 2.0, 3xDisplayPort

Recursos

DirectX12.0 12.1 12.1 12.1
OpenCL1.2 1.2 1.2 1.2
OpenGL4.5 4.5 4.5 4.5
Shader5.0 5.0 5.0 5.0

Extras

ExtrasSistema de cooler com 3 FANs Sistema de cooler com 3 FANs

Tecnologias


Abaixo algumas das principais tecnologias exclusivas da placa GTX 1080 G1 Gaming da Gigabyte:

Sistema de resfriamento Windforce3x

A placa de vídeo conta com o sistema de resfriamento exclusivo da Gigabyte chamado Windforce3x, com heat-pipes feitos em cobre puro que garantem 29% mais eficiência na dissipação de calor. Os fans possuem um design semi-triangular que também auxilia no resfriamento. De acordo com a empresa, o desenho das hélices do Windforce3x permite um fluxo de ar 23% maior do que um fan convencional.

- Continua após a publicidade -

O sistema de resfriamento possui, ainda, a tecnologia 3D-Active, que torna os fans semi-passivos: quando a temperatura da GPU está estável, os fans param de trabalhar e um indicador LED é acesso no topo da placa de vídeo para avisar o usuário do estado de baixo-consumo.

Sistema de iluminação com cores customizáveis

A GTX 1080 G1 Gaming utiliza LEDs coloridos que podem ser customizados através do software XTREME Engine. O sistema utiliza o espectro RGB e conta com mais de 16.8 milhões de cores disponíveis, que podem ser visualizadas no corpo da placa de cinco maneiras diferentes (cycling, Breathing, Flash, Dual Flash e Consistent).

Software Xtreme Engine
Através do software exclusivo para uso com as placas da empresa, é possível fazer overclock manual, utilizar perfis de overclock pre programados, controlar a velocidade dos FANs e é claro, controlar o funcionamento dos LEDs da placa, onde será possível escolher tanto as cores que vão aparecer, assim como o modo que elas funcionam. Para quem não gosta das "luzinhas", basta desliga-las.

Fotos


Abaixo temos uma série de fotos da placa, que diferente da anterior, agora traz detalhes em um tom laranjado escuro, antes o modelo G1 Gaming tradicional era todo preto. O sistema de cooler sofreu alterações, mas continua com 3 FANs.

- Continua após a publicidade -

G1 Gaming vs Founders Edition
Nas fotos abaixo colocamos lado a lado o modelo GTX 1080 G1 Gaming e a GTX 1080 Founders Edition. Apesar da diferença no sistema de cooler, ambas são semelhantes, com PCB de mesmo tamanho apesar do sistema de cooler tornar o modelo G1 Gaming um pouco maior. Ambas possuem 1 conector de 8 pinos e as mesmas conexões, mas a Gigabyte optou por mudar a posição da conexão HDMI.

GTX G1 Gaming vs GTX G1 Gaming
Já nas fotos abaixo colocamos a GTX 1080 G1 Gaming ao lado de uma GTX 980 Ti G1 Gaming e de uma GTX 980 G1 Gaming, onde podemos ver o projeto continua bastante parecido. Reparem que a nova GTX 1080 G1 Gaming traz apenas um conector, mesmo comparado a GTX 980 G1 Gaming que possui desempenho praticamente 50% menor.

Sistema utilizado


Como de costume, utilizamos uma máquina topo de linha baseada em uma mainboard ASUS Rampage V Extreme, com processador Intel Core i7 5960X para os testes. A ideia é evitar que o sistema seja um limitador para o desempenho das placas de vídeo testadas. Abaixo algumas fotos da placa instalada em nosso gabinete tradicional de reviews.

Mais abaixo, detalhes da máquina, sistema operacional, drivers, configurações de drivers e softwares/games utilizados nos testes.

Máquina utilizada nos testes:
- Processador Intel Core i7 5960X 3.0GHz - Análise
- Placa-mãe Asus Rampage V Extreme - Análise
- Kit de memórias Kingston HyperX Predator DDR4 16GB 3000MHz (4x4GB) - Análise
- SSD Kingston HyperX 3k 240GB
- SSHD Seagate 4TB SATA3 - Análise (modelo de 2TB)
- Sistema de refrigeração liquida Cooler Master Nepton 120M
- Fonte de energia Cooler Master V1200 Platinum
- Gabinete Cooler Master HAF EVO XB
- Monitor Samsung U28E590D 4K 60Hz

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 Pro 64 Bits
- NVIDIA GeForce 368.39
- AMD Crimson 16.6.1

Aplicativos/Games:
- 3DMark (DX11)
- Ashes of The Sigularity (DX11 e DX12)
- Far Cry Primal (D11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)
- Hitman (DX12)
- Rise of Tomb Raider (DX11 e DX12)
- The Division (DX11)
- The Witcher 3 (DX11)

GPU-Z
Abaixo a tela do aplicativo GPUZ mostrando as principais características técnicas da placa, onde vemos que a principal diferente para a Founders Edition está no clock do GPU que está setado em 1696MHz, na Founders é 1607MHz. Para quem quiser criticar a Gigabyte, o clock está 1MHz acima do que está divulgado no site oficial... laugh

Overclock das placas
Como já destacamos, o processo de overclock da GTX 1080 (e a principio demais placas com mesma arquitetura) é diferente das gerações anteriores. Utilizamos o software da própria Gigabyte, bem interessante e simples, porém não será nenhum software que fará milagres, sendo que essa geração não está entregando desempenho prático como na geração passada. Não da para dizer que o ganho é baixo, afinal subimos 300MHz, mas pelo clock padrão já ser bem alto, praticamente 1700MHz, esses 300MHz a mais, mesmo sendo um número considerável, não entregou o que se esperava na prática como podem ver nos testes, nunca chegando a 10%. O lado positivo é que a placa esquentou e consumiu pouco após o overclock.

Vale lembrar que o aplicativo da Gigabyte tem perfis de overclock, velocidade dos FANs, além é claro do controle dos LEDs como já mostramos acima.

Abaixo a tela do aplicativo com o overclock aplicado, onde também podem ver que subimos as memórias, de 10GHz para 10.8GHz.

Testes

Temperatura
Iniciamos nossa bateria de testes com um critério muito importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

É importante destacar que algumas placas possuem um sistema que desliga os fans quando a GPU não está sendo exigida, como ao executar tarefas simples do Windows ou mesmo games mais simples. Por isso, exitem temperaturas consideravelmente acima de alguns modelos nessa situação, mas que na prática não comprometem a placa. De acordo com as fabricantes, esse recurso aumenta o tempo de vida útil além de consumir menos energia. Sendo assim, podem existir diferenças grandes na temperatura do modo ocioso, o que não caracteriza uma placa ruim caso a temperatura seja alta.

Primeiro vamos ao teste das placas com o sistema em modo ocioso:

Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo.

É importante destacar que ambos os modelos da AMD nesse comparativo utilizam um sistema de resfriamento líquido, que resulta em muito mais eficiência em reduzir o aquecimento do chip gráfico.

Consumo de Energia
Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Todos os testes foram feitos em cima da máquina utilizada na análise, o que dá a noção exata do que cada VGA consome. Vale destacar que o valor é o consumo total da máquina e não apenas da placa de vídeo. Dessa forma, comparações com testes de outros sites podem dar resultados bem diferentes.

Para o teste de carga, rodamos o 3DMark - aplicativo que exige um pouco mais do sistema e da placa de vídeo do que grande maioria dos games.

OBS #1.: No teste rodando o aplicativo 3DMark, consideramos 10w como margem de erro, devido a variação que acontece testando uma mesma placa.

Testes sintéticos
Começamos pelos testes sintéticos, utilizando aplicativos específicos para medir o desempenho das placas.

3DMark
Rodamos a versão mais recente do aplicativo da Futuremark com dois testes, ou melhor, um teste em duas situações, o Fire Strike em modo normal e também em modo 4K. Abaixo, os resultados em modo normal:

Agora o resultado em modo 4K: 

Testes em games


Agora vamos ao que realmente importa: os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado.

Para ajudar a entender os gráficos a seguir: acima de 60FPS é o ideal para monitores que operam nessa frequência. Quanto mais próximo dos 30FPS, pior vai ficando a fluidez e, abaixo dos 30, o jogo começa a ficar "injogável"

Ashes of the Singularity
O primeiro game a trazer suporte ao DirectX 12 é um dos mais adiantados no que diz respeito a otimizado da nova API, sendo assim, vamos aos testes com ele:


Far Cry Primal
O quinto game da série "Far Cry" leva o jogador a outra época, sendo um dos títulos atuais com destaque na boa qualidade gráfica e cenários muito bonitos.


Grand Theft Auto V
O game "GTA V" para PC está entre os maiores sucessos dos últimos anos, trazendo entre seus destaques ótima qualidade gráfica. Confiram abaixo o comportamento das placas rodando o game:


Hitman
A franquia clássica ganhou mais um episódio em 2016, com desenvolvimento por conta da I/O Interactive e distribuição da Square Enix. Entre os destaques do game está o uso da API DirectX 12 já em seu lançamento, sendo um dos primeiros jogos a já contar com essa tecnologia. Com fases complexas, com até 300 personagens em cada cenário, o game é um interessante desafio para o hardware.


Rise of Tomb Raider
O mais recente game da franquia de Lara Croft, "Rise of Tomb Raider" trouxe um grande salto na qualidade sobre a versão anterior, prometendo exigir muito das placas de vídeo, mesmo os modelos de alta performance. O game também tem suporte a DirectX 12, mas ainda não consegue tirar proveito dessa API de forma que justifique seu uso, mesma situação de "Hitman", sendo assim os testes são em DirectX 11.


 

Tom Clancy's: The Division
O game da Ubisoft é uma proposta bastante ambiciosa de criar uma Nova Iorque "viva" em partidas com multiplayer totalmente online. The Division usa um motor gráfico próprio desenvolvido pela Ubisoft Massive, e precisa lidar com cenários complexos e grandes quantidades de partículas na tela, com destaque para a neve que ocasionalmente cai em alguns momentos.


The Witcher 3: Wild Hunt
"The Witcher 3" chegou como nova referência em qualidade gráfica para PC, sendo um dos games mais interessantes da atualidade para medir desempenho de placas de vídeo.

Trazendo todas as principais características de uma GTX 1080 Founders Edition, a Gigabyte GTX 1080 G1 Gaming está entre os bons modelos que chegam ao mercado com o novo GPU topo de linha da NVIDIA. Os destaques como já mostramos na análise da Founders Edition, ficam por conta da litografia de 16 nm FinFET, que possibilitaram um maior grau de estabilidade e um aquecimento menor, recursos que viabilizaram esse salto na frequência base da GPU, nesse modelo definido em 1695MHz(a Founders Edition tem clock de 1607MHz). Com transistores menores, também é possível colocar mais deles na mesma área, e por consequência a GTX 1080 chega com mais transistores e mais núcleos CUDA que a GTX 980, outra razão para o seu aumento de desempenho.

Outro destaque como já destacamos na primeira análise, é que a eficiência da nova litografia também fica evidente no menor consumo e maior eficiência por watt consumido. Com um TDP de 180W e operando com apenas um conector de 8 pinos, praticamente o mesmo que a GTX 980, porém há um abismo de aproximadamente 50% ao longo dos testes separando esses dois modelos. Como esse modelo se trata de uma versão com overclock de quase 90MHz, ainda existe algum ganho de desempenho em cima da Founders Edition

Custa menos que uma Founders Edition, e entrega um pouco mais de desempenho

Apesar da placa ainda não atingir os 60FPS em 4K, será possível jogar sem maiores problemas grande parte dos games, especialmente quando não for no estilo FPS com combates frenéticos ou game competitivo onde detalhes como esse podem fazer diferença, no mais, sendo possível jogar com essa placa em 4K. Se o jogador deseja garantir os 60FPS, especialmente em franquias mais pesadas, ai o ideal é ficar na resolução 2,5K(Quad HD), onde essa placa tem performance para segurar acima dos 60 quadros por segundo.

Agora temos uma questão polêmica em relação ao preço. Na geração passada, uma placa como essa G1 Gaming custava em média cerca de U$20 dólares a mais que o modelo referência, a NVIDIA, quando anunciou o modelo Founder Edition, falou que os modelos de parceiros partiriam de U$599, mas esse modelo G1 Gaming chegou custando U$649 em cenário internacional (pesquisa na newegg.com), U$50 a mais que do que o informado pela Nvidia, agora fica a dúvida, porque não seguir o que era utilizado como média na geração passada, U$20 a mais que a referência, as vezes menos ou até mesmo o preço igual ao referência, será que as empresas vão seguir essa média para ter uma margem maior?

Custa menos que uma Founder Edition, mas acima do que esperávamos

No Brasil o Megamamute está vendendo a placa em pre-venda por R$3.900, outros sites e mesmo no Mercado Livre esse modelo está sendo vendido por R$4.300 ou mais, o que não tem lógica já que a Founder Edition custa R$3.999 e esse modelo deveria custar menos, de acordo com o preço sugerido pela Nvidia internacionalmente, sempre lembrando que estamos falando de valores à vista. Enfim, coisas que acontecem no lançamento do produto, e inversões comuns do mercado brasileiro.

Estamos preparando um artigo de SLI com duas GTX 1080 para ver se essa combinação consegue entregar os sonhados 60FPS + Ultra + 4K que uma placa somente não é capaz de segurar.

Conclusão

 

Avaliação: Gigabyte GeForce GTX 1080 G1 Gaming

Performance
10
Tecnologias
10
Diferenciais
9
Overclock
7
Preço
6

PRÓS
Salto em performance comparada a geração anterior
Baixo consumo
Suporte a tecnologias SLI HB, Ansel e Simultaneous Multi-projection
Conexões HDMI 2.0b e DisplayPort 1.4
Overclockada de fábrica
Sistema de cooler eficiente e silencioso
CONTRAS
Preço acima do esperado pela expectativa gerada pela NVIDIA dos modelos de parceiros
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.