ANÁLISE: Dell Inspiron 15 Gaming

Um excelente equilíbrio entre portabilidade, performance e custo

Antes mesmo de trazer a linha Alienware de volta ao país, a Dell já havia anunciado em fevereiro um modelo de notebook voltado aos gamers: o Inspiron 15 Gaming. Diferente da linha Alienware, a Inspiron é composta por produtos voltados ao consumidor doméstico e empresarial com um visual mais neutro, normalmente buscando o segmento intermediário e o uso cotidiano, então é curioso termos um notebook de alto desempenho como parte da família dispositivos Inspiron. Esse modelo possui um preço relativamente alto para a linha Inspiron, variando de 4,8 mil a até quase 6 mil de acordo com a configuração, algo que não é fora da realidade quando falamos no caro segmento dos notebooks para jogos. Será que ele vai dar conta do recado? Vamos conferir no resto da análise!

Design


Simples, bonito e eficiente

Já na primeira vista, o Inspiron 15 Gaming só tem elogios de minha parte. O design é bastante simples, com uso de linhas retas e um material preto emborrachado e fosco. Você começa a ter pistas que se trata de um dispositivo mais potente por conta dos detalhes em vermelho, como o símbolo da Dell na tampa, uma linha em torno do touchpad e as caixas de som. Se dá para dizer que a Dell pecou em algum aspecto, seria apenas que gamers que desejam um gadget mais arrojado vão se decepcionar com o visual neutro e minimalista do Inspiron 15 Gaming.

O Inspiron 15 tem um bom balanço entre sua portabilidade e sua performance

Quando analisamos seu peso e espessura, temos obviamente um aparelho que não tem condições de disputar com os ultrabooks em termos de portabilidade. Para comportar seus componentes de alto desempenho, ele possui 2,5cm de altura e em torno de 2.5kg, algo que não torna ele em um dos notebooks dos mais leves, mas ao mesmo tempo são medidas bem interessantes se considerarmos a performance disponível nesse modelo.

O teclado do tipo chiclet é completo, vem no formato ABNT-2 e inclui teclado numérico. A Dell conseguiu fazer "todo mundo caber", porém só uma tecla acabou sendo expremida: o "Enter" ficou consideravelmente mais fino, e não é raro eu errar seu pressionamento. As setas também precisaram de um reajuste nas medidas para caberem, porém como seu uso é raro em games não senti a falta de teclas maiores. O touchpad é bem integrado ao corpo do aparelho e possui uma área útil e uma precisão suficientes para um uso confortável. Os botões direito e esquerdo são integrados com o corpo do touchpad, e estão localizados na parte inferior.



- Continua após a publicidade -

O display possui resolução FullHD e apresenta um equilíbrio de cores, saturação e luminescência suficientes para uma boa experiência com a tela. O acabamento do tipo fosco é sempre bem-vindo para evitar reflexos excessivos na tela, mesmo em ambientes mais iluminados.

Uma das características mais interessantes do Inspiron 15 Gaming é o acesso a seus componentes. Apenas um parafuso o separa de ter acesso a maioria dos componentes do notebook, sendo que é muito fácil trocar o HD, fazer upgrade das memórias RAM, instalar um SSD M.2 e até a troca da bateria pode ser feita sem maiores problemas. As exceções continuam sendo mexer na CPU ou GPU, pois aí passamos a falar da desmontagem do sistema de resfriamento e de chips soldados diretamente na placa-mãe, uma situação que praticamente todos os notebooks compartilham.

É impressionante a facilidade de mexer em componentes internos do Inspiron 15 Gaming. Apenas um parafuso o separa de upgrades

Performance


Capaz de encarar qualquer game em boa qualidade

O Dell Inspiron 15 precisa encontrar um bom balanço entre performance, aquecimento e preço. Por conta disso usa um chip gráfico intermediário (GTX 960M) e um processador que pode ir desde o intermediário Intel Core i5 até um modelo de alto desempenho Core 7-6700HQ (presente no modelo de nossos testes). É bom destacar que temos aqui um desbalanceamento: comparado à GPU em uso, nossa CPU entrega muito mais desempenho que o necessário, e na maioria das situações o gargalo vai ficar por conta das capacidades da GeForce GTX 960M de rodar os games, e muito possivelmente os testes com games apresentariam praticamente o mesmo resultado se rodado em uma versão desse notebook equipada com o Core i5. A menos que você tenha em mente outras ações como edição intensa de vídeo ou outros tipos de renderização que fazem uso mais intensivo da CPU, não há necessidade do Core i7.

Para quem busca só games, o modelo com Core i5 já deve atender a demanda

Como se trata de um chip GTX 960M, temos aqui uma GPU balanceada: não é capaz de rodar games em qualidade HIGH ou ULTRA garantindo boa fluidez em franquias mais pesadas. Games como The Division ou GTA V vão precisar ser ajustados para o médio, de forma a conseguir um gameplay com uma média mais próxima de 60FPS, sendo que em vários momentos o notebook irá entregar 50FPS. Casos mais extremos, como The Witcher 3 ou Hitman, mais exigentes com hardware, podem trazer a média para perigosos 30FPS. Se por um lado perdemos um pouco ao necessitar desabilitar filtros ou reduzir a qualidade gráfica, em contrapartida esse chip gráfico não prejudica a portabilidade do notebook, que ainda mantém suas medidas em um nível intermediário, diferente dos modelos mais "parrudos" com GPUs mais poderosas.

Colocando os testes abaixo em perspectiva de GPU, o Alienware vem com uma GeForce GTX 970M, a próxima na hierarquia da Nvidia, enquanto o modelo da Avell vem com o GeForce GTX 850M, que não é muito diferente do GTX 950M exceto por um pouco uma frequência um pouco mais baixa no chip gráfico.

- Continua após a publicidade -

Hitman
A franquia clássica ganhou mais um episódio em 2016, com desenvolvimento por conta da I/O Interactive e distribuição da Square Enix. Entre os destaques do game está o uso da API DirectX 12 já em seu lançamento, sendo um dos primeiros jogos a já contar com essa tecnologia. Com fases complexas, com até 300 personagens em cada cenário, o game é um interessante desafio para o hardware.

Rise of Tomb Raider
O mais recente game da franquia de Lara Croft, "Rise of Tomb Raider" trouxe um grande salto na qualidade sobre a versão anterior, prometendo exigir muito das placas de vídeo, mesmo os modelos de alta performance.

Tom Clancy's: The Division
O game da Ubisoft é uma proposta bastante ambiciosa de criar uma Nova Iorque "viva" em partidas com multiplayer totalmente online. The Division usa um motor gráfico próprio desenvolvido pela Ubisoft Massive, e precisa lidar com cenários complexos e grandes quantidades de partículas na tela, com destaque para a neve que ocasionalmente cai em alguns momentos.

- Continua após a publicidade -

Grand Theft Auto V
O game "GTA V" para PC está entre os maiores sucessos dos últimos anos, trazendo entre seus destaques ótima qualidade gráfica. Confiram abaixo o comportamento das placas rodando o game:

O Inspiron 15 é capaz de rodar games na resolução FullHD com qualidade média/alta com uma média próxima dos 60FPS

Saindo dos games, em outros aspectos o Dell também apresenta bom desempenho. Por utilizar um HD, o notebook é penalizado comparado a outros modelos que vem equipados com SSD, perdendo um pouco de agilidade na hora de abrir aplicações ou carregar os games. Felizmente o tempo de boot é curto por conta das otimizações do Windows 10 e da presença de um cache de 8GB de SSD, pronto para agilizar arquivos mais usados e essenciais. 

Por conta de seu balanceamento, além do peso o Dell possui uma boa autonomia. Usando o teste do PCMark 8, no modo economia de energia, brilho mínimo de tela e o ciclo Office, que se alterna entre aplicações leves como navegação na web e edição de texto, o notebook conseguiu operar por 6h18min, um resultado bastante alto para um aparelho com perfil de hardware focado em games.

 

Recursos Adicionais

O Dell Inspiron 15 Gaming não pega pesado nos recursos adicionais, algo que em certa medida pode ser considerado positivo, já que não é raro as fabricantes exagerarem na hora de encher os aparelhos com blootwares. O notebook vem com poucas coisas acrescidas além do próprio Windows 10: um software de gerenciamento do sistema de áudio, um software de atualizações que busca novas versões para os drivers e firmwares do notebook e, como é feito por praticamente todas as fabricantes, um anti-vírus pré-instalado e com validade de 30 dias.

 

Saindo do software e partindo para o hardware, o principal diferencial do Inspiron 15 Gaming é eu sistema de resfriamento: o sistema duplo de fans nas laterais do Inspiron garantem alta eficiência, algo que fica refletido nos benchmarks de temperatura e de produção de ruído. Mesmo considerando que o uso de um chip menos potente (GeForce GTX 960M) comparado a outros modelos dos comparativos que vem com mais robustos GTX 970M e 980M, os resultados são bem interessantes.

A Dell surpreende com esse aparelho, inserido em uma linha que não costuma se destacar por seu desempenho em games. Não é muito comum uma alta performance gráfica em modelos Inspiron, sendo que esses produtos são voltados ao consumidor doméstico ou empresarial que está preocupado em realizar atividades cotidianas. A grande vantagem desse aparelho é que, estando fora da famosa linha Alienware, o Inspiron 15 Gaming traz um design (e um preço) bem mais sóbrio que o presente na linha que é a "cara gamer" da Dell.

Como todo notebook gamer, esse modelo vive no balanço entre portabilidade, preço e performance, sendo que é um produto que encontrou um balanço bastante interessante. Não é um dos notebooks mais finos e leves do mercado, mas ainda está em proporções confortáveis para se deslocar com ele. Seu desempenho não é arrebatador, mas será capaz de rodar muitos games, e terá que tirar o pé apenas nas franquias mais pesadas. Ainda assim, será capaz de entregar algo como um competente médio/FullHD em muitos dos jogos mais elaborados. Seu custo a partir de 4,8 mil reais, chegando a até 6 mil em seu modelo mais "parrudo", não o torna um notebook barato, mas ainda assim é compatível com o preço que vemos entre notebooks com performance para games, um segmento que não costuma ser dos mais amistosos quando o assunto é preço.

Considerando o balanço entre seus recursos e preço, o Inspiron 15 Gaming é uma boa opção para quem busca um bom notebook para jogos, e que não quer partir para os exageros em design e preço de outros modelos como os presentes na linha Alienware. Apesar de abrir mão de alguns componentes que seriam interessantes, como um SSD, ele ainda é capaz de entregar uma agilidade e performance satisfatórios, e vão atender bem que quer um bom notebook para seus games.

Conclusão

 

Avaliação: Dell Inspiron 15 Gaming

Design
9
Tela
9
Performance
9
Autonomia
9
Preço
8

 

PRÓS
Design bonito e discreto
Teclado no padrão ABNT-2 retroiluminado
Touchpad amplo e eficiente
Boa performance em games
Display IPS com acabamento fosco
Alta facilidade em ter acesso a componentes internos
CONTRAS
Desempenho insuficiente para qualidades mais altas
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.