ANÁLISE: Corsair VOID Dolby 7.1 sem fio

Os modelos VOID são a linha da Corsair de headsets voltados para o público gamer, com uma linha de fones estéreo, 7.1 e também modelos com cabos ou wireless. O modelo de nossa análise é uma edição especial, o VOID Wireless SE - Yellowjacket Edition, um modelo que conta com conexão sem fio e um design diferenciado na cor amarela.

O headset chega para melhorar a vida de quem vive se enroscando no cabo de seu fone, nesse emaranhado que toda mesa gamer forma com a mistura de um cabo do mouse, outro do teclado e outro do fone. Por aqui, o headset ser lançado ao chão porque ficou preso no braço da cadeira é um clássico da redação Adrenaline. Vale a pena se livrar desse inconveniente com o VOID? Vejamos no restante da análise! 

Especificações técnicas

Fones de ouvido

- Tipo: Fone de ouvido para áudio posicional Dolby 7.1
- Resposta de frequência: 20 Hz a 20 kHz
- Impedância: 32 Ohms a 1 kHz
- Sensibilidade: 107 dB (+/-3 dB)
- Drivers: 50mm
- Conector: USB do tipo A
- Alcance sem fio de até 12 metros (40 pés)
- Duração da bateria: Até 16 horas
- Peso: 388 gramas

Microfone

- Tipo: Condensador unidirecional com cancelamento de ruídos, braço giratório ajustável e luz InfoMic
- Impedância: 2,2 k Ohms
- Resposta de frequência: 100Hz a 10kHz
- Sensibilidade: -38dB (+/-3dB)


Design - confortável e bem construído

Dentro de todos os aspectos visuais do nosso modelo para testes, a cor amarela é evidentemente o elemento mais chamativo. Para aqueles que não são fãs de periféricos tão chamativos, a linha VOID  conta com modelos em cores mais discretas como a preta e branca. 

Passado o elemento mais gritante da aparência do fone, o VOID é um headset grande com linhas esportivas. Um dos elementos que chamam a atenção em seu estilo são as luzes nas laterais. Com o uso da tecnologia RGB, é possível customizar a cor e o padrão em que esse efeito de luz pisca.

O VOID tem um design caprichado, mas não é dos mais leves por ser sem fio

Na ergonomia, o fone é bastante confortável, com o uso de estofados com um tecido de microfibra nas conchas dos fones e na parte da haste que se apoia no topo da cabeça. É uma pena esse fone não trazer uma opção alternativa de estofamento com um acabamento mais liso, como o couro, para os usuários que preferem esse tipo de material. O acolchoado possui "memória", o que significa que o uso prolongado não deve deformá-lo, e o encaixe é bem ajustado nas orelhas.

Por conta de ser wireless, o fone precisa trazer baterias internas e isso resulta em num aumento do peso, num total de 388 gramas. Dentro dos padrões dos fones sem fio isso não é muito, mas ao mesmo tempo não é dos headsets mais leves do mercado. 

Um toque interessante é que o status e as configurações do fone são visíveis graças a LEDs posicionados estrategicamente na ponta do microfone. Um dos indicadores mostra se o microfone está no mudo ou ativo, enquanto o segundo passará a piscar quando o fone estiver com menos de 20% de carga. É um feedback discreto e que fica na canto da visão periférica, muito bem posicionado. 

Os LEDs no microfone são um dos feedbacks mais sutis e inteligentes que já vimos em headsets

Falando em microfone, o VOID traz um unidirecional com cancelamento de ruído, o que resulta em uma boa qualidade de áudio. Ele é posicionado em uma haste dobrável mas pouco flexível, o que limita as possibilidades de reposicionamento. Apesar de não ser possível desconectá-lo, basta virá-lo para cima que ele deixa de atrapalhar, nos casos em que você não pretende usá-lo ou se os pequenos LEDs indicativos estão incomodando. 

O VOID traz dois cabos, sendo um para ligar diretamente o headset através da porta USB, uma opção para apenas recarregar, e um extensor para colocar o receptor em um local de melhor alcance do sinal, evitando de deixar o dongle USB em um canto ou atrás do PC, comprometendo a recepção. Como falamos de um acessório que depende de cargas eventuais, e se trata de um produto caro, poderia estar no kit uma base para carregamento, no mesmo estilo que outros acessórios sem fio trazem, unindo o agradável (um bom suporte para guardar seu periférico) ao útil (manter o fone sempre carregado). 

Configuração e ajustes

O VOID possui alguns de seus ajustes já acessíveis através de botões na lateral esquerda. Além do responsável por ligar e desligar o fone, um botão é dedicado a ativar ou desligar o microfone enquanto uma roda serve para aumentar ou reduzir o volume, dependendo da direção que for mexida, ou para ligar e desligar a tecnologia Dolby quando pressionado (algo que com certeza podia dar lugar a um botão de deixar mudo, algo bem mais útil).

Além dos ajustes "on-the-fly", o VOID é configurado através do Corsair CUE, uma aplicação que é responsável pelos ajustes no funcionamento do fone, desde mudanças no perfil de equalização até alterações meramente cosméticas, como o padrão de cores e brilho das luzes na lateral. Também é possível ver informações como quantidade de bateria disponível no fone, bem como updates de firmware.

Assim que você consegue achar onde estão as coisas, o software de configuração do VOID é eficiente

O aplicativo peca da mesma forma como muitos outros sofwares de configuração de periféricos: tem uma interface bastante carregada e em alguns momentos confusa. Existe uma aba chamada Lighting, mas a configuração do sistema de luz é feito na aba Profiles. Passado o estranhamento da organização da interface, é bem prático mudar os modos de luz do fone e, para quem não quer esse tipo de "papagaiada", um botão desabilita todos os efeitos de luz - e sim, ele não fica junto com o resto das configurações de luz, ele está em Settings > Device.

Performance e aúdio - bom na transmissão, mas 7.1 é uma enganação

O VOID é um fone do tipo closed-ear, ou seja, suas conchas geram um isolamento acústico evitando que o som vaze quando você está jogando e, ao mesmo tempo, reduzindo o quanto você escuta do som ao seu redor. Esse fone é uma boa pedida para quem quer um fone para focar na jogatina, e isolar parcialmente o sons externos.

O áudio tem um equilíbrio muito bom entre os agudos, intermediários e graves. Esse não é aquele fone para os fãs de um baixo exagerado, sendo que os tons mais graves como explosões e ou a batida estão presentes, mas não tem muita intensidade. Os detalhes nas trilhas são perceptíveis, mas o fone não chega a ser excepcional.

O soundstage desse fone traz junto a velha discussão sobre a legitimidade dos fones 7.1. Como acontece com muitos fones que se dizem 7.1 ou 5.1 surround, o aúdio é composto apenas por um driver em cada lado, e a "criação da profundidade e posicionamento" ficaria por conta da tecnologia Dolby Surround, ou seja, "gerada" por software.

Até quando vamos ver as fabricantes insistirem nessa falácia do 5.1 ou 7.1?

O resultado é o mesmo de sempre. Por mais destaque que o marketing faça, ou maior o 7.1 seja impresso na caixa, os fones de ouvido não são eficientes em entregar profundidade ao áudio, longe de alcançar outros sistemas de áudio surround com múltiplas caixas posicionadas em torno do consumidor. O VOID possui apenas dois drivers de 50mm, e a experiência é basicamente a que estamos acostumados com um fone estéreo: o fone é capaz de nos dar indicações de direção como "da direita" ou "da esquerda", mas tem pouca chance de você conseguir receber sinais mais claros que isso, como se algo está vindo da frente ou de trás de você.

Há os modelos com múltiplos drivers que entregam o "true surround", como o Razer Tiamat 7.1 ou o Roccat Kave, mas aí o problema passa a ser outro: esses aparelhos são pesados, resultado do maior número de drivers, e seu preço sobe exponencialmente. Acabam se tornando modelos caros e ao mesmo tempo desconfortáveis para uso prolongado.

O áudio do VOID é equilibrado e tem qualidade regular, que não será o bastante para atender um entusiasta mas será suficiente para uma boa experiência com games

Na parte de transmissão, o headset opera através de uma conexão por frequência em 2.4GHz através de um dongle USB. Essa frequência de operação é bastante carregada por outros aparelhos, como telefones sem fio ou roteadores, mas em nossas experiências não houve interferências em seu funcionamento. O alcance, porém, não vai muito longe: em apenas 7 ou 8 metros já começamos a ter oscilações na ligação, e uma obstrução (como uma parede) é o suficiente para o áudio se perder. Este não é um fone para quem quer sair andando pela casa ouvindo música. Porém, dentro de um mesmo ambiente, o VOID é eficiente para garantir a transmissão do áudio sem perdas maiores na qualidade.

O VOID é um fone eficiente para uma conexão sem fio dentro de um ambiente. Não é capaz de manter a conexão se você mudar de cômodo

Na parte de autonomia, o VOID tem uma boa duração de bateria, podendo ficar quase uma semana sem ser carregado. Mesmo para usuários que fazem uso intenso do fone, ele terá carga para aguentar um dia inteiro de uso antes de ser deixado carregando.

O VOID é um headset interessante para quem quer se livrar de cabos. Sua conexão é estável o bastante para manter a qualidade do áudio em um ambiente. O fone é bastante prático, e após um pareamento entre ele e seu receptor, basta conectá-lo em uma porta USB para sair usando. 

O áudio nesse fone traz uma qualidade regular, algo dentro do esperado considerando que temos aqui uma conexão wireless, resultando em uma inevitável perda de qualidade por conta dessa conexão. O microfone também acompanha essas características, sendo que o áudio tem qualidade e nitidez suficiente para boas partidas online.

O VOID wireless é um fone para quem busca uma solução sem fio. Nos demais aspectos, ele é um headset regular

Como acontece muito com fones para games, muito do foco do produto está em sua estética - lembrando que há versões mais discretas do VOID, em cores neutras - do que necessariamente na qualidade acústica. O fone terá condição de agradar um gamer com níveis equilibrados, mas para um audiófilo está longe de ser um modelo interessante. 

Considerando todas suas características, chegamos a um ponto crítico: seu preço. Em sua versão tradicional, sem ser essa que temos para testes, ele custa na casa dos US$ 129, quase o dobro de rivais como o Logitech Wireless Gaming Headset G930, e também um pouco acima de outros fones com conexão por fio. Logo, esse modelo só se justifica para o consumidor que realmente quer os diferenciais estéticos como as luzes e seu design chamativo, e faz questão da comodidade de possui um headset wireless. Caso contrário, talvez seja melhor expandir sua pesquisa para outros modelos mais convencionais.

Conclusão

 

Avaliação: Corsair VOID Dolby 7.1 sem fio

Áudio
7.0
Design
9.0
Acabamento
9.0
Microfone
8.0
Preço
6.0

PRÓS
Confortável
Autonomia longa
Acabamentos bem encaixados
CONTRAS
"7.1" gerado via software ineficiente
Software de configuração um pouco confuso
Conexão não vai muito longe
Muito caro
Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.