ANÁLISE: Motorola Moto X Force

Recebemos para análise o novíssimo smartphone topo de linha da Motorola, o Moto X Force. Como prometido na semana passada, aqui está a nossa análise completa deste que foi tão chamado de “sucessor do Moto Maxx”, mas que nunca tentou ser isso. Confira abaixo nossos motivos essa afirmação e decida por si mesmo se o novo super premium “inquebrável” da Motorola vale ou não R$ 3.499.

Comparativo

Motorola Moto X ForceSamsung Galaxy Note 5Google Nexus 5XMicrosoft Lumia 950XL

Especificações

Armazenamento interno|64GB| |64GB||32GB||4GB| |16GB||32GB| |32GB|
Cartão microSDAté 2TB Não possui Até 2TB
Memória RAM3GB 4GB 2GB 3GB
Número de núcleos8 8 6 8
Portas de conexão|Micro-USB| |Micro-USB|
Sistema OperacionalAndroid 5.1 Android 5.1 Android 6.0 Windows 10
Update disponível para o sistema- Android 6.0 Não informado -
ProcessadorQualcomm Snapdragon 810 Exynos 7420 Qualcomm Snapdragon 808 Qualcomm Snapdragon 810
Clock2.0 GHz2.1 GHz1,82 GHz2.0 GHz
GPUAdreno 430 ARM Mali-T760 MP8 Adreno 418 Adreno 430
Bateria3760 mAh mAh3.000mAh mAh2.700 mAh mAh3400 mAh mAh
Dimensões149,8 x 78 x7,6~9,2mm mm153.2 x 76.1 x 7.6mm mm147.0 x 72.6 x 7.9 mm mm151.9 x 78.4 x 8.1 mm mm
Peso169g g171g g136g g165 g g

Recursos

GPSSim Sim Sim Sim
Leitor de DigitalNão Sim Sim -
LTESim Sim Sim Sim
NFCSim Sim Não Sim
Número de cartões SIM2 1 1 1
RadioNão Não Sim
Tipo de cartão SIMNano SIM Nano SIM Nano SIM Nano SIM
TV DigitalNão Não Não
Bluetooth4.1 4.2 4.2 4.1
ExtrasCarregamento Turbo e sem fio, película resistente S Pen, Samsung Pay, Carregamento por indução USB Type-C Modo Continuum, resfriamento líquido, Fast Charge

Display

Resolução1440 x 2560 1440 x 2560 1080 x 1920 1440 x 2560
Tamanho5.4 polegadas 5.7 polegadas 5.2 polegadas 5.7 polegadas
TecnologiaAMOLED Super AMOLED TFT LCD IPS
ProteçãoShatterShield Corning Gorilla Glass 4 Corning Gorilla Glass 3

Câmera

Vídeos2160p 30 fps 2160p 30 fps 2160p 30 fps 2160p 30 fps
Traseira21MP 16MP 12,3MP 20MP
Frontal5MP 5MP 5MP 5MP
 

Vídeo Análise

Design e Tela

Depois de passar um bom tempo com o Moto X Force, a impressão que ficou é que este aparelho jamais foi uma tentativa de se fazer um novo Moto Maxx, mesmo tendo sido lançado pela Verizon como “Droid Turbo 2”. E as diferenças na estratégia já começam no design.

 

O Moto X Force segue o estilo na aparência que a Motorola estabeleceu para sua linha de smartphones deste ano, não se distanciando muito deles em suas vantagens, mas tendo algumas outras desvantagens. Nos aspectos positivos do smartphone, podemos citar que, mesmo com 5,4Â’Â’ de tela, não temos aqui um aparelho imenso, graças às suas bordas, que são bastante estreitas, e isso é ótimo. A traseira em nylon balístico pode não ser a melhor opção estétitca disponível, mas certamente garante segurança na pegada do dispositivo. Aliás, temos aqui uma novidade bastante bem-vinda para este modelo em relação ao seu “antecessor”: a chegada do Moto Maker.

A plataforma de customização de smartphones da Motorola oferece bem menos opções no segmento super premium do que nos outros aparelhos, mas é bom poder escolher uma traseira diferente do nylon balístico, que desfia. Há a opção em couro, que pode vir com uma gravação e a emborrachada, que tem 3 cores pra escolher. Os detalhes em metal do aparelho vêm em 6 opções de cores também.

O aparelho já mostra no design uma política que se repete em todas as suas características: ele é prático e confiável

Fora isso, o aparelho já mostra no design uma política que se repete em todas as suas características: ele é prático e confiável. Nada demais, nada de menos. Ele não é o smartphone mais bonito do segmento, mas também não é o mais feio.

A tela conta com a belíssima tecnologia AMOLED e excelente resolução de 1440 x 2560. Está acima da média da concorrência, mas ainda perde para o Galaxy Note 5 que conta com uma “Super” AMOLED. Claro que, no segmento super premium, todos os desempates são milimétricos e, quando fazemos essas comparações, elas são de pouca importância na prática mesmo. O aparelho continua contando com uma linda tela que ainda tem a vantagem de ser indestrutível.

Câmera

A câmera do Moto X Force mostra como a Motorola tem evoluído no segmento. Antes este era sempre o ponto fraco do aparelho, mas, agora, os 21MP são mais do que suficientes para realizar ótimas fotos em qualquer condição de luz. Mais uma vez, o que notamos no caríssimo segmento super premium são que todos os aparelhos cumprem o desejado e cada um vai se sair melhor num quesito na hora de tirar as fotos, tornando impossível julgar um desempate, o que fica a critério realmente do gosto pessoal do comprador. Cabe ao usuário decidir quais características ele considera mais importantes numa foto. Com destaque para o X Force ficam as fotos com flash, ao longo de nossos testes.

Boa luz:

Pouca luz:

Flash:

Mas a maior vantagem que vimos nas câmeras Android para este ano é o cuidado que as fabricantes tiveram em as deixar mais rápidas. Até agora na redação não entramos num consenso se é o Galaxy Note 5 ou o Moto X Force que tira fotos mais rapidamente, e isso é ótimo. A velocidade está comparável à do iPhone que sempre foi referência nesse quesito. Uma câmera extremamente rápida num smartphone às vezes é uma vantagem maior até mesmo do que uma foto de ainda mais qualidade.

Performance e Autonomia

É aqui que o Moto X Force melhor mostra que ele não é exatamente um “sucessor do Moto Maxx”, mas um smartphone totalmente novo, com seu próprio estilo. Ele ainda chega para ser o representante do segmento “super premium” pra Motorola e usa o SoC Android mais poderoso atualmente disponível, mas ele não tem a mesma estratégia do que seu “antecessor”. Enquanto o Moto Maxx tinha um hardware indiscutivelmente superior aos seus concorrentes na época do lançamento (veja a tabela), o Moto X Force nem sempre leva vantagem e isso se reflete nos benchmarks. Ele tem menos memória RAM do que o Zenfone 2 e se a Motorola ainda quisesse impressionar pelos números de hardware como fez com o Moto Maxx, ela teria certamente esperado a disponibilidade do Snapdragon 820:

Em apenas um teste o X Force superou o Galaxy Note 5, e por uma diferença praticamente irrelevante. Claro que testes sintéticos não se comparam à experiência do uso e, ficando atrás ou à frente nos gráficos, para este segmento, pouco impacta na performance prática do aparelho, que segue fluida e quase sem travamentos. Levando-se em conta, porém, que este aparelho custa mais do que R$ 3.000, é justo esperar que em alguns momentos ele conseguisse trocar mais rápido entre aplicativos ou não engasgasse nunca para obedecer comandos quando sob stress mais pesado. Estes pequenos engasgos são, na maior parte do tempo, imperceptíveis e até seriam perdoáveis. Seriam. Isso se o smartphone não custasse tão caro.

Os pequenos engasgos do X Force são quase imperceptíveis e poderiam ser perdoados se o aparelho não fosse tão caro

Já na autonomia, o aparelho se destaca sem dificuldades. Mesmo alimentando uma tela AMOLED com 5,4Â’Â’, os 3.740mAh do X Force são o bastante para garantir um dia inteiro de uso intenso sem contratempos. Com uso moderado, normal do cotidiano, a bateria pode chegar a durar um dia e meio ou dois, mesmo levando-se em conta o grande desperdício que os dispositivos móveis sofrem em minha casa enquanto procuram, em vão, por um sinal de rede.

Extras

No quesito dos “extras”, diferenciais do aparelho, a bateria do X Force ganha uma vantagem extra: o Turbo Power. O carregador oferecido para este aparelho pela Motorola é, de fato, tão rápido quanto o prometido, garantindo uma grande carga em questão de minutos. Em um teste, ele conseguiu carregar 95% da bateria em 1 hora e meia. E vale destacar que são 95% de 3.740mAh, e isso não é pouca coisa.

Mas é claro que a maioria das pessoas já sabe o principal diferencial do X Force: o tão divulgado ShatterShield, que torna inquebrável a tela do celular. De fato, é impressionante a engenharia da tela deste aparelho e, num dispositivo de R$ 3.500, extremamente bem-vindo não ter um prejuízo deste tamanho com algo tão simples quanto derrubar um aparelho portátil que entra e sai do seu bolso o dia todo. Num segmento que a performance não precisa vencer todos os benchmarks pra ser excelente, uma melhor autonomia e resistência com certeza contam fortes vantagens para o aparelho.

O Moto X Force tem uma proposta simples que é muito bem cumprida: um smartphone prático e confiável para as pessoas que não se importam tanto com a estética como com o funcionamento do aparelho. Este é um dispositivo pra quem quer boa performance, ótima autonomia e, o mais importante, não quer ver todo o seu pesado investimento desperdiçado com um simples tombo.

Um smartphone prático e confiável para as pessoas que não se importam tanto com a estética como com o funcionamento do aparelho

Ele não se destaca em seu design e a tela, apesar de excelente, ainda não é a melhor do segmento. Mas a confiança de um aparelho que não vai ser nada fácil de quebrar, nem vai lhe deixar na mão com esgotamentos surpresa da bateria podem ser o diferencial para quem já está disposto a investir no exageradamente super faturado segmento “super premium” de smartphones.

Conclusão

 

Avaliação: Motorola Moto X Force

Design
8.0
Câmera
9.0
Desempenho
8.5
Autonomia
10.0
Recursos
9.0


PRÓS
Tela bonita e indestrutível
Câmera rápida com boa resolução
Bordas estreitas reduzem o tamanho do aparelho
Excelente autonomia
TurboPower realmente carrega mais rápido
CONTRAS
Mais caro do que alguns concorrentes
Traseira em nylon desfia
Engasgos ocasionais na performance
Tags
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.