ANÁLISE: Horizon Chase

Da produtora brasileira Aquiris Game Studio, "Horizon Chase" é um jogo de corrida 2D mais do que inspirado nos clássicos do gênero anos 80 e 90, como "OutRun", "Lotus Turbo Challenge 2", "Rush" e "Top Gear". Com controles simples, excelentes gráficos e trilha sonora perfeita, o game é absurdamente recomendado para saudosistas que vivenciaram tal época, mas também para um público mais novo, que pode conferir uma proposta bem diferente dos simuladores realistas de hoje em dia.

Abaixo você acompanha a análise de "Horizon Chase", atualmente disponível apenas para dispositivos iOS. Versões para Android, PC e consoles estão a caminho, mas ainda sem data específica de lançamento.


Desbravando estradas mundo afora

"Horizon Chase" foca no mais importante: simplicidade que gera diversão instantânea. Com comandos bem simples, existe apenas um botão para acelerar e outros dois para virar para os lados correspondentes, sendo que reduzir a velocidade é feita apenas largando o botão de velocidade. No total, são 7 configurações diferentes, podendo controlar o carro girando o seu dispositivo ou, ainda, conectar um joystick blootooth compatível com o sistema iOS. A iniciativa da Aquiris em disponibilizar diversas configurações é bastante elogiável, já que são raros os jogos mobile que dão atenção a esse tipo de adaptação de jogabilidade e que ao mesmo tempo atendem a uma gama diferenciada de maneiras de jogar.

"Horizon Chase" não tem multiplayer online, apenas interações para disputas de placares através do Facebook. E, sinceramente, o recurso nem faz falta, já que a campanha traz uma experiência bastante sólida e duradoura, justificando totalmente o preço de US$3 cobrado. O game traz 8 mapas para explorar: Califórnia, Brasil, Chile, África do Sul, Índia, Grécia, Islândia e Emirados Árabes Unidos. Cada um desses lugares tem 3 áreas com ao menos 2 pistas cada para disputar. Ainda tem as fases bônus, disponibilizadas na proporção de uma para cada mapa. No total, são 72 corridas para cumprir, variando em pistas mais ou menos longas e em outras dificuldade que aparecem pelo caminho, como trechos mais estreitos e eventos climáticos que prejudicam a visão.


Mecânica simples traz bom valor de replay e muitos carros

A mecânica de "Horizon Chase" vai direto ao ponto: o acesso a cada uma dessas corridas se dá pelo acúmulo de pontuação geral. Isso é tudo o que o jogador precisa se preocupar para progredir no jogo. Quanto mais pontos conseguir, mais rápido terá acesso a novas áreas e pistas. Mas além disso, é preciso coletar moedas e galões de combustível que estão espalhados pelas pistas. Quando cada prova termina, tudo é somado e a nova pontuação geral do jogador é formada. Como é inevitável não conseguir alcançar o topo do pódio sempre, o valor replay do jogo é elevado exponencialmente, já que brota uma vontade incontrolável de sempre querer controlar tudo e é sempre necessário atingir uma pontuação mínima para desbloquear novos desafios.  

Com esses mesmos pontos também vêm os novos carros. No total, são 16, cada um com características diferenciadas de controle, velocidade, turbo, aceleração e combustível usado. Para destravá-los, é necessário completar todas as corridas de um mesmo mapa em primeiro lugar, ou ainda, chegar em primeiro lugar nas tais fases bônus já citadas. E são também nessas fases bônus que se libera as melhorias para os veículos. Elas são oferecidas em trios, sendo possível apenas escolher uma entre as opções. Cabe ao jogador escolher a melhoria que melhor adapte ao seu estilo de jogo. O interessante é que, um a vez escolhida a nova melhoria, ela acaba servindo para todos os carros, ou seja, todos os veículos recebem igualmente os novos atributos, ainda que permaneçam com suas características próprias intactas. Isso resulta em carros mais competitivos para as provas mais difíceis, disponíveis a partir do quarto mapa.  

- Continua após a publicidade -


Sem microtransações e sem internet obrigatória 

"Horizon Chase" também acerta em cheio ao não trazer microtransações e nem obrigar o uso de internet para poder jogar. Ou seja, as duas chatices mais frequentes nos games mobile dessa vez não vão ficar para trás comendo poeira. Sendo assim, você pode jogar onde quiser e do jeito que quiser. Além disso, não existe venda oportunista de itens que privilegiem os mais espertinhos e dão bonificações injustas a jogadores que estejam dispostos a pagar para liberar algum conteúdo mais rapidamente. Dessa forma, toda a evolução do modo campanha está atrelado exclusivamente à habilidade e à dedicação do jogador. Exatamente do jeito que deve ser.    


Gráficos e trilha sonora perfeitos

"Horizon Chase" também alcança o topo do pódio nos aspectos técnicos que mexem sensorialmente com os jogadores. Os gráficos são lindíssimos, trazendo traçados bem delineados e um colorido aguçado - mas não exagerado - que combina totalmente com a proposta das corridas. Os cenários são, definitivamente, o que mais chama atenção, pois reproduzem as características arquitetônicas e culturais de cada cidade ou país visitados.

 

- Continua após a publicidade -

 

 

É muito bacana reconhecer pontos turísticos como o Pão de Açúcar e o Museu de Arte Contemporânea (vistos de Niterói, Rio de Janeiro), o Elevador Lacerda (Salvador, Bahia), o Palácio do Planalto (Brasília), a Golden Gate (Califórnia, EUA), o Partenon (Grécia), o Deserto do Atacama (Chile), o Taj Mahal (Índia), entre tantos outros. Além disso, sistemas de clima com neve densa, chuva com tempestades de raios e tempestades ocasionais de areia também completam o vigor visual, caracterizando exatamente o que se conhece de cada região do planeta.   

 

 

 

Mas é no áudio que "Horizon Chase" alcança o máximo de sua excelência pelo simples fato de ter Barry Leitch como compositor-mestre das produções musicais. O escocês é o responsável icônicas trilhas de "Top Gear", "Rush" e "Lotus Turbo Challenge", clássicos eternos e que sempre são lembrados pelas suas músicas inesquecíveis. O resultado aqui não poderia ser menos que espetacular e muito merecedor de todos os elogios. Todas as canções encaixam perfeitamente com o sentimento do momento em cada localidade das corridas, além de serem muito envolventes e marcantes. É comum, inclusive, cantarolar mentalmente algumas delas depois de algumas partidas.

"Horizon Chase" é um dos melhores games mobiles já feitos. A produção da brasileira Aquiris em nada fica devendo às estrangeiras ao entregar um jogo que acerta em absolutamente todas as frentes: jogabilidade simples precisa, gráficos retrô modernizados belíssimos, trilha sonora espetacular e diversão instantânea que remete aos clássicos jogos de corrida dos anos 80/90. O título ainda respeita o jogador e não o faz de refém ao abolir microtransações e obrigatoriedade com a internet, duas práticas irritantes bastante comuns atualmente. E o preço convidativo de US$3 fecha o pacote com maestria, tornando "Horizon Chase" um jogo imperdível no iOS.

Conclusão

 

- Continua após a publicidade -

Avaliação: Horizon Chase

Jogabilidade
10
Gráficos
10
Áudio
10

 

 

 

PRÓS
Nostalgia máxima: uma viagem às décadas de 80/90
Trilha sonora espetacular
Gráficos retrô modernizados são deslumbrantes
Controles simples, intuitivos e de fácil adaptação
Desafio na medida certa: carros, cenários e pistas para destravar
Bom valor de replay
Sem microtransações e sem obrigatoriedade de conexão com a internet
Preço convidativo
CONTRAS
Estou procurando um até agora...
Tags
  • Redator: Andrei Longen

    Andrei Longen

    Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Andrei Longen é entusiasta por videogames desde os 7 anos, quando ganhou um Odyssey 2, seu primeiro console. Hoje tem PS4, PS3 e PS Vita e adora caçar troféus em todos os jogos. Colabora no Adrenaline com notícias, análises, artigos, colunas e vídeos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.