ANÁLISE: Gigabyte GA-Z170X-Gaming G1

Recebemos para análise o modelo topo de linha em placas-mãe com chipset Intel Z170 da Gigabyte, a Z170X-Gaming G1, placa que além de ser uma das mais completas do mercado quando se trata de tecnologias, também está entre as mais bonitas já desenvolvidas, com acabamento impecável, de encher os olhos.

Intel anuncia os processadores Skylake e chipset Z170

Ainda não há estimativa de custo da placa em cenário nacional, mas fora do país ela foi lançada custando U$499,99, valor bastante alto para uma placa-mãe, mas há de se analisar que ela busca ser a melhor em tudo, acabamento, componentes e tecnologias, das mais comuns a algumas exclusivas, que naturalmente elevaram o custo da placa, sendo ela direcionada aos usuários que buscam o que existe de melhor em placas-mãe Z170.


Chipset Intel Z170 Express
No quarto trimestre de 2014 a Intel lançou o chipset X99, primeiro com suporte a memórias DDR4, mas a linha de chipset "X" é destinada aos produtos mais caros da empresa, sendo assim o mercado aguardava com ansiedade a chegada dos chipsets destinados ao segmento abaixo do X99, no caso os chipsets série 100, inicialmente apenas com o modelo topo de linha, Z170, que entre todas suas características tem como um dos principais destaques trazer o suporte a memórias DDR4 para o restante da linha de processadores da Intel da sexta geração Core, tirando a exclusividade da série Extreme no suporte a nova geração de memórias.

O chipset Intel Z170 Express é destinado as primeiras placas-mãe com slot LGA 1151 e suporte aos processadores Skylake. A nova linha de chipsets aproveita as funcionalidades voltadas para o overclock, como o multiplicador desbloqueado e pretende oferecer uma melhor experiência em games. Além disso, a linha possui largura de banda de 64 Gbps e suporte nativo ao protocolo NVMe. Na tabela abaixo é possível maiores detalhes técnicos do chipset e do processador topo de linha, o Core i7-6700K.

Reparem que o chipset traz suporte a memórias DDR4 e também DDR3, ficando por conta da fabricando da placa-mãe optar por qual padrão utilizar. Como os formatos são diferentes, só é possível trazer o suporte a uma ou outra versão da tecnologia.

Apesar do suporte a DDR3 e DDR4, o fabricante da placa-mãe precisa optar por um ou outro padrão



O que é NVM Express (NVMe), o padrão do futuro criado especialmente para SSDs

Os dois primeiros processadores Skylake anunciados são o Core i7 6700K e o Core i5 6600K, outros modelos da linha Skylake serão lançados em breve pela Intel. Os novos processadores devem estar disponíveis nas próximas semanas em cenário internacional, como sempre demorando um pouco mais para chegar por aqui.

Tecnologias
Sendo uma placa-mãe topo-de-linha, a GA-Z170X-Gaming G1 possui uma gigantesca quantidade de recursos e tecnologias exclusivas, que contribuem para aspectos que vão desde maior durabilidade até coisas que facilitam a vida de gamers e dos entusiastas de overclock. Confira:

Controlador Intel USB 3.1 Extreme e USB Type-C
O controlador Intel USB 3.1 usa 4 linhas PCI-Express de 3ª geração, oferecendo uma largura de banda total de 32 Gb/s. Isso possibilidade ter velocidades de até 10 Gb/s por segundo em cada uma das conexões USB 3.1. Os conectores oferecem o dobro da velocidade da geração anterior, além de possuírem retrocompatibilidade com USB 2.0 e USB 3.0. Além disso, há a conexão reversível Type-C, que oferece a mesma velocidade da conexão 3.1.

Tecnologia de áudio Gigabyte AMP-UP
A placa-mãe já vem com um OP-AMP para os canais direito e esquerdo do painel traseiro, assim como um OP-AMP dedicado para o painel dianteiro. A Gigabyte utilizou uma combinação de capacitores WIMA de alta qualidade com capacitores de ouro da Nichicon. A placa utiliza um processador de áudio quad-core.

USB DAC-UP
O USB DAC-UP da Gigabyte proporciona uma entrega de energia limpa e livre de ruídos para o Conversor Digital-Analógico do usuário. Como conversores do tipo costumam ser muito sensíveis a flutuações na energia que as portas USB normalmente possuem, a Gigabyte resolveu utilizar uma fonte de energia isolada, que minimiza esse problema.

Killer DoubleShot-X3 Pro
O sistema prioriza automaticamente as necessidades de rede dos games para oferecer a melhor conexão disponível. O Killer DoubleShot Pro X3 permite que até três interfaces killer diferentes trabalhem juntas para liberar a maior parte da banda para o tráfego de dados mais importante. Ou seja, games online ganham prioridade. Em segundo lugar, vem o tráfego padrão da internet, como streaming de vídeo e de áudio. Por último, vem ações como navegar na internet ou serviços na nuvem.

Proteção de metal ultra-durável para entradas PCIe
As entradas PCI-Express da placa-mãe possuem uma inovadora proteção feita de aço inoxidável, que reforça os conectores e oferece a força extra necessária para suportar placas de vídeo mais pesadas.

Duas conexões M.2 PCIe Gen3 x4
A Gigabyte GA-Z170X-Gaming G1 traz 2 conectores M.2, ambos compatíveis com PCI-Express x4 de 3ª geração. Com isso, é possível conectar SSDs através do PCIe, resultando em velocidades de até 32 Gb/s de transferência de dados, trazendo inclusive suporte a RAID.

Turbo B-Clock
O Turbo B-Clock Tuning IC permite que overclockers possam mudar a frequência BCLK para o valor que desejarem. Agora há um ajuste linear, que vai de 90 MHz a 200 MHz, quebrando o usual limite com alcances de 5% que os usuários normalmente tinham.

Q-Flash Plus
O Q-Flash Plus permite que os usuários façam update da BIOS da placa-mãe usando um pen drive, mesmo que a CPU e as memórias estejam desconectadas. Um LED próximo ao controlador EC notifica o usuário de que o processo está completo.

Design de energia de 22 fases
Para a série 100 de placas-mãe, a Gigabyte oferece um sistema de energia de 22 fases, equipado com controladores digitais de força IR e com ICs PowerIRstage de 3ª geração. Isso ajuda a distribuir as cargas de maneira uniforme, o que previne superaquecimento.

Fotos
Abaixo uma série de fotos da placa, que comprovam o que falamos sobre seu visual muito bonito, uma série de tecnologias e componentes de alta qualidade.

Como se trata de uma placa-mãe com muitas tecnologias, normalmente acompanha bastante acessórios, e no caso da Z170X Gaming G1 isso não é diferente. Ela já começa com acessórios bastante exclusivos, como o "espelho" do painel traseiro com LEDs, cabos Sata com material diferenciado, adaptador frontal em tamanho 5.25 inch com conexão USB 3.1 tipo A e tipo C, adaptador U.2 para conexão M.2 como destaques.

A placa é muito bonita, com acabamento primoroso, com destaque pela ótima combinação de cores e de alguns materiais que reforçam o refinamento do produto frente e modelos tradicionais, um exemplo está no material metálico que cobre os slots PCI-Express, que além de gerar um visual muito refinado, também aumentam muito a resistência de acordo com a Gigabyte (nem sabíamos que isso era um problema).

Suporte a liquid cooler é outro atrativo do modelo, sendo opcional e uma feature importante para usuários extremos, mas a placa ainda se destaca nesse aspecto pelos seus 22 controladores de fases, prometendo se comportar muito bem em situações extremas.

Conexões para drives de armazenamento, em especial novos padrões de SSD também estão entre os diferenciais, tendo desde Sata Express a M.2 Ultra e adaptador para o novo U.2, criado especialmente para servidores de alto desempenho, que pode ganhar força futuramente.

Botões de acesso rápido para ligar, resetar, overclock entre outros também estão presentes como não poderia deixar de ser. Outro grande destaque do modelo está em seu chip de áudio com tecnologia Creative CORE 3D, prometendo experiência semelhante a placa de som dedicadas, inclusive com possibilidade de trocar alguns chips visando melhor qualidade de áudio.

O painel traseiro também merece destaque, com conexões fixas para as antenas Wi-Fi, porta USB tipo C e conexões de áudio e HDMI banhadas a ouro.


Não importa o angulo, a placa fica sensacional em todos.

 

BIOS
Desde a chegada das BIOS UEFI, a Gigabyte parece ter sido a empresa com a maior dificuldade em criar uma interface definitiva que agrade a todos, as Z170 continuam com esse problema, mesmo sendo uma BIOS com muitas opções, sua interface é confusa e complica na hora de achar opções específicas. Uma forma de ajudar um pouco foi disponibilizando uma interface clássica, mas mesmo assim algumas opções não estavam de fácil localização.

Tirando esse problema da interface, a BIOS tem opções interessantes, como o modo de overclock com perfis altos, colocando o i7-6700K trabalhando em 4.7GHz.

Sistema utilizado
Abaixo, detalhes sobre o sistema utilizado para os testes, antes, mais algumas fotos:

Nas fotos abaixo mostramos como o sistema fica com seus LEDs ligados, destacando que é possível fazer diversas configurações, alterando as cores dos LEDs, seja com uma cor fixa ou alternando cores, se elas ficam "piscando". Ainda é possível desativar todos os LEDs, ou apenas da placa ou do espelho traseiro, assim o usuário tem controle total sobre essa função através de um software.


Máquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: Intel Core i7-6700K
- Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 980 Ti (referência)
- Memórias: 8 GB Kingston HyperX Predator 3000MHz (2x4GB)
- SSD: Kingston HyperX Savage 240GB Sata 6Gb/s
- HD: Seagate Barracuda 2TB 7200RPM Sata 6Gb/s
- Cooler: Noctua NH-U12S / Cooler BOX
- Fonte de energia (PSU): XFX ProSeries 850W PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 64 Bits com Updates
- Intel INF 10.0.27
- GeForce 355.60

Aplicativos/Games:
- AIDA 5.xx
- AS SSD Benchmark 1.8.x
- CPU-Z Bench
- wPrime 2.10
- WinRAR 5.21

- 3DMark (DX11)
- Bioshock Infinite (DX11)
- Metro Last Light (DX11)

CPU-Z
Abaixo, telas do CPU-Z mostrando detalhes da placa-mãe e sistema utilizado nos testes.


Overclock
Naturalmente fizemos overclock no sistema, na verdade no processador, mas seguimos o conceito de mostrar o que a placa-mãe tem de mais fácil nesse processo, no caso, utilizando um perfil pre-programado de overclock, o mais alto disponível na BIOS, que subiu o clock de todos os cores para 4.7GHz. O porém é que o perfil não fez nenhuma alteração no vídeo integrado, não é algo realmente ruim sendo que quem compra uma placa desse nível naturalmente estará utilizando uma placa de vídeo dedicada, mas de alguma forma poderia ter um perfil que overclockasse outros componentes de sistema além do CPU.

Abaixo a tela do CPU mostrando o clock alcançado, sendo que as memórias utilizam seu perfil XMP máximo, 3000MHz.

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema.

IDLE (Sistema ocioso)
Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso.


Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, temos os consumos abaixo:

Testes de desempenho
Abaixo temos uma série de testes de desempenho com o sistema, comparando a placa com outros modelos do mercado utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes, com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema.


AIDA64
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de latência, confiram:


AS SSD Benchmark
Dando sequência, abaixo um teste de desempenho do mesmo SSD utilizado em todas as placas:

CPU-Z Bench
Abaixo o resultado do teste "Multi Thread" do aplicativo CPU-Z.


wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, temos os resultados abaixo:

WinRAR
Outro bom teste para medir o comportamento do processador é o WinRAR, que consegue fazer bom uso de todos os cores.

3DMark
Começamos nossos testes com foco em vídeo com o 3DMark, mas por enquanto com a placa de vídeo dedicada.

Metro Last Light
Para finalizar fizemos mais um teste em games com a placa de vídeo dedicada, agora com o Metro Last Light.

3DMark
Também fizemos testes para medir o desempenho do vídeo integrado, confiram abaixo o comportamento rodando o 3DMark.

BioShock Infinite
Por fim, mais um teste com o vídeo integrado, agora com o game "Bioshock Infinite".

A última placa-mãe que tinha me chamado a atenção por ser extremamente bonita foi a Asus Maximus VII Formula, mas acho que a Gigabyte Z170X Gaming G1 superou aquela modelo, se tornando em nossa opinião a placa-mãe mais bonita que passou por aqui, levando em conta uma série de detalhes, desde cores utilizadas, tecnologias que ajudam a dar imponência ao produto e acabamento de altíssima qualidade. Vários pontos ajudaram a deixar a placa muito bonita, como destaque acho que as cores e o material de alguns componentes foram cruciais, em especial dos dissipadores e os metais que cobrem os slots PCI Express, algo incomum até hoje e que geram um produto muito imponente. Para ter ficado perfeita visualmente, só faltou back plate.

Em se tratando das tecnologias temos tudo que existe de melhor, cumprindo desde os componentes essenciais até os mais incomuns. O projeto da placa é incrível, começando pelos seus 22 controladores de fases com dissipadores suportando liquid cooling, mostrando bem que o produto busca conquistar usuários entusiastas e overclockers, que ainda contam com a tecnologia Turbo B-Clock possibilitando controle mais avançado da frequência.

Praticamente todas conexões disponíveis para SSDs estão disponíveis na placa, desde as tradicionais SATA, as mais recentes SATA Express e M.2, mas também a nova U.2 e PCI-Express via protocolo NVMe, muito mais rápida do que as demais.

Com foco em gamers, a Gigabyte foi uma das poucas empresas que implementaram o pacote de tecnologias Killer DoubleShot-X3 Pro, com rede gigabit utilizando o novo chip E2400 para cabo e o Wireless-AC 1535 para rede sem fio, é o que existe de melhor nesse tipo de tecnologia.

Outro grande diferencial fica por conta do sistema de áudio com processador quad-core e tecnologia Sound CORE 3D da Creative, prometendo o que há de mais avançado nesse tipo de solução, próxima a placas de som dedicadas de alto desempenho. O "sistema" de som ainda possibilita trocar seus capacitores OP-AMP, visando melhorar ainda mais a qualidade sonora.

Por fim, como a grande maioria das placas Z170, ela vem equipada com portas USB 3.1 baseadas em conexão PCIe Gen3 x4, garantindo velocidade de transferência de até 32Gb/s, inclusive com uma conexão em formato Tipo C na parte traseira, padrão que vai ganhar força daqui para frente já que será o novo padrão para smartphones. Através do adaptador 5.25 inch que acompanha esse modelo é possível ter uma forma Tipo A e outra Tipo C na parte frontal do gabinete, ambas USB 3.1, outro diferencial importante considerando que os gabinetes ainda não tem chegado com esse padrão.

Placa-mãe está entre as mais bonitas, bem acabadas e com maior quantidade de tecnologias já desenvolvida

Para quem gosta de casemods e mostrar a parte interna do gabinete, a Gigabyte implementou um sistema de LED personalizável no PCB da placa e também no espelho traseiro, possibilitando troca de cores e até mesmo desligar todos os LEDs se for da vontade do usuário. 

Como não poderia deixar de ser em um produto com esse perfil, o preço é alto, muito alto, custando em seu lançamento U$499,99, valor que chega a ser em média U$150 a mais do que modelos topo de linha da concorrência, como a Asus Z170-Deluxe, placas que tem ótimo acabamento e é recheada de tecnologias, mas não ao ponto do que vemos na Z170X Gaming G1. Diante do dólar atual, imagino que ela chegue no Brasil custando perto de R$3K, valor alto de mais mesmo para uma placa tão diferenciada com essa.

Conclusão

 

Avaliação: Gigabyte GA-Z170X-Gaming G1

Tecnologias
10
Acabamento
10
Overclock
10
Performance
10
Preço
5.0

 

PRÓS
Excelente acabamento e visual imponente
Componentes de altíssima qualidade
Suporte a memórias DDR4
Suporte a múltiplas placas de vídeo
Sistema de áudio Sound Core 3D
Conexões SATA, SATA Express, M.2, U2
22 controladores de fases
Suporte a liquid colling
LEDs personalizáveis
Conexão HDMI 2.0
CONTRAS
Interface de configuração da BIOS confusa
Faltou back plate traseiro para ficar completa
Valor alto, muito alto
Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.