ANÁLISE: Rocket League

Desenvolvido pela Psyonix, "Rocket League" é um jogo de futebol com carros. Com uma proposta diferente de praticamente tudo o que existe na indústria de jogos eletrônicos, o game acerta no mais importante: diversão imediata que serve satisfatoriamente para quem gosta de jogar solo, mas que fica ainda melhor quando você chama seus amigos para jogar junto. Abaixo você confere a análise do jogo, baseada na versão para Playstation 4. O título também está disponível para PC.


Diversão marca um golaço! 

"Rocket League" é um jogo de futebol com carros. O objetivo é levar a bola em campo até o gol do adversário e, ao final da contagem do cronômetro, vence quem tiver a maior pontuação. E logo nos primeiros segundos de partida, o jogador percebe o recado máximo deixado pelo game: aperte o play e divirta-se até enjoar. Sem complicações e com comandos extremamente intuitivos, basta aprender os conceitos básicos de movimentação do seu carro e já começar a arriscar as primeiras jogadas. Não existe nada mais além disso para se preocupar na experiência da jogabilidade. A simplicidade é o maior trunfo de "Rocket League".


Existe um botão para acelerar (R2), outro para frear (L2), um para usar turbo (O) e outro pular duas vezes (X). A movimentação do veículo é com o analógio esquerdo. Sabendo disso, existem alguns modos de jogo que se adaptam a cada tipo de jogador. O modo Exibição, por exemplo, permite configurar partidas de 1v1 até 4v4 offline, podendo jogar contra bots (dificuldade variada) ou contra outros jogadores locais. A primeira opção é legal e serve mais para se acostumar com a dinâmica das partidas, mas a segunda é insuperável no quesito diversão. Reunir os amigos e jogar em tela dividida, num estilo clássico que está cada vez mais raro, é garantia de risadas, tiradas e momentos de pura descontração.

 

 

 

Já o Temporada é o tradicional modo carreira, no qual o jogador precisa vencer uma série de partidas para se consagrar o grande campeão. A dificuldade aqui pode ser ajustada para vários níveis. E os adversários não dão trégua: jogar na dificuldade Ídolo, a mais difícil de todas, é só para jogadores muito experientes no jogo, que já aprenderam todas as nuances e sensibilidades de precisão dos pulos, do uso dos turbos e da angulação que se acerta na bola. Já o modo Online permite jogar abertamente ou combinar partidas privadas em grupo, também nas mesmas configurações na quantidade de jogadores por equipes. Tudo bem fácil, rápido e simples de ajustar.

- Continua após a publicidade -

Completar uma partida em "Rocket League" ainda desbloqueia itens bônus para usar no seu carro. Todos são estéticos e vão de novos modelos de carcaças, rodas, acessórios vestíveis, cores adicionais, bandeiras e adesivos. Embora sejam legais e adicionem variedade ao visual do game, esse é, definitivamente, o maior ponto fraco - e talvez o único - do jogo. Como esses itens são apenas para decorar, não importa qual carro ou apetrecho você use, a experiência de jogo será sempre a mesma. E isso é um perigo para tudo logo ficar enjoativo, o que acaba acontecendo depois de algum tempo. Para driblar essa situação, poderia haver um sistema de atributos para potência, velocidade e outras características de cada veículo, inclusive para os novos itens desbloqueados, implementando várias camadas extras de estratégia às partidas.


Gráficos e áudio combinam com a proposta

"Rocket League" também acerta em cheio nos aspectos técnicos, apresentando gráficos e áudio que combinam totalmente com a proposta. O game traz cenários deslumbrantes, com ótima aplicação de texturas e iluminação precisa, que transforma a experiência num espetáculo à parte. São diversas arenas para jogar, sendo que cada uma delas traz características próprias de ambientação, arquitetura e clima, podendo ser durante um belo por do sol, a noite ou estar chovendo muito. Os carros também trazem designs diferenciados, que definitivamente atendem à uma gama diversificada de gostos dos jogadores.  

O áudio também é sensacional, tornando-se um dos pilares máximos na identificação e na imersão do jogador com o título. As melodias variam em gêneros cujas batucadas e o ritmo frenético são constantes. Tudo depende da tela em que você estiver: os menus são mais dançantes e, às vezes, ainda tem músicas cantadas; já as jogatinas propriamente ditas trazem canções mais épicas com batidas coordenadas e efeitos sonoros que potencializam a grandeza do game. É bem legal mesmo e dificilmente vai incomodar algum jogador. Se resolver abaixar o volume da TV, a experiência perde boa parte da graça.

"Rocket League" é uma ótima surpresa numa indústria que tem se apoiado muito em franquias já consagradas ou que apenas esbanja criatividade no ramo indie. Com bons gráficos e ótima parte musical, o maior trunfo do jogo está na diversão instantânea, coisa básica que muitas superproduções às vezes nem entregam. Quer tirar o máximo proveito do game? Chame mais três amigos na jogatina local ou combine partidas online para se divertir até cansar. É garantia de boas horas de muitas risadas e de diversão sem fim.

Conclusão

 

Avaliação: Rocket League

Gráficos
8.5
Jogabilidade
8.5
Áudio
8.0

 

- Continua após a publicidade -

 

 

PRÓS
Diversão instantânea
Jogabilidade simples e viciante
Multiplayer local em tela divida é perfeito para jogar com amigos
Muitos itens decorativos para desbloquear
Bons gráficos e músicas empolgantes
CONTRAS
Nenhuma diferenciação entre os carros, apenas na estética
Um sistema de atributos para os veículos faz falta
Muito repetitivo depois de algumas horas
Tags
  • Redator: Andrei Longen

    Andrei Longen

    Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Andrei Longen é entusiasta por videogames desde os 7 anos, quando ganhou um Odyssey 2, seu primeiro console. Hoje tem PS4, PS3 e PS Vita e adora caçar troféus em todos os jogos. Colabora no Adrenaline com notícias, análises, artigos, colunas e vídeos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.