ANÁLISE: Asus Radeon R9 380 Strix

A AMD anunciou no dia 16 de junho, durante a E3 2015, sua nova geração de placas de vídeo, composta pelas linhas R300 e Fury. Hoje vamos analisar um modelo da ASUS com GPU da linha R300, a Radeon R9 380 Strix, uma das placas que não podemos chamar de 100% nova, já que se trata de uma GPU baseada na geração R200 com otimizações. Das novas placas da AMD, as que realmente são baseadas em arquiteturas totalmente novas para o mercado são as da linha Fury e a R9 Nano.

Em cenário internacional, placas com GPU Radeon R9 380 custam a partir de U$199, um preço bastante atrativo que as coloca em briga direta com modelos usando GPU GeForce GTX 960. No Brasil ainda não temos uma definição de data para a disponibilidade das novas placas.

Apesar do chips gráficos com semelhanças em relação a modelos anteriores, a AMD afirma que a geração 300 traz aprimoramentos ao longo dessa nova linha de produtos. Segundo a empresa, em diversos modelos os refinamentos resultam em mais performance ou em TDPs mais baixos. Porém, o grande foco dessa família de placas é a nova API prestes a ser lançada: o DirectX 12. Todos os produtos trazem otimizações voltadas para esta nova tecnologia, que chega junto com o Windows 10.


Placas com gpu Radeon R9 380 chegam ao mercado para "substituir" Radeon R9 280, R9 280X e R9 285

Entenda o funcionamento das memórias HBM da AMD

Radeon série R300
Na onda de "requentar" placas, as R9 390X e 390 são baseadas nos chips Grenada XT e Grenada Pro, respectivamente. Esses chips são versões mais refinadas dos Hawaii XT e Hawaii Pro, que serviram como base para as GPUs R9 290X e R9 290. Por isso, elas possuem especificações praticamente idênticas, com exceção de mudanças nos clocks e aumento na quantidade de memória, de 4 GB para 8 GB GDDR5.

Já a placa que estamos analisando, a Radeon R9 380, tem especificações e – como veremos mais adiante – desempenho similar ao da R9 285, GPU que trazia o chip Tonga Pro. A diferença está num clock levemente maior (970 MHz da R9 380 contra 918 MHz da R9 285), que também resulta em algumas outras mudanças nas especificações. Confira abaixo um comparativo com as especificações das placas de vídeo da série R9 e R7 300 que a AMD anunciou até agora.

Lembre-se, nenhuma placa com gpu R300 possui memórias HBM, apenas os modelos da linha Fury e a R9 Nano usam essas memórias


- Continua após a publicidade -

Tecnologias by Asus

DirectCU II com tecnologia Fan 0db

A tecnologia exclusiva de resfriamento DirectCU II apresenta um desempenho melhor em comparação aos designs de referência por contar com um heatpipe de cobre capaz de transportar 40% a mais de calor para fora da GPU. Este design também inclui uma dissipação de calor 220% maior, resultando em temperaturas até 20% menores, em comparação aos modelos de fábrica em experiências hardcore de jogo. Por fim, a tecnologia Fan 0dB ajuda no desempenho quieto da GPU ao parar as hélices completamente quando a temperatura da placa permanece abaixo de um certo nível.

Componentes Super Alloy Power II

Formulados com uma liga de materiais exclusivos, os componentes da placa gráfica reduzem a perda de energia, aumentam a durabilidade e alcançam um melhor desempenho com menos calor gerado. As GPUs são fabricadas utilizando o processo Auto-Extreme Technology, o primeiro 100% automatizado da indústria.

Fotos
Assim como demais modelos da linha Strix da Asus, a Radeon R9 380 traz um sistema de cooler com 2 FANs e visual que remete ao olhar de uma coruja. O acabamento da placa é muito bom, como já era de se esperar.

Em se tratando de conexões, a placa traz 2xDVI, 1xHDMI e 1xDisplayPort. O porém é que, assim como TODAS as placas novas da AMD, tanto R300 como Fury, a placa tem sua conexão HDMI baseada na versão 1.4a e não 2.0, evitando assim o uso de resolução 4K em 60Hz.

- Continua após a publicidade -

Nas fotos abaixo comparamos a placa analisada com duas GeForce GTX 960, sendo todos os três modelos possuem 2GB de RAM.

Como podemos ver, as três placas são modelos com projetos diferentes dos modelos referência, mas talvez a maior diferença fica por conta do tamanho do PCB que pode ser visto na foto comparando o lado de "baixo" das placas. Vejam que a R9 380 possui um PCB bem menor apesar do cooler avançar para fora do PCB.

OBS.: Devido o pouco tempo que tivemos com a placa, apena algumas horas, acabamos tirando fotos com duas GTX 960 ao invés de uma GTX 960 e de outra R9 285 como era a ideia inicial. Estamos recebendo mais modelos e iremos tirar novas fotos. 

- Continua após a publicidade -

Sistema Utilizado
Como de costume, utilizamos uma máquina top de linha baseada em uma mainboard ASUS Rampage V Extreme, com processador Intel Core i7 5960X overclockado para 4GHz para os testes. A ideia é evitar que o sistema seja um limitador para o desempenho das placas de vídeo testadas. Abaixo algumas fotos da placa instalada em nosso gabinete tradicional de reviews.

A seguir os preços atuais das placas de vídeo comparadas utilizando o valor cobrado em cenário internacional. Pesquisa feita no dia 18/06/2015 no site newegg.com.

Preços em US$
XFX Radeon R9 290X Black Edition (4GB) - U$ 380
AMD Radeon R9 290 (4GB) - U$ 280
ASUS Radeon R9 380 Strix (2GB) - U$220
XFX Radeon R9 280X Black Edition (3GB) - U$ 290
MSI Radeon R9 285 (2GB) - U$ 230
Powercolor Radeon R9 270X (2GB) - U$ 195
HiS Radeon R9 7970 GHz (3GB) - U$ sem estoque

Gigabyte GeForce GTX 970 G1 Gaming 4GB - U$ 350
Gigabyte GeForce GTX 960 G1 Gaming 4GB - U$ 240
MSI GeForce GTX 960 Gaming 2GB - U$ 210
Nvidia GeForce GTX 770 2GB - U$ 210
Nvidia GeForce GTX 760 2GB - U$ 170

Mais abaixo, detalhes da máquina, sistema operacional, drivers, configurações de drivers e softwares/games utilizados nos testes.

Máquina utilizada nos testes:
- Processador Intel Core i7 5960X 3.0GHz @ 4.0GHz - Análise
- Placa-mãe Asus Rampage V Extreme - Análise
- Kit de memórias Kingston HyperX Predator DDR4 16GB 3000MHz (4x4GB) - Análise
- SSD Kingston HyperX 3k 240GB
- SSHD Seagate 4TB SATA3 - Análise (modelo de 2TB)
- Sistema de refrigeração liquida Cooler Master Nepton 280L
- Fonte de energia Cooler Master V1200 Platinum
- Gabinete Cooler Master HAF EVO XB
- Monitor ASUS PB287Q 4K

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 8.1 Pro 64 Bits
- Intel INF 10.0.27
- AMD Catalyst 15.10 ALPHA
- NVIDIA GeForce 353.06

Aplicativos/Games:
- 3DMark (DX11)
- Unigine HEAVEN Benchmark 4.0 (DX11)
- Battlefield 4 (DX11)
- BioShock Infinite (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)
- Metro: Last Light (DX11)
- Middle Earth Shadow of Mordor (DX11)
- The Witcher 3 (DX11)

GPU-Z
Abaixo, a tela principal do aplicativo GPU-Z mostrando as principais características técnicas da placa analisada. Utilizamos uma versão Alpha dos drivers. De acordo com a AMD, a versão 15.15 liberada ontem resulta em bons ganhos de desempenho em alguns games.


Overclock
Ficamos pouco tempo com a placa para testes, apenas algumas horas, dessa forma não tivemos possibilidade de ir muito longe, mas de qualquer forma conseguimos subir o clock da GPU de 990MHz para 1100MHz. Ao tentarmos ir para 1125MHz o sistema ficou instável. Já as memórias subimos de 5.5GHz para 6GHz. A única modificação tirando os clocks foi o aumento do power target em 10%.

Vale destacar que esse modelo tem um pequeno overclock de apenas 20MHz acima do modelo referência, que tem clock do gpu trabalhando em 970MHz. 

Testes com a placa overclockada: Temperatura, Consumo, GTA 5 e The Witcher 3. 


Temperatura
Iniciamos nossa bateria de testes com um bastante importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

É importante destacar que algumas placas possuem sistema que desliga os fans quando a GPU não está sendo exigida, como ao executar tarefas simples do Windows ou mesmo games mais simples, por isso a temperatura consideravelmente acima de alguns modelos nessa situação, mas que, na prática, não comprometem a placa, e de acordo com as fabricantes, aumenta o tempo de vida útil, além de consumir menos energia. A placa analisada é um dos exemplos, sendo que além dela apenas os modelos com gpu GTX 960 utilizados nos comparativos tem essa tecnologia.

Primeiro vamos ao teste das placas com o sistema em modo ocioso: 

Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo.

Consumo de Energia
Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Todos os testes foram feitos em cima da máquina utilizada na análise, o que dá a noção exata do que cada VGA consome. Vale destacar que o valor é o consumo total da máquina e não apenas da placa de vídeo. Dessa forma, comparações com testes de outros sites podem dar resultados bem diferentes.

Para o teste de carga, rodamos o 3DMark - aplicativo que exige um pouco mais do sistema e da placa de vídeo do que grande maioria dos games.

OBS #1.: No teste rodando o aplicativo 3DMark, consideramos 10w como margem de erro, devido a variação que acontece testando uma mesma placa.

Testes sintéticos
Começamos pelos testes sintéticos, utilizando aplicativos específicos para medir o desempenho das placas.

3DMark
Rodamos a versão mais recente do aplicativo de testes da Futuremark com dois testes, ou melhor, um teste em duas situações, o Fire Strike em modo normal e também em modo 4K. Abaixo, os resultados em modo normal:

Agora o resultado em modo 4K: 

Unigine HEAVEN Benchmark 4.0
Agora em sua nova versão, o HEAVEN 4.0 é um dos testes sintéticos mais “descolados” do momento, pois tem como objetivo medir a capacidade das placas 3D em suportar os principais recursos da API gráfica DirectX 11, como é o caso do Tessellation.

O teste foi dividido em duas partes: uma sem e outra com o uso do Tessellation em modo "extreme", ambas a 1920x1080 com o filtro de antialiasing em 8x e anisotropic em 16X.

O primeiro teste, com o Tessellation desativado:

E o segundo com o Tessellation ativado em modo EXTREME:

Testes em games - FullHD (1920x1080)
Agora vamos ao que realmente importa, os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado.

Para ajudar a entender os gráficos a seguir: acima de 60FPS é o ideal. Quanto mais próximo dos 30FPS, pior vai ficando a fluidez e, abaixo dos 30, o jogo começa a ficar injogável

Battlefield 4
"Battlefield 4" é um referencial da plataforma PC quando se trata de gráficos de alta qualidade. O game foi todo desenvolvido sobre a Frostbite 3, nova engine da produtora DICE.

BioShock Infinite
O game "BioShock Infinite" é outro grande sucesso de crítica desenvolvido pela 2K Games. Abaixo está seu o desempenho das placas comparadas rodando ele:

Grand Theft Auto V
A versão de GTA V para o PC está entre os games mais exigentes da atualidade, trazendo ótima qualidade gráfica. Confiram abaixo o comportamento das placas rodando o game:

Metro Last Light
Outro excelente teste que exige o máximo das placas de vídeo é o game "Metro: Last Light" que também é referência de qualidade gráfica em games para PC.

Middle Earth Shadow of Mordor
O novo game inspirado no universo da franquia "O Senhos dos Anéis" chegou sem gerar muita expectativa e se tornou um dos grandes lançamentos do ano, com destaque para seus gráficos muito refinados. Nosso teste utiliza a melhor qualidade possível do game.

The Witcher 3 Wild Hunt
The Witcher 3 chegou como nova referência em qualidade gráfica para PC, sendo um dos games mais interessantes da atualidade para medir desempenho de placas de vídeo.

Enfim as novas placas da AMD chegaram... Opssssss, nem tão novas assim não é? Afinam, toda a geração R300 se trata de modelos com otimizações sobre a geração R200, não são produtos realmente "novos". Essa prática como todos sabem é bastante comum no mercado, o motivo é bastante lógico pelo lado das empresas: evita um investimento alto em novas arquiteturas em períodos curtos de tempo.

Bom, como não temos nada a ver com isso e queremos avanços, o que podemos dizer sobre a geração R300 é que em partes ficamos frustrados, afinal queremos ver grandes novidades em uma nova geração, mas na verdade o que vimos foram pequenas otimizações, talvez a maior novidade foi no posicionamento das placas no mercado, como por exemplo no caso da R9 380, que chegou para substituir três modelos de uma única vez, a R9 280, a R9 280X e a R9 285, deixando a entender que logo logo teremos mais uma placa R9 380 para "encurtar" o gap entre ela e a 390. A R9 380 e a R9 285 são praticamente a mesma placa, sendo o novo modelo uma atualização leve da GPU Tonga Pro presente no componente anterior. Para os usuários isso não me parece tão bom, já que se espera sempre ganho de desempenho entre gerações.

No caso do modelo analisado, nos testes de desempenho ficou bem claro que ela é praticamente uma R9 285, como tem pequenas mudanças nos clocks, também tem desempenho levemente superior, mas longe de ganhos altos. Em se tratando da briga com as placas da Nvidia, ela vem para duelar diretamente com a GeForce GTX 960, e como foi possível notar nos comparativos, conseguiu em grande parte dos testes superar o modelo MSI GeForce GTX 960 Gaming, que também possui 2GB.

Com todos os nossos testes baseados em DirectX 11, e a AMD apontando a performance em DirectX 12 de suas placas baseadas em GCN como seu grande trunfo, caímos nessa incógnita: como a disputa irá ser rebalanceada na nova API? Para averiguarmos isso, além do Windows 10 e de uma versão final do DX 12, ficamos dependente de jogos e benchmarks baseados na nova API. Por hora, só podemos fazer "a disputa" usando o DX 11, e na medida que o ecossistema em torno da versão 12 se consolidar, traremos novos testes para vocês.

Quem vai ganhar a briga entre Radeon R9 380 e GeForce GTX 960 é o modelo com menor preço

A AMD veio com preços "mais ou menos" agressivos, em se tratando da Radeon R9 380, as placas custando exatamente o mesmo valor de uma GeForce GTX 960. Mas aí você pode pensar "sim, mas a placa da AMD tem desempenho levemente superior..." Bom, realmente tem, mas ela também tem TDP consideravelmente mais alto, 190W contra 120W da GTX 960. Outro detalhe, é que nenhuma nova placa da AMD, nem mesmo as Fury, virão com conexão HDMI 2.0, já por parte da Nvidia todas as placas GeForce 900 trazem essa conexão, importante para se jogar em 4K com 60Hz, apesar de ser possível jogar nessas condições utilizando a conexão DisplayPort, o porém é que conectar em uma TV já não será possível sem adaptadores. O motivo de não termos achado os preços tão agressivos é que o fato de não ser uma placa totalmente nova e trazer algumas limitações da geração passada não forçam a Nvidia a baixar seus preços a médio prazo, e caso o modelo R9 380 venha a ser um sucesso de vendas ainda dará margem para a Nvidia fazer um corte como sempre acontece depois de um bom tempo no mercado, enfim, situação difícil para a placa da AMD.

Outro porém é que para muitos não justificará um upgrade se mantendo na série R300, mas sim apenas se optar pela R9 Nano (especula-se que seu desempenho seja parecido com as R9 390) ou modelos com gpu Fury. Acho que a nomenclatura e posicionamento das placas vai confundir bastante o usuário, afinal uma Radeon R9 380 tem desempenho inferior a uma Radeon R9 280X por exemplo, e o que se espera é que uma nova geração supere a anterior em desempenho.

Se você tem uma placa com gpu R9 280, R9 285 ou R9 280X, seu upgrade não deve ser para a R9 380, mas sim para modelos R9 390, R9 Nano ou mesmo Fury

Vamos esperar para ver como esses novos modelos da AMD vão chegar ao Brasil no que diz respeito a preços. A empresa está com produtos consideravelmente mais caros do que os modelos da Nvidia, sendo que a briga que acontece fora do país em preços não se reflete aqui, ou seja, apesar de uma Radeon R9 380 ser concorrente de uma GeForce GTX 960, ambas custando a partir de U$199, no Brasil a Radeon R9 380 pode chegar brigando com uma GeForce GTX 970, o que comprometeria totalmente suas vendas.

Preço vs. Desempenho
Abaixo temos nosso gráfico de preço vs desempenho, e para que fique bem claro, esse gráfico analisa APENAS o desempenho apresentado nos games comparados, sem envolver projetos e tecnologias de cada placa, ou seja, em muitos casos não deve ser levado em consideração.

Como referência, utilizamos o preço em dólares através de pesquisa feita no dia 18/06/2-15 no site newegg.com.

Gráfico de Custo vs Desempenho com preços em U$ (dólares)

Fórmula do cálculo:  FPS somados dos games: BF4, BioShock Infinite, Grand Theft Auto V, Metro Last Light, Middle Earth Shadow of Mordor e The Witcher 3 Wild Hunt * 100 e dividido pelo valor da placa.

OBS.: Refizemos TODOS os testes com última versão dos drivers disponível, 15.15 liberada dia 20 de junho, os resultados ficaram semelhantes em TODOS os testes, sem nenhuma mudança.

Conclusão

 

Avaliação: Asus Radeon R9 380 Strix

Performance
9.0
Tecnologias
8.5
Diferenciais
8.0
Overclock
9.0
Preço
9.0

PRÓS
Bom sistema de cooler, eficiente e silencioso
Preço competitivo em cenário internacional
Roda bem a grande maioria dos games em FullHD e alta qualidade gráfica
Não precisa de conector para combinar placas em Crossfire
Suporte a monitores com tecnologia AMD Freesync
Modelo com apenas um alimentador de energia de 8 pinos
CONTRAS
Sem conexão HDMI 2.0
Sem grandes mudanças sobre geração R200
Nomenclatura pode confundir na hora do upgrade
Modelo com apenas 2GB de RAM
Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.