ANÁLISE: Asus GTX 960 Strix

Depois de analisarmos modelos da EVGA e MSI, chegou a vez de analisarmos uma GeForce GTX 960 da Asus, e o modelo que chegou em nossa redação leva o selo Strix. Apesar de layout que lembra muitos outros modelos Strix, essa GTX 960 se destaca por ter PCB menor. Diferente da grande maioria das parceiras da Nvidia, a Asus optou por uma placa um pouco mais compacta, proposta interessante por se tratar de uma placa de segmento intermediário. Apesar do tamanho reduzido do PCB, o cooler avança um pouco para fora, opção adotada para suportar os dois FANs do sistema de cooler.

Outro detalhe interessante é que ela necessita apenas de um conector de energia de 6 pinos. Alguns modelos com projeto diferenciado chegam a precisar de 2 conectores de 6 pinos, outros de um de 8 pinos.

Em cenário internacional a Asus GeForce GTX 960 Strix está custando cerca de US$ 205, apenas US$ 5 acima dos modelos mais baratos, tornando a placa uma ótima opção para quem busca um produto com qualidade superior, especialmente porque promete bom desempenho em overclock. Já no Brasil ela chega custando pouco mais de R$1.000, sendo encontrada por menos em promoções.


Características da placa

Abaixo listamos algumas das principais características da placa de acordo com seu site oficial:

A ASUS Strix GTX 960 contém recursos exclusivos voltados para uma performance gamer superior, como o DirectCU II para maior resfriamento e funcionamento silencioso da placa durante os jogos e também a tecnologia 0dB fan para que as hélices dos coolers funcionem em total silêncio. A nova placa é construída com componentes da série ASUS Super Alloy Power, que estão voltados para economia de energia enquanto entregam uma performance superior. O GPU Tweak também está presente nesta placa gráfica, desta vez integrado com o XSplit Gamecaster, oferecendo a possibilidade de overclocking e online streaming para os jogadores. A Strix GTX 960 também conta com backplate para proteção extra do PCB ao mesmo tempo em que reduz a temperatura da placa.

DirectCU II com tecnologia Fan 0dB

- Continua após a publicidade -

A tecnologia exclusiva de resfriamento DirectCU II apresenta um desempenho melhor em comparação aos designs de referência por contar com um heatpipe de 10mm capaz de transportar 40% a mais de calor para fora da GPU. Este design também inclui uma dissipação de calor 220% maior, resultando em uma performance 30% mais silenciosa em comparação aos modelos de fábrica em experiências hardcore de jogo. Por fim, a tecnologia Fan 0dB ajuda no desempenho quieto da GPU ao parar as hélices completamente quando a temperatura da placa permanece abaixo de um certo nível.

Componentes Super Alloy Power

Formulados com uma liga de materiais exclusivos, os componentes da placa gráfica reduzem a perda de energia, aumentam a durabilidade e alcançam um melhor desempenho com menos calor gerado. O encaixe dos cores, feito com uma liga de concreto, eliminam o ruído durante o desempenho máximo enquanto os capacitores oferecem um desempenho de 50 mil horas, 2,5x mais do que os capacitores normais. A Strix GTX 960 também contém um SAP CAP dedicado, para maximização do overclocking, e Super Alloy MOS com limite de voltagem 30% maior para aumentar capacidade do overclock.

Backplate e heatsink para dissipação de temperatura

Esta GPU contém um heatsink lateral de 10 mm capaz de dissipar 40% a mais de calor para fora da placa. Para que a expulsão seja eficiente, a Strix GTX 960 contém uma área de heatsink 220% maior em comparação aos modelos de referência. A placa gráfica contém um backplate cuja finalidade é proteger o PCB ao mesmo tempo em que ajuda a reduzir a temperatura.

GPU Tweak e XSplit Gamecaster

- Continua após a publicidade -

O aplicativo da ASUS permite a configuração do desempenho da placa conforme a necessidade do usuário, demonstrando detalhes e condições da GPU através do GPU-Z. Além do monitoramento, o widget checa e atualiza automaticamente versões de BIOS e Drivers. O programa vem com duas configurações automáticas – modo Default em 1291MHz e modo O para overclock em 1317MHz.

O XSplit Gamecaster é um aplicativo que permite a gravação e streaming de sessões de jogos. Os gamers que adquirirem esta placa ganham automaticamente um ano de licença premium XSplit. O widget é otimizado para funcionar em conjunto com o GPU Tweak.

Fotos
Abaixo fotos da Asus GeForce GTX 960 Strix, uma das placas de vídeo com gpu GeForce GTX 960 mais interessantes que passaram por aqui. Um ponto bastante positivo, quase perto do que imaginamos ser o ideal, é que essa placa tem tamanho menor que o dos outros modelos. Como se trata de um modelo de segmento intermediário, isso, ao nosso ver, deveria ser obrigação, pois não tem muito sentido uma placa com esse gpu utilizar sistemas de cooler muito grandes ou mesmo projetos com potencial de overclock extremo. Afinal, ela nunca baterá recordes que não o de outras placas pouco acima dela. Para ser perfeito, o cooler poderia parar no final do PCB. Mas, como a Asus adotou um sistema com dois FANs, ela foi obrigada a estender o cooler, o que está longe de ser ruim, mas um único FAN maior poderia ter resultado semelhante e tornaria a placa menor, a empresa acabou fazendo isso com a versão GTX 960 Mini.


As conexões de vídeo são as padrões de placas com esse gpu: uma DVI, uma HDMI e três DisplayPort. O backplate traseiro está entre seus diferenciais, sendo poucas as GTX 960 a vir com essa base metálica sobre a parte de trás do PCB. Outro ponto positivo é que ela requer apenas um conector de energia de 6 pinos, outros modelos que analisamos precisam de um conector de 8 pinos e até mesmo dois de 6 pinos.

Colocamos a GTX 960 Strix ao lado de outras duas placas com mesmo gpu, a SuperSC da EVGA e a Gaming, da MSI. Vejam abaixo as fotos, onde é possível notar alguns pontos importantes. Primeiro, o tamanho da Strix que, mesmo com seu cooler "alongado", consideravelmente menor do que as concorrentes. O outro detalhe é que ela é a única a vir com backplate. Por fim, ela traz conector de 6 pinos ao invés de 8 pinos como as demais, em teoria pode afetar um pouco o overclock, situação que veremos mais adiante nos testes.

Sistema Utilizado
Como de costume, utilizamos uma máquina top de linha baseada em uma mainboard ASUS Rampage V Extreme, processador Intel Core i7 5960X overclockado para 4GHz para os testes. A ideia é evitar que o sistema seja um limitador para o desempenho das placas de vídeo testadas. Abaixo, algumas fotos da placa montada no sistema:

- Continua após a publicidade -

A seguir, o menor preço encontrado de cada um dos modelos utilizados nos comparativos ou de algum modelo semelhante, caso o mesmo não esteja disponível (pesquisa feita dia 18/03/2015 no site kabum.com.br).

Preços em R$ ( pesquisa feita no dia 19/03/2015)
MSI GTX 970 Gaming 4GB - R$ 1500
Asus GTX 960 Strix 2GB - R$ 970
EVGA GTX 960 SuperSC 2GB - R$ 1020
MSI GTX 960 Gaming 2GB - R$ 950
Gigabyte GTX 960 G1 Gaming 2GB - R$ 950

NVIDIA GeForce GTX 770 3GB - R$ 1100 (Descontinuada)
NVIDIA GeForce GTX 760 3GB - R$ 800 (deve ser descontinuada)
NVIDIA GeForce GTX 660 3GB - R$ 670 (Descontinuada)

PowerColor Radeon R9 280X TurboDuo 3GB - R$ 1150
GIGABYTE Radeon R9 280 OC 3GB - R$ 880
PowerColor Radeon R9 270X TurboDuo 2GB - R$ 825

Mais abaixo, detalhes da máquina, sistema operacional, drivers e softwares/games utilizados nos testes.

Máquina utilizada nos testes:

- Processador Intel Core i7 5960X 3.0GHz @ 4.0GHz - Análise
- Placa-mãe Asus Rampage V Extreme - Análise
- Kit de memórias Kingston HyperX Predator DDR4 16GB 3000MHz (4x4GB) - Análise
- SSD Kingston HyperX 3k 240GB
- SSHD Seagate 4TB SATA3 - Análise (modelo de 2TB)
- Sistema de refrigeração liquida Cooler Master Nepton 280L
- Fonte de energia Cooler Master V1200 Platinum
- Gabinete Cooler Master HAF EVO XB
- Monitor ASUS PB287Q 4K

- Windows 8.1 64-bit
- Nvidia GeForce 347.52
- AMD Catalyst 14.12

Aplicativos/Games:
- 3DMark (DX11) 
- Unigine HEAVEN Benchmark 4.0 (DX11)
- Battlefield 4 (DX11)
- BioShock Infinite (DX11)
- Crysis 3 (DX11)
- GRID 2 (DX11)
- Metro: Last Light (DX11)
- Middle Earth Shadow of Mordor (DX11)
- Tomb Raider (DX11)

GPU-Z
Abaixo, a tela principal do aplicativo GPU-Z mostrando algumas das principais características técnicas da placa de vídeo.


Overclock
Um dos grandes atrativos das placas de vídeo com GPUs Maxwel está em seu alto potencial para overclock, e as estão GTX 960 entre as melhores nesse quesito. Dessa forma, forçamos a GTX 960 Strix até os clocks máximos sem necessitar de alterações de tensão.

Conseguimos colocar a placa totalmente estável com clock de 1362MHz no gpu e 8GHz nas memórias, resultados ótimos se comparados aos demais modelos de placas com esse gpu que testamos, já que esses foram os resultados mais altos junto a SuperSC da EVGA.

Apesar da Asus sempre desenvolver bons modelos, o overclock não deixou de ser uma grata surpresa frente aos demais modelos que analisamos. Isso porque essa placa possui PCB menor e, por consequência, um sistema de cooler também é menor, em teoria com calor mais concentrado. Ela também se diferencia por ter um conector de energia de 6 pinos ao contrario de 8 pinos adotado por grande parte dos parceiros da Nvidia, que limita a entrega de energia a placa.

Abaixo a tela do GPU-Z mostrando os clocks utilizados em nosso overclock, que foi feito com o aplicativbo GPU Tweak da própria Asus.


Temperatura
Iniciamos nossa bateria de testes com um bastante importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

É importante destacar que alguns modelos ficam com os FANs desligados quando o sistema está em modo ocioso, rodando aplicações que não utilizem a placa de vídeo ao ponto de necessitar maior dissipação do calor gerado, dessa forma a temperatura dessas placas tende a ser mais alta com o sistema em modo ocioso.

Confiram abaixo a temperatura das placas com o sistema em modo ocioso: 

Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo.

Consumo de Energia
Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Todos os testes foram feitos em cima da máquina utilizada na análise, o que dá a noção exata do que cada VGA consome. Vale destacar que o valor é o consumo total da máquina e não apenas da placa de vídeo. Dessa forma, comparações com testes de outros sites podem dar resultados bem diferentes.

 

No teste de carga, rodamos o 3DMark - aplicativo que exige um pouco mais do sistema e da placa de vídeo do que grande maioria dos games.

OBS #1.: No teste em modo rodando o aplicativo 3DMark, consideramos 10w como margem de erro, devido à grande variação que acontece testando uma mesma placa.

Testes sintéticos
Começamos pelos testes sintéticos, utilizando aplicativos específicos para medir o desempenho das placas.

3DMark (2013)
Rodamos a versão mais recente do aplicativo de testes da Futuremark com dois testes, ou melhor, um teste em duas situações, o Fire Strike em modo normal e também em modo 4K. Abaixo os resultados:

Agora o resultado em modo 4K: 

Unigine HEAVEN Benchmark 4.0
Agora em sua nova versão, o HEAVEN 4.0 é um dos testes sintéticos mais “descolados” do momento, pois tem como objetivo mensurar a capacidade das placas 3D em suportar os principais recursos da API gráfica DirectX 11, como é o caso do Tessellation.

O teste foi dividido em duas partes: uma sem e outra com o uso do Tessellation em modo "extreme", ambas a 1920x1080 com o filtro de antialiasing em 8x e anisotropic em 16X.

O primeiro teste, com o Tessellation desativado:

E o segundo com o Tessellation ativado em modo EXTREME:

Testes em games
Agora vamos ao que realmente importa, os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado.

Battlefield 4
"Battlefield 4" é um referencial da plataforma PC quando se trata de gráficos de alta qualidade. O game foi todo desenvolvido sobre a Frostbite 3, nova engine da produtora DICE.

BioShock Infinite
O game "BioShock Infinite" é outro grande sucesso de crítica desenvolvido pela 2K Games. Abaixo está seu o desempenho das placas comparadas rodando ele:

Crysis 3
Sendo o game "Crysis 3" um dos mais incríveis já desenvolvidos quando o assunto é gráfico, não poderíamos deixar ele de fora de nossos testes em análises de placas de vídeo.

GRID 2
O game "GRID 2" já não é o mais recente da série, mas utiliza a mesma engine de "GRID Autosport", sendo uma boa referência de desempenho em games de corrida.

Metro Last Light
Outro excelente teste que exige o máximo das placas de vídeo é o game "Metro: Last Light" que também é referência de qualidade gráfica em games para PC.

Middle Earth Shadow of Mordor
O novo game inspirado no universo da franquia "O Senhos dos Anéis" chegou sem gerar muita expectativa e se tornou um dos grandes lançamentos do ano, com destaque para seus gráficos muito refinados. Nosso teste utiliza a melhor qualidade possível do game, onde placas com pouca memória tem seu desempenho comprometido devido as texturas em alta qualidade.

Tomb Raider
O game marca o reboot da histórica franquia de Lara Croft, desenvolvido pela Crystal Dynamics com sua engine própria, a Crystal Dynamics Engine.

PhysX: Metro Last Light
Para testes de PhysX, utilizamos "Metro Last Light", um dos mais recentes e com destaque para uso desse tecnologia.

Com a introdução das GTX 960, a família GTX fica completa na arquitetura Maxwell. Esta placa herdou todos os aspectos positivos que vimos nos outros "patamares" de performance, como baixo consumo, alta eficiência, bom potencial para overclock e diversas tecnologias adicionais da Nvidia. Mas, por vir com 2GB de RAM, acabou sendo criticada mesmo com seu bom desempenho na grande maioria dos games. Dessa forma, a Nvidia correu e liberou aos parceiros o lançamento de uma versão com 4GB, que pretendemos analisar em breve, já que essa Asus GeForce GTX 960 Strix que estamos analisando possui 2GB.

Falando especificamente do modelo analisado, podemos dizer, sem sombra de dúvida, que é uma das melhores placas com gpu GTX 960. A GTX 960 Strix se comportou muito bem em overclock, com o melhor resultado junto a placa da EVGA. Ela tem tamanho mais compacto do que os demais modelos que analisamos, mas nem por isso esquenta mais, pelo contrário. A GPU teve o melhor resultado quando em full load, e por fim é a única a necessitar de um conector de força de 6 pinos, já que as placas de EVGA e MSI precisam de conectores de 8 pinos e a da Gigabyte 2 conectores de 6 pinos.

Em termos de performance, a mudança da GTX 760 para este modelo foi discreta. Logo, o upgrade de donos das placas da geração anterior não compensa. A Nvidia quer alcançar os consumidores que possuem modelos mais antigos, como a GTX 660 e até a 560. Nestes casos, o upgrade entregará um ganho de performance  de 50%, suficiente para trazê-los novamente a uma jogabilidade próxima dos 60fps em qualidade alta, enquanto a 660 já começava a migrar em direção ao perigoso limite dos 30fps.

Frente à concorrência, esta placa fica em uma disputa pesada com a R9 285, com performance bastante próxima. No exterior, o modelo da AMD tem praticamente o mesmo valor da GTX 960, e no Brasil ela já fica pouco abaixo de R$1.000, podendo ser encontrada por R$900 em promoções. Com diferenças que não superam os 10% em favor de uma ou outra, de teste para teste, a escolha entre estas placas fica praticamente ao gosto do consumidor pelas tecnologias diferenciadas de uma ou outra. A característica mais divergente entre as duas é o consumo: enquanto a GTX 960 tem TDP de apenas 120W e requer uma fonte de 400W, o modelo da AMD consome mais, com TDP de 190W, e a fonte recomendável fica na casa de 500W. Outro destaque é que as placas da geração GeForce 900 já possuem HDMI 2.0, dessa forma rodam 4K em 60Hz através dessa conexão.

Não podemos deixar de destacar ótimo potencial desse gpu em overclock, em especial do modelo analisado. Mesmo com tamanho mais compacto e apenas um conector de energia de 6 pinos, a Strix foi a melhor junto com a placa da EVGA no quesito overclock. Colocamos o gpu trabalhando em 1362MHz e as memórias em 8GHz sem mudanças de tensão.

Preço vs Desempenho
Reparem na tabela abaixo que as placas com gpu GTX 960 brigam pelas melhores posições em se tratando de custo vs desempenho, mesmo sendo lançamentos recentes. Entre os modelos analisados, a AMD se sai melhor atualmente com a Radeon R9 280, especialmente porque a placa que utilizamos da Gigabyte é um modelo muito bom com esse gpu. Se os modelos com 4GB da GTX 960 não vierem com valores muito altos, alguns pequenos ganhos de desempenho, especialmente em games como o Shadow of Mordor, podem fazer sua média subir.

Abaixo o gráfico de custo vs desempenho das placas comparadas nessa análise. 

Fórmula do cálculo:  FPS somados dos games: BF4, BioShock, Crysis3, GRID 2, MLL, Shadow of Mordor e Tomb Raider * 100 e dividido pelo valor da placa em dólares.

A GTX 960 aquece o mercado "custo x benefício", capaz de rodar games em FullHD no High. O modelo Strix da Asus é com certeza uma das melhores opções com esse gpu por ser mais compacto, ter ótimo sistema de cooler e se sair muito bem em overclock

Conclusão

 

Avaliação: Asus GTX 960 Strix

Performance
9.0
Tecnologias
10.0
Diferenciais
10.0
Overclock
10.0
Preço
8.0

 

PRÓS
Baixo consumo e pouco requisito de fonte (TDP 120W e fonte de 400W)
Performance para games em HIGH e FullHD próxima a 60fps
Todas as tecnologias exclusivas Maxwell (MFAA, VGXI, SDR)
PCB menor do que grande maioria das GTX 960
Sistema de resfriamentoeficiente e extremamente silencioso
Placa com tamanho compacto
Requer apenas um alimentador de 6 pinos
Bom potencial para overclock
CONTRAS
Preços promocionais da GTX 970 no Brasil colocam pressão nesta placa
2GB será um gargalo em games da nova geração
Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.