ANÁLISE: Far Cry 4

ANÁLISE: Far Cry 4

"Far Cry 4" foi lançado pela Ubisoft com a premissa de renovar a franquia e de ser um divisor de Águas na série. De fato podemos dizer que o game realmente é. Apesar de em alguns momentos se parecer demais com "Far Cry 3", esta nova versão traz inúmeras novidades, entre elas o tão aguardado modo cooperativo online.

Além disso, hÁ a possibilidade de usar animais para atacar os inimigos. Experimente montar em um elefante e ir de encontro a uma base do exército inimigo. Ou talvez atrair ursos e tigres, para acabar com a farra dos soldados. É bem interessante e isso abre um leque de possibilidades estratégicas.

Mas o grande destaque é o local onde o game é ambientado: Kyrat. É, sem dúvida, um dos mais belos cenÁrios de jogos jÁ produzidos. Com enormes cadeias montanhosas, grandes lagos, cumes altíssimos, florestas e rios dentre outras coisas, a diversidade é tão grande que é possível passar horas apenas observando o cenÁrio.

Este vídeo pode conter Spoiler




Ubisoft apresenta: Você Decide


Em "Far Cry 4", o jogador encarna Ajay Ghale, um jovem que retorna à Kyrat - um país situado no Himalaia - depois de muitos anos para cumprir o último desejo da mãe: lançar as cinzas dela em sua terra natal. Chegando lÁ, Ghale é pego de surpresa por uma guerra civil onde a população luta contra o ditador local, Pagan Min.

Ao ser "sequestrado" por Pagan Min, Ghale acaba descobrindo que ele conhecia a sua mãe. A partir daí, tudo que o jogador fizer influenciarÁ diretamente nos acontecimentos do jogo. Como o objetivo principal é jogar as cinzas de sua mãe em Kyrat, que supostamente seria o final do jogo, é possível até mesmo fazer isso logo no inicio e assim o jogo teria seu "fim".

É duvidosa a ideia de poder "zerar" o jogo logo no início, mas por outro lado, passa a impressão que o jogador tem o controle de toda a história, e que tudo que for feito - ou não - pesarÁ na missão seguinte e na conclusão do enredo.

Vale lembrar que o jogador terÁ que escolher, por vÁrias vezes, o melhor caminho pra seguir: ou faz a missão X para salvar a vida de inocentes ou faz a missão Y para fortalecer a resistência contra o ditador. É melhor salvar a vida de pessoas que estão prestes a morrer, ou juntar armamentos e suprimentos para mais tarde lutar contra Min? É um dilema, e o que o jogador fizer vai influenciar positivamente ou negativamente no trato com a população. Essa interatividade da história é bem interessante porque faz o jogo ter um fator replay imenso.




Efeitos climÁticos de encher os olhos


O visual de "Far Cry 4" é fantÁstico, mas tem seus problemas. Por vezes é excelente à ponto de encher os olhos, principalmente com os efeitos de iluminação e variação climÁtica, e em outras vezes é muito parecido com o game anterior, ficando até difícil distinguir qual é qual ao colocar um do lado do outro.

É importante dizer que se parecer com o game anterior em alguns momentos não é necessariamente ruim. "Far Cry 3" tem um visual acima da média, e "Far Cry 4" segue a mesma linha, com vÁrias novidades.

O grande destaque é o inédito efeito climÁtico. Por se passar no Himalaia, a mais alta cadeia montanhosa do planeta, a variação climÁtica é praticamente única, ou seja, a região sofre com as mais bruscas variações de clima jÁ vistas devido a altura das montanhas. Elas retém todos os ventos que vão na direção da Ásia, e são as responsÁveis direto pela criação de desertos no continente AsiÁtico.

Para ser realista era preciso recriar toda essa variação climÁtica, e "Far Cry 4" faz isso com maestria. Por vezes o céu estÁ azul com sol forte e, em questão de segundos, o clima muda e o ambiente literalmente escurece com fortes ventanias e às vezes chuvas. E do nada, as nuvens desaparecem e o sol volta a brilhar. Pode parecer coisa exagerada de videogame, mas isso realmente acontece no Himalaia. E praticamente todos os dias.


A iluminação usada no game também ajuda no realismo e beleza. Os cenÁrios mudam drasticamente sob os efeitos da luz. Seja sob um Sol escaldante ou sob a penumbra noturna, ou ainda quando o clima fica nublado com fortes ventanias.  

As texturas são em ótima qualidade, principalmente nos ornamentos dos pequenos povoados de Kyrat. Desde quadros pintados a mão, até roupas da cultura local, tudo é extremamente detalhado. Além disso, todos os personagens do game, principais ou não, possuem características próprias no visual. É possível até mesmo observar com clareza os defeitos na pele como, espinhas, sardas, cicatrizes e manchas.


Fique sempre em alerta


Como não poderia ser diferente, a fauna e a flora de "Far Cry 4" são gigantescas. HÁ uma variedade enorme de plantas e animais, talvez a maior de um game. Existem espécimes que são raríssimas, principalmente plantas, e que só aparecem em um pequeno local do mapa.

Rinocerontes, elefantes, leopardos, javalis, faisões, tigres, lobos, tartarugas, porcos, crocodilos, corvos e Águias são algumas das dezenas de espécies que perambulam pelos cenÁrios de "Far Cry 4". E todas são fielmente recriadas, inclusive com efeitos de pelugem, que geram mais realismo em cada animal.

É sempre bom ficar em alerta o tempo todo, jÁ que alguns dos animais são extremamente perigosos, como os rinocerontes, leopardos e tigres. Eles atacam quando menos se espera, principalmente os felinos, que andam sorrateiramente prontos para o bote. Mesmo com um alto poder de fogo, é difícil matar esses animais. Nem mesmo dentro de veículos hÁ segurança: rinocerontes conseguem destruir facilmente os carros.

O interessante é que se pode usar estes animais selvagens contra os inimigos. Para isso basta ter alguma isca e jogar - de longe, claro - perto dos inimigos. Isso atrais os animais, que começam a atacar todo mundo, inclusive o próprio jogador, caso esteja à vista de algum deles.



Jogabilidade mantém a velha fórmula


O controle de "Far Cry 4" precisa de ajustes no setup do game, principalmente ao usar o teclado e mouse. O padrão vem setado para uso com controle, que torna a jogabilidade mais "dura". Por isso é necessÁrio o ajuste minucioso para deixar o jogo mais Ágil e dinâmico para o uso do mouse como mira. Não é nada grave, mas por ser um jogo de PC, típico para uso de mouse/teclado, o padrão deveria ser ao contrÁrio.

A jogabilidade continua a mesma de "Far Cry 3". Praticamente idêntica, e isso quer dizer que o jogo tem os mesmos "problemas" de dirigibilidade dos veículos. Eles continuam desengonçados a ponto de ser fÁcil capotar ao fazer uma curva, e difícil mantê-los na estrada, principalmente porque o cenÁrio é cheio de ondulações.

Para compensar esse problema dos carros, o jogador pode optar por usar um pequeno helicóptero, chamado de Buzzer. Como os terrenos são extremamente montanhosos, ele se torna o melhor meio de transporte. Além de rÁpido e fÁcil de pilotar, ainda pode ser usada armas para atirar do alto nos inimigos ou até mesmo caçar.

Além disso, é possível até usar o Buzzer para pousar no topo das torres de controle para desativar as rÁdios e assim habilitar a visualização da região. Obviamente que fica fÁcil demais usar o helicóptero, o que tira toda a graça de ir por terra, derrotar os soldados inimigos e ainda escalar as torres.


Dublagem brasileira é bem-vinda


Pela primeira vez um game da franquia "Far Cry" vem "totalmente" dublado em português do Brasil. Isso ajuda bastante para o entendimento perfeito da história e das missões jÁ que as falas são adaptadas para os jargões brasileiros. Por outro lado, ainda existe o velho problema, jÁ recorrente, das dublagens dos games da Ubisoft: vÁrias conversas em paralelo, ou seja, aquelas entre pessoas das aldeias e transeuntes que não acrescentam nada à história, continuam em inglês. Pra piorar, essas falas não apresentam legendas, mesmo com elas habilitadas. 

A qualidade sonora da dublagem é ótima, mas algumas vozes não combinam muito, principalmente a do personagem principal, Ghale. A voz dele, além de parecer infantil demais, soa sempre no mesmo tom, sem emoção. Às vezes fica bastante esquisito uma cena de a ação e ele falando calmamente como se tivesse lendo um texto.



Multiplayer cooperativo é a grande novidade


O multiplayer de "Far Cry 4" é bem interessante. Pela primeira vez hÁ um modo totalmente cooperativo que fica habilitado à partir de um determinado ponto da história. Ele permite que a história seja jogada com um amigo, inclusive vÁrias missões exigem duas pessoas para que seja completada.

Para jogar o cooperativo é necessÁrio iniciar a história em modo Online, para que fique ativada a aba Cooperativo e, assim, permitir que alguém entre em seu jogo, ou vice-versa. O lado bom é que o Savegame é o mesmo do modo single, então o jogador sempre que continuar o jogo salvo, poderÁ escolher se quer jogar sozinho ou permitir que alguém jogue com ele.

Por outro lado, se perder a conexão com a Internet, mesmo que ninguém tenha entrado em seu jogo, o jogo aborta e volta para o menu principal, perdendo todo o progresso até o último savegame.

O modo competitivo é chamado de Batalhas de Kyrat e possui 10 mapas: Cultivo Comercial, Geada, FÁbrica, Complexo, Destilaria, Hospital, Madeireira, Instituição, Beira-Rio e Plantação. Os tipos de jogo são sempre em equipes de 5 contra 5, variando de Posto Avançado, MÁscara Demoníaca e Propaganda.

O jogo ainda traz um interessante editor, onde é possível criar mapas para o modo de desafios e ainda compartilhar suas criações com a comunidade. A versatilidade é tão grande que hÁ mapas de ataque de elefantes e até da Segunda Guerra Mundial. Uma pena que os mapas não sejam multiplayer.

Conclusão

Avaliação: Far Cry 4

História
8.0
Jogabilidade
9.0
Gráficos
9.5
Áudio
8.5
Multiplayer
9.0

"Far Cry 4" é um dos melhores jogos de mundo aberto. Isso porque o cenÁrio do game é um dos mais dinâmicos, além de ter um visual incrível e uma variação climÁtica exemplar. Mesmo que jogando vÁrias vezes, dificilmente o jogador verÁ um acontecimento repetido. Isso gera um fator replay enorme, e é possível ficar horas passeando pelo Himalaia assistindo à movimentação das pessoas e dos animais.

O modo cooperativo pode ser considerado "a cereja do bolo". É difícil achar um jogo de mundo aberto realista que possa ser jogado junto com um amigo, onde cada um pode fazer o que quiser e ainda avançar na história.

"Far Cry 4" é um jogo imperdível, um dos melhores do ano e fundamental para quem gosta de um bom FPS com possibilidades praticamente infinitas.

 

PRÓS
Himalaia como cenÁrio
Modo Cooperativo
Dublagem brasileira
Efeitos climÁticos de tirar o fôlego
CenÁrio lotado de extras
Muitas side-quests
Montar em elefantes
Multiplayer interessante e divertido
Editor de mapas em tempo real
Diferente de outros jogos da Ubisoft, este é bem otimizado
CONTRAS
I.A. ainda tem alguns problemas
Editor não cria mapas multiplayer
Algumas vozes da dublagem não combinam com o personagem
Personagens sem carisma
Tags
  • Redator: João Paulo Losada

    João Paulo Losada

    Gamer por natureza, JP Losada, ou simplesmente DJLosada como é conhecido por toda a comunidade gamer, é um grande conhecedor de games em geral. Eventualmente analisa lançamentos e comenta sobre os sucessos e decepções relacionadas aos games que chegam ao mercado através do portal Adrenaline. Jé escreveu para revistas de games, artigos para produtoras, além de ter citações em seu nome em caixas de jogos de PC lançados no Brasil. Possui parceria com algumas produtoras, principalmente de corrida

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.