ANÁLISE: Playstation Vita Pets

ANÁLISE: Playstation Vita Pets

Desenvolvido pela britânica Spiral House e distribuído pela Sony, "Playstation Vita Pets" é um simulador de cachorros em que o objetivo é adotar um cãozinho, ensinar vÁrias habilidades a ele e resolver quebra-cabeças bem amigÁveis. Resumidamente, o game traz um mapa interessante para explorar, muitos itens ocultos e um visual bem atrativo, tornando a experiência divertida na maior parte do tempo. Os mirins é que vão se identificar mais com a proposta. Mas como nem tudo são flores, repetição, poucas atividades para os bichinhos e bugs irritantes na mecânica também marcam presença.

Leia a anÁlise do game abaixo.


História 

A história de "Playstation Vita Pets" é bem simples e serve apenas como pano de fundo introdutório ao papel do jogador no game. Ela conta como era o relacionamento do Rei Lufus com o cãozinho real Cosmo. Dupla inseparÁvel, a majestade era uma pessoa amigÁvel e gostava de convidar os habitantes do reino de Castlewood Island à sua casa, de realizar eventos e organizar torneios para interagir com eles. Nas horas vagas, o rei saia do castelo com o parceiro para explorar suas terras em busca de tesouros escondidos. Até que o caos cai sobre o mundo e, para salvar os bens encontrados nas caminhadas, o rei decide enterrÁ-los nos lugares mais improvÁveis do reino até que alguém siga as pistas e possa assegurÁ-los para sempre.

Jogabilidade

É aqui que você entra em cena. Logo no começo do jogo, é possível escolher entre 12 cachorrinhos, de 4 raças com 3 cores diferentes cada. Nenhum deles têm uma característica específica que influencia na jogabilidade ou nos rumos da aventura, apenas a aparência, as vozes e a personalidade é que contam, a princípio. Depois de escolher, sua premissa é cuidar deles como se fossem verdadeiros bichinhos de estimação: dar comida e Água, dar banho, recolher as necessidades, brincar, fazer carinho e treinÁ-los diariamente. Como todos os comandos são facilmente executÁveis pelo toque na tela do portÁtil, em poucos minutos é possível aprender as variações da mecânica e gastar horas se divertindo.



Para recuperar os bens enterrados pelo Rei Lufus, seu cãozinho precisa passar por uma série de treinamentos para poder vencer os obstÁculos do reino de Castlewood Island. Esses treinos se dividem em 1) Farejar, 2) Pular, 3) Puxão (medir forças), 4) Pegar (objetos no ar) e 5) Agilidade. Cada um deles tem até três níveis de eficiência, que são obtidos pela realização de exercícios diÁrios que o animalzinho deve desenvolver. Quanto mais fizer, mais apto estarÁ o ele a encarar os desafios que aparecem pelo mapa.

- Continua após a publicidade -

Para melhorar o farejar, por exemplo, basta sair explorando o mapa e ir checando cada um dos pontos de farejamento encontrados pelos caminhos. O puxão, por sua vez, pode ser feito realizando medições de força com brinquedos comprados no próprio game. A habilidade de "pegar" é melhorada com um jogo de atirar um disco ao longe e o animalzinho deve pegÁ-lo antes de cair no chão. JÁ agilidade e o pulo podem ser evoluídos com o cumprimento de um circuito de treinamentos disponibilizado mais tarde no jogo. 

O jogo tem claramente dois pontos fracos. A primeira é que a repetição de atividades para aumentar a eficiência das habilidades do seu cachorro é condicionante e, algumas vezes, entediante. Em alguns momentos, você irÁ em direção a uma parte inexplorada do mapa e, de repente, o jogo exige que você tenha determinada habilidade evoluída no mÁximo. Sabendo que a barra de evolução para o terceiro nível cresce muitíssimo pouco com a execução das atividades, você terÁ que ficar um bom tempo nesse impasse repetitivo até conseguir seu objetivo.

  

E não existem atividades diferentes que amenizem esse processo, ou seja, determinada habilidade tem apenas uma maneira e evolui-la e só, cabendo ao jogador se dedicar exclusivamente a ela se quiser prosseguir. A segunda são os bugs irritantes: durante cerca de 15 horas, meu jogo fechou sozinho por 4 vezes e, por umas 15 vezes, meu cachorro não correspondia aos comandos, ficando preso em alguma parte e impossibilitado de retornar à tela anterior, forçando o reinício do software e me fazendo perder parte do progresso.   


GrÁficos e Som

Os grÁficos de "Playstation Vita Pets" são bons o suficiente para a proposta. Não chegam a ser demasiadamente infantis e, ao mesmo tempo, trazem o design e as texturas vistas na realidade, mas sem terem a pretensão de serem os mais bonitos jÁ vistos na plataforma. Os ambientes, que vão de florestas, minas subterrâneas à um castelo abandonado parcialmente destruído, costumam apresentar coloridos equilibrados e têm bastante detalhes de preenchimento de objetos, plantas e vida selvagem, ajudando na imersão com a temÁtica. Os cachorrinhos também têm design bem fofo e é impossível não gostar de algum deles. 

- Continua após a publicidade -

No Áudio, as músicas combinam muito bem com diversos os momentos de gameplay. Em casa, seu cachorrinho estÁ bem mais relaxado e tudo o que pode fazer é brincar, se alimentar, tomar banho e colocar vestimentas. Para cada uma dessas cenas hÁ uma melodia específica bem animada e feliz, mas sem ser bobinha demais. Na hora da exploração em mapa aberto, a melodia empolga e traz um ar de "ao infinito e além", mas nada exageradamente épico ou piegas. Talvez a única parte menos legal aqui sejam as vozes dos cachorros: além de não ter dublagem em português brasileiro (apenas de Portugal), os bichinhos falam demais e suas vozes forçadamente felizes às vezes fazem você implorar por alguns momentos de silêncio.  


Considerações

"Playstation Vita Pets" é um simulador de cachorros que traz mecânicas bem simples de aprender, muitos segredos para descobrir, um mapa inteiro para explorar e puzzles bem amigÁveis para resolver com seu bichinho virtual de estimação. Por isso, é definitivamente mais indicado aos mirins que estejam se iniciando no mundo dos games, sendo que a falta de atividades variadas e de objetivos mais complexos durante a aventura podem incomodar os jogadores de longa data. Tirando a simplicidade das ações e alguns bugs na mecânica, a diversão prevalece e o título vale pelo menos um teste rÁpido. Se não tiver como, recomendo esperar por algum corte futuro no preço do título.

PRÓS
Cachorros fofos
Muitos segredos, itens e colecionÁveis para descobrir
Mapa com vÁrios tipos de ambientes e desafios únicos 
Puzzles amigÁveis
Combinações de habilidades e tarefas diÁrias a cumprir
Perfeito para mirins
CONTRAS
Travamentos eventuais obrigam a reiniciar o jogo
Bugs na mecânica impedem de prosseguir a novas Áreas
Repetição de uma única atividade para maximizar habilidades gera tédio
Vozes um pouco forçadas para os bichinhos
Tags
  • Redator: Andrei Longen

    Andrei Longen

    Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Andrei Longen é entusiasta por videogames desde os 7 anos, quando ganhou um Odyssey 2, seu primeiro console. Hoje tem PS4, PS3 e PS Vita e adora caçar troféus em todos os jogos. Colabora no Adrenaline com notícias, análises, artigos, colunas e vídeos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.