ANÁLISE: Rival Knights

ANÁLISE: Rival Knights

Produzido e distribuído pela Gameloft para dispositivos móveis (iOS, Android e Windows Phone), "Rival Knights" é um jogo free-to-play de duelos de cavaleiros da Idade Média, aqueles em que dois competidores correm um em direção ao outro e, equipados com suas poderosas lanças e fortes armaduras, devem derrubar o adversÁrio do cavalo sem piedade.

O game traz batalhas desafiantes e grÁficos muito bons, mas a diversão esbarra na eterna chatice de jogos do gênero em ter que ficar esperando um certo tempo para ter permissão de jogar as próximas rodadas ou torneios específicos, a menos que você gaste dinheiro real para comprar artifícios que facilitem e agilizem a experiência.

Leia a anÁlise abaixo. 


Jogabilidade 

"Rival Knights" até tem uma história, mas ela é tão banal e tem alguns diÁlogos escritos tão simplórios que acaba servindo apenas de contexto e de pretexto para o início das batalhas. Por isso, passo direto à jogabilidade e, aqui, o jogo cumpre seu papel muito bem. Sua meta principal é vencer cada uma das mais de 100 missões do game ou seja, duelar contra os mais diferentes tipos de adversÁrios com características específicas de combate e ir progredindo aos poucos. Quando vencer todos os desafios de uma etapa, você enfrenta o chefe dela e, se conseguir superÁ-lo, avança a uma nova bateria de provas.

  

  

- Continua após a publicidade -

Lendo assim, parece fÁcil. Mas não é bem isso o que acontece. Durante as provas, é preciso utilizar uma certa dose de estratégia para vencê-las. Primeiro de tudo, é imprescindível aprender a largada perfeita com seu cavalo antes de cada desafio, pois isso traz um benefício de maior velocidade e, consequentemente, mais impacto causado pelo seu ataque. Após conseguir esse feito, tudo é questão de timing: basta apertar na tela quando a barra que surge no canto superior direito atingir o ponto em verde, ir acumulando cada vez mais velocidade e, na hora do ataque, correr o dedo pela tela para direcionar a lança no ponto indicado no corpo do adversÁrio para um ataque fulminante.

As primeiras vitórias são garantidas com esse método. Mas logo em seguida os adversÁrios vão ficando mais difíceis e é aí que você precisa investir o dinheiro ganho nas vitórias para comprar melhorias em quatro frentes: Capacete (defesa), Armadura (defesa), Cavalo (manejo e velocidade) e Lanças (mira e ataque). Quanto mais longe for, mais terÁ que batalhar na busca por mais dinheiro, pelos melhores extras e itens que fazem a diferença na hora dos duelos. É bem importante conhecer as suas deficiências e comprar os equipamentos certos para progredir sem maiores problemas. Também é importante não deixar o peso de todos os equipamentos juntos ser superior ao desempenho geral do seu cavaleiro, bastando ficar de olho nas suas estatísticas em função das dos adversÁrios para ter maiores chances de êxito. 

A propósito, progredir na história game é fÁcil e divertido. Mas o difícil é ter que esperar pelas próximas batalhas assim que o número de selos reais (suas fichas) termina. Como em qualquer jogo free-to-play para dispositivos móveis, você só pode jogar novas batalhas quando esperar um tempo determinado e ir recebendo novas fichas com o passar do tempo. Até entendo esse tipo de negócio por parte das produtoras, mas não tenho como deixar de julgÁ-lo como irritantemente chato. É simplesmente um saco ficar na vontade de iniciar novas partidas. Se não quiser esperar minutos (às vezes horas), é possível comprar, com dinheiro real, novos selos reais, selos sociais (fichas para partidas multiplayer - duelos bem simplórios, diga-se de passagem), jóias (para participar de torneios temporÁrios) e o próprio virtual usado no game, concluindo o círculo vicioso de um dos gêneros que mais crescem nos jogos eletrônicos.


GrÁficos e Áudio

Levando em conta que existem games mais bonitos nos dispositivos móveis, os grÁficos de "Rival Knights" não chegam a impressionar em nenhum momento, mas mesmo assim ainda são bonitos e casam muito bem com a proposta de reproduzir a ambientação dos duelos de cavaleiros na Idade Média. Os cenÁrios, embora repetitivos, trazem detalhes únicos e a diferenciação dos equipamentos (armaduras, capacetes e lanças) e os modelos dos cavalos são bem variados.

 

 

JÁ o Áudio é apenas satisfatório, se destacando bem mais pelos efeitos do que pela trilha sonora em si, sendo esta do tipo que combina com a temÁtica e traz algumas orquestras sinfônicas, mas não se destaca de uma maneira mais imponente, muito importante para o envolvimento com a dinâmica do jogo.

- Continua após a publicidade -


Considerações

"Rival Knights" diverte instantaneamente e serve muito bem à proposta free-to-play: ligue seu dispositivo móvel, duele em batalhas desafiantes offline ou online contra outros cavaleiros até suas fichas acabarem. Espere por vÁrios minutos (ou horas) e repita esse padrão até cansar (me irritei após algumas horas). Se quiser jogar mais vezes nesse meio termo, é preciso gastar dinheiro real. O legal é que, além das partidas tradicionais, existem torneios próprios, modos de treino e desafios únicos durante a sua jornada, diversificando a experiência. GrÁficos e Áudio fazem a sua parte e garantem a qualidade acima da média do game.

PRÓS
Duelos divertidos em controles bem simples
Bom sistema de equipamentos
Diversidade de desafios (duelos offline, torneios temporÁrios, batalhas online)
CONTRAS
Mecânicas free-to-play (espere para jogar ou pague) 
Tags
  • Redator: Andrei Longen

    Andrei Longen

    Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Andrei Longen é entusiasta por videogames desde os 7 anos, quando ganhou um Odyssey 2, seu primeiro console. Hoje tem PS4, PS3 e PS Vita e adora caçar troféus em todos os jogos. Colabora no Adrenaline com notícias, análises, artigos, colunas e vídeos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.