ANÁLISE: Trials Fusion

ANÁLISE: Trials Fusion

Chegou a hora de acelerar tudo em motocicletas e quadriciclos e radicalizar com manobras alucinantes em "Trials Fusion"! Desenvolvido pela RedLynx e distribuído pela Ubisoft, o jogo é o novo capítulo da franquia que testa as habilidades do jogador com objetivos desafiantes na busca pelas maiores pontuações. Numa temÁtica agora mais futurista, o game traz ótimos grÁficos, provas que exigem cada vez mais domínio dos controles e serve muito bem como uma ótima opção para quem gosta de multiplayer local. Acompanhe a anÁlise a seguir da versão para Xbox One.



Jogabilidade e Multiplayer

"Trials Fusion" não tem história; portanto, passamos direto para a jogabilidade e, aqui, o game manda muito bem. Os controles são bem precisos, responsivos e logo nos cinco primeiros minutos de gameplay é possível sacar o todo o sentido do jogo. Sua meta é, primeiramente, adaptar-se à sensibilidade de inclinação (equilíbrio) da sua moto, quadriciclo ou bicicleta. No começo, é bastante natural ter um leve estranhamento com a velocidade que o movimento acontece. Mas uma vez dominada essa questão, basta chegar ao final dos 10 mundos do game (cada um tem entre 5 e 10 provas distintas) com o menor número de quedas e tempo possíveis para alcançar as melhores medalhas (entre bronze, prata e ouro). Quanto melhor for seu desempenho, mais experiência você ganha e mais rÁpido você ganha acesso a outras Áreas, estÁgios e novos tipos de desafios.

Falando neles, o jogo vai além da simples transposição de obstÁculos em um plano 2D. Quanto jÁ tiver experiência suficiente nos desafios primÁrios, chegam as provas de manobras e é aí que o jogo se torna imensamente mais prazeroso de se jogar. Após um breve tutorial, você passa a ter o controle dos seus veículos de uma forma mais completa e dinâmica e, com combinações bem simples de botões, serÁ capaz de fazer movimentos radicais e se divertir pra valer. A beleza plÁstica dos movimentos chega a ser um colírio para o olhos e, mesmo que erre nas finalizações, jÁ vai ter valido a pena pelo menos ter tentado fazer bonito. Só que, se quiser vencer as maiores pontuações, terÁ que se tornar mestre na arte de não só aprender a acionar os movimentos, mas também na de estudar quanto tempo cada um deles leva para ser completado e o quanto interferem no equilíbrio físico da sua moto. Em outras palavras: é preciso combinar habilidade, precisão e adrenalina para se dar bem.



HÁ também provas mais casuais, mas igualmente divertidas e definitivamente mais engraçadas. Numa delas, é necessÁrio descer uma rampa imensa e, ao final dela, fazer o piloto saltar da moto e arremessÁ-lo em queda livre o mais longe possível. O intuito, mais uma vez, é também bater os melhores placares levando em conta o sistema de física, planejando bem a sua conduta de aceleração, velocidade e a preparação para o salto final. Repetir vÁrias vezes e estudar as possibilidades é o segredo para seguir com mais tranquilidade na carreira. Fora isso, cada uma das provas ainda tem de três a cinco objetivos particulares que adicionam ainda mais desafio ao game. Exemplo: realizar 10 loopings numa pista sem erros, fazer uma manobra específica em um trecho de destaque ou não encostar a roda dianteira em faixas vermelhas colocadas estrategicamente pelos cenÁrios. 

E enquanto vai passando pelos desafios e vencendo os objetivos mais tensos, você vai arrecadando dinheiro, que pode ser investido em melhorias (upgrades) para o seu personagem ou para o seu veículo. Só que essas melhorias são bem mais estéticas do que realmente úteis ao seu desempenho no jogo: é possível comprar novas roupas, capacetes, calças e acessórios para o seu personagem e ir customizando-os da maneira que desejar. Mas é vÁlido salientar que algumas dessas opções de vestimentas são liberadas apenas se você tiver uma conta no serviço Uplay. As melhorias para os seus veículos também são apenas visuais, sendo possível apenas trocar o modelo e as cores das partes deles (roda, motor, carcaça e aros), sem influenciar em absolutamente nada no peso, na aerodinâmica, na velocidade e na física de controle sobre eles. Ponto negativo considerÁvel aqui.  

- Continua após a publicidade -

Chegou a hora de falar do multiplayer do game. O privilégio é apenas para aqueles que gostam de competitividade local, ou seja, offline. Até quatro jogadores simultâneos são permitidos em provas que têm as mesmas variações que o modo campanha, como terminar uma pista com o menor número de erros e o mais rÁpido possível e fazer a maior combinação possível de manobras radicais. É indescritivelmente divertido e com certeza vai arrancar muita gargalhada dos jogadores. JÁ quem curte interações online vai ficar chupando dedo. Uma pena, jÁ que poderia trazer ainda mais longevidade ao jogo. O único tipo de interação pela internet com outros jogadores é poder visualizar os placares e os fantasmas dos seus amigos nas pistas, além de poder baixar e jogar em pistas criadas por outros jogadores ao redor do planeta. Você também pode criar a sua própria pista e fazer upload aos servidores da Ubisoft, tendo a chance da sua criação ser bem avaliada e ser selecionada pela empresa como uma das melhores da semana ou do mês. 

GrÁficos e Áudio

Tirando algumas quedas eventuais nas taxas de quadro por segundo, um dos pontos mais fortes de "Trials Fusion" são os grÁficos. Os cenÁrios, com temÁticas que passam por parques industriais, arenas futuristas, florestas e cadeias de montanhas, trazem detalhes bem ricos que ajudam bastante na imersão do jogador. Além disso, vÁrios trechos dos estÁgios se movimentam e interagem com o jogador em tempo real, adicionando uma variedade maior aos desafios e variações da mecânica propostas pelo game. As texturas, que às vezes têm um probleminha de carregamento atrasado, são bem apuradas e vívidas. E os efeitos de iluminação, explosão e fumaça, todos bem realistas, completam o visual no game. 



O Áudio também é ótimo. As trilhas que tocam nos menus, durante as partidas offline e online ou na loja de compra de itens são bem agitadas e impactantes e casam perfeitamente com a proposta do jogo. É comum se sentir empolgado e incentivado a conquistar as melhores pontuações e as medalhas mÁximas em cada pista só pela ótima sensação de bem-estar que as músicas causam. Elas só podiam ser mais variadas e menos repetitivas, trazendo uma quantidade maior - e de mesma qualidade - de novas canções. JÁ os efeitos sonoros dos motores das motos e dos quadriciclos até que são bons e convincentes, mas não chegam a se destacar diante das outras atrações no quesito.   

Considerações

"Trials Fusion" traz uma ótima combinação entre desafios na medida certa e diversão instantânea. A diversidade das provas e a dificuldade progressiva da mecânica 2D do game fazem você querer sempre alcançar os melhores placares e superar todos os obstÁculos, por mais complicados que eles possam parecer num primeiro momento. Além disso, o visual é bem atraente, com detalhes bem vívidos, e o multiplayer local permite que até 4 jogadores passem vÁrias horas rindo das manobras mal sucedidas e das quedas dos adversÁrios. Vale a pena gastar os US$15 cobrados!  

  

- Continua após a publicidade -

PRÓS
Diversão instantânea
Desafiante na medida certa - dificuldade progressiva
Variedade de obstÁculos, estÁgios e desafios específicos por pistas e provas
Multiplayer local (offline) para até 4 jogadores
Bons grÁficos: detalhes ricos, com ótimas texturas e efeitos de iluminação
CONTRAS
Pouquíssimos veículos
Melhorias (upgrades) são majoritariamente estéticas
Ausência do multiplayer online
Tags
  • Redator: Andrei Longen

    Andrei Longen

    Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Andrei Longen é entusiasta por videogames desde os 7 anos, quando ganhou um Odyssey 2, seu primeiro console. Hoje tem PS4, PS3 e PS Vita e adora caçar troféus em todos os jogos. Colabora no Adrenaline com notícias, análises, artigos, colunas e vídeos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.